Home Política Submarino nuclear: acordo com a França é questionado na Câmara

Submarino nuclear: acordo com a França é questionado na Câmara

169
0

vinheta-clipping-navalEm audiência pública nesta terça-feira, marcada pela ausência dos interlocutores da área de Defesa Nacional, o acordo com a França para a aquisição de equipamentos e tecnologia nuclear para a Marinha brasileira foi fortemente questionado pelos deputados da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional.

A assinatura do acordo é prevista para coincidir com a visita do presidente francês, Nicolas Sarkozy, ao Brasil, durante os festejos da independência, em 7 de setembro.

O acordo, que terá de ser analisado pelo Congresso Nacional, prevê a transferência de tecnologia, a construção de um submarino nuclear e a aquisição de outros quatro submarinos convencionais ao custo total de 6,8 bilhões de euros (cerca de R$ 19 bilhões), a juros de 5,5% ao ano.

Para que os questionamentos dos deputados fossem esclarecidos em tempo hábil, a audiência foi marcada para hoje. O Ministério da Marinha (sic) não se fez representar, e o Ministério da Defesa alegou “compromissos anteriormente assumidos” para a ausência do ministro Nelson Jobim, que também não enviou representante. O presidente da comissão, deputado Severiano Alves (PDT-BA), abriu a sessão lamentando a falta de interesse da sociedade pelos grandes temas nacionais, entre os quais a Defesa Nacional.

Equipamentos ultrapassados

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG), autor do requerimento da audiência, questionou os fundamentos técnicos e econômicos do acordo. O parlamentar disse que os equipamentos franceses são ultrapassados e que o valor da transação vai onerar o endividamento do País. “Esse pacote envolve R$ 19 bilhões na compra de quatro submarinos convencionais franceses que não são utilizados por nenhuma potência mundial. Esse valor todo seria financiado pelo País em empréstimos externos a juros muito altos pelo prazo de 25 anos. É extremamente oneroso para o Brasil estar comprando algo tão desatualizado e tão caro em troca da chamada transferência tecnológica.” Delgado acrescenta que está incluída a aquisição de um casco para receber um propulsor nuclear em um futuro incerto e a construção de um estaleiro e de uma base.

Prazo

Delgado também questionou as datas diferentes divulgadas pela Marinha para o lançamento do submarino nuclear (2014, 2017 ou 2021, conforme as versões).

Segundo o deputado, todos os especialistas são unânimes em dizer que serão necessários entre 10 e 15 anos para produzir um gerador nuclear terrestre, que terá de funcionar chumbado a uma base de concreto. Depois disso, mais 10 ou 15 anos serão precisos para “marinizar” esse gerador de forma que possa ser usado no casco móvel de um submarino.

Júlio Delgado também não se mostrou convencido da necessidade desse equipamento, pois considera que uma quantidade maior de submarinos convencionais traria melhor proteção para o litoral brasileiro.

A forma das negociações e o custo final do contrato com a França, segundo o deputado, não se justificam pelos argumentos apresentados.

Licitação

Para o deputado Márcio Reinaldo Moreira (PP-MG), o acordo deveria ter sido precedido de uma licitação ou alguma espécie de certame internacional, envolvendo técnica e preço. É o que está fazendo a Aeronáutica, para a escolha dos caças que está adquirindo. “O custo do projeto da Marinha é tão alto que vai onerar não só o seu próprio orçamento ou o da Defesa, mas o orçamento da União.”

Capacitação

O presidente da Associação Brasileira de Estudos de Defesa (Abed), professor Eurico Lima Figueiredo, defendeu a capacitação estratégica e tecnológica do País, à altura da sua importância política e econômica. Ele considera que a sociedade brasileira está madura para controlar as Forças Armadas e outras instituições, como o Congresso ou a universidade . “Isso já está acontecendo, na medida em que a estratégia nacional de defesa está sendo formulada com a participação de civís e é publicamente discutida.”

Segundo o professor, é preciso dominar a tecnologia que permita dar o salto nuclear, para a energia nuclear em geral, como alternativa para o futuro. “Se as grandes potências consideram importante ter submarinos nucleares, nós, que em 30 anos seremos pelo menos a quinta potência econômica, não devemos nos intimidar”.

FONTE: Portal da Câmara dos Deputados

NOTA DO BLOG 1: Seria muito importante a presença do Comandante da Marinha e do Ministro da Defesa nesta audiência pública. Este é, sem sobra de dúvida, o projeto de defesa mais importante e de maior volume de recursos do país.

NOTA DO BLOG 2: o Blog do Poder Naval já havia questionado o problema das diferentes datas divulgadas e o longo prazo para a conclusão da primeira unidade. Pode ser coincidência, ou os parlamentares estão se baseando nas informações divulgadas pelo Blog.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Lucas
Visitante
Lucas

Hum, está parecendo que a Câmara de Deputados irá jogar um balde de água fria naqueles que acham que este acordo será fechado, creio que eles irão barrar o projeto, como diz a nota acima eles dizem que o Scorpene é ultrapassado tecnológicamente, mas da onde eles tiraram essas conclusões??

trackback

[…] « Submarino nuclear: acordo com a França é questionado na Câmara […]

RL
Visitante
RL

Eu quero acreditar que tudo de certo.

Estou torcendo por isso. O problema é que toda hora, a todo instante, dia após dia, vem sempre uma notícia que “mela” a anterior ou distorce tudo.

Mesmo na maior crença de que vai dar certo, não tem jeito.

A única certeza que se tem é de que pulga continua atrás da orelha.

Robson Br
Visitante
Robson Br

O problema é que muitos formadores de opinião da área militar estão jogando contra os objetivos nacionais. A nota 2 do blog é um exemplo disso. Eles tinham que ler os comentários, pois a maioria é pela independência e capacitação do Brasil.

Robson Br
Visitante
Robson Br

Mudanças fazem parte da evolução. Mesmo contra várias circunstâncias o MD está evoluindo. Tem uma turma que já deveria estar de pijama teria que largar o osso. Para muitos, ser militar é um emprego, para outros é uma vida. Para alguns desde que não falte os salários ter ou não ter não faz diferenças. Por que o blog não coloca com a mesma ênfase os comentários de quem está a favor. Pelos comentários postados a maioria é a favor da capacitação.

mauro dias
Visitante
mauro dias

Comissão do legislativo não tem poder veto em projeto do executivo.
Só se fosse para medida de projeto de lei.
Mas para ouvir esse bando de ignorantes em assuntos de defesa e estratégia , é preferível não aparecer.Se fosse comissão de alto nível até poderia ser, mas pelo visto é apenas para marcar posição política no mínimo sofismática

Capitão
Visitante
Capitão

É Robson, Deixa eu fazer uma comparação. PIB do Brasil acumulado para os próximos 20 anos: 50 TRILHOES Custo de ganhos incríveis em tecnologia militar e civíl na área nuclear, independencia e respeito mundial: 20 bilhões. Este blog e seus autores jogam contra a pátria. Não há 1 ( UM ) artigo sequer na qual se apóia este programa. Ou são imparciais ou pró sub-germânico. Chega até ser cômico para um blog dito “especializado”. Por que será? Mostrem aí quais os benefícios de podermos construir subs nucleares, torpedos de ultima geração, mísseis etc etc… Abram suas cabeças meu povo!!!! Quem… Read more »

Capitão
Visitante
Capitão

O certo seria apoiar o programa e suspeitar do preço mas na verdade metem o pau no programa pelo seu preço. Meus pêsames.

julio
Visitante
julio

A quanto tempo vem sendo divulgado o acordo com a França? Somente agora a Camara dos Deputados resolve realizar audiencia publica para debater o acordo e os seus valores. Pior do que isso é a ausencia do ministro da defesa que na minha opiniao deveria ir lá na audiencia publica e defender a posição assumida pelo Governo. Ora, não comparecer na audiencia publica e deixar o debate ser realizado para, talvez, atender interesses alheios ao País é assinar o atestado de burrice ou tem algo “podre” nesse acordo com a França. Infelizmente acho que tudo conspira contra os interesses da… Read more »

CADU
Visitante
CADU

Boa Noite Amigos
Enfim o Jobim, disse que o contrato vai ser assinado no 7 de setembro, com a vinda do Sarkosy ao BRASIL, submarinos e helis já garantidos.
Saudações a todos.

Hornet
Visitante
Hornet

“todos os especialistas são unânimes em dizer que serão necessários entre 10 e 15 anos para produzir um gerador nuclear terrestre” até hoje não ouvi ou li nenhum especialista, especialista de fato (engenheiro naval, engenheiro nuclear, físico nuclear ou semelhante), dizer isso. Quem o deputado está chamando de “especialistas”? O Janio de Freitas, a Mirian Leitão, o editor de o Globo…quem? E além do mais o deputado se esquece que não começamos o projeto do reator nesta semana, mas em 1979. Portanto, já temos mais de 30 anos de projeto, o dobro do que ele acha que é o “razoável”… Read more »

Capitão
Visitante
Capitão

É Hornet…
E alguns serão enviados a uma classe especial para aprenderem mais “devagar”, outros ainda a repetirão…
Mas o pior cego é aquele que não quer ver.

Igo
Visitante
Igo

Licitação

Para o deputado Márcio Reinaldo Moreira (PP-MG), o acordo deveria ter sido precedido de uma licitação ou alguma espécie de certame internacional, envolvendo técnica e preço. É o que está fazendo a Aeronáutica, para a escolha dos caças que está adquirindo. “O custo do projeto da Marinha é tão alto que vai onerar não só o seu próprio orçamento ou o da Defesa, mas o orçamento da União.”

Esse trecho do texto, chega a ser hilário. Isso só pode ser piada.

CADU
Visitante
CADU

Boa Noite
O que voces esperavam de um deputado de MG, lá não tem mar, uai, como é que ele pode entender de submarinos, rsrsrs.
Daudações.

CADU
Visitante
CADU

Saudações

Hornet
Visitante
Hornet

CADU,

putz! é verdade…tá explicado o problema…kkkkkkk

abração

Hornet
Visitante
Hornet

um off-topic engraçado. Pensei que era só eu que tava de saco cheio de tanto ter que falar e explicar a mesma coisa sobre o submarino nuclear, mas acabei de ver que a MB também se encheu. Já viram isso: “Resposta à Imprensa RESPOSTA À MATÉRIA PUBLICADA NO JORNAL “FOLHA DE SÃO PAULO” DE 18AGO2009, INTITULADA: “SUSPEITA NUCLEAR” (“Há muito está comprovada a insuficiência da garantia de que a França não passará tecnologia nuclear ao Brasil ”) Senhor Editor, Tendo em vista a recusa recorrente do jornalista Jânio de Freitas em considerar os esclarecimentos da Marinha e do Ministério da… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

Vamos supor, apenas supor, que os físicos do Instituto de Física da USP entendam alguma coisa sobre energia nuclear…evidentemente não tanto quanto a Miriam Leitão, o Jânio de Freitas, o editor de o Globo e, ao que parece, o deputado citado na matéria….mas vamos supor que esses físicos nucleares da USP entendam um pouco do assunto e que a gente até possa chamá-los, não de “especialistas” (pois especialista mesmo é o Jânio de Freitas), mas de “curiosos” no assunto. Pois bem, segundo esses “curiosos” no assunto, o cronograma da MB é factível e o prazo de 2014 para terminar a… Read more »

Hornet
Visitante
Hornet

Para mais informações sobre este Debate ocorrido na USP, que infelizmente não contou com a colaboração do especialista em táticas de destruição da soberania do Brasil – o Prof. Dr. Jânio de Freitas – e nem da Urubóloga de plantão – Profa. Dra. Miriam Leitão -, aqui tem mais informação: http://boletim.ifsc.usp.br/Todas-Noticias.php?rowid_home=1534&rowid_vol=79 Vale a pena conferir, pois mostra bem que o engajamento da USP e da comunidade científica brasileira neste projeto da MB é bem maior do que possa imaginar quem está de fora da Universidade e do mundo científico no Brasil. O projeto nuclear da MB interessa não apenas ao… Read more »

Robson Br
Visitante
Robson Br

Capitão
muito obrigado pelo complemento de meu post,
Para ter o que alguns “acham” que está bom é melhor não ter nada. Para que pagar este monte de salários que na hora “H” não vamos ter como nos defender. Comprar alguns brinquedinhos modernos so para desfile. Seria melhor (pela visão de alguns) entregar nossa defesa para o grande irmão do norte.
Temos que nos capacitar para sermos fortes, independentes e impor respeito.

PÔ CADU o cara é de minha cidade e eu não penso assim. RsRsRS
Nós estamos a 180 km de copacabana KKKKKK

catraca
Visitante

Porque será que nada me surpreende mais neste País ????

Como mencionado ai, que se assine os acordos, que se construa os subs, os helis, os aviões e os navios……..e SE ouver dúvidas a respeito dos valores que se apure as responsabilidades e se puna exemplarmente quem levou alguma coisa, como inclusive um almirante ligado aquele estaleiro no Ceará esta sendo punido……..agora, que o País siga seu rumo e tenha os meios necessários para sua defesa, isso não pode faltar sobretudo e sobretodos.

catraca
Visitante

assine assinem

sorry

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

O Problema é que todo mundo nesse país adora dar palpite tendo um mínimo de conhecimento sobre os assuntos. Acho que esse acordo e toda a tecnologia envolvida têm um impacto muito grande na estrutura de toda a geo política do hemisfério. O Brasil com submarino nuclear representa uma ameaça pra muita gente. Tem muita gente na câmara com interesses ou defendendo interesses pessoais ou de grupos. A empresa alemã que foi descartada não se importa com o futuro do Brasil, ela se importa em jogar lama no negócio e entrar na jogada pra vender. As potências não se importam… Read more »

frederico augusto marques
Visitante
frederico augusto marques

Caro Robson Br,

O responsável pelo blog não publica o contraditório, no caso os comentários a favor porque faz campanha velada pelo grupo Thyssen Krupp. Inclusive aquela reportagem sobre os IKL na Alemanha teve sua viajem custeada por quem? Seria interessante termos esta resposta. Quanto ao deputado Júlio Delgado (PSB-MG), este faz oposição ao governo na câmara, portanto será contra qualquer ação do MD. Se o MD escolhesse o sub convencional com AIP, garanto que o Sr. Júlio Delgado ficaria contra e a favor do sub Nuclear. Política é assim…

Marcelo Tadeu
Visitante
Marcelo Tadeu

Não está na hora do Sr. Ministro da Defesa e o Comandante da Marinha aparecerem? Só eles podem explicar à Comissão de Defesa as necessidades do país.

Cronista
Visitante
Cronista

E o que vocês esperavam!?!? A verdadeira batalha não é pelo submarino, mas pelo que ele representará em termos geopolíticos, pressupondo que o acordo realmente atinja seus objetivos. Aliás, vale uma observação. Qualquer um que afirme que esse acordo será bom ou ruim estará especulando. Trata-se de um projeto ímpar, um projeto da nação e não de governo, um projeto para 30 anos! Então, eu olho com reservas tanto os ferrenhos defensores quanto os que atacam, apenas tendo um pouco de complascência com estes últimos porque parecem *papagaios de pirata*, repetindo chavões absurdos como supremas verdades…. Eu apóio a iniciativa… Read more »

LBacelar
Visitante
LBacelar

Sinceramente,

Acho que ta faltando um governante que use boina boot e brevê nesse país…

Reclamar que o custo total da TT para construçao do SubNuc sai dos cofres da união é mole, quero ver fala sobre os saques feitos no mesmo cofre pelo Sr presidente da câmara…

Fernando
Visitante
Fernando

Bem, esse assunto, pelo jeito ainda vai longe… O que me preocupa neste caso, é o ritmo urgente de defendermos o pré sal, “moeda” corrente no mundo todo, em tempos que os preços da energia andam cada vez mais altos e suas fontes alternativas não serão comercialmente viáveis nos próximos 20 ou 30 anos (essa crise, até que caiu “bem”). Sai mais barato ainda explorar petróleo para produzir energia, do que a nuclear (Hum… será que é por isso que tanto insistimos…) ou outras energias alternativas para o mundo (lembrando que mesmo no caso do etanol de biomassa, ele não… Read more »

Fernando
Visitante
Fernando

onde se lê: “neste futuro. Fica difícil e caro cobrir a contento todo o litoral brasileiro, com apenas submarinos NUCLEARES e AIP,s.”

entenda-se: “neste futuro. Fica difícil e caro cobrir a contento todo o litoral brasileiro, com apenas submarinos CONVENCIONAIS e AIP,s.”

Lucas Calabrio
Visitante
Lucas Calabrio

AHornet
Parece que tem gente querendo empacar o projeto de autodefesa deste país. Vejo como solução aqueles comentários que coloquei pra ti, a profissionalização dos políticos em escolas com duração de 2 anos anes para serem capacitdos, pois sem visão nunca chegaremos a lugar nenhum.
Abraço caríssimo

Lucas Calabrio
Visitante
Lucas Calabrio

anes = antes

Nunão
Visitante
Nunão

Salve, Hornet! Muito interessantes os links sobre como anda a discussão a respeito na USP e na comunidade de C&T. A resposta da MB ao artigo do Jânio de Freitas que você postou o link também está aqui no Blog. Só discordo da possibilidade aventada de que a MB pode estar de “saco cheio” de dar as respostas… Em momento algum ela poderia se dar a uma postura dessas e muito menos nesse momento. Não estou dizendo que a instituição tenha faltado à audiência por motivo de “saco cheio”, isso é uma piada sua, eu sei, mas creio que a… Read more »

Lucas Calabrio
Visitante
Lucas Calabrio

Prezados
Estaria, por ventura, enganado nesse raciocínio?
A empresa alemã patrocina todo estardalhaço para melar uma disputa que perdeu, pois não tem tecnologia de sub nuclear, mas por trás de tudo isso, está os USA que não quer que o Brasil tenha projeção de poder , ainda mais com tecnologia nuclear, e a França, que sempre discordou da política externa norte-americana, e agora a pressão é muito grande sobre o Brasil e o lobby corre frouxo a com valores altos ou estou enganado?
Abraço a todos

Fernando
Visitante
Fernando

Parabéns ao Almirante Carlos Passos Bezerril, pelo chamamento ao debate da comunidade acadêmica sobre o Sub Nuc Brasileiro…

Flavio
Visitante
Flavio

Acho que a MB e o Jobin erraram e não mandar ao menos um representante para defender o projeto. Não adianta se esconder, os caras vão encher o saco. A melhor defesa é o ataque, então, vamos começar a mostrar o porque realmente o projeto é importante para o país.

Estes deputados são uma piada, só sabem se meter em escândalos, leêm as notícias do jânio e se acham os especialistas. Por isso que, NA MINHA OPINIÃO, CONGRESSO BOM É CONGRESSO MORTO.

Bom, mas vamos torcer para que o projeto saia, e nós tenhamos em fim, um sub nuclear.

renato
Visitante
renato

Permita-me desviar um pouco o foco, mas acho que a melhor opção seriamos optar oelo projeto do barracuda e não do Scorpen com a devida Transferencia de Tecnologia…opnião

Fernando
Visitante
Fernando

Olha, para entender o assunto em um aspecto mais amplo (apesar de não simpatizar com o subtítulo) e o porque vale a pena, mesmo que caro, o desenvolvimento nucler, recomendo excelente texto do Carlos Lessa: “O pré-sal e o enigmático futuro brasileiro Lula anteviu um “Iraque” em nosso território e suspendeu o leilão da ANP; agora é necessário retirar da Petrobras a missão de “honrar seus acionistas Toda profissão tem cacoetes lingüísticos. O geólogo brasileiro denomina os campos submarinos de petróleo existentes abaixo de um enorme e espesso lençol de sal de pré-sal. O geólogo ordena o mundo de baixo… Read more »

Mengo
Visitante
Mengo

Tenho uma sugestão: O MD e a Marinha poderiam se dispor a participar de um amplo debate, com a presença de representantes das áreas científica, econômica, acadêmica, política, jornalística e da própria sociedade. A dimensão do projeto requer isso, ou seja, transparência. Poderia ser um seminário, de 2 a 3 dias, onde a razâo/verdade pudesse prevalecer. Eu, sinceramente, gostaria de ver o MD e a Marinha vencer esse embate, mas para isso são necessárias coragem e certeza do que se está fazendo.

frederico augusto marques
Visitante
frederico augusto marques

O trecho abaixo refere-se a participação do Tikuna na Unitas Gold/09, foi no dia 28/04/2009, belíssima reportagem feita pelo pessoal do alide (www.alide.com.br). Ela mostra bem algumas deficiências de um sub convencional no embate contra um GT. O dia deveria ser especialmente agitado. Segundo o planejamento da UNITAS este deveria ser o dia em que a narrativa para os leitores de ALIDE, seria a mais prazerosa e empolgante, mas, infelizmente, acabou sendo a prova viva, da importância de que um país que dispõe de um litoral com a extensão do litoral brasileiro, disponha de meios navais dissuasórios adequados ao seu… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Frederico… mas o que vc parece sugerir e que em caso de guerra, nossos submarinos nucleares seriam enviados muito para o norte para tentar afundar os porta avioes que estivessem a caminho antes de lancarem suas aeronaves. No meu entender de leigo que sou, antes de algum porta avioes entrar na area da IV frota deles em caso de guerra, a forca aerea “inimiga” teria feito a maior parte do servico e os navios e submarinos “inimigos” iriam tentar encontrar os nossos submarinos que estivessem no mar. O que teriamos que fazer, na minha visao de leigo…seria sim aguardar furtivamente… Read more »

Caon
Visitante
Caon

Dalton, também sou leigo nesse assunto, mas imagine o impacto de uma manchete ” Submarino brasileiro afunda o CVN num sei que”, pode ser que eles vençam no caso de os EUA e a USNavy enfrentarem o Brasil, mas que com os SubNuc o custo seria mais alto seria

Abraços

Nauta
Visitante
Nauta

Sem comentários…

Nauta
Visitante
Nauta

Só para não passar em branco, a respeito do comentário deixado por Igo em 20 Ago, 2009 às 0:32, quanto ao fato de o Deputado Marcio Reinaldo Moreira ter citado a necessidade de realização de licitação ou um certame internacional, segundo dados do site “Transparência Brasil” o mesmo é formado em Economia… Seu comprometimento com assuntos de interesse à Defes Nacional não deve ser considerado, visto que seu histórico de envolvimento em escândulos do Governo é lamentável, quais sejam: Teve seu nome incluído numa lista de deputados do PP que teriam recebido o mensalão. A lista foi entregue à CPI… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Caon…

a verdade eh: os porta-avioes existem por 6 motivos, mas ha um setimo motivo nao muito claro. Servem para serem afundados e com isso dar a desculpa ou razao para uma guerra sem quartel.

Um politico ou comentarista americano, disse algo semelhante uma vez, mas infelizmente nao recordo-me quem, apenas que referia-se a presenca de porta avioes nas traicoeiras aguas do golfo persico.

Afundar um porta avioes nao chega a ser tao dificil, a propria US Navy reconhece isso…mas Deus ajude o Pais cujo submarino disparar os torpedos.

sds

COMANDANTE MELK
Visitante
COMANDANTE MELK

Senhores,

para desespero dos governos que não querem ver um Brasil autaneiro, e para aqueles que tem enraizado na alma o senso de um Brasil servíl, não tem jeito, “O BRASIL VAI SIM, ASSINAR O CONTRATO COM A FRANÇA PARA O DESENVOLVIMENTO DE SEU SUB NUCLEAR´´.

Já tem data e hora marcado, podem espernear e revirar as entranhas, “O GRANDIOSO ACORDOU´´

“Sinto saudade da piscina do Alvorada´´. Fernando Henrique Cardoso

Marcelo Martins
Visitante
Marcelo Martins

Essa novela vai durar uns 1.000 capítulos ainda. Se para comprar 36 caças estamos patinando a uns 8 anos, imagina para comprar submarino nuclear!!!!

Hornet
Visitante
Hornet

Nunão,

o “saco cheio”, no caso da MB, é só força de expressão minha.

De qualquer modo, o Jãnio de Freitas é um cara que torra as paciências de qualquer um…hehehe

abração

Edu
Visitante
Edu

Eu acho engraçado esse pessoal. Ao invés de defender o Nubmarino Nuclear fica atacando o blog. A reportagem não é do blog é da câmara de vagabundos, digo, federal.

E digo mais, ainda bem que li essa reportagem da câmara aqui porque nos principais sites de defesa do país nem traço do texto.

Quer atacar então ataca a câmara que inclusive é paga com o seu salário.

Harry
Visitante
Harry

Caros, esta certo A Marinha nem Jobim comparecer ou mandar representante, quem tem cacife para barra o Porjeto no congresso ainda não se apresentou, ou só esta esperando o momento certo para dar o bote. De qualquer forma evitou-se a dar mais munição, para aqueles que teimão em achar que subnuclear é para fazer querra contra o EUA`e não uma arma estratégica de defesa de persuasão que pela sua capacidade não pode ser comparado ao subconvencional.
Abs

Dalton
Visitante
Dalton

Harry acho que vc quis escrever dissuasao e nao persuasao; o que nao entendo eh como alguns poucos submarinos, fala-se em 4 nucleares, teriam algum efeito de dissuasao contra a US Navy…esquecamos a teoria de ataque aos EUA que eh apenas muito imaginativa. Se o calendario for rigorosamente cumprido, o primeiro nuclear poderah estar na agua em 2021 e devidamente incorporado em 2022. Levando em conta um prazo de 2 anos e meio para a incorporacao dos seguintes teremos 4 sub nucleares em 2030 quando entao o primeiro jah deverah estar necessitando de reabastecimento nuclear caso o reator previsto nao… Read more »