Home Noticiário Internacional US$ 151 milhões para o ESSM

US$ 151 milhões para o ESSM

595
6

essm-1

A Raytheon fechou contrato com o Pentágono no valor de US$ 151.577.441 para o fornecimento de 186 Evolved SeaSparrow Missiles (ESSM), 77 containers e peças de reposição para o NATO Seasparrow Consortium e Emirados Árabes Unidos.

A produção dos mísseis será feita em Tucson, Arizona (45%), Camden, Arkansas, (2%); Andover, Massachusetts (10%), Austrália, (11%), Canadá, (7%), Dinamarca, (1%), Grécia, (1%), Alemanha, (8%), Holanda, (6%); Noruega, (5%); Espanha, (3%); e Turquia, (1%). Espera-se terminar a entrega em agosto de 2012.

O míssil RIM-162 Evolved Sea Sparrow Missile (ESSM) é um desenvolvimento do RIM-7 Sea Sparrow, usado para proteger os navios do ataque de mísseis, aviões e ameaças de superfície.

O ESSM visa impedir os mísseis antinavio que manobram evasivamente na fase final do ataque. Comparado ao Sea Sparrow, o ESSM é maior e tem um motor foguete mais potente, para aumentar o alcance e agilidade.

A aerodinâmica atualizada emprega “strakes” e “skid-to-turn”. Além disso, o ESSM tira partido da mais recente tecnologia de mísseis, com versões diferentes para Aegis/SPY-1, Sewaco / APAR e iluminação do alvo tradicional “all-the-way”.

O ESSM também tem a capacidade de ser “quad-packed” no sistema VLS Mk 41, permitindo que quatro Sea Sparrow sejam armazenados em uma célula apenas.

O Evolved Sea Sparrow Missile está sendo usado por vários países. O primeiro país, depois dos EUA, a atingir o status operacional para o míssil foi a Austrália. Outros países que também integraram o ESSM: Dinamarca, Holanda, Alemanha, Noruega. Outros países que estão em processo de integração do míssil: Canadá, Nova Zelândia, Grécia, Japão, Espanha e Turquia.

essm-2 essm-3

FICHA TÉCNICA:
Peso: 620 lb (280 kg)
Comprimento: 12 ft (3,66 m)
Diâmetro: 10 in (254 mm)
Cabeça: 66 lb (39 kg) de explosivo-fragmentação
Mecanisno de detonação: Espoleta de proximidade
Motor: Mk 143 Mod 0 foque de combustível sólido
Alcance operacional: 27 milhas (+50km)
Velocidade: Mach 4+
Sistema de guiagem: meio-curso, datalink; terminal, com radar semi-ativo.
Plataformas de lançamento: Mk 41 VLS (RIM-162A/B), Mk 48 VLS (RIM-162C) e lançador conteirável Mk 29 (RIM-162D).

essm-4

6
Deixe um comentário

avatar
6 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
FlavioBoscoJonas RafaelRodrigoMarcelo Tadeu Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Opá!

O Brasil dispõe de um equipamento semelhante para as escoltas?

Marcelo Tadeu
Visitante
Marcelo Tadeu

Rodrigo,

A MB utiliza o sistema Albatros de mísseis Aspide nas Fragatas Classe Niterói e Seawolf nas Fragatas Classe Grenhalgh, mas o ESSM é superior e não deixa de ser uma opção para as futuras escoltas.

Sds,

Flavio
Visitante
Flavio

Muito bom sistema.

Alguém sabe dizer se o Brasil tem alguma linha de pesquisa nesta área? Já operamos o Aspide, como disse o Marcelo Tadeu, mas e depois, vamos trocar por mais modernos ou por uma versão nacional?

Flavio
Visitante
Flavio

Corrigindo…
vamos trocar por uma versão nacional mais moderna ou vamos comprar um de fora?

Jonas Rafael
Visitante
Jonas Rafael

Queria saber porque ainda vai Sparrow no nome. Até o configuração do corpo do míssil é totalmente diferente. De qualquer maneira ele seria um alternativa interessante ao ASTER pretendido pela MB. Calculo que o ESSM seja mais barato e tem alcance maior que a versão 15, embora o ASTER deva ser mais manobrável.

Bosco
Visitante
Bosco

Outra característica diferente do Sea Sparrow é que ele possui um sistema de vetoração de empuxo (TVC) que o qualifica para ser lançado verticalmente e aumenta a manobrabilidade em alcances mais curtos.
Vale salientar que está sendo desenvolvida uma versão com radar ativo (tirado do AMRAAM) que se chama SLAMRAAM-ER. Embora receba o nome do Amraam é um ESSM com o radar do Amraam e deverá estar operacional dentro de uns 5 anos.