quarta-feira, agosto 10, 2022

Saab Naval

Pré-sal terá risco maior, aponta estudo

Destaques

Alexandre Galante
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

pre-sal

Companhias estrangeiras elaboram documento para tentar influenciar a discussão da nova Lei do Petróleo no Congresso

Governo, que quer mudar lei para ficar com fatia maior das reservas, diz que estudo sigiloso da Petrobras reitera o potencial do pré-sal

vinheta-clipping-navalInsatisfeitas com o desenho da nova Lei do Petróleo, empresas estrangeiras produziram um documento em que lançam dúvidas sobre os riscos de explorar petróleo no pré-sal.

Intitulado “Risco zero no pré-sal: fato e ficção”, o texto foi elaborado por técnicos de duas petrolíferas internacionais para subsidiar seus diretores a influenciar a discussão da proposta do governo, que terá de ser aprovada no Congresso.

O texto diz que “é preciso e urgente confrontar a versão do “risco zero” propalada pelo governo Lula, com amparo da Petrobras”. Acrescenta que o pré-sal é “um velho conhecido da indústria petrolífera, que, até a descoberta [do campo] de Tupi, tem desempenhado papel secundário do ponto de vista de sua capacidade de produção comercial”. Em conversas reservadas, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) costuma rebater esse discurso citando que o governo tem um estudo “confidencial e sigiloso” da Petrobras mostrando o potencial da área.

A quem pede acesso ao estudo, ela nega sob o argumento de que o vazamento dele influenciaria o mercado de ações.

Inicialmente, especialistas chegaram a apontar reservas de até 100 bilhões de barris no pré-sal. Um dos números com que o governo trabalha é de 50 bilhões de barris. Atualmente, as reservas brasileiras são de cerca de 14 bilhões de barris.

Nos últimos três anos, o sucesso na exploração do pré-sal -30 poços perfurados pela Petrobras e suas sócias, 87% com indícios de hidrocarboneto- reforçou o “risco zero”. Para o governo, mudar as regras é uma forma de assegurar à União uma fatia maior nas reservas.

O documento das petrolíferas lembra que, no pré-sal brasileiro, foram perfurados 150 poços entre os anos 70 e 90, com taxa de sucesso de 25%. E que os reservatórios que produziram em quantidade satisfatória não chegavam a 10%.

As empresas ressaltam, ainda, que o petróleo do pré-sal em voga nos dias de hoje está em rochas ainda pouco conhecidas -as carbonáticas-, mais especificamente na bacia de Santos. Além disso, elas alegam que ainda é cedo para afirmar que a produção de petróleo terá padrão semelhante em toda a região, porque faltam testes.

Os estudos geológicos indicam que as rochas carbonáticas se encontram em uma faixa distante 300 quilômetros da costa, sob uma camada de sal de dois quilômetros de espessura, cerca de seis quilômetros sob o fundo do mar, entre o Espírito Santo e Santa Catarina.

Por enquanto, apenas um poço de Tupi, do pré-sal de Santos, entrou em teste de produção. Nele, as estimativas são de reservas de 5 bilhões a 8 bilhões de barris. O teste, iniciado em maio, foi interrompido em julho por problemas técnicos.

Ex-funcionários da Petrobras, onde trabalharam por mais de 30 anos, os geólogos Wagner Freire e Giuseppe Bacoccoli discordam da tese “risco zero”. Para Freire, não há como garantir sucesso apenas por analogia geológica.

“As rochas carbonáticas são muito imprevisíveis. Dois reservatórios próximos nessas rochas podem ter características de porosidade e permeabilidade muito distintas. São esses aspectos que determinam a facilidade de o petróleo sair ou não”, explica Freire.

Bacoccoli acompanhou as perfurações nos anos 70 e 80 mencionadas no documento das petrolíferas. Segundo ele, é impossível concluir que não há risco nas áreas do pré-sal não perfuradas. “O sucesso nas perfurações feitas até agora foi usado politicamente para mudar as regras do jogo.”

FONTE
: Folha de S.Paulo

- Advertisement -

43 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
43 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
bulldog

A Folha de S. Paulo é ANTI PT. Pura e simplesmente. A opinião pública e a ética pouco importam. Será sempre assim.

gerson

Há so pra lembra o canalha FHC já tava vendendo a Petrobras, que desde aquela época já sabia do pre sal!

Alfredo_Araujo

Imagina esses planos nas maos desses politicos…
Se realmente o pré-sal tiver o tal do “risco zero”, esses caras devem ter gasto todo o seu dinheiro comprando ações da Petrobras…

Felipe Cps

Quanto ufanismo galvãobuenês, nem vou comentar mais nada, desanimei…

gerson

Caros amigos,

As vezes temos que ser radicais, neste caso em especial é simples de resolver, as empresas que não quizerem as novas regras podem optar por sairem do país.

Atenciosamente

Marcos T.

“Quem desdenha quer comprar”.

Hornet

Uma parte do dinheiro do pré-sal será destinado á MB. Isso já foi anunciado, ao menos como uma intenção concreta do governo. E, é claro, pra isso acontecer o pré-sal precisa ficar com o Brasil, seja com a Petrobrás, ou ainda com alguma outra empresa brasileira a ser criada para isso. No meu modo de ver, se o pré-sal for liberado para as empresas privadas de capital internacional, o Brasil sairá perdendo. Sou contra esta hipótese. Capital internacional no pré-sal, só se for pra comprar o petróleo que venderemos depois, e com lucro para o Brasil. Mas a expoloração do… Read more »

BRAVURA

O Brasil não pode perder nesse negórcio. Os lucros do pré-sal é nossa única chance desenvolver uma marinha moderna.

CosmeBR

Aí Gerson e caros colegas,

Vocês se lembram de além de tentar vender a PETROBRÁS, o FHC depois queria mudar o nome dela pra PETROBRAX pra facilitar a pronúncia pros gringos?!

Abraço!!!

The Captain

“Nóis”, povão, como sempre “dança”, né?

João Curitiba

Só deveríamos vender o óleo do pré-sal com venda casada: para cada litro de óleo, outro litro de álcool. Ou então vendermos produtos já refinados como gasolina e diesel ou ainda produtos da indústria petroquímica.
Precisamos agregar valor ao petróleo. Rende muito mais.

pazolini

Todo este marketing sobre o pré sal merece alguns comentarios. Apesar de toda utilizaçao politica do governo sobre estas reservas de petroleo, conheci alguns engenheiros que me passaram algusn dados interessantes. Um grande e perigoso p0roblema do pre sal é a grande quantidade de gás sulfidrico gerado no processo de extraçao ; este gás é anestesico, mata de forma silenciosa e indolor, sendo um grande perigo para os trabalhadores de plataforma. Outro dado é o alto teor de enxofre extraido do pré sal, requerendo uma queima de quantidades enormes de gas para purificar o petroleo. Que o pre sal é… Read more »

Dalton

Obrigado Hornet… nao referi-me ao seu comentario especificamente, mas sabia que vc teria algo “menos assustador” para escrever, pois as vezes parece que estamos vivendo a crise dos misseis em Cuba outra vez. ‘e o que escrevi acima…vcs estao mais atentos ao que acontece hoje em dia…eu as vezes me perco no tunel do tempo comparando o Yamato com o Iowa…(rs) Ainda estou por aqui sim…familia dividida eh um problema e a saudade bate dos dois lados do hemisferio! Fui novamente visitar o velho “Hornet” atracado aqui na California e os voluntarios estao fazendo um trabalho magnifico nele , esta… Read more »

Hornet

Dalton, Poxa! manda um abraço ao “velho Hornet” por mim…hehehe Sabe o que acontece no Brasil em relação a IV Frota, bases na Colômbia e essas coisas: falta de informação detalhada (ao menos para os mais interessados no assunto, para a imprensa e para as autoridades brasileiras). E isso, creio eu, é um problema tanto da imprensa no Brasil (que não se esforça nem um pouco em pesquisar o assunto, e costuma jogar “bombas” ao léu); quanto da Embaixada dos EUA que também não se esforça nem um pouco em esclarecer determinados pontos, e deixa o barco correr mesmo às… Read more »

João Curitiba

Caro Hornet

Você está certíssimo. Claro que o subnuc é um apelo político. Porque afinal nós não temos inimigos no sentido belicoso. Ainda bem. Nossas encrencas são no âmbito comercial. E quanto mais avançamos neste sentido, mais “concorrentes” vamos ganhando. Aliás, nosso principal entrave hoje pode ser considerado o protecionismo das grandes potências a nossos produtos, quer sejam eles do agronegócio ou mesmo industriais.

Abraços

PS: aquela champanha está quase, não é mesmo?

Hornet

Amigo João Curitiba,

Está quase. Estava tudo planejado para tomá-la com a “patroa” no 7 de setembro, feriado e tal…mas parece que vou ter que esperar mais um pouco, até outubro. Vou manter a palavra que dei a própria champagne (hehe) de só abrí-la depois do anúncio oficial do FX2…hehehe

abração

The Captain

É, realmente bem lembrado; no governo, o FHC sempre quis facilitar “as coisas pros gringos”.

germa

cara eleição no brasil é um tipo de magicá que nem o MR M poderia nos explicar. se votar no Serra e ele fizer como o FHC e vender tudo a preço de banana?? se votar na dilma,vixi…ela vai continuar todas as grandes reformas do PT e do LULA, ou seja NADA! sobraram a Marina SIlva, que eu votaria sem medo, se o presidente mandasse alguma coisa em algum lugar do mundo e o ciro gomes que nunca terão governabilidade sem mensalões ou outros tipo de máfia. O governo ta de olho na grana pra eles e as grandes empresas… Read more »

RdoCosta

O COMANDANTE MELK foi muito feliz com seu post e suas indagações. Na verdade nenhum pais do mundo entrega suas riquezas para que outros paises explorem, desculpem… o Mexico fugiu deste padrão e as empresas americanas acabaram com o petroleo no golfo do México. O governo passado, que muitos querem reeditar, foi o pai e a mãe da lei Lei 9478/97 (Lei do petróleo) que como bem disse o Comandante Melk é ilegal. Assim como a poderosa midia ignora as explicações da marinha quanto ao contrato do subs nuclear, atacam a petrobrás e por último, querem entregar o Pré-Sal as… Read more »

João Curitiba

Caro COMANDANTE MELK
Para “afastar” o olho gordo internacional de cima do nosso Pré Sal, a solução é uma só: SUBMARINOS NUCLEARES e até mesmo otras cositas más nucleares.
Como disse o Hornet em outro post, está na hora da gente decidir se quer ficar na mesa junto aos “adultos” ou continuar na mesa das “crianças” (claro que ele não usou estas palavras).
Abraços

COMANDANTE MELK

Senhores, em meio a um momento convulsivo em escala mundial, em que à crise hipotecária norte-americana vem se seguindo uma forte especulação com commodities, repercutindo na inflação alimentar e na escalada dos preços do petróleo, a Petrobrás-Pré Sal está no olho do furacão. Falando sobre a Petrobrás: a Petrobrás pesquisou durante 30 anos a província do pré-sal. Havia dificuldades geológicas porque a camada de sal mascarava os levantamentos sísmicos. Com o advento das novas tecnologias, a empresa pôde identificar com mais precisão o local adequado para perfuração. Furou o primeiro poço com o custo de US$ 260 milhões, com riscos… Read more »

Lucas Calabrio

Prezado Hornet
O Brasil não pde cair no erro da Vale que exporta o minério no seu estado bruto sem transformação alguma (verticalização)para a China.
O ideal é termos refinarias e exportar o que vai gerar renda e trabalho.
Abração

Azul&branco

nova Lei??? já acabaram com o congresso ou ainda tem que ser votada lá???

Hornet

Lucas Calabrio,

sem dúvida. Precisamos explorar o petróleo do pré-sal, mas ao mesmo tempo deter o ciclo completo…do fundo do mar até a lata de óleo vendida no posto de gasolina (um exemplo bobo apenas).

Mas, salvo engano, é justamente isso que estamos querendo fazer, não é verdade?

abração

Eduardo

Uma pergunta que não quer calar:

Se o Pré-Sal é tão cheio de riscos assim, porque é que as empresas ainda assim querem aumentar a sua participação?

Fernando

Boa pergunta.

Abraços.

Capitão

Na verdade elas não querem que as regras mudem como o governo quer assegurando maiores retornos ao povo brasileiro ( se vai chegar no povo é outra história ).
Há interesses de grandes conglomerados internacionais, muito grande mesmo para que o governo não mude a regra do jogo…querem que continue, no mínimo.
O jogo agora é outro, é pré sal. Um negócio bem diferente. Envolve interesses de Estados e Transnacionais.

Deus não permita que negociemos isso mal.

Capitão

Lucas Calabrio

Prezado Eduardo
Toda atividade altamente lucrativa, tem seus risco (e não são poucos), pode ser que tenha menos ou pode ter muitíssimo mais e as grandes petroleiras mundiais estão de olho, pois os custos são infinitamente menores , tanto para os norte-americanos como para os europeus, em relação com o Oriente Médio.
Concordo contigo, e por quê esse interesse? por quê não deixar o Brasil quebrar a cara?
Nesse mato tem coelho digo nesse mar tem petróleo
SDS

Harpia

Resta saber quanto o Sr. Gioseppe Bocócolli esta levando nessa para dizer isso. Além disso, a Petrobrás é uma empresa séria, tem moral e tecnologia pra dizer o que quiser sobre as potencialidades do pré-sal, viabilidade econômica, etc… Ora, se o pré-sal é tão ruim assim, é só deixar pra lá, vão para outras partes do mundo e deixem o pré-sal só para a Petrobrás!!!Simples assim 🙂 Não vai faltar capital de investimentos à Petrobrás e tecnologia ela tem de sobra e melhor do que qualquer uma, além de ser a dona da casa. Prefiro confiar muito mais nos dados… Read more »

Flavio

Acho que mais fora o Brasil quer ficar com os lucros do pré-sal.

jack_the_ripper

pelo visto a Folha de SP agora defende os interesses das petroleiras gringas…

Marino

A Folha, parece que depois dos esclarecimentos da MB com respeito aos S e SN, sentiu que a matéria não venderia mais jornal.
Agora, encontraram novo tema pra faturar.

Roberto CR

Escrevi um comentário que não apareceu e não pude enviar outro porque afirma que é duplicado. Algum problema????

Rudi

É a gurizada finalmente ta se dando conta da sacanagem internacional, cade os que são contra o país? Sumiram…FHC esta na mira da justiça americana…o dinheiro de Luxemburgo logo vai aparecer…aguardem. Se os EUA prenderem Dantas….muita gente do PSDB/DEMO vai se dar mal.

COMANDANTE MELK

Grato aos amigos João Curitiba, RdoCosta e aos demais pela atenção.

Dalton

Comandante Melk, Hornet, Joao…e a qualquer um mais bem informado do que eu, poderiam responder-me uma pergunta? Entra e sai a temida IV frota aparece aqui nos comentarios…mas, o que eh a IV Frota? Pelo que sei a espinha dorsal dela sao as velhas fragatas da classe Perry ha “seculos” estacionadas em Mayport Florida. Sei que nao irei convence-los de que a IV frota nada mais eh do que uma melhor organizacao administrativa, pois os navios e tarefas continuam as mesmas que eram executadas pela II Frota. Se os EUA querem nos dar um “recado” porque estao transferindo navios e… Read more »

Hornet

Amigo Dalton, de minha parte, não tenho paranóia alguma com a IV Frota ou frota alguma dos EUA. Ao contrário. Se vc está se referindo ao meu post acima, minha posição é que não devemos ter ingerência de empresas estrangeiras no pré-sal, não devemos entregar o pré-sal ao capital externo. Mas isso não tem nada a ver com a IV Frota. Mas aproveitando a sua deixa, vou colocar aqui um comentário feito por um especialista em assuntos de Defesa da Unicamp, sobre a IV Frota: “A citada estratégia nacional pressupõe o emprego das Forças Armadas de diferentes formas, de acordo… Read more »

João Curitiba

Caro Dalton O Hornet já esclareceu, como sempre. A IV Frota existe mais no organograma do que no mar. Se é para dar recado a alguém, é para o Chávez. Mas desde que a Venezuela continue a fornecer petróleo para os EUA, o Chávez pode xingar à vontade. Nesta questão eles são muito pragmáticos. O nosso subnuc, este sim seria um recado do Brasil ao mundo: queremos participar do jogo também e temos bastante “dinheiro” para apostar. Nós seríamos levados mais a sério e nossas demandas nos organismos internacionais passariam a ser vistas com outros olhos. Nós passaríamos a ser… Read more »

Hornet

Amigo João Curitiba,

a questão do sub nuc eu vejo por aí também, ele (o sub nuc) teria (ou terá, quando ficar pronto) um papel grande nas negociações internacionais do Brasil, bem como evitaria (ou abrandaria) determinadas pressões tal como vc disse. Concordo com vc.

É claro que não estou (estamos) falando do sub nuc apenas em seu sentido bélico, militar…estou (estamos) falando em seu sentido político.

abração

COMANDANTE MELK

Senhor Dalton em 25 Ago, 2009 às 16:19, espero que o colega esteja bem, gostaria de lhe dizer primeiro que, o senhor é modesto, porque afinal para quem não lê muito e esta apenas acostumado com historia naval e navios, à sua opnião de que “a reativação da IV frota nada mais é, do que uma melhor organizacao administrativa´´ é de quem sabe muito…( sem ironias é claro…rs). Pelo que o senhor afirmou, esta mas acostumado com historia naval, logo deve saber que, a IV frota existia a 59 anos atráz, e o senhor a de convir que não é… Read more »

walfredo

No último ano do Governo FHC explodiram uma plataforma da petrobrás, tentaram mudar o nome da empresa para privitizá-la, causaram uns cinco grandes “acidentes ecológicos” impondo gigantescas multas para a empresa. Agora, tentam desesperadamente acabar com a aliança do PT com o PMDB para as eleições, pois sabem que ninguém ganha destes dois juntos. Começam a elogiar e tratar seriamente a candidatura de Marina e de Ciro, vislumbrando retirar votos da candidatura oficial. Claro que no segundo turno eles jogariam a maior lama em qualquer outro candidato que não seja o deles. Não votei nesse governo, mas se é para… Read more »

Diogo

O caso do pré sal é mais um motivo para acreditar q os estados unidos, já está de olho no brasil não me lembro a data mas o EUA mandou um de seus navios nucleares intimidar os brasileiros mostrando sua suberania.
Na minha opinião tera uma Guerra emtre Paises não somente pelo Pré sal mais pela reserva de minérios como o nióbio que podera futuramente substituir o petroleo na amazonia que tem cerca de 98% das reservas mundias desse Minério.

Wagner

No meu ponto de vista, um governo consciente não pode deixa tira o petróleo do pré-sal. Por que essa riqueza vai aumentar muito a poluição, vai contribuir com o aumento do aquecimento do planeta tanto direta com indiretamente, vai trazer junto os desastres ambiental no pais, vai morre muita gente pobre, vai privilegiar financeiramente os estrangeiro e muitos políticos que é pago para cuida do povo e vai se lascar quando começarem a tira o petróleo do pré-sal.

Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Semana da Índia no Rio: Governo indiano recebe público e imprensa a bordo da fragata INS Tarkash

Eventos comemoram os 75 anos da Independência indiana e 200 anos da Independência do Brasil A Embaixada e o Consulado...
Parceiro

- Advertisement -