Home Estratégia Destróier ‘Myoko’ da JMSDF dispara míssil SM-3 contra míssil balístico no Pacífico

Destróier ‘Myoko’ da JMSDF dispara míssil SM-3 contra míssil balístico no Pacífico

374
9

JS Myoko 2

vinheta-destaqueNa foto acima um míssil Standard 3 (SM-3) é lançado do destróier japonês JS Myoko (DDG 175), num exercício de interceptação conjunta feito ontem, com a Missile Defense Agency americana, no Oceano Pacífico. O míssil SM-3 interceptou com sucesso um míssil balístico de médio alcance disparado minutos antes da Pacific Missile Range Facility (PMRF), no Havaí. A tripulação do Myoko detectou e rastreou o míssil alvo, desenvolveu a solução de tiro e lançou o SM-3.

O JS Myoko é o quarto navio da JMSDF equipado com o sistema Aegis de defesa antiaérea e este foi o primeiro exercício com disparo de míssil balístico sem aviso. Os navios da US Navy USS Paul Hamilton e USS Lake Erie apoiaram o exercício, detectando e rastreando o alvo.

Antes de retornar ao Japão, o Myoko será carregado com mísseis SM-3 adicionais Block IA, garantindo com os outros navios da classe a segurança do seu país contra ataques de mísseis balísticos vindos da Coreia do Norte.

Ao todo, o Ballistic Missile Defense System conseguiu acertar 40 alvos em 51 exercícios de tiro desde 2001, e 16 em 19, desde 2007.

JS Myoko

FOTOS: US Navy

9
Deixe um comentário

avatar
9 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
9 Comment authors
Renan Lima RodriguesMO@wagnerYlussjoseboscojr Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Danilo
Visitante
Danilo

É estariam os americanos planejando uma possivel invasão da coréia do norte ? por isso capacitando o proprio japão a se defender, para que os navios da US NAVY que hoje ficam em yokosuka possam estar a disposição de apoiar as tropas de invasão eis a pergunta ?.

Sds.

ivanildo.souto
Visitante
Member
ivanildo.souto

Danilo, Esta possibilidade é extremamente improvavel. Os E.U.A. já tem muito problema no Oriente Médio e não tem nada a ganhar com uma invasão da Coréia do Norte. O objetivo deve ser realmente o que está escrito, capacitar a JMSDF para defesa anti-míssil. Consequentemente passa a mensagem para o aliado Japão que está investindo em sua segurança, sinaliza para a Coréia do Sul (que utiliza o AEGIS) novos recursos de defesa e tira um pouco da força de chantagem do baixinho maluco do norte. Em tempo, A Coréia do Norte não tem petróleo, ferro ou outra riqueza natural. Apenas fome… Read more »

flaviodepaula
Visitante
Member
flaviodepaula

Ah umas dessas na nossa MB.

Pelo menos pesquisa na área já me deixaria feliz.

Temos que ter meios de defesa eficientes, em todas as áreas

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Foi um desses mísseis que atingiu um satélite, num exercício no meio do ano?

joseboscojr
Visitante
joseboscojr

Flávio,
na verdade não precisamos desse tipo de míssil instalado em navios. Poderíamos precisar, caso em nosso TO tivesse mísseis balísticos de curto e médio alcances, deles lançados a partir de plataformas terrestres como as que serão instaladas na Europa na próxima década.
Um míssil anti-balístico deve ser posicionado entre o lançador e o alvo, e já que não temos inimigos próximos à nossa costa não temos necessidade desse tipo de arma em navios para defender o território nacional.

Clésio,
foi esse mesmo que acertou o satélite.

Um abraço aos dois.

Yluss
Visitante
Yluss

O Japão e sua força de “auto defesa” me impressiona mais a cada dia. Só de olhar o quadro de meios em serviço me fez desejar que nossa MB tivesse apenas a metade de tudo aquilo 🙂 Sobre a competição Mísseis balísticos X Interceptadores, penso que é questão de tempo para a balança pender em favor dos interceptadores, pois esses têm condição, como estão mostrando os testes seguidamente, de evoluir muito e de fato fechar um guarda-chuva ao redor de um alvo ou ainda levantar uma barreira retilínea entre duas nações. A pergunta é: O que acontecerá na balança da… Read more »

@wagner
Visitante
@wagner

Esse nome tambem era de um navio da segunda guerra, cruzador japones, nao lembro se era leve ou pesado…

MO
Membro

Sim Wagner

era Pesado, lider da propria classe

Myoko – Nachi – Haguro – Ashigara

um dia um JDS classe Kongo vem aqui .. .um dia … um dia ….

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

Myōko era um cruzador pesado Possuía 10 canhões de 203mm calibre 50 que podiam disparar projéteis de até 130 kg á 28 km. O Japão era o campeão nos torpedos, era equipado com lançadores triplos de 610mm Type 93 de oxigénio comprimido, com alcance máximo de 40 km. Sem contar com às 8 torretas high angle 127mm calibre 40 DP ( em 1928 possuía canhões AA de 120mm/45) Velocidade: 36 nós ( 35 nós em 1940) Peso: 16 mil toneladas Blindagem: 4.7 polegadas cinturão, 4 polegadas torpedo bulkheads, torretas e convés 1 a 2 polegadas. Japão não colocava muita blindagem… Read more »