Home Operações Aeronavais Disparo de míssil AGM-65 Maverick na RIMPAC 2010

Disparo de míssil AGM-65 Maverick na RIMPAC 2010

439
16

Nas fotos, lançamento de míssil ar-superfície AGM-65 Maverick por uma aeronave de patrulha marítima AP-3C Orion da Austrália, contra o casco do ex-USS Monticello (LSD 35), da classe ”Thomaston”.

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
airacobra
airacobra
10 anos atrás

irmãozinho do ceará, o ceará era o LSD 34 hermitage, e esse ai era o 35

Jonas Rafael
Jonas Rafael
10 anos atrás

Não fez nem cócega!

Pedro
Pedro
10 anos atrás

Maverick como misel anti-navio é um bom missel anti-tanque!

Não fez nada no navio. Uns foquetes fazem mais estrago a um custo menor.

marujo
marujo
10 anos atrás

Pois é, os irmãos do Ceará são alvos para exercícios navais. O nosso navio vai custar a ser substituído. Os Classe Foudre (oferecidos ao Chile e à Argentina) e os San Marco (Chile), ao que tudo indica não estão interessando nossa Marinha, apesar a parceria estratégica com franceses e italianos. É lastimável perder essas boas compras de oportunidade.

Alfredo.Araujo
Alfredo.Araujo
10 anos atrás

Viu como a informatica domina ?!!?
Até para disparar um missil o cara tem q confirmar com a tecla “Enter”…
haha

MVMB
MVMB
10 anos atrás

As infoemações dão conta que o foguete é uma porcaria.

Alguem ja reparou que esta RIMPAC lança mais armamentos (tiros reais) que as FFAA em, pelo menos 10 anos?

Calheiros
Calheiros
10 anos atrás

Vendo este lançamento, alguem habilita-se citar algo sobre nosso P-3 orion estaqueado sem condições de decolar da Eapanha?

Bosco
Bosco
10 anos atrás

O Maverick, provavelmente do modelo F, tem uma ogiva mais pesada (136 kg) que a de um Penguim (120 kg) , quase igual a de um Exocet (160 kg) e 4,5 vezes maior que a de um Sea Skua (30 kg). A explosão parece pequena porque não foi mostrado o momento do impacto. Outra coisa é que geralmente apenas metade ou menos da cabeça de combate de mísseis antinavios é de material explosivo, o resto é da cápsula de aço que ajuda no processo de destruição tanto ou mais que o material explosivo, portanto, pirotecnia nem sempre é sinônimo de… Read more »

Bosco
Bosco
10 anos atrás

O Nunão poderia nos dizer o que significa a faixa amarela em volta do míssil. Ele já explicou mas não me lembro mais.rsrsrsr
Um abraço a todos.

Dalton
Dalton
10 anos atrás

Bosco…

amarelo é explosivo “vivo” “live explosive”

azul é “inerte” o explosivo é substituido por concreto para compensar.

Mas vamos aguardar o Nunão!

abs

alan
alan
10 anos atrás

e a MB ainda tem coragem de manter em PMG desde 2007 o NDD ceará…dexa pralá….

Icaro
Icaro
10 anos atrás

Bosco ou Dalton ou quem mais souber?

Qual energia cinetica traferida é maior, a do “maveco” ou a do Sea Skua? E com relação ao penguim?

Parece supertrunfo essa pergunta, mas é só por curiosidade…

Bosco
Bosco
10 anos atrás

Valeu Dalton. Icaro, Como a velocidade de todos é mais ou menos igual, pouco abaixo de Mach 1.0, a energia cinética maior ficaria por conta do mais pesado. Os Maverick e os Penguin possuem pesos equivalentes ficando os Sea Skua por último nesse quesito também. A energia cinética passa a ter importância na medida em que se aumenta a velocidade. Se dobrar a velocidade, quadruplica a energia. Mas não há nenhum com velocidade Mach 2. Existem referência que informam que tanto o Maverick quanto o Penguim possuem velocidade ligeiramente supersônica, algo em torno de Mach 1.2, mas não acho pouco… Read more »

paulomaffi
paulomaffi
10 anos atrás

Acho que esse Maverick era 4cc. Se fosse o v8…

Icaro
Icaro
10 anos atrás

Obrigado Bosco!

marlige
marlige
10 anos atrás

E bota mais uns 2 anos pro NDD Ceará “ficar pronto”