Home Noticiário Internacional Custo dos ‘Scorpène’ indianos sobe US$ 1 bilhão

Custo dos ‘Scorpène’ indianos sobe US$ 1 bilhão

205
36

O Governo Indiano sancionou um aumento de preço de US$ 1 bilhão nos custo dos 6 submarinos Scorpène que foram encomendados.

O aumento nos custos é resultado de problemas de construção, absorção de tecnologia e aumento da infraestrutura e compra de materiais para a Mazagon Dock Ltd.

Foi dito que o último dos seis submarinos será entregue na segunda metade de 2018.

FONTE: Forecast International

36
Deixe um comentário

avatar
36 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
21 Comment authors
VaderLMWolfpackHenrique SousaJonas Rafael Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Eduardo
Visitante
Eduardo

É o tipo de noticia que deixa duvidas na escolha dos nossos subs.

tomas
Visitante
tomas

Estou vendo o que nos espera!!!

Cronista
Visitante
Cronista

Ai, ai…..Lá vem bomba: a turma da desgraça já vai bombardear os subs…enxergar nuvens de duendes francesinhos tramando nossa desgraça….
O programa da Índia, salvo engano, já havia enfrentado atrasos e outras complicações….vamos esperar que o pessoal da triologia colha mais notícias!
Eu tenho feito uma comparação entre o Sub-X, o P-16-X, o A4-X, etc, e o FX-2(+): a Marinha está dando um show na comparação, então eu lhe dou muitos créditos!
As obras em Itaguaí já começaram, as primeiras chapas do casco já foram cortadas e uma gorda parcela já foi paga! É um exemplo que a FAB deve seguir!

Italo
Visitante
Italo

MB 10 x FAB 0

Antonio M
Visitante
Antonio M

A FAB não deve ser criticada. Infelizmente e nem sei por qual motivo mas nosso políticos a “escolheram” para faturar em cima. Já no episódio da greve dos controladores de voô, onde LuLLa e outros se intrometeram alegando hierarquia do comando para tratar os militares grevistas como qualquer metalúrgico em reunião sindical, ficou clara a tal decisão e, que se motivasse o brigadeiro Saito a tomar decisões com mais autonomia, poderia ser enquadrado como insubordinação e isso se estendeu ao FX2. O projeto do F5M foi tocado sim com o máximo de profissionalismo e se não fosse assim, poderiamos estar… Read more »

Vader
Visitante
Vader

Ihhhhhhhh… 🙂

Jakson Almeida
Visitante
Jakson Almeida

Olha que bela jaca!

Nick
Visitante
Nick

É bom a Marinha abrir o olho… atrasos = estouro de orçamento.

[]’s

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“Ai, ai…..Lá vem bomba: a turma da desgraça já vai bombardear os subs…enxergar nuvens de duendes francesinhos tramando nossa desgraça….”

Leia no outro tópico, o papo furado a respeito das baterias americanas do Scórpene.

Antonio M
Visitante
Antonio M

Quem acha os franceses tão confiáveis assim, basta ler os outros tópicos com suas mutretagens.

Uma das mais recentes são o acordo para a turbina indiana que obiviamente não deu certo……..

Infelizmente nosso acordo político com os franceses mirando uma tal independência, pode criar uma outra dependência nada benéfica e ainda mais, na minha opinião, deveriamos ter mantido o acordo/produção com os subs IKL alemães. E dizem que eles poderiam ter forncecido TT nuclear para nossos subs.

shamba
Visitante
shamba

os franceses nos devem alguma coisa pois a base dos misseis ariane sao na america do sul guiana francesa nos deixamos o arianne e eles nos dao technologia de submarinos que troca boa heim?

Lanterna Verde
Visitante
Lanterna Verde

Caríssimo amigo Antonio M, De que fonte o Sr. retirou a informação que os alemãe poderiam nos auxilliar a desenvolver um submarino nuclear, se eles não tem experiencia nenhuma em projetos desta magnitude, e não me venham dizer que construir submarinos convencionais é a mesma coisa que construir submarinos nucleares, eles cobrariam rios de dinheiro, muito mais até que os franceses, para nos passar uma tecnologia que eles estariam desenvolvendo, e também não me venham mostrar os custos do IKL oferecido pelos alemães pois isto é uma baita pilantragem, pois eles não aceitariam realizar mudanças nenhumas no submarino, ao contrário… Read more »

Lanterna Verde
Visitante
Lanterna Verde

Ah e esqueci de mencionar um dado bastante interessante.

Na alemanha tem hoje operacionais 6 U 212 e nenhum U 214, engraçado, um produto destes nãos ofre críticas por nem ser utilizado pelo próprio fabricante.

Nós devemos comprar?

Na europa só portugal e grécia adquiriram, imaginem o custo logístico?

Grande Abraço, Lanterna Verde.

Jakson Almeida
Visitante
Jakson Almeida

E deste quando o scorpene é usado pela marinha francesa.

thiago
Visitante
thiago

O antiamericanismo aqui neste blog é por muitos uma imensa idiotisse, mas é engraçado que odiar tudo que é françes é super normal… ao meu ver as duas correntes de pensamentos sçao muito extremadas. Nas duas nações há pessoas boas e más….

Acredito muito na capacidade dos tecnicos da MB que escolheram o scorpene.

Antonio M
Visitante
Antonio M

Caro Lanterna, pois não: http://www.naval.com.br/blog/2009/08/26/segundo-o-globo-alemaes-aceitam-transferir-tecnologia/ “…a firma alemã deixa claro que não há restrição alguma. O documento, protocolado no último dia 6, obtido pelo GLOBO, diz: “Antes de tudo, temos o prazer de informá-lo que o governo da República Federal da Alemanha aprovou o pedido feito pela HDW para transferir à Marinha brasileira a tecnologia do projeto do submarino, para o desenvolvimento de seu próprio grande submarino, que poderá receber a propulsão nuclear, atualmente sendo desenvolvido pela Marinha brasileira”….” http://www.naval.com.br/blog/2009/08/25/o-programa-nuclear-brasileiro-o-navio-otto-hahn-e-o-submarino-nuclear/ “…A idéia inicial do Governo na propulsão nuclear era analisar experimentalmente o funcionamento do reator nuclear do navio alemão Otto… Read more »

Ademar
Visitante

Os extrategistas !

Tem alguém aí que trabalha no Pentágono ou algo do tipo ?

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“…mas é engraçado que odiar tudo que é françes é super normal…”

Eles deram e ainda nos dão, motivos de sobra p/ tal sentimento:

Logística capenga dos Mirage 2000 e Mirage III, a “fabricante” de helicópteros Helibrás.

defourt
Visitante
defourt

É a guerrinha-infantil-ideológica thiago.

Do mesmo jeito não entendo o porquê de se “amar” tudo que é russo como se tudo o que fazem fosse a última “coca-cola” do deserto…

Um dia a gente sai desse jardim-da-infância! Tomara!

Ah! Depois do jardim-da-infância vem a fase de alfabetização!
Mal posso esperar para ver. Tomara que eu sobreviva até lá!

defourt
Visitante
defourt

Desculpem o post duplo!

A tempo: Eu desejo aprender tudo sobre todos os países.
Penso gostar deste meio de vinculação (Poder Naval), independente das preferências de seus editores; aliás um direito deles.

Digo isto para que não pensem que eu esteja dirigindo minhas palavras contra a matéria sobre a marinha Russa. Longe disto!
Desejo sobre ela aprender tudo também.

Apenas citei a Rússia, anteriormente, para a necessária contra-posição no peso em meus argumentos que penso eu, sejam sempre, imparciais quanto a ideologia.

Acima de quase tudo BRASIL!
Acima de todos DEUS!
E para todos um abraço fraterno!

Rogério
Visitante
Rogério

Lanterna Verde,

faço minha a pergunta do Jakson Almeida, quantos Scorpene França usa?

[]s

Lanterna Verde
Visitante
Lanterna Verde

Caro amigo Antonio M,

Sem desmerecer vossa pessoa, mas não considero isto transferência de tecnologia, além do mais, basta pesquisar mais a fundo este tipo de acordo, pois nenhum país do mundo pode transferir tecnologia nuclear, muito menos tecnologia de propulsão nuclear, pois esta é privilégio de poucos países, e estes que as detêm não repassam de forma alguma.

Grande Abraço, Lanterna Verde.

Vader
Visitante
Vader

Lanterna Verde disse:
15 de agosto de 2010 às 17:04

“pois nenhum país do mundo pode transferir tecnologia nuclear, muito menos tecnologia de propulsão nuclear”

Até onde eu sei a França também é um país do mundo, ou não é? 🙂

Ou seja: ela também não nos transferirá tecnologia nuclear alguma.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“…pois nenhum país do mundo pode transferir tecnologia nuclear,…”

Tanto França como Inglaterra tiveram mta ajuda americana nesse campo.

“…muito menos tecnologia de propulsão nuclear,…”

Ao que consta a propulsão do nosso ssn, será de lavra nacional.

Da França tão somente estaríamos contratando assessoria, p/ o desenvolvimento do design do casco desse ssn.
Algo que c/ a continuidade da parceria alemã e mta P & D nacionais, poderíamos conseguir por nós próprios.

Biel
Visitante
Biel

Começou o tradicional jogo sujo dos franceses !
O pior é que nem temos outra opção par construir o nosso submarino nuclear , tomara que não tenhamos mais nenhuma parceria com eles .

Super Hornet para o FX2

KDX II + Dokdo para o FX NAVAL

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“Na europa só portugal e grécia adquiriram, imaginem o custo logístico?”

Turquia tb, fora da Europa, a Coreia do Sul e dizem as más línguas, o Paquistão.

Lanterna Verde
Visitante
Lanterna Verde

Caro amigo Vader, Do alto de sua sabedoria, a França é sim um país como qualquer outro reconhecido internacionalmente, como Brasil, EUA, Alemanha, (entendeu ou quer que eu desenhe), e por favor me diga aonde a França citou que iria nos passar tecnologia nuclear de propulsão naval, eles nunca alegaram uma coisa deste tipo, muito pelo contrário se você procuprar aqui mesmo no Poder Naval, irá encontrar textos e mais textos dizendo que esta tecnologia será completamente nacional, pois os franceses já deixaram bem claro que colaboram no desenvolvimento do submarino nuclear, exceto, eu disse exceto na parte nuclear do… Read more »

eduardo
Visitante
eduardo

o programa da MB anda mais rápido do que os das outras forças por causa de uma única palavra: ODEBRECHT,
Será tão difícil perceber isso?

Vader
Visitante
Vader

Lanterna Verde disse: 15 de agosto de 2010 às 23:37 “me diga aonde a França citou que iria nos passar tecnologia nuclear de propulsão naval, eles nunca alegaram uma coisa deste tipo, muito pelo contrário” Ah tá, é que o Sr. insinuou que somente a França estaria disposta a nos passar a tecnologia de submarinos, o que não é verdade, até porque os alemães (por exemplo) também aceitavam dispor da mesma para nós. E já que a França não nos transferirá tecno nuclear alguma, pois a que equipará nossos subs é genuinamente nacional, então não havia razão especial para escolher… Read more »

Jonas Rafael
Visitante
Jonas Rafael

A razão é que a França projeta, constrói, opera e mantém submarinos nucleares há várias décadas. A Alemanha não.

Henrique Sousa
Visitante
Henrique Sousa

Tem um ditado muito do sacana que diz: se vc quer rir, tem que fazer rir.

Acho que nossas FA’s estão vendo este caminho, coisa que acontece em qualquer lugar do mundo por sinal.

Dinheiro o nosso país tem com certeza, o que falta e a tal “vontade política”, movida conhecidamente pelo vil metal.

Que fique claro que não estou defendendo esta postura, mas reconhecendo o fato.

Cronista
Visitante
Cronista

Eu disse…… Viés ideológico à parte, primeiro vamos aos fatos: a) A Alemanha alega ter – e eu acredito que tanha – tecnologia de casco e de propulsão nuclear para subamarinos, mas não possui nenhum que comprove seu uso; b) a França possui uma frota de subs de propulsão nuclear, o que pressupõe casco e reator; Agora, me ajudem por favor: onde é que saiu publicado, susurrado ou mesmo confidenciado que a parte nuclear estava inlcuída no negócio com a França?? Quem foi que falou em TT para um SSN que envolvesse a *parte nuclear*?? Ora, ora, vamos nos concentrar… Read more »

Wolfpack
Visitante
Wolfpack

Os ingênuos pensam que a França irá nos ajudar somente com o casco do SNBR. Continuem pensando assim para AIEA não bata em nossa porta pedindo explicações. A KDW TKS não têm capacidade e permissão de ofertar submarinos atômicos a qualquer nação. Esta na constituição dos tedescos. Algumas viúvas teimam e vão continuar teimando na opção dos U-Boats de brinquedo IKL21.. Estas coisas que a Grécia deveolveu um estes dias atrás… Brincadeira a irracionalidade de alguns aqui. É de se matar de rir. Pois o sentimento anti-gaulês é geral. Acho que cada um têm uma foto do Tio Sam no… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Aliás os americanos já não estão ajudando, c/ o as baterias do brinquedinho francês, por exemplo.

LM
Visitante
LM

A França não utiliza os Scorpènes pois estes possuem propulsão diesel-elétrica (convencional). A marinha francesa utiliza apenas submarinos de propulsão nuclear. O desenho do casco do Scorpène é derivado dos submarinos de propulsão nuclear franceses. Após realizar diversos estudos, a MB concluiu que os únicos paizes capazes de prestar assessoria técnica no projeto do submarino de propulsão nuclear brasileiro seriam os EUA, a Inglaterra, a França e a Rússia. Os dois primeiros, quando consultados, negaram-se. Franceses e russos concordaram em negociar. Alguns problemas de ordem técnica e irredutibilidade por parte deles, os russos também foram descartados. Restando, dessa forma, os… Read more »

Vader
Visitante
Vader

Wolfpack disse: 16 de agosto de 2010 às 19:36 “Os ingênuos pensam que a França irá nos ajudar somente com o casco do SNBR. Continuem pensando assim para AIEA não bata em nossa porta pedindo explicações” Caro Wolfpack, antes de qualquer coisa, não estou necessariamente defendendo a opção alemã não, mas consta que a AIEA já estaria de olhos bem abertos em relação a nosso programa SNBR, por conta das estrepulias de nosso Itamaralívia no caso Irão. Aliás, como seria natural se esperar. Se alguém melar tudo, portanto, já sabemos de quem é a culpa. Até porque sabemos que os… Read more »