Home Marinha do Brasil Kongsberg assina contrato com a Marinha do Brasil para o fornecimento de...

Kongsberg assina contrato com a Marinha do Brasil para o fornecimento de mísseis antinavio Penguin

467
29

Foi noticiado hoje que a empresa norueguesa Kongsberg assinou contrato com a Marinha do Brasil para o fornecimento de mísseis antinavio Penguin, no valor de 33 milhões de euros.
Os mísseis serão empregados nos novos helicópteros MH-16 Seahawk que estão sendo recebidos pela Marinha do Brasil.

Na foto, o capitão de mar e guerra Marvio Assonso Rêgo Gavino da Marinha do Brasil e Pål Bratlie, Vice-Presidente Executivo da Kongsberg Defence Systems.

SAIBA MAIS:

29
Deixe um comentário

avatar
29 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
14 Comment authors
juarezmartinezgiltigerBlind Man's Bluffaericzzaldoghisolfi Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
marciomacedo
Visitante
marciomacedo

São só aqueles oito iniciais ou já é um segundo contrato?

klesson
Visitante
klesson

E os Exocets modernizados e com motores nacionais ?
Serão fabricados aqui também?
Os penguin são superiores aos Exocet?

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Até quando esses mísseis ainda serão fabricados tendo em vista os novos NSM?
O Penguim é um míssil bom, tendo em vista ter sido usado num passado recente pela USN que só não mais o usa por completa falta de ameaças “convencionais”, mas é pertinente lembrar aos colegas que o novo míssil antinavio, passível de ser lançado de helicóptero, do fabricante norueguês é o NSM, que é mais que bom, é ótimo.

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

O NSM, em que pese ter tamanho, peso e ogiva semelhante ao Penguim, tem 5 x mais alcance e características furtivas.
É só um detalhe já que muito provavelmente não poderíamos aproveitar as características desse alcance estendido tendo em vista nossas limitações em alocar alvos muito além do horizonte.

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Klesson, Como iremos retirar os SH-3 não termos como lançar os Exocet AM-39 e não faço a mínima ideia do que irá acontecer com eles que já devem ter cerca de 20 anos. Talvez sejam remotorizados e integrados a outros vetores. Quanto à comparação do Penguin com o AM-39, fica mais ou menos assim: Peso: 370 kg x 670 kg Alcance: 35 km x 50 km Ogiva: 120 kg x 160 kg Velocidade: subsônica alta para os dois Perfil de vôo: sea skimming para os dois Motor: foguete sólido para os dois Orientação: passiva IR x radar ativo Navegação de… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

O míssil Penguin foi integrado ao Sea Hawk a anos, ao contrário da dupla Exocet/EC-725, é um míssil c/ guiagem IR, que apesar de um tanto a menos de alcance do que o Exocet, é mais discreto que este ao engajar o alvo.

wwolf22
Visitante
wwolf22

pela fumaca o Penguin nao passara no “Controlar”…
Esse missil eh capaz de fazer um belo estrago num navio ?? achei ele muito pequeno… faco essa comparacao com os torpedos que tem modelos “leves” e modelos “pesado”.
O Penguim seria um missil antinavio pesado ou leve ??? ou essa comparacao nao se adequa aos misseis antinavio ??

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

wwolf22, Cara, você agora fez um questionamento complicado. Hoje há tantos tipos de mísseis antinavios que fica difícil saber se ele é médio, leve, pesado, de curta alcance, de médio alcance ou de grande alcance. Mais ou menos ele é peso médio de médio alcance. Classificar os mísseis antinavios (ASCM) por peso e alcance tá cada dia mais confuso porque hoje existem mísseis médios de longo alcance e alguns “pesados” de médio alcance, etc. Basicamente fica assim: Até 150 kg é leve Entre 150 e 500 kg é médio Acima de 500 e 1000 kg é pesado Acima de 1000… Read more »

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Quanto à fumaça, ela diminui na fase de “sustentação”.
O motor foguete tem duplo empuxo, sendo o empuxo inicial mais forte para dar o empurrão e depois funciona o sustentador mais suave e que emite menos fumaça (quase imperceptível).

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Mas se aparecer alguém e disser que ele é leve de curto alcance, acredite, porque não há nenhuma convenção a respeito. rrsrsssss

wwolf22
Visitante
wwolf22

Caro joseboscojr,

muito obrigado por me tirar essa duvida.

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Uma classificação mais enxuta, em que os superpesados mísseis russos/indianos sejam considerados “pesados”, ficaria assim.
Leves até 500 kg.
Médios, entre 500 e 1000 kg.
Pesados, acima de 1000 kg.

klesson
Visitante
klesson

Obrigdo Joseboscojr. Valeu o esclarecimento.

Fabio ASC
Visitante
Fabio ASC

Em suma: nada demais.

tpivatto
Visitante
tpivatto

“Como iremos retirar os SH-3 não termos como lançar os Exocet AM-39 e não faço a mínima ideia do que irá acontecer com eles que já devem ter cerca de 20 anos.”

BOSCO:
Os AM-39 serão integrados aos novos EC-725, mais precisamente aos 8 mais capazes (lembrando que a MB vai receber 16, sendo mais 8 na versão básica).
Os AM-39 serão repontecializados com o novo motor desenvolvido pela Avibrás e eletrônica embarcada da Mectron, Omnisys e IPqM.
Sobre o assunto vide a última RFA, que traz um bom texto sobre os Exocets brasileiros e o futuro MAN.

Milton
Visitante
Milton

Bosco, estes mísseis poderiam ser integrados aos Lynxs da marinha ?

Abraços.

aldoghisolfi
Visitante
Member
aldoghisolfi

COMO SEMPRE, continuo lastimando a falta de pesquisa e indústria nacional, que seguramente nos daria autonomia absoluta.

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Milton,
Não sei dizer não. Eu particularmente acho uma integração difícil mas não impossível tendo em vista que os Linxs levam até 4 Sea Skuas que somados fazem 600 kg, fora os lançadores.
O problema é que caberia apenas 1 o que iria trazer uma assimetria de peso, que talvez seja problema para o porte da aeronave, já que se 2 forem transportados não sobraria “espaço” para o combustível.
Já para o Seahawk essa assimetria não é problema pois ele geralmente leva apenas 1 do lado esquerdo.

aericzz
Visitante
aericzz

Com essa quantia do contrato dá pra quantos mísseis??? em valores de hj?

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

O míssil Penguin já foi homologado tanto no Lynx, como tb nos SH-60/S-70 Sea Hawk, SH-2 Seasprite e B-412SP.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Mas “autonomia absoluta” tipo aquela da FAB, que precisou ir a África do Sul, atrás de tecnologia e produto???
E ainda levou junto, pela mãozinha, nossa “missile house”, que nem tecnologia e menos ainda produto tinha.

wwolf22
Visitante
wwolf22

Caros amigos,

alguem sabe se existe algum tipo de “nano” arma ??? nano celulas de combustivel, nano explosivo, … ???
pergunto isso pois vi num documentario na TV que a Russia possui algumas “espingardas” capazes de atirar uma “bala nuclear”. Essa arma ja tem uns 20 ou 30 anos… se els conseguiram reduzir um missil nuclear ao tamanho de uma “bala” naquela epoca, imagino o que els nao podem fazer hj em dia.

Blind Man's Bluff
Visitante
Member
Blind Man's Bluff

A grande diferença entre os dois misseis na verdade é TATICA. Se levarmos em conta a altura do radar de uma Type-45 sendo ~35m, e a altitude de voo dos seaskimmers Exocet e Penguim como sendo de ~5m e ~10m do helicoptero lançador do segundo missel, temos que: A distancias de horizonte do radar do Type 45 é: Com relação aos misseis: ~25km Com relação ao helicoptero: ~30km Levando em conta essas estimações, claramente notamos que o Penguim com seu curto alcance, expõe o helicoptero lançador perigosamente perto do raio de ação do seu alvo, enquanto que o Exocet permite… Read more »

joseboscojr
Membro
Active Member
joseboscojr

Blind, Mas a maioria dos alvos navais não são dotados de mísseis com defesa de área e esses seriam os alvos preferenciais. Um escolta dedicado à defesa antiaérea aí sim tem condições de engajar um alvo no limite do horizonte radar contra um alvo pouco acima do nível do mar, mas acho que 35 km é um tanto razoável até para esse caso e o helicóptero se daria bem encima do navio se mantendo abaixo do horizonte radar quando do lançamento. Mas concordo com você de que o alcance do Penguin nesses casos é o limite e que o Exocet… Read more »

giltiger
Visitante
giltiger

aericzz fazendo a CONTA DE PADARIA e baseado no contrato anterior onde se pagou EUR$ 15.732.494,00 (quase 16 milhões de Euros) para 8 mísseis Penguim…

16 mísseis…

marciomacedo
Visitante
marciomacedo

Então, no primeiro e no segundo contratos, são ao todo 24 Penguin na MB, quatro por Sea Hawk.

aericzz
Visitante
aericzz

Karaca, 2 milhas de euros por kada míssil… é isso mesmo??? um miśsil daquele porte!

juarezmartinez
Visitante
Member
juarezmartinez

Imaginem quando deve custar um Aster 30…….ou Exocet …..

Grande abraço