Home Noticiário Internacional BAE anuncia sucesso nos testes com a munição LRLAP

BAE anuncia sucesso nos testes com a munição LRLAP

377
5

municao guiada BAE - Euronaval 2012 - foto forcas de defesa - poggio

BAE Systems e a Lockheed Martin Corporation recentemente completaram uma série de testes com sucesso da nova munição guiada de 155-mm “Long Range Land Attack Projectiles” (LRLAP) como parte do programa de qualificação no polígono de White Sands, Novo Mexico.

Os três testes avaliaram o desempenho em voo de longo alcance (63 milhas náuticas) do LRLAP e sua precisão, com um motor de foguete pré-condicionado tático em ambiente quente e temperaturas frias.

Todos os requisitos de teste foram atingidos ou ultrapassados​​, e o alcance, precisão e objetivos de letalidade foram demonstrado com sucesso.

“Este foi um passo fundamental para o programa LRLAP 155 mm da Marinha dos EUA”, disse Tom Pfenning, diretor de munições guiadas de precisão da BAE Systems. “A BAE Systems continua a progredir no caminho certo para qualificar totalmente o LRLAP em apoio à implantação do Sistema de arma avançada, a bordo do DDG 1000”.

O LRLAP de 155 milímetros é eficaz contra uma variedade de alvos em áreas de missão múltipla e foi projetado para fornecer às forças expedicionárias com um preço acessível, uma alternativa para mísseis usados ​​atualmente a partir de navios. O LRLAP é guiado por um GPS e uma unidade inercial, permitindo altos níveis de precisão em alcances superiores a 63 milhas náuticas. Esta capacidade reduz os custos, exigindo menos projéteis para alcançar os efeitos desejados e é muito eficaz quando os danos colaterais representam um problema.

A BAE Systems está progredindo em direção a completar os testes do LRLAP no 4 º trimestre de 2013.

LRLAP 155mm - BAE

FONTE: BAE (tradução e adaptação do Poder Naval a partir do original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
eduardo.pereira1
eduardo.pereira1
7 anos atrás

Isto que é um projétil, creio que mesmo sendo uma tecnologia nova os lançadores VLS perderao terreno com a entrada em serviço destas belezinhas que nao demandam tanto espaço para alocaçao e poderao ser utilizados em qualquer embarcaçao que opere com reparos de seu calibre e tenham a tecnologia embarcada para aquisiçao e acompanhamento de seus alvos.

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Na verdade não tem muito míssil que faz esse serviço. O Tomahawk não é útil para prover apoio de fogo imediato e nem alvos de precisão de alto valor. Talvez o Harpoon II seja mais eficaz, mas também está longe de ser ideal, além de não ter um tempo de reação muito rápido, necessário para o apoio de fogo dos Marines, que exigem rapidez quando solicitado. Somado ao fato de ser subsônico, como o Tomahawk, que retarda ainda mais o necessário apoio de fogo. No passado houve várias tentativas (LASM SM-4, uma versão naval do TACMS, etc) de desenvolver um… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Correção:
“O Tomahawk não é útil para prover apoio de fogo imediato e nem alvos de precisão de alto valor.

Quis dizer:
O Tomahawk não é útil para prover apoio de fogo imediato e nem neutralizar alvos de alto valor que exija reação rápida.

Ivan
Ivan
7 anos atrás

“Cada macaco no seu galho” Diz o ditado popular cantado por Caetano Velozo. O canhão de uma maneira geral é uma arma com forte recuo que exige uma plataforma resistente, sendo o mesmo (tubo, mecanismos e estrutura) uma arma proporcionalmente pesada e até mesmo cara. Entretanto sua munição tem relativamente baixo custo, o que permite fogo continuado, com densidade flexível e boa precisão. Pode ser usado em alvos de baixo valor, ou simplesmente como barragem de fogo em defesa de uma unidade. O míssil, particularmente os atuais de lançamento vertical ou em casulos, são montados em lançadores de menor custo.… Read more »

joseboscojr
joseboscojr
7 anos atrás

Ivan, Esclarecedor seu comentário, agora, temos que ter em vista que jamais o AGS de 155 mm poderá ser usado de maneira tradicional no apoio de fogo, com fogo de barragem ou fogo sustentado por longos períodos. Tanto a munição deve ser caríssima, quanto a precisão intrínseca do projétil e os meios de designar alvos na linha de frente, dificilmente fará necessário o fogo sustentado ou o fogo de barragem, sendo mais usual o fogo de precisão, E salvo engano, o AGS não calça outra munição que não a LRLAP. Ou seja, mesmo se o apoio de fogo for requisitado… Read more »