Home Noticiário Internacional Navio ecológico reduz em 40% a emissão de gás carbônico

Navio ecológico reduz em 40% a emissão de gás carbônico

274
29

Eidsvaag+Pioner+NETT

vinheta-clipping-navalA Rolls-Royce plc, empresa britânica que atua nas áreas de energia, aviação, naval e defesa, entregou esta semana o seu primeiro navio ecológico.

A embarcação emite 40% menos dióxido de carbono que as embarcações comuns do mesmo porte. O navio, batizado de Eidsvaag Pioner, foi adquirido pela empresa norueguesa Eidsvaag AS e deverá entrar em serviço nos próximos dias.

Segundo a Rolls-Royce, o motor movido a gás natural liquefeito (GNL) emite 17% menos gás carbônico em relação aos motores que utilizam diesel.

Além disso, o navio dispõe de uma proa do tipo “perfurador de ondas”, um eixo gerador híbrido que aumenta o rendimento no uso de energia e um sistema de propulsão que combina hélice e leme.

O conceito de navio ecológico também pretende reduzir em 90% as emissões de óxido de nitrogênio e tornar insignificantes as de óxido de enxofre.

O presidente da Rolls-Royce na América do Sul, Francisco Itzaina, afirmou que o único modo de reduzir significativamente as emissões e o custo de combustível é a combinação de tecnologias inovadoras em um só projeto. “O navio ecológico faz isso e é parte de um sistema de propulsão altamente eficiente”, disse em nota distribuída à imprensa.

Outras duas embarcações de carga com o conceito ecológico foram encomendadas pela empresa norueguesa Nor Lines. O primeiro deles está em construção na China. Navios para transporte de passageiros com o mesmo conceito também estão em fase de desenvolvimento.

FONTE: O Estado de S. Paulo

Subscribe
Notify of
guest
29 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
L.D.K.
6 anos atrás

É um conceito inovador, veremos a real capacidade de emprego, tomara que não tenha grandes problemas e acabe por mostrar o futuro não só na cabotagem, mas aponte um futuro as marinhas do mundo!
Claro, desde que se mostre economicamente viável!

L.D.K.
6 anos atrás

Se alguém souber identificar a qual tipo este navio pertence reboque, carga, baliza,…etc, por favor me diga, desde já um obrigado!

MO
MO
6 anos atrás

Quanta abobrinha no texto do Estado = é um navio para apoio a pesca, classificação de registro = Fish Farm Support Vessel da Eidsvaag AS, de Dyrvik, Noruega. O casco foi feito na Romenia, em Tulcea e completado em Brattvaag, Noruega

ahh o conceito de nvio movido a lng tbm nao eh novidade …

Observador
6 anos atrás

MO disse: 6 de junho de 2013 às 19:24 Concordo que não é uma solução nova MO, mas a poluição emitida pelos grandes navios é um problema que precisa ser trabalhado. Sei que não é novidade para você, mas o heavy fuel oil (HFO) utilizado pelos grandes navios, é altamente poluente. É tão grosso que precisa ser pré-aquecido para então ser queimado. A solução de liquefazer o gás, tornando o GN em GNL (o volume é reduzido aproximadamente 700 vezes), leva a outros problemas, pois é preciso resfriar o gás a uns – 160º e não é barato manter o… Read more »

MO
MO
Reply to  Observador
6 anos atrás

É Observador, ja atendi um LPG que por ocasião de uma greve da petrobas os “Petrobrarianos não grevistas (escalões Superiores) assumiram a operação do navio, se a guarnição do navio nao fosse especializada os ‘sapiencias petrobraristicas teriam mandado pelos ares o terminal da alemoa, o navio, os cara, eu, entre outros prejuisos afins). Manter gas refrigerado por longos periodos e trabalho delicado e necessario ser feito por gente especializada. O meu comentário foi no intuito de mostrar como se faz uma má reportagem, do mesmo jeito que foi aquela do “zumbi dos Palmares” aonde nao se fala absolutamente nada do… Read more »

L.D.K.
6 anos atrás

Danke MO!

Quando vai acabar o surto que deu no povo do aéreo?

Eu pergunto, pois dei uma olhada e o clima estava TENSO!

MO
MO
Reply to  L.D.K.
6 anos atrás

nao sei nao LDK, não sou visualizador regular dela, sacume nao me dou muito bem com Aviaozinhums

Observador
6 anos atrás

“…os Petrobrarianos não grevistas (escalões Superiores) assumiram a operação do navio, se a guarnição do navio nao fosse especializada os ‘sapiencias petrobraristicas teriam mandado pelos ares o terminal da alemoa, o navio, os cara, eu, entre outros prejuisos afins).”

Rêrêrê.

Mo, eu só imagino a tua situação…

Mas eu entendi sim o seu comentário anterior, porém a falta de exatidão da matéria chamou-me a atenção para o problema do óleo pesado (HFO) e não pude deixar de comentar.

MO
MO
6 anos atrás

ahhh acabei de ver, siricutico de gente do aviaozinhum, este tipo de coisa so h acontece lá , tem um monte de aviaozinhum por ai que adora estas coisas

Eh que nao to com saco de voltar la denovo, mas gostaria de postar, melhor reproduzir um comentario soberbo que passou por la anos atras “JA DEU RAFALE” !!!

corolario do SO (Sepol Olecram) = kkkkkkkkkkkkk SIFU !!!

L.D.K.
6 anos atrás

Eu bisbilhotei e saltei fora, lembra a guerra fria, só que agora em três frentes!
Mas voltando ao que interessa, este modelo de casco não seria mais favorável aos rebocadores marítimos, por diminuir a resistência?

Ctrl C + Ctrl V
Ctrl C + Ctrl V
6 anos atrás

Eu até pensei que fosse notícia da Folha de S. Paulo.
CO2 não é problema, e também não é verdade que ele é o gás do efeito estufa, mas isso é outra história que envolve interesses geopolíticos.
O problema mesmo é o CO e NOx, produzido em quantidades bem maiores durante a queima. A notícia não informa nada sobre o CO, mas parece que estão cuidando do óxido nitroso.

MO
MO
6 anos atrás

bom LDK a RR esta implementando este conceito nos seus off shore support vessels, ekles chammam de X Bow, eu particularmente chamo de oriviu, feio pra caraleo, u=em miudos -= um UQTRNarigudo invertido civil

Mazzeo
Mazzeo
6 anos atrás

Cara, a otimização da queima com sistemas de gerenciamento do motor mais eficientes e o uso de HFO com menos enxofre já diminuiriam muito o problema, MO, tenho o mesmo problema que você, não quero reportagens rasas, mas pra maioria dos leitores já é bastante coisa, o problema é que se você der muitas informações o leitor medio vai ignorar solenemente e nem todos os jornalistas tem capacitação para fazer algo informativo e didático. Agora, eu que trabalhei como instrumentista lá na ilha da mulher do alemão, imagino um monte de engenheiros e chefes de turno operando o descarregamento de… Read more »

MO
MO
Reply to  Mazzeo
6 anos atrás

com toda certeza Marcelo, LNG aqui ainda nao veio, so LPG, mas explode do mesmo jeito … rsss

O detalhe que me apego e o tal = tudo naval/maritimo aqui no Brezil eh vago, errado, superficial ou comico = vide a materia do zombie from palmares por exemplo, acho que o naval eh assim mesmo, leitor buneco sdo gosta de coisas bunecas, mas na pratica nao acrescenta .. rssss

L.D.K.
6 anos atrás

X Bow!? Vou pesquisar um pouco, mas valeu MO!

MO
MO
Reply to  L.D.K.
6 anos atrás

acho que no proprio site da RR ou do ships technology vc acha =

  • http://www.rolls-royce.com/marine/ship_design_systems/
  • http://www.ship-technology.com/
  • L.D.K.
    6 anos atrás

    Ok, muito obrigado novamente!

    Lorddarth
    Lorddarth
    6 anos atrás

    Se o sistema vai ou não consagrar-se ninguém sabe, mas o ponto central é a alta taxa de redução dos poluentes. Uma taxa de 40% é um número muito expressivo sobretudo para o meio ao qual serve. Estou surpreso com a notícia! Ninguém começa o emprego de uma tecnologia inovadora de cima para baixo. Ao menos não é o comum. A pirâmide é oposta quando se trata de “apostas”. Se der certo e se consagrar, aí sim, começa a escalada da pirâmide-oposta rumo à padronização das frotas. Quem está envolvida com a tentativa de vanguarda? A Rolls-Royce. [Não sei por… Read more »

    GUPPY
    GUPPY
    6 anos atrás

    Já que o texto da matéria informa: “O conceito de navio ecológico também pretende reduzir em 90% as emissões de óxido de nitrogênio e tornar insignificantes as de óxido de enxofre.” Passo a ver com bons olhos esses navios mesmo sendo um: “UQTRNarigudo invertido civil”, afinal também tá no texto: “Além disso, o navio dispõe de uma proa do tipo “perfurador de ondas”, um eixo gerador híbrido que aumenta o rendimento no uso de energia e um sistema de propulsão que combina hélice e leme.” Só não pode é acender nenhuma faísca a bordo. Ser não fumante deveria ser conditio… Read more »

    MO
    MO
    Reply to  GUPPY
    6 anos atrás

    Pior é onde fazer bunkering .. sei nao se a ultagas ou a liquigas se adaptou ….rssss

    GUPPY
    GUPPY
    6 anos atrás

    Xii, isso eu não tinha pensado. Quem sabe, à medida que forem evoluindo, passem a trocar butijões vazios por butijões cheios, conforme fazemos em casa, nos condomínios, hospitais, fábricas, etc. Mas acho que o mais prático será o reabastecimento em locais préestabelecidos, digo, alguns portos com instalações próprias com as devidas ultragás, liquigás, etc, no esquema.

    Abs

    MO
    MO
    Reply to  GUPPY
    6 anos atrás

    Eu nao conheço o sistema de abstecimento deles, penso ser semelhante as estações de bunkering, so que com as adaptações necessarias ao LNG, o problema (no meu caso o desconhecimento atrapalha) eh saber qual a disponibilidade deste siastema world wide, pois reparar que este eh um navio regional … mais infos sobre seriam muito bem vindas!!

    GUPPY
    GUPPY
    6 anos atrás

    Perfeito, MO. Mais infos sobre o bunkering desse navio seria interessante. Mais eu fiquei curioso também foi com a segurança deste bunkering porque, em caso de explosão, um quarteirão inteiro de uma zona portuária pode ir para o espaço.

    MO
    MO
    Reply to  GUPPY
    6 anos atrás

    ah neste caso presumo não haver problemas pois seria ‘relativamente’ igual aos carregamentos dos LPGás e LNG´s da vida, ‘relativamente’ (com toda segurança que estas operações envolvem) normais

    GUPPY
    GUPPY
    6 anos atrás

    Ok. Fico mais tranquilo com a sua resposta.
    É que só me vinha a mente aquela ameaça de explosão que um navio tanque pegando fogo no porto de Recife, alguns anos atrás, o Governador tendo que sair do palácio, a Rio Branco (zona portuária do Recife) em polvorosa, até que um prático(?) com mais alguém da Capitania resolveu correr todos riscos e afastou o navio para um local mais seguro. Acho que foi mais ou menos assim.

    Abraços

    MO
    MO
    Reply to  GUPPY
    6 anos atrás

    N/T Jatobá, 1985, tenho a historia todinha do acidente pelo Comte Mariano, a época 2ON do Jatobá

    GUPPY
    GUPPY
    6 anos atrás

    N/T Jatobá, este mesmo. Só não lembrava que foi em 1985.
    MO, confirma por favor quem foi o herói que evitou uma quase tragédia no meu Recife.

    Abraços

    MO
    MO
    Reply to  GUPPY
    6 anos atrás

    o pratico, junto com a guarnição do navio (os que ficaram a bordo, nao foram lançados na água), bombeiros, trabalhadores portuários, mestres e guarnições dos rebocadores, amarradores, estes foram os verddeiros herois … foi em 1985 sim, tenho a data anotada, so nao ta na mao agora, preciso ver em qual caderno está …

    GUPPY
    GUPPY
    6 anos atrás

    Obrigado por mais essa info, MO. Tinha que ser uma equipe mesmo bem profissional e determinada. Afinal o acidente era grave e com reais possibilidades de ter consequências mais graves ainda.

    Abraços