Home Noticiário Internacional Cerimônia de descomissionamento do HMS ‘Edimburgh’

Cerimônia de descomissionamento do HMS ‘Edimburgh’

135
27


O HMS Edimburgh, último dos contratorpedeiros tipo 42 da Marinha Real Britânica, foi oficialmente descomissionado em cerimônia na cidade de Portsmouth. A aposentadoria encerra os 42 anos de serviço da classe, inaugurada com o lançamento do primeiro contratorpedeiro, o HMS Sheffield, em 1971.

O Edimburgh foi construído pelo estaleiro Cammell Laird, em Birkenhead, e comissionado em 1985 – o último dos tipo 42 a entrar em serviço.

Os navios da classe foram retirados de serviço aos poucos para dar lugar aos novos contratorpedeiros tipo 45.

HMS_Edinburgh_Falklands

hms_edinburgh_D97_emb_n12986

 

FONTE: Naval Open Source Intelligence (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

27
Deixe um comentário

avatar
21 Comment threads
6 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
15 Comment authors
marciomacedoGUPPYGuizmomarcControl Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
GBento
Visitante
GBento

Os quadrados-retângulos devem olhar pra esse navio e morrerem de inveja.
Um dos mais lindos navios que já vi.

Vader
Membro

Linda nave, de fato.

Não sei dos amigos marinheiros, que devem estar mais acostumados com isso, mas cada vez que fico sabendo de um navio sendo descomissionado me bate uma tristeza…

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Belo navio.Menos de 30 anos em serviço.Isto para um navio é pouco?

MO
Membro

depende desua conservação , utilização and modernização, no caso dos 42 eles rodaram muito …

ALDO GHISOLFI
Visitante
ALDO GHISOLFI

Che Vader, penso o mesmo; as fotos do Ark Royal indo para o desmanche são tragicamente tristes.

L.D.K.
Visitante

Mais um funeral!
Algum dos senhores saberia se este seguira o Ark Royal?
Ou teria ele um destino mais nobre em alguma marinha mundo a fora?

MO
Membro

provavelmente, aliaga, a casa final de quase todos os 42 e de boa parte da RN for scrap

colombelli
Visitante
colombelli

Nada como uma tradição de seculos construindo e operando navios de guerra.

L.D.K.
Visitante

MO eu compreendo, mas é comum a alguns países comprarem, navios de guerra, mesmo sendo em alguns casos muito rodados, assim suprindo uma necessidade, mas se é Aliaga, que assim seja.

MO
Membro

me parece que houve uma ou oferta ou sondagem para os/dos pas estar ‘si’ confundindo, to meio doido …

StadeuR
Visitante
StadeuR

Eu acho isso uma sacanagem, nós não somos parceiros estratégicos ??
então manda pra cá esse navio pra nóis mandar bala, míssil e etc… assim testava nossos equipamentos.
Isso não vale pô, rs rs rs

MO
Membro

vale, vale sim pode colocar uns 1-3 milhoes de dolares para scrap …

Tio Sam
Visitante
Tio Sam

Essa classe foi para as Falklands?

Dalton
Visitante
Dalton

Apenas os T-42s Batch I e II estiveram nas Falklands durante o conflito em 1982. O HMS Edimburgh e outros três já retirados pertence ao Batch III, são bem maiores e não estavam operacionais em 1982.

Control
Visitante
Control

Srs

Não quebraria um galho para a MB visto que é relativamente novo e maior que as fragatas?
Uma boa manutenção e um upgrade na eletrônica e nos armamentos não dava um bom caldo para mais uns 15 anos?

Sds

marc
Visitante

A coisa esta preta…

As compras de oportunidade estao cada dia mais dificeis.

Não vemos mais opções de compra para estes T42 C, por que no estado em que estão seria trocar 6 por meia duzia.

Daqui para a frente é ficar sem nada ou comprar as OHP que ja não valem nada.

A opção de construir, parece que perdemos pois ficamos “dormindo” muitos anos…

Guizmo
Visitante
Guizmo

Tio Sam,
O Sheffield afundado pelos argentinos era um Tipo 42, novinho em folha

Dalton
Visitante
Dalton

Control…

um navio é “bom” até seus 30 anos, depois torna-se caro de manter, e muitas vezes acaba sendo relegado a missões de curta duração.

Melhor seria trazer a fragata Defensora novamente ao serviço pois já faz uns três anos que encontra-se em manutenção.

Além do mais o míssil Sea Dart não encontra-se mais em operação, o próprio HMS Edimburgh os disparou pela última vez dois anos atrás.

L.D.K.
Visitante

Dalton você saberia dizer a qual casse a Defensora pertence e qual o ano de lançamento dela?

Dalton
Visitante
Dalton

L.D.K. farei mais que isso: pesquise no site “navios de guerra brasileiros” NGB, antigamente tinha um link aqui mesmo no PN, infelizmente retirado. Os navios estão em ordem alfabética com todos os dados e sempre que possível o Zé está atualizando o histórico. Tem de tudo lá, desde escuna até encouraçado. Mas adianto o seguinte: a Defensora pertence ao projeto MK 10 da Vosper-Thornycroft britânica e apenas nossa marinha opera, quatro foram construídas lá, duas da versão antisubmarino e duas de emprego geral enquanto duas outras antisubmarino construídas aqui. Com o programa “modfrag” todas as seis foram padronizadas e quanto… Read more »

MO
Membro

oe I eu no NGB num apareço naum .. rsss sou o secretário do zé … rssss ele nao deixa eu mexer diretamente, rsssss

L.D.K.
Visitante

Muito obrigado!

Tio Sam
Visitante
Tio Sam

Eu suspeitava disso (T-42). Valeu.

Sds.

GUPPY
Visitante
GUPPY

L.D.K.,

Você perguntou sobre a “Defensora” e o Admiral Dalton respondeu muitíssimo bem.
Permita-me entrar nessa conversa somente para acrescentar que aqui mesmo no Poder Naval você pode acessar muitas matérias sobre as Fragatas Classe Niterói (Mk 10) inclusive de quando ainda estavam em construção na Inglaterra. Também nas revistas Forças de Defesa tem reportagens sobre as referidas fragatas e sua história. A número 7, por exemplo, tem tudo sobre o ModFrag. Mais não deixe de seguir a dica do Admiral: NGB – Navios de Guerra Brasileiros.

Abraços

MO
Membro

Faltou dizer que ele pode adquirir o poster do navio, by Bozoh Galante Inc. LLC. … rsssss

L.D.K.
Visitante

Obrigado a todos!
Pois como já mencionei, eu sou um pouco leigo e graças a paciência e boa vontade de todos que tem me ajudado, eu tenho adquirido um conhecimento que considero importante!
Senhores, novamente um muito obrigado a todos!

marciomacedo
Visitante
marciomacedo

Para a MB, não dá porque o navio é caro de operar, as turbinas, de difícil manutenção.