Home Noticiário Internacional A Marinha Russa

A Marinha Russa

384
10

Marinha Russa

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
daltonl
daltonl
7 anos atrás

O infográfico é otimista demais relacionando navios e submarinos que estão na reserva já foram removidos de serviço ou aguardando fundos para modernização que poderão ou não acontecer.

Eles não foram capazes nem de acertar o número de “retângulos” azuis
na lista de SSBNs, 14 retângulos ao lado do número 10.

MO
MO
Reply to  daltonl
7 anos atrás

kkk infografico = coisa de buneco = infobunegrifco = as sapiencia pira …kkkk

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Fato é que os russos, mais dia, menos dia, irão iniciar suas operações na Antártida. Quando isso acontecer, os EUA iniciarão suas operações no Atlântico Sul, com todos os bolivarianos olhando e esperneando. Só!!!

Quando você não ocupa um espaço que é seu de direito, vem alguém e ocupa.

Ao invés de colocarmos naves de superfície para patrulhar nossa costa, vamos nos dedicar a tão somente a torrar dinheiro no enorme elefante branco das profundezas.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

O Brasil deveria tomar da França um dos seus símbolos: o frango! Nós somos o frango! Por que? Porque o frango é aquele que faz bastante barulho quando a raposa chega. E só! É o que vamos fazer quando EUA, França, Inglaterra, Rússia e China começarem a passar com sua Marinha pelo Atlântico Sul. A frangaiada irá cacarejar. E só! Porque é só isso que se tem feito nos últimos anos: cacarejar. O índio cocalero foi impedido de pousar em Portugal, França e Espanha. Fez o quê? cacarejou. Só! A Inglaterra colocou nas Malvinas caças Tayphoon e mandou para lá… Read more »

daltonl
daltonl
7 anos atrás

Marcos… minha bola de cristal é tão boa quanto a sua, mas, a minha não diz que haverá uma “corrida” ao Atlântico Sul não ! O “point” é o Pacífico. Os russos não possuem nem possuírão tantos submarinos assim, a ideia sendo que as vezes um SSBN venha ao sul para confundir os EUA, tentar criar uma vulnerabilidade na defesa. Os EUA não irão perder tempo caçando SSBNs por aqui até porque no início da próxima década a força de SSNs da US Navy chegará a 48 unidades e deverá cair ainda mais um pouco e a maior parte estará… Read more »

luizblower
luizblower
7 anos atrás

Impressionante como (no que se refere a guerra convencional, claro) atualmente a Marinha Russa, no papel, não é páreo sequer para duas marinhas européias combinadas. Na prática, acho que é ainda pior…

Wagner
Wagner
7 anos atrás

A Marinha Russa, como eu sempre insisti, está melhorando gradativamente. Eles não vão, nem pretendem, construir gigantescas frotas de cruzadores para rivalizar com a USN, nem tem dinheiro para isso. O objetivo é assegurar a defesa, e a dissuasão nuclear. E a Rússia já avisou que usará armas nucleares para se defender, se necessário. ” aai é trapaça” , é nada, é direito deles. O escopo principal serão os submarinos, menos vulneráveis que naves de superfície. Existem estaleiros inteiros em construção na Rússia, com auxílio sul-coreano, e de Singapura, a construção naval lá, civil e militar, está melhorando e se… Read more »

luizblower
luizblower
7 anos atrás

Chama atenção o pequeno número de escoltas.

daltonl
daltonl
7 anos atrás

“Lembrando que a Marinha russa está treinando intensamente, agora mesmo a frota do pacífico está com 5 esquadrões no mar de Okhotsk, num grande exercício. Na prática, nesse instante a Rússia de 60 naves treinando.” Wagner, seria interessante saber a composição desses 5 esquadrões, pois a Frota do Pacifico conta com apenas 1 cruzador, 4 destroyers antisubmarinos Udaloys I com limitada capacidade antinavio e um destroyer Sovremennyy cuja confiabilidade é limitada e dificilmente todos esses 6 principais combatentes estarão no mar ao menos em condições adequadas então é de se supor que maioria desses 60 navios serão velhas corvetas e… Read more »

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Dalton
Concordo plenamente contigo. Esta inflação de números tem sido uma constante desnecessária que acaba retirando credibilidade dos russos e eclipsando o que eles efetivamente estão conseguindo fazer de concreto.

Esta gerando uma “sindrome pinóquio”, onde tudo o que eles divulgam acaba sendo posto em dúdiva por, em alguns, casos inserirem dados visivelmente incorretos e fantasiosos, desconhecendo que é fácil constatá-los como tais.A quem eles acham que enganam?

Lamentavel, eles não precisavam disso.