sexta-feira, dezembro 3, 2021

Saab Naval

Ministério da Defesa do Japão pretende incorporar mais 10 destróieres

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

JMSDF Fleet Review 2012 - 20

O Ministério da Defesa do Japão informou nesta quinta-feira (21) que pretende incorporar mais destróieres em meio as crescentes atividades marítimas da China. Um plano foi elaborado pelo ministério para a organização das Forças de Autodefesa serem incluídas na revisão de diretrizes de defesa, que deve ser aprovada pelo Gabinete japonês no próximo mês.

As diretrizes atuais exigem 48 destróieres, mas o ministério que incorporar mais 10. O ministério quer implantá-los, principalmente em Hokkaido, no norte, e Kyushu, sudoeste, para melhorar a sua eficiência. Além disso, o ministério também pretende implantar cerca de 200 veículos de combate recém-desenvolvidos.

O Japão está aumentando seu poder de defesa num momento em que a disputa com a China pelas Ilhas Senkaku, localizadas no Mar da China Oriental, torna-se mais tensa. As informações são da rede NHK.

FONTE: www.mundo-nipo.com

- Advertisement -

17 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Oganza

Humm humm…

Se eles realmente mudassem sua contituição sobre material bélico, essa Classe Akizuki ai da foto era Perfeito para nós, sem falar que é U$ 200 milhões mais barato que uma FREEM e leva o dobro de armamento. Maaaasssss.

Lindo navio.

MO

Carai, mais 10 CT´s .. .olha os cara mostrando as garras !!!

Ivan

MO, Mostrando as garras? Sim, mas elas sempre estiveram lá, navegando à sombra da US Navy, mas lá. Pronta. Vc sabe, mas outros amigos ainda não pesquisaram. a Japan Maritime Self-Defense Force, um eufemismo para marinha do Japão, opera 4 (quatro) flotilhas de “escolta”, dentro de uma frota de “escolta” A organização é a seguinte (com um ou outro ajuste): Fleet Escort Force Escort Flotilla 1 (Yokosuka) _Escort Squadron 1 (DDG, DDH, DD x 2) _Escort Squadron 5 (DDG, DD x 3) Escort Flotilla 2 (Sasebo) _Escort Squadron 2 (DDG, DDH, DD x 2) _Escort Squadron 6 (DDG, DD x… Read more »

MO

Ivan, o Japonelico

eu concordo, diria a segunda Marinha do Mundo

Almeida

Ivan, como seria a ordem de batalha da MB, só para fins comparativos?

daltonl

Ivan…

os “Asagiri” são 8 e não 5 e vc esqueceu de incluir, mas os japonélicos incluem nesse nr de 48 os 6 Abukumas que deslocam 2500 toneladas, no mais, excelente ideia sua de postar os combatentes de superficie deles.

Então de quase 5 dezenas, 48, eles pensam em aumentar para quase seis dezenas, 58 unidades e também estão aumentando a força de submarinos, historicamente de 16 unidades mais duas para treinamento, 18 unidades, para 20 unidades mais duas de treinamento, 22 unidades.

Resta saber se haverá recursos suficientes para tudo isso.

abs

GUPPY

Além da China, outros países asiáticos também detestam o Japão. A própria Coréia do Sul não morre de amores pelos nipônicos em que pese hoje serem ambos aliados dos EUA e potenciais adversários da Coréia do Norte.

GUPPY

Ivan

Admiral Dalton, É vero! São 8 (oito) DD classe Asagiri, de 4.900 toneladas, que corresponde ao deslocamento de uma boa fragata. Pelo que sei a relação é a seguinte: – JDS Asagiri – JDS Yamagiri – JDS Yūgiri – JDS Amagiri – JDS Hamagiri – JDS Setogiri – JDS Sawagiri – JDS Umigiri. Também esqueci dos DD classe Abukuma, de 2.500 toneladas, que corresponde ao deslocamento de uma corveta bem parruda, ligeiramente maior que a Barroso. A relação é a seguinte: – JDS Abukuma – JDS Jintsu – JDS Oyodo – JDS Sendai – JDS Chikuma – JDS Tone Então… Read more »

Ivan

MO,

É por aí.

Abç.,
Ivan.

Ivan

Almeida, Tá brincando! Não tem nem graça, pois apenas o número de cascos diria bem pouco. Seria necessário considerar o deslocamento total da frota, a idade dos navios e capacidades instaladas. Só como exemplo os “japonélicos” (como escreve MO) possuem 8 (oito) DDG AAW, sendo meia dúzia de AEGIS contra 0 (zero) nacionais. Mas vamos lá. Deixa o São Paulo quetinho na Guanabara… 04 classe Greenhalg (ex Type 22 batch 1), sendo que uma foi p’ro saco e as outras estão em estado duvidoso. 06 classe Niteroi, mas uma delas não está operacional e não sei se vota. 01 única… Read more »

Almeida

Obrigado Ivan! Mas eu tava querendo saber mais sobre a organização desta ordem de batalha, me expressei mal!

Temos esquadrões de escoltas? Flotilhas? Não sei como a MB opera, neste sentido. O Japão é bem organizado, diga-se de passagem!

daltonl

Ivan…

vc cometeu novamente um pequeno erro matemático…são 14 combatentes de superficie ou escoltas como a MB os chama e não 15.

Como vc mesmo escreveu, uma das T-22s, a Dods, foi para o desmanche e mesmo que a Defensora não retorne à ativa deve ser listada, então são 9 fragatas e 5 fragatas leves, como o próprio Alm. Maximiano as considerava e aqui oficialmente chamadas corvetas.

abs

daltonl

Almeida… Tenho de cabeça o principal pois também interesso-me pela organização dentro da US Navy. Temos o Primeiro Esquadrão de Escoltas que compreende as 6 fragatas Niteróis e o Segundo Esquadrão de Escoltas que compreende o restante, as 3 T-22s e 5 corvetas ou fragatas leves que de fato são. Como temos apenas 5 submarinos corresponde a apenas um esquadrão em média então o que temos é denominado Força de Submarinos que compreende também um navio de socorro, o Felinto Perry. Já os 2 navios tanque e os 5 navios anfibios que temos estão todos no Primeiro Esquadrão de Apoio.… Read more »

MO

Ja falei varias vezes em conceito o que deveria ser um eficiente NaApLog, olhem isso e tirem conclusões e nada de 400 milhoes de custo … e levaas necessidade de nossa marinha inteira em uma pernada so (literalmente falando … =
http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2013/11/mn-grande-senegal-iceu-mpp-ro-ro-lo-lo.html

joseboscojr

Mas também com o Godizila por aquelas bandas tem que ter muito destróier mesmo. Cava vez que ele aparece uns 4 ou 5 vão à pique.

Mudando de cueca para ceroulas, interessante que a classe Akizuki não possui radares exclusivos para a iluminação de mísseis ESSM. A iluminação dos alvos é feita diretamente pelo radar de varredura eletrônica, portanto deve ser mais eficiente que a utilizada pelos navios americanos (com exceção do DDG-1000 e do CVN-78) que fazem uso dos radares mecânicos SPG-62.

Ivan

Dalton,

Meu erro não foi matemático, apesar de passado toda a semana “fazendo conta” (rs rss), mas falha de memória e falta de pesquisa.

Esqueci a Dodsworth, ou melhor esqueci de retirar.

Quanto as Inhaúmas e a Barroso estão no limite entre um e outro conceito. São corvetas parrudas ou fragatas leves.

Minha visão, estritamente pessoal, as Inhaúmas com proa molhada seriam efetivamente corvetas, sendo a Barroso, com melhor desempenho no mar, uma pequena fragata.

Abç.,
Ivan.

Almeida

Obrigado Almirante Daltonl! 🙂

Será que no futuro teremos um 1o Esquadrão de Escoltas com as 5 fragatas pesadas / contra torpedeiros leves do PROSUPER e o 2o Esquadrão de Escoltas com as corvetas pesadas / fragatas leves Barroso e Barroso “improved”? Cinco navios novos em cada?

Sonho meu, sonho meu… vem buscar quem mora longe…

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

IACIT apresentará na Mostra BID Brasil tecnologias únicas existentes no país

Empresa com mais de 35 anos de história é referência em soluções de ponta que podem contribuir para...
- Advertisement -