Home Aviação Naval Bons tempos do NAe ‘São Paulo’ operando com a Armada Argentina, em...

Bons tempos do NAe ‘São Paulo’ operando com a Armada Argentina, em 2002

531
42

 

Vídeo feito durante a ARAEX VI mostra a operação aérea realizada pela ARA (Armada Argentina), a bordo do NAe São Paulo, realizando lançamentos e recolhimentos dos Super Étendard e S-2T Turbo Tracker, além do embarque dos helicópteros Alouette III, Fennec e SH-3 Sea King.

sao-paulo-ml copy

sao-paulo-ml-14-03-02 copysao-paulo-ml-14-09-02-2 copy

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
6 anos atrás

Nós temos a banheira dos mares e eles as sucatas dos ares.

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

De lá para cá, infelizmente, tragédias, mortes, insegurança, incensatez, burrice e principalmente ZERO de operações.

Grande abraço

Luiz Monteiro
Luiz Monteiro
6 anos atrás

Além da ARAEX com a marinha da Argentina participou de outras operações no exterior como a URUEX, com a marinha do Uruguai, a PASSEX com o USS Ronald Reagan, da US Navy, em 2004, além das diversas operações com a Esquadra, como as TROPICALEX, ESQUADREX, ADEREX, , TEMPEREX, ASPIRANTEX e ESPADARTE, onde realizou 568 catapultagens e 568 enganches com as aeronaves AF-1.

Marcos
Marcos
6 anos atrás

Marinha Italiana efetua teste com novo torpedo Black Shark Advanced

Marcos
Marcos
6 anos atrás

As atuais operações: GUANABAREX e ESTALEIREX!

Almeida
Almeida
6 anos atrás

Bons tempos? Falam como se fosse um NAe de verdade operando com a US Navy ou a Royal Navy em águas azuis…

Guizmo
Guizmo
6 anos atrás

“Marcos
3 de fevereiro de 2014 at 16:12 #
As atuais operações: GUANABAREX e ESTALEIREX!”

kkkkkkkkkkkkkkk

mdanton
mdanton
6 anos atrás

COMPOSTURA HOMENS!!

Isso é pratica de BULLYING para com o PA Saint Paul!

O GUANABAREX E O ESTALEIREX foi demais….menos heim!! kkkkkkkkkkkkkkk

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

Luiz Monteiro 3 de fevereiro de 2014 at 16:09 # Além da ARAEX com a marinha da Argentina participou de outras operações no exterior como a URUEX, com a marinha do Uruguai, a PASSEX com o USS Ronald Reagan, da US Navy, em 2004, além das diversas operações com a Esquadra, como as TROPICALEX, ESQUADREX, ADEREX, , TEMPEREX, ASPIRANTEX e ESPADARTE, onde realizou 568 catapultagens e 568 enganches com as aeronaves AF-1 Caro comandante Luiz Monteiro! O senhor é sabedor do meu apreço pela sua pessoa e minha admiração por suas opiniões sempre norteadas pelo bom senso, inclusive estes tempos… Read more »

Luiz Monteiro
Luiz Monteiro
6 anos atrás

Prezado amigo Juarez, Obrigado pelas palavras. Saiba que o gosto muito de seus comentários. Muitas vezes você escreve aquilo que gostariamos de escrever, mas por razões óbvias, não podemos. Meu comentário foi apenas para trazer informações e contribuir com o debate. Na minha opinião é muito importante para uma marinha moderna possuir navios-aeródromo e submarinos de propulsão nuclear. Todavia, a MB historicamente nunca possui dotação orçamentária para isso. Não vejo este quadro se alterando nas próximas 2 décadas, a menos que soframos uma agressão externa. Por estas razões, entendo que a MB deva priorizar os escoltas e submarinos de propulsão… Read more »

Luiz Monteiro
Luiz Monteiro
6 anos atrás

Juarez, Vale ressaltar que, diferente do que pensa a maioria, a aviação baseada em terra, não substitui a aviação embarcada em navios-aeródromo. Tive a oportunidade de operar sob a proteção dos aviões embarcados em navios-aeródromo da USN por 3 vezes e, em todas elas, as forças que simulavam ataques de uma FT inimiga não foi capaz de nos atingir. Todas as vezes que fizemos operações simulando ataque inimigo e dependendo da aviação baseada em terra, tivemos todas os nossos principais meios “afundados” pelo inimigo. Isso se deve ao fato da aviação baseada em terra demorar muito mais para chegar ao… Read more »

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

Caro Comandante LM! De antemão agradeço as suas gentis palavras e a admiração é recíproca. Realmente, nem eu, nos meus maiores acessos de brabeza contra certas asneiras feitas pela MB sou contra a operação de um NAE, porém como bem o senhor frisou, para tal empreitada são necessários aportes de recursos que seguramente não veremos por estas paragens, até porque uma tempestade financeira vem por aí em 2015, 2016 e literalmente a cobra vai fumar. Quanto a defesa da frota, concordo em gênero número e grau, não tem como. Buenas Comandante, eu ainda penso que um navio tipo NPM ala… Read more »

mdanton
mdanton
6 anos atrás

Bom Luiz Monteiro…é melhor as FA começarem a atualizar os planos para a planificação da economia….Demora muito?
Com certeza absoluta, vamos ter algum “tempo quente” antes de 2020. Mas o que podemos construir em nosso setor industrial além de caminhões pequenas embarcações e aviões?

Marcos
Marcos
6 anos atrás

Senhores:

Falando sério. O problema central da MB é o mesmo problema que atinge o Brasil como um todo: falta de dinheiro. E mesmo quando há, é mau utilizado. A MB não tem dinheiro (ou tem?) para efetuar manutenção adequada ao seu NAe e estão se propondo a ter um submarino nuclear, cujo custo de manutenção vai às alturas.

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

Caro Maros! Não adianta a gente espernear aqui, enquanto Moura Neto, Frade e o resto da turma dos “iluminados” e puxa sacos dos ptralhas estiverem lá nada vai mudar.

Grande abraço

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Marcos, digam o que disserem, mas a MB tem MUITO dinheiro, assim como TODAS as outras FFAA. Ele é apenas MUUUUITO mau gasto com coisas inúteis que devem ser extirpadas de nossas forças, como as pensões vitalícias. Temos que ter também uma melhor gestão dos recursos, que hoje em se tratando de qualidade, é RIDÍCULA, é AMADORA, enfim, é uma gestão brasileira. Só como exemplo: Orçamento de 2013 das FFAA (todos os valores em Reais): TOTAL: 67,817 Bi – Distribuídos da seguinte forma: 1 – Pessoal e encargos sociais: 46,331 Bi = 68,3% 2 – Juros e encargos da dívida:… Read more »

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Meu caros, só a título de comparação:

Austrália (dados de 2011):
PIB (nominal) = 1,507 Trilhões de Dólares
Orçamento de Defesa = 27 Bilhões de Dólares

Brasil (dados de 2013):
PIB (nominal) = 2,190 Trilhões de Dólares
Orçamento de Defesa = 27,794 Bilhões de Dólares

Agora comparem os números de tropas regulares, quantidade e qualidade do equipamento:

http://en.wikipedia.org/wiki/Royal_Australian_Navy
http://en.wikipedia.org/wiki/Royal_Australian_Air_Force
http://en.wikipedia.org/wiki/Australian_Army

Não é preciso ser nenhum gênio para entender que existe alguma coisa de errada no Brasil Maravilha.

Sds.

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Editores… por gentilesa liberem o meu post de 3 de fevereiro de 2014 at 22:56, postei 3 links da wiki e me esqueci do anti span… 🙁

Obrigado.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Caro Juarez & Luiz Monteiro

Só para esquentar as turbinas:

http://www.passarodeferro.com/2013/12/angola-compra-porta-avioes-principe-das.html

Saudações.

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Carlos Alberto Soares,

só para esquentar mesmo… isso vai derreter o convés aqui do Naval rsrsrsrsrs

Sds.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
6 anos atrás

Estimado Juarez Martinez

minha humilde opinião, desde que bem dotado:

http://www.operacional.pt/juan-carlos-i-navio-de-projeccao-estrategica/

daltonl
daltonl
6 anos atrás

Angola ? A marinha de lá tem uns 1000 homens e mais da metade seria necessário para tripular o navio sem contar a ala aérea. Também tem a manutenção de meia vida que os espanhois não quiseram fazer e custaria bem mais de 100 milhões de dólares, ainda mais que o navio foi inativado faz um ano agora. Quanto mais tempo um navio fica na reserva, mais cara a reativação. “Hot transfer” é sempre a ideal. E nenhum harrier disponível. Inspecionar um navio é uma coisa se é que de fato os angolanos inspecionaram o PdA como citam as noticias… Read more »

Almeida
Almeida
6 anos atrás

Marcos,

O problema do Brasil é falta de dinheiro? Sério que você acredita nisso?

Um país com a sexta ou sétima maior economia do Mundo e que cobra QUARENTA POR CENTO DO PIB em impostos não pode faltar dinheiro!

O exemplo do Oganza foi perfeito: analisou dois países enormes, com economias fortes e que não tem necessidades militares prementes. Um tem forças armadas de primeiro mundo, bem equipadas, treinadas e operacionais, o outro tem muita conversa e zero capacidade.

rafael oliveira
rafael oliveira
6 anos atrás

Almeida, O Brasil pode ser a sexta ou sétima economia do mundo, mas ainda assim é um país pobre, porque o PIB per capita é baixo. Compare o nosso, de US$ 12.789,00 com o da Austrália, de US$ 65.477,00, que isso ficará claro. Então, de forma geral, mesmo que cobre, percentualmente, impostos mais altos, o resultado final, a média de impostos pagos por cada habitante, é mais vantajosa para a Austrália do que para o Brasil. Então, efetivamente, falta dinheiro no Brasil para o governo fazer o que é necessário para sua população. Porém, isso não desqualifica a diferença de… Read more »

Almeida
Almeida
6 anos atrás

Rafael Oliveira, seus exemplos de famílias brasileira e australiana me soam bem realistas!

Almeida
Almeida
6 anos atrás

E que bom saber que a MB ainda possui comandantes sensatos como o Luiz Monteiro. Comandante, obviamente o senhor sabe mais sobre o assunto em questão do que o ex-fuzileiro naval e atualmente analista de sistemas aqui, então pode me esclarecer alguns pontos. No caso dos exercicios que citou, não seria esta vantagem devida a cobertura AAW da USN ser muito melhor do que a do exercicio onde era a aviacao em terra quem provia a defesa da frota? Digo, quem alem da USN, pode prover aeronaves AWACS, caças de última geração, sistemas Aegis e defesa em camadas completa e… Read more »

mdanton
mdanton
6 anos atrás

OGANZA! Perfeito!
è isso que novo.org.br vai atacar

Oganza
Oganza
6 anos atrás

rafael oliveira, 4 de fevereiro de 2014 at 14:34 é isso mesmo, meu caro, é dêncidade econômica da Austrália que é MUUUUIIIto maior que a nossa, assim como a da Suíça, Suécia, Holanda e todo país sério que existe nesse mundão… rsrsrs Só tem um problema, nosso PIB per capito vai de mau a pior, a população cresceu e a economia não acompanhou, o que era 12.789,00, já já está na casa dos 10,8 mil… A Austrália investe entre 2,2% e 2,4% do PIB ( mas eles tem lastro para isso) e nós esta,os na casa de 1,6% a 1,8%… Read more »

Oganza
Oganza
6 anos atrás

mdanton,

já conseguiram todas as assinaturas necessárias?

Sds.

mdanton
mdanton
6 anos atrás

oGANZA!

+ de 1.000.000 coletadas!

no inicio 20% rejeitadas pela conferencia de assinaturas;

depois do carnaval “marininha silva e sua tal rede” (de pegar trouxas) os fascistas petebas ativaram o aparelhamento das instituições que fizeram nos últimos 20 anos e incrementaram MUITO nestes 11 anos, para boicotar a REDE e atingiu NOVO de tabela…a rejeição passou para 50% e nos coclaves/redutos históricos a rejeição esta em 85%. TÁ TUDO DOMINADO! FALTAM 70.000!!
sÓ PELO FATO DE EXISTIRMOS eles já tremem..

rafael oliveira
rafael oliveira
6 anos atrás

Sim, Oganza, esqueci de colocar que os dados que eu postei são de 2011.

O pior que fica disso tudo é que 1,6% do nosso PIB seria suficiente para comprar e manter muita coisa.

Mas a ineficiência é a regra nesse país.

Oganza
Oganza
6 anos atrás

mdanton,

vlw, venho acompanhando a evolução das coisas desde agosto e queria saber como andava o processo. Fico na torcida, a pluralidade é saudável e muito bem vinda.

Grande abraço.

Oganza
Oganza
6 anos atrás

rafael oliveira você está corretíssimo e na minha humilde opinião, tenho certeza de que a fixação de um teto irrevogável, na casa de 1,5%, em tempos de paz seria perfeitamente plausível, e o que as FFAA precisassem a mais, SE precisassem, elas recorreriam ao GF. Como o nosso atual PIB de 2,2 Tri, 1,5% seriam 33 Bi, nossa é MUUUIIIITA grana, o que falta é GESTÃO DE COMPETÊNCIA, profissional mesmo, é “só” enxugar, varrer a ineficiência para a lata do lixo. Quanto as tais pensões, só terá fim por meio de algum decreto, porque isso já passou de ser um… Read more »

Wagner
Wagner
6 anos atrás

Me pergunto se o pessoal da MB gosta de ler nossos comentarios, principalmente os de vcs aí, muito legais. Será que eles nos mapeiam ?? será que nos usam como pesquisa de opinião ?? Será que nao se deram conta de que quase ninguém apoia a manutenção do Foch em nossa Marinha ??? O que será que eles tem na dizer ?? Ou vão apelar para o dogma ” criticar o NAe São Paulo é ser anti-patriota ” ?? Ah é, não iam brigar com os chineses ??? Cade a ” esquadra de batalha” brasileira que ” libertará a Africa”… Read more »

Almeida
Almeida
6 anos atrás

Rafael Oliveira,

Nossa renda per capita, e “pobreza”, se devem justamente a diferença entre nós e a Austrália: EFICIÊNCIA.

Quantos de nós brasileiros vivem de pensões, cabides de empregos, bolsas auxílio e afins? E quantos produzem algo de valor?

Pois é.

Wagner
Wagner
6 anos atrás

Almeida A Meritocracia e a Eficiência é desconhecida ou combatida pelo brasileiro em geral. Eficiência é um conceito morto. Os funcionarios que sao eficientes são desestimulados pelo proprio sistema ou chefias, isso nos órgãos publicos. Os superiores em geral acreditam que os funcionarios lhes pertencem e devem fazer a vontade deles. Os subordinados em geral odeiam o que fazem. O povo quer que o estado se responsabilize por seus proprios erros. Nosso empresario , ao invés de investir na empresa ou manter o dinheiro ganho com tanto suor na reserva, gasta o primeiro lucro de r$ 50.000,00 em entrada para… Read more »

Wagner
Wagner
6 anos atrás

KKKKK !! Até o próprio Stalin, chegando no Brasil vendo nossa esquerda, diria
” Não não, isso tudo é atrasado demais, vamos ter de melhorar isso, esqueçam essas coisas, não dá certo…”

🙂

rafael oliveira
rafael oliveira
6 anos atrás

Oganza, é bem isso mesmo quanto ao orçamento.

Quanto às pensões, infelizmente, o Colombelli tem razão. Direito adquirido não se tira por decreto (aliás, só se tira por revolução). Se o Presidente baixar um decreto, a Justiça o derruba e a pensão volta a pingar na conta delas.

No fundo, o único jeito, é as “pombinhas” morrerem rsrs.

rafael oliveira
rafael oliveira
6 anos atrás

Wagner,

Tanto no funcionalismo público, quanto na iniciativa privada, o que eu vejo é a pessoa competente sendo pouco incentivada pela chefia, até por medo dessa perder o cargo para o subalterno eficiente.

E os brasieliros, salvo raríssimas exceções, sejam de esquerda ou de direita, querem mesmo é mamar nas tetas do Estado.

juarezmartinez
juarezmartinez
6 anos atrás

Um off topic que tem uma certa nuance com o tópico em discussão:

http://www.infodefensa.com/es/2014/02/08/noticia-segundo-construido-navantia-australia-llega-satisfactoriamente.html

Enquanto isto na Guanabara Bay….sangue, suor, lágrimas, óleo queimado e muita fumaça, sem ar condicionado que é para dar uma toque retrô da II GG.

Grande abraço a todos e bom domingo