Home Ciência e Tecnologia Boa notícia: na planta de testes do sub nuclear (Iperó), turbina bate...

Boa notícia: na planta de testes do sub nuclear (Iperó), turbina bate recorde de velocidade

1158
12

Teste de turbina do submarino nuclear - 1

O Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP) realizou com sucesso, nesta terça-feira (05.05), uma prova com a turbina da propulsão do submarino nuclear Álvaro Alberto, montada na planta de testes, em terra, do grupo propulsor do navio em Iperó (SP) – um dos projetos de maior expressão em termos de desenvolvimento científico da atualidade no hemisfério sul.

A turbina foi acionada durante seis horas e esse funcionamento permitiu que ela alcançasse a sua maior velocidade, até aqui, em rotação experimental: 3.593 RPM.
No esquema simplificado da instalação propulsora, a turbina da propulsão está diretamente ligada ao gerador de propulsão, que alimenta o painel da propulsão.
O teste serviu à segunda aprovação em testes para a graxa MASTERLUB AL-30, fornecida pela Lubrotec Química, de Mauá (SP), que foi submetida, como todo o conjunto do equipamento, a uma temperatura de 260º.

A AL-30 é uma graxa vedante e lubrificante, hidro-repelente, resistente à ação de ácidos e álcalis, utilizável em um espectro de temperaturas entre 40º e 300º. Sua aplicação mais comum é em válvulas plug e sistemas de gás de amônia, como vedante em caixas de redutores. É indicada também para rolamentos e mancais sujeitos à contaminação por água e vapor.

Parabéns à equipe do CTMSP e à Lubrotec!

Teste de turbina do submarino nuclear - 2

Teste de turbina do submarino nuclear - 3

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Oganza
Oganza
5 anos atrás

Uma(s) pergunta(s) se possível, só para poder entender melhor: A turbina, foi acionada por vapor? Qual a origem do vapor e a que pressão? 3.593 RPM. Ok, mas no caso/escala do teste, esse valor representa quantos shp? E uma curiosidade, qual é o requerimento de energia em kW/h para o Alvaro Alberto? Me desculpem, mas essas são informações mínimas para se montar um cenário mínimo e poder realmente dizer se é uma Boa Notícia ou não… …isso se deve pelo fato dessas informações revelarem o quão perto ou longe estamos do Alvaro Alberto. A propósito: Quem manufaturou a turbina em… Read more »

Lyw
Lyw
5 anos atrás

Olá Oganza, como são muitos questionamentos, vou me deter apenas no que sei responder com certeza hehehehehe…

A geração de vapor é essencial na geração de energia nuclear, de forma simples podemos dizer que a reação nuclear gera energia térmica altíssima e constante, utiliza-se então água, do mar mesmo, para absorver esta temperatura, gerar vapor e mover a(s) turbina(s) pela pressão exercida pelo mesmo.

Quanto à valores do nível de pressão, eu estranharia se informações deste tipo fossem abertas ao público neste momento.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
5 anos atrás

Oganza, Posso responder a duas de suas perguntas. Pelo que pude conhecer desta instalação de testes numa visita de cunho acadêmico a ARAMAR feita há alguns anos, a planta utiliza vapor (afinal é esse o seu propósito, testar turbinas e outros equipamentos para propulsão / geração de energia por vapor, e que deverão fazer parte do sistema de propulsão do futuro submarino nuclear). O vapor dessa planta de testes é gerado por caldeira de tipo semelhante às que se usam em usinas de álcool / açúcar (não confundir com os equipamentos relacionados à geração de vapor por reator nuclear, que… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Lyw, muito obrigado pela atenção, mas sei que nessas instalações não tem geração de vapor por meio de reator, por isso quis saber a origem desse vapor e por um simples motivo. – A velocidade de geração, ou seja, o tempo que eu levo para vaporizar Mil metros cúbicos de água por exemplo, e principalmente o tempo que se consegue manter tal geração de vapor são parâmetros importantíssimos para se aferir em que pé estamos hj nesse projeto. Tal planta de testes tem que ser capaz se igualar ou chegar bem próxima da capacidade de vaporização de um reator e… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Nunão, vlw mesmo pela resposta. Não sei seria possível a Trilogia ir mais a fundo como as questões que coloquei. Mas seria bem legal. O que eu sei é que as tecnologias e processos envolvidos são muito complexos, mas seu funcionamento é de conceito incrivelmente simples e de fácil entendimento para a maioria das pessoas, pelo menos para a audiência da Trilogia, que diga-se de passagem é acima da média e vc’s lógico, sabem disso. Afinal de contas, a humanidade só sabe gerar energia, principalmente em grande escala, de uma única forma: por Força Cinética. E não é diferente com… Read more »

mdanton
mdanton
5 anos atrás

Curiosidades! Quem assitiu o último filme da saga Star Trek, pode constatar a semelhança com a casa de força da Enterprise… rsrsrs.

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Não sei até onde de fato a turbina é relevante frente ao reator. Alias, cadê o reator? Sem isso…

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
5 anos atrás

Marcos,

Tanto o reator quanto a turbina são relevantes.

O reator aquece água para gerar grandes quantidades de vapor em alta pressão, tal qual a fornalha de uma caldeira. O vapor gira a turbina, que movimenta um gerador, que gera eletricidade, que alimenta o motor elétrico, que move o submarino.

O reator está em outra área de Aramar. Esta área mostrada nas fotos, onde é testada a turbina, é o LATEP (laboratório de testes de equipamentos de propulsão), na qual o vapor é gerado por uma grande caldeira convencional, instalada do lado de fora.

Marcos
Marcos
5 anos atrás

Nunão, bom dia!
Entendo a relevância de ambos e sem funcionamento completo. A questão é que o reator é infinitamente mais crítico.

aldoghisolfi
aldoghisolfi
5 anos atrás

Boa tarde.

Acho que, dentro do possível, as questões levantadas pelo Oganza deveriam ser respondidas, pois são importantes para todos nós leigos na matéria.

John Paul Jones
John Paul Jones
5 anos atrás

Reator não tem mas tamos bem de graxa !!! ha ha ha

Já temos a Graxa pro PROSUB !!! ha ha ha

trackback
5 anos atrás

[…] […]