Home Noticiário Internacional F-35B é declarado operacional pelo US Marine Corps

F-35B é declarado operacional pelo US Marine Corps

349
13

F-35B 2

O U.S. Marine Corps declarou hoje a initial operational capability – IOC dos seus caças F-35B Lightning II, com um esquadrão de 10 aeronaves prontas para desdobramento global.

O esquadrão Marine Fighter Attack Squadron 121 (VMFA-121), baseado em Yuma, Arizona, é o primeiro esquadrão na história militar a se tornar operacional com uma variante do F-35.

O USMC já qualificou 50 pilotos de F-35B e certificou mais de 500 especialistas em manutenção para apoiar o avião. O F-35 deve substituir o the AV-8B Harrier, o F/A-18 Hornet, e o EA-6B Prowler nos Marines.

Mais detalhes no Defenseforces.com

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Evandro Oliveira
Evandro Oliveira
5 anos atrás

Obrigado por liberarem os comentários pelo facebook. Lindo avião esse F-35

Adam
5 anos atrás

Agora que os Marines vão virar mendigos mesmo. O maior poder do F-35 Duck é drenar dinheiro.

Predator
Predator
5 anos atrás

Em relação aos americanos e suas new tecs…nunca diga nunca.

Renato
Renato
5 anos atrás

Será que um dia ele substituirá também o EA-18G “Growler”?

Ele deve ter bastante espaço interno para acomodar os equipamentos necessários, mas as tradicionais antenas das versões eletrônicas não degradariam suas qualidades “stelth”?

Bosco
Bosco
5 anos atrás

Renato,
Obrigatoriamente os novos pods NGJ terão que ser levados externamente. Não tem jeito!
Em relação a degradarem a furtividade, isso não faz muita diferença pra uma aeronave de ataque eletrônico.
Vale salientar que se os Marines usarem o F-35 como substituto do EA-6B será da versão C.
Hoje, a capacidade de ECM ativo do F-35 se limita à capacidade de ECM do radar AESA na banda X, cobrindo apenas o setor frontal.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
5 anos atrás

Ô Bosco, comenta lá no tópico de sugestões para a MB.

Abraço!

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Rafa, Os comentários lá já estão muito bons e criativos e como eu não sei nada o que esperar acerca do orçamento da MB para os próximos anos é melhor não dar muito pitaco. Mas como sempre sou contra o São Paulo, sou a favor que os A-4 modernizados (??) operem de terra na função antinavio (??) e já mudei de opinião de novo e sou contra também o subnuc. Também acho que o pagamento da reserva não devia constar no orçamento das forças militares e que o corpo de saúde de todas as forças deveria ser reduzido e não… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
5 anos atrás

Bosco,

Eu já tinha uma ideia da sua opinião, à exceção da volta a ser contrário ao submarino nuclear rsrs.

Obrigado!

Abraço!

Dalton
Dalton
5 anos atrás

Renato…

creio que o F-35 irá complementar o EA-18G e não vir a substituí-lo e diferente do Bosco acho que ao menos nos
“Fuzileiros” será o F-35B que irá tomar o lugar do EA-6B
e não o F-35C que está sendo adquirido em quantidade
muito menor e será forçosamente utilizado a bordo dos
NAes da US Navy já que a mesma não tem esquadrões suficientes para popular todas as alas aéreas.

abraços

joseboscojr
joseboscojr
5 anos atrás

Dalton,
Então tá! Se você diz que será o B então é porque será o B.
Eu confesso que citei o C porque sei que os Marines irão operar os dois e não vi lógica em usar uma aeronave STOVL para fazer ataque eletrônico.
Vale salientar que os Marines querem usar também drones para ataque eletrônico.
Um abraço.

Dalton
Dalton
5 anos atrás

Bosco…

apenas 4 esquadrões de 10 F-35Cs serão operados pelos fuzileiros o restante será para treinamento , cobrir eventuais perdas ou para o rodízio de manutenção.

Ainda me pergunto de onde virá o dinheiro e/ ou quais projetos serão prejudicados pelo acréscimo de mais um
NAe e uma ala aérea.

Não que ache que não são necessários e sim porque na
minha ignorância não vejo como sustentar adequadamente.

abraços

Lucio Satiro
Lucio Satiro
5 anos atrás

Caça lindíssimo

esouza
esouza
5 anos atrás

Olhando o vídeo e alguns vídeos de AV8, me pareceu que o F35B consegue decolar com menor velocidade que o AV8. O resto da operação entre os dois parece que foi bem semelhante, exceto pela aproximação do F35B se dar pelo mar, paralelo ao navio, e se movimentar lateralmente para então pousar (será maior confiabilidade neste tipo de manobra que o AV8?). Sobre o pouso dele, me pareceu ser mais firme que o do AV8 (balançou menos lateralmente e quicou menos também), mesmo que o último tivesse 1 trem de pouso a mais e duas exaustões a mais também, acho… Read more »