ocean-52
HMS Ocean operando no Brasil em 2010

LONDRES – A Marinha Real Britânica vai desativar seu único porta-helicópteros de assalto e entregar a tarefa para um dos novos porta-aviões que estão sendo construídos pela BAE Systems.

Os planos para desativação do HMS Ocean em 2018 fazem parte da Revisão Estratégica de Defesa e Segurança (SDSR – Strategic Defense and Security Review) divulgada em 23 de novembro. A decisão de desativar o capitânia da Marinha Real só se tornou conhecida quando foi mencionada brevemente pelo ministro da Defesa Earl Howe na Câmara dos Lordes.

O navio, atualmente o maior da Royal navy, acabou de passar por uma reforma que custou £ 65 milhões (US$ 97,8 milhões) no ano passado.

A Marinha Real negou que o navio de guerra será desativado antes do planejado.

“O HMS Ocean não vai encerrar suas operações mais cedo e vai continuar em serviço como planejado neste Parlamento. Como parte do processo da SDSR, foi tomada a decisão de não prorrogar o seu serviço e encerrar a carreira em 2018, de acordo com o seu tempo de vida de 20 anos “, disse a Marinha em um comunicado.

ocean-63
HMS Ocean operou com os Fuzileiros Navais brasileiros em 2010

A SDSR disse que um dos dois porta-aviões de 65.000 toneladas de classe “Queen Elizabeth” sendo construídos em Rosyth na Escócia será “melhorada” para apoiar operações anfíbias da Marinha Real.

Um porta-voz do Ministério da Defesa disse que HMS Prince of Wales, o segundo dos dois porta-aviões a ser completado, provavelmente será destinado para a adição de novos sistemas para apoiar operações anfíbias.

Os navios de assalto Bulwark ou Albion, ou ainda o HMS Queen Elizabeth, poderiam ajudar a preencher a lacuna até que o HMS Prince of Wales esteja pronto no início da próxima década.

O HMS Queen Elizabeth, primeiro de classe, está programado para ser incorporado em 2017 e iniciar os ensaios de voo de helicóptero no mesmo ano. Ensaios de voo de jatos de combate Lockheed Martin F-35B estão programados para ter início no ano seguinte.

Os planos atuais não prevêem que ambos porta-aviões operem ao mesmo tempo, exceto em caso de emergência.

FONTE: Defensenews.com

NOTA DO PODER NAVAL: em 2010 nós embarcamos no HMS Ocean. Para ler a reportagem, clique aqui.

85
Deixe um comentário

avatar
82 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
39 Comment authors
VaderJosé LuizjuarezmartinezbjjJuarez Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
macedomarcioujo
Visitante

O Ocean cabe na MB, não cabe?

Junior Lopes
Visitante

Marinha Britânica dá baixas em navios com 20 anos de uso,no Brasil os incorporamos e utilizamos 40 anos no Mar,triste realidade,e visões diferentes de prioridades dos governos!

Gerson
Visitante
Gerson

Seria uma boa compra de oportunidade para reforçar nossa MB!

Oganza
Visitante
Member
Oganza

“O Ocean cabe na MB, não cabe?”

Nas atuais CNTPs? Nop!!!

Ps.: Lindo navio… tomara que alguém compre e o livre do scrap.

Grande Abraço.

CVN76
Membro
Noble Member

Ainda está cedo para dizer se cabe ou não….. 1. Não conhecemos o preço do navio 2. Não sabemos como estarão as finanças da MB até lá (duvido que melhorem) 3. Não sabemos se a MB realmente tem interesse nele 4. Não sabemos se os britânicos vão realmente querer vender para o Brasil ou talvêz para um outro candidato Mas como sonhor não paga imposto (ainda) eu creio sim , que seria uma boa compra…..se livra de uma vêz do SP. Também não adianta ter um navio desses e depois não ter dinheiro para as suas escoltas e agrupamento aéreo…..… Read more »

Iväny Junior
Visitante
Active Member

O Ilustrious e o “Might O”, que belos navios desativados.

Marcelo Bardo
Visitante
Marcelo Bardo

Aqui ele seria apenas mais um grande alvo, nada mais.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Após a compra do francês Siroco (NDM Bahia), e pensando nessa hipótese aventada pelos colegas de uma compra do Ocean britânico, o resultado a meu ver seria um tanto bizarro, quando se leva em conta que os planos de uma década atrás visavam atender a mais de uma demanda (de navios-aeródromo e meios anfíbios) com navios-aeródromo multipropósito, dotados de convés corrido (ou seja, sem obstruções de proa a popa, com ilha a boreste) e também de doca (e que depois passaram para uma prioridade mais baixa, atrás do convencional PRONAE), como são exemplos as classes Mistral e Juan Carlos I.… Read more »

Doug Rodrigues
Visitante
Doug Rodrigues

CVN76,
PT ficar no poder depois das eleições de 2018 eu gostaria que fosse algo completamente fora de possibilidade, mas em se falando em Brasil, tudo é possível né?
Junior Lopes,
Esses são a nossa política e nossos políticos, quando vão comprar algo, sempre vem o interesse no bolso antes (tem como faturar uma propininha aqui?) aí sim se dá a compra de algo…

Marcos
Visitante
Marcos

Como sonhar não é proibido, ao invés desse aí, por que não construir um Nae em estaleiro nacional? Gerar empregos (indústria siderúrgica, de máquinas e motores, estaleiro, etc…).

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Marcos,

De fato, sonhar não é proibido, mas como hoje há estaleiro nacional penando até para construir cinco navios-patrulha de 500 toneladas para a MB, e com a experiência real de construção no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro hoje praticamente reduzida a pequenas embarcações de desembarque, o triste mesmo é acordar do sonho.

Aproveitando: para quem quiser saber mais detalhes do HMS Ocean, matéria exclusiva de 2010 do Poder Naval com embarque no navio, repleta de informações e fotos:

http://www.naval.com.br/blog/2010/09/20/passex-ocean-2010/

CVN76
Membro
Noble Member

Nunão

Você tem razão…..mas ainda tem aquele detalhe muito importante:

E a grana?? Eu também sonho ( a mais de 35 anos) com uma MB equipada com navios anfíbios, várias escoltas, navios de apoio logístico e etc…

Mas nem isso temos…antes de pensarmos no Ocean, temos outras prioridades mais importantes (nada contra o navio em sí).

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Por este navio eu sempre tive uma certa simpatia, com propulsão diesel full, tripulação baixo(Aprox. 300 trips.), hangar espaçoso, o único se, é que não possui doca, mas faria muito mais sentido, tendo inclusive muito mais utilidade que o nefasto PA de cabotagem .

G abraço

ME 109
Visitante
ME 109

seria uma aquisição boa para o brasil

marujo
Visitante
marujo

No momento, acho mais oportuno para a MB um navio tipo Rotterdan (que a última Forças de Defesa informou que estava à venda), que o Ocean, por ser mais barato de manter e pelas outras prioridades de equipamentos que a MB tem. Quanto a compras de oportunidade, acredito que veremos outras além do Bahia nos próximos anos. Longe do ideal, mas melhor do que nada.

Vinicius
Visitante
Vinicius

Boa noite, Com a entrada em serviço do F-35b e dos 2 porta aviões, e a frota que eles estão planejando entre subs e navios de superfície, somados aos navios da royal fleet auxiliary, o Reino Unido se tornaria a marinha mais capacitada da Europa e conseguiria se manter com uma das melhores marinhas do mundo? Ainda que não sendo nem sombra do que já foi? Outra dúvida, o F35B, será capaz de proteger os porta aviões britânicos? Desculpem as perguntas pessoal, sempre leio o blog e vão aparecendo curiosidades, como sei que aqui tem uma galera que entende do… Read more »

Vinicius
Visitante
Vinicius

Correção: “o Reino Unido se tornaria” leia-se o “Reino Unido teria”

john Paul jones
Visitante
john Paul jones

Deixo minha sugestão:

Devolve o Bahia (Siroccoco) e compra o Ocean no escuro !!!, entrei neste navio a alguns anos no Rio de Janeiro e estava full operativo regressando do Indico/Pacifico (apoio ao tsunami), há dois anos o vi no cais em Devonport fazendo um refit geral, para falar a verdade duvido que a UK Navy o venda.

Glaxs7
Visitante

Dois destinos possíveis, Austrália ou Chile. Me inclino pelo segundo já que o Chile clamava pela compra do Siroco e sem mais nem menos desistiu da compra. Vai ver que eles já tinham alguma informação a respeito. É sabido que eles esperam por um Navio Porta Helos há algum tempo.

claudio quadros
Visitante
claudio quadros

Vamos compra aloga pista criar super tucano naval teremos porta avioes verdade

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

No mundo maravilha encantado, eu compraria o holandês que está para ser descomissionado, o Ocean e um Roll on Roll off e dava baixa no Ceará, no SP, no M Maia e nos dos cavaleiros da Távola Redonda, ficaríamos com uma divisão anfíbia de patrão.
Antes que o Admiral Dalton me mande para o Gulag, a substituição do SP pelo Oceano seria uma mudança de doutrina e não uma troca de um PA por um LPH.

G abraço

Mauricio Veiga
Visitante

Poderíamos comprá-lo e equipá-lo com jatos Harrier, seria uma combinação interessante para a MB, principalmente pelo fato de que não teremos mais verbas para os NAes que pretendíamos adiquirir e seria uma combinação melhor do que o São Paulo e os A4.

Abraço.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Este sim é um navio que seria uma aquisição de oportunidade. O Siroco………….. desnecessário.

Com o Ocean e com a encomenda de uns dois Makassar classes (com outras duas opções de compra), estaríamos visualizando um horizonte melhor. É o que penso.

Até mais!!! 😉

José Luiz
Visitante
José Luiz

Não e o momento oportumo aquisição do Navio,pela crise politica e economica do Brasil – o Navio HMS OCEAN já esteve aqui no Brasil operou com os fuzileiros Navais brasileiros em 2010.Blz!!!,

Alexandre Samir Maziz
Visitante

Seria uma boa compra , mas a acho que marinha deve dar prioridade a compra de novas fragatas pois as nossas já esta na “lona”, não concordam?

Dalton
Visitante

Vinicius… tentando responder sua pergunta o que penso é o seguinte: A Royal Navy continuará sendo eficiente, mas, mais por demérito de outras marinhas do que mérito próprio, pois, continuarão tendo missões demais e navios de menos pois a obrigatoriedade de substituir seus 4 grandes submarinos da classe Vanguard roubará recursos preciosos que poderiam ser melhor empregados em outras áreas além de outros cortes já efetuados. É possível que um dos dois NAes permanecerá “inativo” como já ocorre hoje com um dos dois LPDs classe Albion que se revezam depois de alguns poucos anos de serviço e tirar da” hibernação… Read more »

Dalton
Visitante

Mauricio Veiga…

não há “harriers” disponíveis para serem comprados e o HMS Ocean não é adequado para operar com eles de qualquer forma.

abs

Mauricio R.
Visitante

Limonada se faz, desde que se tenham limões.
Nossos “Guerreiros” e as tranqueiras francesas lançadoras de mísseis anti navio teriam um navio e tanto de onde operar.
O convoo corrido e o baita hangar compensariam a falta da doca.
Bem melhor do que se espremer em hangar e convoo apertados de NDD.
Como diria o maçarico de corte oxí-acetileno salivando c/ a possibilidade:

-Opalão carro de fuga, me aguarde!!!

Bardini
Visitante

Ocean na MB? Nem o pessoal da MB deve querer… E com a situação das escoltas e NAe SP, menos ainda. – Um ponto interessante, para MB na minha opinião, já que pretende-se operar NAe (sabe-se lá quando) e nem Asa rotativa de ataque de respeito tem-se, deveria ser focar-se em LPD´s, como a classe Karel Doorman dos Holandeses, que poderia quebrar, e bem o galho em varias funções aqui. Com um bilhãozinho, teriam-se Dois LPD´s de gente grande, com ~28000 tons e até 2050 (ou só em 2050 rsrs). E depois, quando houver dinheiro e boa vontade de sobra… Read more »

marcos morais
Visitante
marcos morais

Realmente seria um bom motivo para retirar o NAe SP de ação.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

O Ocean não concorre (ou concorreria) em missão e em recursos com o NAeSP, muito pelo contrário. O problema, mais uma vez, é definição de prioridade, além de uma boa análise das oportunidades que batem a porta. É o caso do Siroco, onde gastamos mais do que o necessário, por um tipo de navio o qual existem várias oportunidades (novos e usados) mundo afora, com uma relação custo-benefício melhor, como é o caso da classe Makassar. O Ocean, assim como foi com o Foch, é a típica combinação de oportunidade que não se pode perder, no nosso caso, é claro.… Read more »

Dalton
Visitante

O HMS Ocean só será descomissionado em 2018 !! Provavelmente necessitará de um “refit” antes de ser posto à venda, se de fato for, posto à
venda, o que poderá significar 2019! Então não serve para à marinha brasileira que necessita de um navio para hoje e não para 2019 !

sandrovcarvalho
Visitante

Não sou favoravel a uma hipotetica aquisição dele.

É um ótimo navio, mas como toda doutrina Norte americana e europeia um especialista, mesmo sendo um anfibio.

Para quem não tem grana, deveria ser mais versatil ainda. Uma doca, skijump, espelhos e cabos de parada….este tipo de planta não existe ainda, mas é o que precisamos.

Três plantas destas que substituam de uma vez só cinco navios diferentes.

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares

Saída >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> Exit ….

Carlos Crispim
Visitante
Carlos Crispim

Minha opinião sempre foi contra o NAe SP de cabotagem, é mudança de doutrina? SIM. PA são para países que querem mostrar poderio bélico e se meter em conflitos exteriores, não precisamos disso, aqui deveríamos ter uma marinha focada na defesa e escolta, ninguém atacará o Brasil por mar, se sofrêssemos um ataque seria do continente, a MB deveria ficar com o Siroco e o Ocean e entregar o NAe SP para o ferro velho.

Plinio Jr
Visitante
Plinio Jr

Belo navio, e de grande utilidade também….creio que dificilmente a RN venda, mas se isto ocorrer, é uma possibilidade a ser pensada pela MB…

erichwolff
Visitante
erichwolff

Muitos comentários, uns a favor de aquisição (super hipotético isso!), outros contra, una sensatos, outros q nem merecem ser lidos… mas vamos em frente:
Li um artigo na RMB (Revista Marítima Brasileira), do professor Ítalo Pesce, que é do CEPE (Centro de Estudos de Política e Estratégia) da EGN, que é de 2007, em que ele relata a necessidade de um Navio desses para a MB, e da todos os motivos e dados de sua argumentação, em fim, só não diz o nome “Ocean”, isso em 2007! Mas passo a bola para os especialistas….Comandante LM, nos socorra!!! abçs… do lobo!

Mauricio Veiga
Visitante

Dalton, com a entrada em operação do F35, os Harriers estarão disponíveis, o Ocean poderia ser facilmente adaptado para operá-los, vale lembrar que os harriers foram oferecidos a MB para operarem apartir do Minas Gerais …

Abraço.

americomatheus
Visitante

As vezes temos que dizer algumas verdades para as pessoas fincarem os pés no chão, o Brasil não tem um espirito de guerra, ofensivo, beligerante e intervencionista. Sempre na história procuramos dialogar com os nossos desafetos ao invés de peitá los, vejam o comentário certeiro do porta voz de Israel, somos um mero anão diplomático. Vamos nos ater as nossas vidas e nossas necessidades pois o resto já está feito. Estudar, trabalhar, votar com consciência, cuidar de nossas vidas e da nossa família.

americomatheus
Visitante

O Brasil tem que se espelhar nas forças armadas do Japão, Alemanha e Itália. Forças de defesa, profissionais, modernas e sem pretensões ou megalomanias terceiro mundistas. E ponham de vez nas suas cabeças, nunca seremos os EUA pois ao invés do Mayflower recebemos as 13 caravelas de Cabral.

marcos morais
Visitante
marcos morais

Concordo com o Welligton Góes sobre a aquisição do Siroco: Também com o Mauricio Veiga sobre os Harries. Quando estava ainda no Minas Gerais foram realizadas demonstrações com os mesmos.

Dalton
Visitante

Mauricio Veiga… os “Harriers”, ou melhor os AV-8Bs dos fuzileiros navais dos EUA estão no fim de suas vidas úteis e justamente pelo atraso da entrada em serviço do F-35B que ocorrerá de modo gradual e lentamente até 2025 os EUA compraram os “harriers” britânicos remanescentes que apesar de não serem iguais possuem muitas peças em comum para serem canibalizados. Converter o HMS Ocean em um porta-harriers exigiria não apenas incorporar uma rampa que provavelmente exigiria outras compensações pelo peso acrescentado, mas também reforço no convoo nos locais de pouso, instalações próprias no hangar, novos radares e no fim se… Read more »

Dalton
Visitante

marcosmorais…

se vc testemunhou as “demonstrações” então deve ter sido no fim dos anos 70 quando o “Harrier” e suas variantes eram aeronaves novas e estavam ainda em produção. A situação hoje é completamente diferente e os AV-8Bs existentes não apenas dos fuzileiros navais dos EUA, mas também da
Itália estão no fim de suas vidas úteis.

abs

Bardini
Visitante

Os espanhóis logo logo também retiram os seus Harriers de serviço…

Dalton
Visitante

Bardini…

o que foi anunciado é que os espanhóis irão prolongar a vida dos seus AV-8Bs para além de 2025 ! Ao contrário da Itália que já encomendou 15 F-35Bs para a marinha e estuda a possibilidade de trocar 15 dos F-35As pelo modelo “B” para a Força Aérea os espanhóis ainda não decidiram pela compra do F-35B.

abs

carlosegoes
Visitante

Sinto falta do tempo em que eu via os comentários e a grande maioria era unânime dizendo que a marinha era a força mais sensata e mais bem equipada das três FFAA. Tempos que ficaram bem para trás, graças a megalomania não do governo, mas sim de seus almirantes.

– AmericoMatheus, concordo plenamente com suas palavras.

Dalton
Visitante

Carlos… e porque vc acha que a FAB cuja espinha dorsal compreende 56 F-5Ms dos quais pelo menos 20% estão sempre indisponíveis está em melhor situação que a marinha ? A marinha respondeu um “questionário” do governo sobre o que ela pensava que deveria ser e ter, aliás, desde que me entendo por gente lia sobre os “almirantes” reclamando da falta de recursos. A “megalomania” é do governo que prometeu e não cumpriu e ainda por cima virou o país de cabeça para baixo afetando a todos inclusive as forças armadas que estão em “compasso de espera” e já admitindo… Read more »

Vader
Membro
Member

Caro Dalton, a FAB tem centenas de aeronaves voando e sua tão criticada “espinha dorsal” de F-5EMs está cumprindo seu cronograma de manutenções regularmente. Participaram de exercício ainda outro dia com os Super Hornet da US Navy. Embora sejam aeronaves limitadas, se entrássemos em combate com qualquer de nossos vizinhos hoje elas dariam conta de tentar nos proteger. Com armas atuais (Derby, Python) dariam um trabalhão danado para qualquer invasor. Qual é a espinha dorsal da Marinha? O A-12 e seus A-4? Os Tupi? As Niterói? As Greenhalg? As Inhaúma? Pra mim ter um Porta Aviões que não deixa o… Read more »

gengisduEduardo Pereira
Visitante

Tenho que concordar com o Vader e ainda acrescento que a Fab ao menos<correndo tudo bem, já tem eleito seu futuro vetor e já com estimativa do inicio de suas entregas e a MB nem começou a construir sequer as futuras CV Barroso e nem falo de ProSuper(independente de questões orçamentárias que tbm afetam as outras forças).

Dalton
Visitante

Vader… a marinha tem cumprido sua missão no Líbano para a qual foram disponibilizadas 3 fragatas e agora a corveta Barroso, o que é normal, pois para esse tipo de missão são necessários 4 navios e a marinha tentou fazer o rodízio com apenas 3 que à longo prazo exigiram um quarto. Também desde 2004 a marinha tem cumprido sua missão no Líbano. Mesmo o velho NDD Ceará apresentando problemas técnicos a caminho do Haiti não interrompeu a missão já que foi substituído pelo NDCC Sabóia. Quanto ao fato dos 17 F-5Ms disponibilizados para a UNITAS o que representa cerca… Read more »

Dalton
Visitante

Onde escrevi no segundo parágrafo “missão no Líbano” estava referindo-me à missão no Haiti, claro…

Antunes
Visitante
Antunes

Acho que a marinha tem que focar nas “macaés” e mais algumas “Amazonas”. Mantendo recursos, se possível, para os sub convencionais e as barrosos dá pra pensar em renascimento. O Siroco como um navio “multipropósito” já ajuda os demais navios de transporte, ajuda humanitária, desembarque etc. Sobre o A-12 e o apontamento de NAe de cabotagem, eu enxergo duas linhas políticas FUTURAS para marinha, no que tange a presença de um NAe, ambas desmantelando ele o mais rápido possível. 1. Assume de vez que quer ter NAe e produzi-lo aqui num futuro. Isso implica em projetar e construir. Isso implica… Read more »