O exercício Black Carillon 2015 de salvamento e escape submarino foi realizado recentemente pela empresa James Fisher Defense (JFD) e pela Royal Australian Navy. O Black Carillon 2015 incluiu atividades de resgate com o veículo de resgate submarino LR5, um exercício de escape em massa com o pessoal da JFD e evacuação aeromédica com helicóptero.

VÍDEO: Richard Varcoe

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
john Paul jones
john Paul jones
4 anos atrás

Muito bom o Galante colocar este tema aqui no site, porque a MB tá muito longe desta condição operacional e para quem vai em teoria operar 09 submarinos, dos quais 04 Oceanicos, nos próximos anos nós deveriamos ter recursos semelhantes com grande mobilidade e raio de ação.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
4 anos atrás

Sempre comentei isso aqui e em outros fóruns, para se ter um subnuc tem que necessariamente estar apto para salvamento em grandes profundidades e, sobretudo, na dificuldade extra de o mar estar contaminado com radioatividade, não é brincadeira, até a Rússia quando o Kursk afundou não conseguiu e a marinha do EUA teve que oferecer ajuda (recusada), resultado todos os tripulantes morreram, não é aventura de crianças, o Brasil não está preparado, nem para ter bomba atômica nem para subnuc, isso é para países sérios com governos sérios, é preciso ter um povo minimamente culto, uma educação de primeira, e… Read more »

john Paul jones
john Paul jones
4 anos atrás

Não precisamos chegar a tanto rs ….

Para a MB alcançar esta capacidade é preciso um investimento muito pequeno em relação ao gasto no PROSUB.

thaunobr
4 anos atrás

O Felinto perry ao pesar dos anos esta ativo e atende ao que realmente a MB precisa hoje, pois NÃO TEMOS PATRULAS de subs, eles ficam todos dentro de uma baía, então não temos com nos preocupar segundo nosso governo e os almirantes da vida vida que só Cag.m pra cima.

thaunobr
4 anos atrás

Pergunto diretamente aos entendidos qual foi a ultima patrulha oceânica feita por nossos subs. E qual são as esqualas de patrulhas de nossos subs. Respondam por favor?

thaunobr
4 anos atrás

Pelo que sei e aprendi desde do colégio naval, é que se tem uma frota de subs eles devem fazer patrulhas tanto para adestramento do recs como para manter sua área de patrulha segura. NÃo ADIANTA TER SE NÃO TIVER FORMAS DE OPERAR. E aos editores peço desculpas pelos os caps locks. É que já estou de cheio de promessas e ver minha amada antiga ao qual srvo ser quase extinguida.

thaunobr
4 anos atrás

*escalas de patrulhas desculpe escrevi do celular

Luciano
Luciano
4 anos atrás

Os trajes utilizados no “escape exercise” permitem evadir-se da embarcação em até qual profundidade? Pareceu-me que eles tem algum tipo de pressurização ou me enganei?

john Paul jones
john Paul jones
4 anos atrás

Prezado Luciano, existem dois fabricantes de trajes para escape: o MK 11 da Survitech e o Armadillo da Texcon, ambos podem operar até a maxima profundidade do submarino, no entanto o que limita não é o traje mas duas coisas: o organismo humano e o sistema de enchimento da vestimenta na guarita. Atualmente temos dois sistemas em operação no mundo: o Hale Hamilton que permite o escape até cerca de 150 m de profundidade (instalado nos nossos submarinos e na maioria das marinhas) e o novissimo HABETAS alemão projeto da Thyssen, atualmente instalado nos submarinos alemães e holandeses. Este sistema… Read more »

john Paul jones
john Paul jones
4 anos atrás

Quanto a pressurização vc está correto, durante o alagamento da camara de escape ou guarita o traje é pressurizado a 0,5 pol acima da pressão do mar ou alagamento, ou seja, é aí que a jurupaca pia pro tripulante que tem de ser treinado para isto ….

Luciano
Luciano
4 anos atrás

Muito obrigado John Paul Jones. Agora, quando esses homens são recolhidos, eles tem que ir para câmaras de descompressão não é? Mas o que acontece se eles estiverem no meio do mar, sem equipe de resgate próxima? Os trajes podem reverter o processo gradualmente?

Oganza
Oganza
4 anos atrás

Luciano,

pegando a informação do JPJ, se os trajes estiverem a 0,5 pol acima da pressão externa, ele não precisará da câmara de descompressão não. A pressão do traje é de dentro para fora, inflando o traje.
–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
JPJ,

Minha curiosidade é quanto tempo leva para o escapista chegar a superfície a 150m por exemplo? Ele tem que segurar o fôlego lá dentro?

Ps.: ÉGUA do vídeo/registro bem feito… 🙂

Grande Abraço.

Luciano
Luciano
4 anos atrás

Ah, agora entendi..a pressão do traje compensa a externa….mas ai a medida q ele sobe essa pressao nao ficará descompensada? de dentro pra fora n será maior e tb grande sobre o corpo do marinheiro?

john Paul jones
john Paul jones
4 anos atrás

Em teoria a medida que o escapista vai subindo e a pressão do mar diminuindo a pressão da vestimenta vai diminuindo também através de uma valvula de alivio no capuz que libera o excesso do ar (0,5 pol de pressão diferencial), assim em teoria o escapista chega sem necessitar de descompressão na superficie, pois ele veio respirando e descomprimindo na subida. A velocidade de subida é alta para que não necessite de descompressão. A descompressão somente é necessária se o escapista exceder o tempo de fundo no processo, que depende: 1) da profundidade do submarino, quanto maior a profundidade menor… Read more »

Joker
Joker
4 anos atrás

Um medico que entendia dos paranaue, que ja se foi, me disse que descompressao em sarsub é caixao e vela.

john Paul jones
john Paul jones
4 anos atrás

ha ha ha ha ha ha