Simbad-RC

A MBDA concluiu com êxito dois disparos seguidos de Mistral usando um posto de tiro SIMBAD-RC. Estes testes representam a última etapa técnica antes da entrega ao seu primeiro cliente. Eles serviram para validar a interface entre o míssil e o novo lançador bi munição, confirmando a saída correta do míssil a partir do posto de tiro, bem como a capacidade do sistema para realizar 2 disparos sucessivos.

Os dois disparos foram realizados utilizando duas trajetórias de lançamento diferentes. Testes em diferentes variáveis, como mecânicas e climáticas, irão completar a qualificação do sistema.

MBDA_Mistral-2

O SIMBAD-RC é um sistema naval de defesa antiaérea de curto alcance controlado à distância, que fornece capacidade altamente eficaz contra uma ampla gama de ameaças, desde aeronaves de combate ou ameaças de pequeno porte, tais como veículos aéreos não tripulados ou misseis antinavio. O SIMBAD-RC é facilmente configurável, capaz de prover autodefesa para navios de patrulha e embarcações de apoio, ou ainda, complementa as capacidades de defesa aérea de outros tipos de navios. Cada torre suporta dois mísseis prontos para disparar. As torres são operadas remotamente e assim permitem que o operador permaneça protegido, garantindo assim maior disponibilidade operacional em caso de alerta de combate.

Antoine Bouvier, CEO da MBDA, afirma que “o programa SIMBAD-RC ilustra como a MBDA ajuda os clientes a alavancar suas aquisições anteriores. A partir de um míssil padrão no mercado, como o míssil Mistral, dos quais mais de 17.000 foram produzidos e estão em serviço em quase 30 países em todo o mundo, nós construímos um sistema simples de operar e altamente automatizado, que melhora muito a utilização operacional dos mísseis já em serviço”, finalizou.

Sobre a MBDA

Com uma presença significativa em cinco países europeus e nos EUA, a MBDA alcançou, em 2015, vendas de 5,2 bilhões de euros, com uma carteira de encomendas de 15,1 bilhões de euros. Com mais de 90 clientes das forças armadas de todo o mundo, a MBDA é líder mundial em mísseis e sistemas de mísseis.
A MBDA é o único grupo capaz de projetar e produzir mísseis e sistemas de mísseis que correspondem a toda a gama de necessidades operacionais atuais e futuras das três forças armadas (terra, mar e ar). No total, o grupo oferece uma gama de 45 sistemas de mísseis contramedidas já em serviço operacional e mais de 15 outros atualmente em desenvolvimento. A MBDA é composta pelo consórcio pelos grupos AIRBUS (37,5%), BAE SYSTEMS (37,5%), e FINMECCANICA (25%).

DIVULGAÇÃO: Imagem Corporativa/MBDA

22
Deixe um comentário

avatar
20 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
10 Comment authors
ronaldo de souza gonçalvesSoldatAiracobraMario HerediaMO Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
glaxs7
Visitante

Off!!!

Sea Ceptor scores new success, gets set for Chile showdown

http://www.janes.com/article/58911/sea-ceptor-scores-new-success-gets-set-for-chile-showdown

Bosco
Visitante

Mísseis IR operando no modo LOBL (trancamento antes do lançamento) têm o inconveniente de não poderem operar em todas as condições climáticas. Esse é o caso do Mistral. Não que isso seja um problema grave, mesmo porque é melhor ter um míssil capaz de prover a defesa durante 98 % do tempo do que não ter nada, mas está longe de ser o ideal. Outros mísseis IR navais operam no molo LOAL (trancamento depois do lançamento), tais como o Umkhonto, o RAM, MICA-IR, etc. A operação no molo LOAL amplia de modo significativo a capacidade de atuação nas condições meteorológicas… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Aposto uma caixa de um bom vinho Chileno que vai dar Israel,
basta sair da torcida e ir para realidade.
JJJ (rsrsrsrs).

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Bardini
Visitante

Por mim, os Chilenos vão de Artisan 3D e Sea Ceptor 🙂

wwolf22
Visitante
wwolf22

outro dia li a respeito da marinha russa treinar golfinhos….
os bichanos podem ser treinados para colocar uma mina/bomba no casco do navio/sub…
ha alguma arma contra os golfinhos ??? pois no radar eles devem aparecer com peixes, e na verdade estão “armados”…
delirio meu ?!?!

MO
Membro

Wolf, me permite seu questionamento sobre delirio …

Coisas abaixo d’agua aparecem em radar ? rssssss

Bosco
Visitante

Wolf,
Russo é bicho esquisito. Os americanos utilizam os golfinhos para neutralizar minas.

Mario Heredia
Visitante
Mario Heredia

Contra golfinhos armados a embarcação deve disparar rajadas de sardinhas, os golfinhos vão se preocupar em apanhar os peixinhos e vão esquecer o navio alvo. rsrsrsrs

Bosco
Visitante

Sobre os israelenses é interessante que eles estão com uma completa linha de mísseis sup-ar e antibalístico.
Spyder (Python V e Derby), Spyder MR (Python V e Derby com booster), Barak 8, Barak 8 ER, David’s Sling (Stunner), Iron Dome (Tamir), Barak.

Bosco
Visitante

E ainda tem o Arrow 2 e 3.

wwolf22
Visitante
wwolf22

MO,

quis dizer sonar…

MO
Membro

Eu sei Wolf, era aproveitando para brincar

Airacobra
Visitante
Airacobra

Depois desse papo entre o Wwolf22 e o MO me veio à memória um causo que rondava na esquadra, que pra mim se enquadrava mais na área de chute naval, que quando por motivo de mar grosso e/ou alta velocidade o domo do sonar dos classe Pará (Garcia) ao sair da água emitindo cegava os radares dos navios próximos, pode isso arnaldo? Que os sonares dos Pará eram potentes isso todos sabem, mas daí a cegar os demais navios proximos chega a ser meio curioso, pra não dizer falacioso, com a palavra as sapiencias navais:

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Bardini 23 de março de 2016 at 1:52
Quer apostar ?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Bosco 23 de março de 2016 at 10:16
++++++++++++++
Sim, não demora muito o “tomahawk missile israeli”,
Popeye cruise missile ?
Delilah missile cruise missile ?
Testes em andamento.

Soldat
Visitante

Pois é tenho que concorda só esqueceram dos misseis intercontinentais que Israel tem que é o famoso Jerico 3 de mais de 12.000km.

Pergunta se os Inimigos de Israel estão em suas fronteiras porque ter misseis intercontinentais com ogivas atômicas que chegam a mais de 10.000km????????

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jericho_(m%C3%ADssil)

Bosco
Visitante

Nenhum país dotado de armas nucleares abre mão de ter capacidade de entrega global. Sendo um armamento de intimidação e que em tese não é pra ser utilizado, as armas atômicas devem ter capacidade de dissuasão a nível global sob pena de não servir ao seu propósito.

wwolf22
Visitante
wwolf22

pessoal, olha so os russos utilizando os golfinhos para fins militares como eu havia dito…

http://edition.cnn.com/2016/03/10/europe/russia-military-dolphins/index.html

glaxs7
Visitante

wwolf22,
Isso é história antiga, na Segunda Guerra Mundial os russos usavam cães como arma anti tanque.

ronaldo de souza gonçalves
Visitante
ronaldo de souza gonçalves

Marinhas de hoje tem que ter muita defesa antiaerea, e só ver a tecnologia dos misseis antinavios,bombas guiadas de centenas de km de alcance,caças navais especializados,penso que as marinhas com menos recursos como a nossa tem que planejar adquirir os melhores misseis,mesmo que não tenham grandes estoques pois em pouco tempo está obsoleto