Esquadra

Restrições orçamentárias afetam projetos das Forças Armadas; Jungmann afirma que custeio consome quase totalidade dos recursos

ClippingNEWS-PAO presidente em exercício Michel terá de lidar com o descontentamento nas Forças Armadas com as graves restrições orçamentárias que vêm enfrentando nos últimos anos. A Marinha está com 46% da frota parada e sem navios de escolta suficientes para dar proteção às plataformas do pré-sal. A previsão é que o projeto de construção do submarino com propulsão nuclear atrase mais quatro anos, sendo concluído após 2025 – última projeção feita.

No Exército, a situação também é considerada complicada e houve necessidade de se fazer um redesenho do portfólio estratégico da Força. Os frequentes contingenciamentos exigiram redução drástica na linha de produção do blindado Guarani, que poderá levar a Iveco, fabricante do equipamento, a suspender a produção por falta de pagamento. Segundo informações, o Exército não terá recursos para pagar a empresa daqui a três meses.

Na Aeronáutica, não é diferente. Quase metade da frota está parada. A construção do avião cargueiro KC 390 só está em prosseguimento porque a Embraer, mesmo sem receber o R$ 1,4 bilhão devido pelo governo federal, está bancando o projeto sozinha, que já sofre atraso de dois anos na sua certificação.

“Quase a totalidade do orçamento (da pasta) hoje é consumido com custeio de pessoal, deixando em segundo plano projetos que são fundamentais para a garantia da soberania do País e para o avanço tecnológico que, apesar de serem germinados na Defesa, transbordam a Defesa e trazem benefício para todo o desenvolvimento do País”, disse ao Estado o novo ministro da Defesa, Raul Jungmann. “Precisamos criar base para ter uma previsibilidade para garantir desembolso de recursos que deem continuidade, em um ritmo adequado, dos projetos estratégicos evitando que projetos que deveriam durar cinco, seis anos, não durem 20 ou 30 anos, como estamos vendo hoje.”

foto_raul_inter
O novo ministro da Defesa, Raul Jungmann

Fronteiras. Jungmann fez referência, por exemplo, ao projeto do Sistema Integrado de Monitoramento das fronteiras (Sisfron). “Ele é de importância vital para o País”, afirmou , para quem o Brasil tem de ter “um cuidado especial com suas fronteiras, especificamente com a Venezuela que hoje vive em uma instabilidade grande e que muitas vezes provoca uma migração para cá”.

O Sisfron começou a ser implantado em 2013, com prazo de conclusão de 10 anos. Só que, se for mantido o cronograma atual de repasses, ele só será finalizado em 2040, já com equipamentos obsoletos. O atraso impacta 22 empresas nacionais de alta tecnologia envolvidas no processo, com demissão de pessoal qualificado e eliminação da capacidade produtiva.

Dos R$ 185 milhões que o Exército precisava, no mínimo, este ano, para dar prosseguimento ao projeto em 2016, a previsão – ainda sujeita a cortes – não chega a R$ 140 milhões. Os chamados restos a pagar do ano passado que já deveriam ter sido repassados às empresas que estão trabalhando no projeto somam R$ 236 milhões.

SisGAAZ - 2

A Marinha – cujos navios que estão operando tem idade média de 33,3 anos – também sofreu um forte baque no final de 2015, quando teve de suspender, devido a restrições orçamentárias, o projeto para controlar e vigiar a zona econômica exclusiva brasileira do Oceano Atlântico, chamado de Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (Sisgaaz). O projeto, semelhante ao Sisfron das fronteiras, iria proteger uma área de 4,5 milhões de quilômetros quadrados do Atlântico, onde o Brasil tem imensas plataformas petrolíferas.

No caso da Aeronáutica, a demora do governo em concluir a compra de 36 aviões de caça para atualizar a frota da Força Aérea Brasileira deixou ameaçada a capacidade do País de proteção do espaço aéreo nacional. O projeto só foi assinado em agosto passado, após se arrastar por mais de 12 anos. Outro projeto que sofre restrição orçamentária é o programa de dados, que permite o uso de comunicação por data link entre controladores de tráfego aéreo e pilotos.

PASTA TEVE TRÊS ‘COTADOS’ ANTES DE DEFINIÇÃO

Newton Cardoso Júnior
Segundo interlocutores de Temer, “houve algum mal entendido” com o nome do deputado do PMDB-MG, que não foi cogitado para a pasta, como foi divulgado.

Antônio Claudio Mariz de Oliveira
O criminalista recusou convite de Temer para a Defesa. Ele preferia a Justiça, mas foi preterido por ter criticado a Lava Jato.

Nelson Jobim
Preferido de Temer, o ex-ministro quis ficar fora do novo governo, alegando ter atuado como advogado-consultor de empreiteiras envolvidas na Lava Jato.

FONTE: Estadão

Subscribe
Notify of
guest
174 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Juarez
Juarez
4 anos atrás

Quem bom que este número fosse verdadeiro, seria “normal”, mas na verdade o número correto é algo próximo de 70%.

G abraço

ronaldo de souza gonçalves
ronaldo de souza gonçalves
4 anos atrás

O Brasil e o pais sul americano que mais gasta com defesa entrou em todos os exercicios conjuntos tem que fazer auditoria interna para racionalizar os recursos ,pois tudo anda meu parado com a situação politica do pais.não vamos achar culpados agoranem a que saiu e nem quem entrou

Dalton
4 anos atrás

Não há o que contestar…os números a idade e a prontidão dos meios falam por si, então a história de que as forças armadas foram privilegiadas a partir de 2003 não encontra eco, nem estou dizendo que deveriam ter sido privilegiadas afinal havia e há muita coisa a ser feita e não havendo uma ameaça real é natural que outras coisas devam ou devessem ter tido prioridade. Quanto a quem está assumindo o governo não esqueçamos que não fosse por ele, entenda-se PMDB o PT dificilmente teria permanecido tanto tempo no governo e durante muitos anos houve sim uma cumplicidade… Read more »

Jorge Knoll
4 anos atrás

Triste realidade das nossas FFAA. Este ano 0 7 de setembro deve ser cancelado ou apenas infantaria desfilar.

André LUis
André LUis
4 anos atrás

O fato é que o governo está quebrado. Com um déficit previsto de 200 bilhões de reais este ano. E dizem que há restos a pagar de 230 bilhões. E tudo isto sem pagar os juros da dívida.
Ora, se o governo está quebrado, as forças armadas também estão.
A marinha deveria ter pensado nisto antes de aceitar um projeto de 30 bilhões de reais só para os submarinos e base naval sem considerar os custos de operação da base nova e submarino nuclear.

Souto.
Souto.
4 anos atrás

Essa foto é atual?

marcus
marcus
4 anos atrás

O Brasil e o pais sul americano que mais gasta com defesa.
O Brasil gasta mais com pessoal da área da defesa, do que com equipamentos para defesa.
65% do orçamento das forças armadas e gasto com salários e aposentadorias. Sendo que as esposas e filhos recebem pensões.Se o oficial falecer e tiver cinco filhos, o estado é obrigado a pagar 6 pensões.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

É meus amigos, isto aí é o que dá ir atrás de conversa de político e ter administrador militar mal intencionado e corrupto. Tenho pena do Alm Leal, não é má pessoa, mas pegou um trem descarrilado descendo montanha pegando fogo. Esqueçam Tamandaré, Prosuper, Prosub, Pronunca, em fim, é fazer uma PPP urgente no AMRJ, e começar a remendar e esticar a vida do que se tem, porque antes de 2022 nem pensar em investimentos e meios de valor. É evidente que a MB deve imediatamente começar um plano de diminuir estruturas redundantes, anti econômicas, rever contratos, e seguir dando… Read more »

jose luiz esposito
jose luiz esposito
4 anos atrás

Como já havia comentado aqui antes , o BRASIL deve usar uma pequena parte de suas Reservas para Investimentos urgentes nas FFAAS , principalmente na Marinha e Força Aérea e nos projetos Tecnológicos , ao mesmo tempo deve se levantar os gastos desnecessários , agora este coisa de Pensões para Filhas de militares ,deveria acabar se usando um prazo onde pensões iriam diminuindo até cessar !!

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Jose, usar reservas cambiais, seja lá para o que for, é literalmente um hara kiri nas combalidas finanças do país, devemos hoje a banca mais de 1,7 trilhões de reais, sabe o que é isto????

G abraço

MO
MO
Reply to  Juarez
4 anos atrás
Miguel
Miguel
4 anos atrás

Para que Marinha ou Forças Armadas (são sei como elas aceitam isso) com um presidente golpista e interino que é Informante do governo dos EUA. Pode desativar tudo, tá tudo dominado.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Miguel, ainda continuam distribuindo R$ 30,00, sanduíche de mortadela e tubaína para vocês????

Alex
Alex
4 anos atrás

Tem gente mesmo que acredita que os americanos estão por traz de tudo? E o pior, quer dizer que nossa marinha era um empecilho aos americanos?

Mateus
Mateus
4 anos atrás

É com caras como o Miguel que eu entendo como o Maduro ainda está defecando com direito a papel higiênico na Venezuela, e o povo de lá só com folha de Bananeira.

Miguel
Miguel
4 anos atrás

É mais fácil abrir as pernas do que enfrentar o locaute imperialista que vive a Venezuela, em 2018 é só tirar o Maduro no voto. O Brasil não precisa de forças armadas pois a 5ª coluna aqui dentro é muito forte.

Mateus
Mateus
4 anos atrás

Ahammmm Miguel, us Amerikano mau querem comer nossas nossas criancinhas , e a culpa é da elite branca, homofóbica, Burguesa e Paulistana…

Miguel
Miguel
4 anos atrás

Mateus, somente petróleo bom e barato, pra elite branca, cafona, racista e rentista de SP se contentam com um bom passeio da Disney, sem a recepção do Pateta, representado pelo próprio turista.
São Paulo a vanguarda do atraso!

Mateus
Mateus
4 anos atrás

Olha o respeito Miguel! É Sun Paulo para você! Boa noite porque eu tenho que ir trabalhar amanhã, coisa que vocês tem que ir treinando se não morre de fome, a boquinha acabou!

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
4 anos atrás

O carioca aqui lembra que o Estado de SP é o segundo PIB do país, e o município de Sampa é o terceiro.
Atraso aqui no Rio é PTista vagabundeando na praia de sunguinha, ou biquini, vermelhos.

Paulo Roberto Pereira da Silva Carneiro
Paulo Roberto Pereira da Silva Carneiro
4 anos atrás

É verdade que é em maior porcentagem, pois mesmo tendo participado de exercícios e operações conjuntas, à sua participação sempre foi com o menor número de meios navais, ora porque já não havia muitas unidades operativas, outra porque as outras estão em manutenção. Situação que perdura ďe vários anos e vários governos e que viam agravando pelo aumento natural dos preços dos insumos e pela redução de orçamentos. Temos que aceitar a situação atual e dentro de muito estudo e muita gestão priorizar os gastos, até pessoal especializado está em números reduzido e sem expectativa de aumento. Um fraternal abraço… Read more »

Miguel
Miguel
4 anos atrás

Sou paulista e sei o que falo, a participação de São Paulo no PIB nacional vem caindo gradativamente. Com os comentários que leio aqui me convenço cada vez mais que não precisamos de Forças Armadas, aliás com José Serra nas relações exteriores que precisa de inimigo. Esta Marinha sucateada só serve para pegar barco asiático clandestino de pesca.

Jagderband#44
4 anos atrás

Haja mortadela hein.

André LUis
André LUis
4 anos atrás

Miguel, os vermelhos sempre foram inimigos das Forças Armadas, porque os vermelhos preferem entregar o país ao exército de bandidos do MST – MTST e Chavistas. Então é claro que vermelhos são contra as Forças Armadas, porque estas defendem a nossa sociedade contra forças destrutivas da ideologia do ódio e da inveja, a ideologia vermelho que quer tirar o que é dos outros pela força ao invés de produzir pelo trabalho. Logo, como o exército dos vermelhos não é páreo para o exército Verde-amarelo, só resta tentar sabotar por dentro, tentando acabar via sabotagem econômica interna de governos populistas.

André LUis
André LUis
4 anos atrás

Miguel, quanto ao sistema financeiro que você falou. É muito simples, se os governos populistas não quisessem pagar dívidas, era só não fazer as dívidas em primeiro lugar certo?? Quem fala mal de banco, quase sempre, é caloteiro, picaretas que não querem pagar as dívidas que fizeram. Ou seja, é só mentalidade de caloteiro que quer pegar o dinheiro dos outros, gastar em festas, bebida, e outras coisas e depois culpa o banco pela dívida que fez e pela “injustiça” de pagar juros por viver com o dinheiro dos outros.

Mario Heredia
Mario Heredia
4 anos atrás

Meu Deus, quanta besteira…
Miguel, sou empresário, economista e participei do governo FHC. O que posso lhe assegurar é que SP continua sendo a locomotiva do país, toda via outros estados vinham apresentando uma maior participação no PIB ano após ano, o que é perfeitamente natural e salutar para a nação. Importa que todas as unidades da federação se desenvolvam, gerando mais empregos, renda e melhores condições sociais para a população local. Uma maior participação no PIB por outros estados não significa um apequenamento de Sum Paulo (pedindo vênia ao amigo Juarez), mas uma distribuição mais justa de nossas riquezas.

Mario Heredia
Mario Heredia
4 anos atrás

Com relação a acabar com as FFAA, sinceramente, nem meu neto com quatro anos de idade falaria tamanha asneira. Eu poderia discorrer das múltiplas funções que nossos militares desempenham em nosso país, mas estamos em um Blog especializado no assunto, tendo como certo que outros amigos já gastaram seu latim elucidando tais coisas. Por esse motivo, meu caro Miguel, gostaria de lembra-lhe que a maior parte das pessoas que aqui escrevem ou são militares de diversas patentes, ou são admiradoras de nossas forças. Comentários como os seus são lamentáveis e até mesmo desnecessários.

Souto.
Souto.
4 anos atrás

A CV Julio de Noronha, aparece na foto,esta em teste de mar,porém a jaceguai e
a inhauma ningeum sabe nada sobre elas?

velame
4 anos atrás

Miguel, vai comer seu pão com mortadela e procurar um emprego de verdade.

Mateus
Mateus
4 anos atrás

Miguel, Non ducor duco !

Lewandowski
Lewandowski
4 anos atrás

“O presidente em exercício Michel terá de lidar com o descontentamento nas Forças Armadas…” . Lidar por quê? Essa cambada de sanguessuga das FFAA ficou quietinha nos 13 anos de cambalacho e agora vai ficar descontente?. É tão ou mais culpada pela grave crise. Não sabe administrar os recursos que recebe, alocando para projetos onerosos e de efetividade contestável. E o pior: grande parte sequer volta a ativa e, quando volta, é descartada em poucos anos. E o mais impressionante é que ninguém contesta nada! Enquanto não imputarem responsabilidades, o almirantado vai investir em frota de Cisne Branco, desde que… Read more »

Miguel
Miguel
4 anos atrás

Mario, também sou economista, desde o plano Real São Paulo vem se desindustrializando, sem que o Governo de SP e FIESP, move-se uma palha. Foi fechada a Usiminias em Cubatão e não fizeram nada, aliás a FIESP hoje só investe em patos e o Sr. Skaf usa o sistema S para fazer campanha pessoal, aliás nem indústria ele tem, vive de aluguel de Galpão!

Klesson
4 anos atrás

Mortadela passada e tubaína sem gás.
Tá no preço!!!! Não dá nem tempo de pensar e ter uma ideia decente.

Mahan
Mahan
4 anos atrás

Cortar pela metade os efetivos e 90% de Oficiais Generais. FFAA é braço forte, mão amiga é problema de outras agências.

Souto.
Souto.
4 anos atrás

Galante ja esta certa a construçao das noavs corvetas?

Jagderband#44
4 anos atrás

“…Sou paulista e sei o que falo…” – o cara tem que ouvir, ou melhor, ler uma coisa destas…

Voltando à foto, dá pena de ver mesmo, tiveram seus dias de glória.
Haja MM40 no estoque, vamos precisar.

Souto.
Souto.
4 anos atrás

Galante a Julio de Noronha esta show de bola espera a morcego voltar.rsrs
sobre a compra de escoltas usadas,como o MT tem mais aproximaçao com os EUA
talvez saia algo para MB?

Miguel
Miguel
4 anos atrás

Produto Interno Bruto Dívida líquida do setor público

2002 – R$ 1,48 Trilhão 2002 – 60% PIB
2015 – R$ 5,90 trilhão 2015 – 33,6 % PIB

PIB per capita
2002 – R$ 7,6 mil
2015 – R$ 28,8 mil
Apesar da loucura com o excesso de exonerações fiscais (a FIESP não reclamou), que ajudou na crise fiscal um país com quase 400 bi de reserva não esta totalmente quebrado.

Luiz Campos
Luiz Campos
4 anos atrás

De qual PIB vocês estão falando? Atualmente a economia informal, subterrânea e nem sempre lícita é maior que a oficial. Afinal de contas quem quer trabalhar para pagar impostos?

Mateus
Mateus
4 anos atrás

Miguel, você descaradamente fala mal de Paulistas e Paulistanos, culpa o Governo do Estado e FIESP por ter de alguma maneira causado a crise da Usiminas; Mas são dos japoneses da Nippon Steel, dos argentinos da Ternium e da rival CSN a conta. Esquece que uma matriz energética moderna, renovável, com um poder sem igual atualmente no mundo como o etanol e biocombustíveis, onde somos pioneiros e dominamos o processo todo, foi deixada de lado miseravelmente por esse governo populista em detrimento do Pré-sal que seria a “salvação nacional”, kkk, leia-se “poupança do puchileco”. O Skaf é só o inimigo… Read more »

FredRio
FredRio
4 anos atrás

Só uma correção para o Blogueiro Marcus (confesso que não nem o tempo, nem a paciência para o resto da discussão. Até quase paro de ler o artigo quando ele tem “sem navios para defender as plataformas do pré-sal” no primeiro parágrafo. O brasileiro segue com umas idéias de importância e grandeza que, lamentavelmente, não encontram respaldo na realidade que sou obrigado a presenciar mundo afora. Mas voltando, Marcus, a situação é lamentável, sem dúvida, mas a pensão só é paga em seu valor integral, se a pessoa tem 6 filhos, eles terão que dividir o butim. Não é pago… Read more »

André LUis
André LUis
4 anos atrás

Miguel, sobre industrialização. Você lembra do projeto CEITEC para o desenvolvimento de microchips no Rio Grande do Sul com a doação da fabricante de Chips motorola. Na época, em 2002, exportou a tecnologia o maquinário de fabricação de chips para três países: Brasil, China e índia. A China levou 6 meses para terminar a construção da Sala Limpa e começar a produção dos chips. A Índia levou 12 meses para terminar a construção da Sala limpa e começar a produção dos chips. O Brasil recebeu os equipamentos em novembro de 2002 só que a o prédio da Sala Limpa só… Read more »

Gabriel Barbosa
Gabriel Barbosa
4 anos atrás

Como seria em uma eventual operacao ao mar caribenho ( venezuela ) nossa task force seria oq?
Penso que no passado ja tivemos motivos para entrar em territorios ( Bolivia )deles e ocupar nossas instalacoes q foram tomadas a forca, usuariamos como desculpa e anexamos os pais deles e mandamos todo gas para europeus com preco competitivo dos russos!!!!

MO
MO
Reply to  Gabriel Barbosa
4 anos atrás

mionese strikes back .. la vamos com mais um exercicio de bullshitagem, …. kkkkkkkkkkkkkkkkk

André LUis
André LUis
4 anos atrás

Só uma correção do texto anterior. A Motorola doou mesmo as fábricas de chips que eram as segundas mais modernas da época, exatamente para que o Brasil, China e Índia pudessem formar a massa crítica de engenheiros capacitados a desenvolver microchips e produzir tecnologia eletrônica. E mesmo assim, mesmo com a doação das máquinas, por causa da Burrocracia do Brasil, da lentidão e da briga de vaidades nas Universidades, o Brasil comeu mosca e levou 8 anos para terminar a Sala limpa enquanto que a China terminou a sua Sala Limpa em 6 meses e a Índia terminou a sua… Read more »

general-lee
4 anos atrás

Mo!!!!! amigo vei! quem te mandou essas fotos aew camarada….pois di veisenquando eu passo por la e num vi esse dai sô! abraços

MO
MO
Reply to  general-lee
4 anos atrás

ah foi us cara de ITJ, o Nardes

Jagderband#44
4 anos atrás

Bem lembrado este caso da Ceitec. Visitei a sala limpa faz 2 anos, e é lamentável a situação da empresa. Para comprar canetas, lápis e borrachas, tem que usar a 8.666. Um absurdo.

MO
MO
Reply to  Jagderband#44
4 anos atrás

Em tempo, um que possivelmente quando for comissionado ficará na boia, SALVO algo mudar ou contratos cairem do céu….

Brasileiro em construção para ….

PSV Larus / IMO 9642588

Casco nr. 34 em construção no estaleiro Wilson, Sons S/A, Guarujá/SP

8 photos

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2016/05/psv-larus-imo-9642588-casco-nr34-em.html

André LUis
André LUis
4 anos atrás

Exatamente. Jagderband#44. O CEITEC jamais poderia ser uma empresa estatal, vinculada à Lei 8.666. Enquanto os outros países estavam formando engenheiros capacitados no desenho de chips, o CEITEC estava preocupado em não ferir as normas de licitação do Estado Brasileiro… Estas leis de licitação devem existir sim, mas a pesquisa científica não poderia ser prejudicada pela burocracia.
Se fosse o caso, então que a indústria privada assumisse este projeto e desse conta instalar a Sala Limpa e tocar adiante a empresa.

Souto.
Souto.
4 anos atrás

Qual a situaçao do armada argentina,um forista argentino me falou
que de 12 escoltas eles tem 11 disponiveis,se for assim esta melhor que a MB.

Mauricio R.
4 anos atrás

OFF TOPIC…, mas nem tanto!!!
.
Argentina negocia 3 corvetas A-69 usadas com a França:
.
“Argentina is currently in negotiations with France to receive three A 69 corvettes from the French Navy following its disposal of nine ships of the same type.”
“… that determined the Drummond or A 69-type vessels are reliable, especially when it comes to the ships’ propulsion system, availability rate (among the best in Argentina’s entire fleet), and low operating cost.”
.
(http://www.janes.com/article/60334/argentina-in-negotiations-with-france-for-a-69-corvettes)

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
4 anos atrás

Infelizmente essa triste realidade foi cantada em prosa e verso por vários comentaristas neste fórum ao longo dos anos, ainda na época do Brazil “putênfia” quando a economia estava bombando e o governo achava que só pelo simples querer poderia incorporar SubNucs, dois NAe, Gripen naval, novas escoltas no estado da arte, aeronaves de transporte estratégico, dezenas de helicópteros novos, etc., sem cuidar do básico e sem noção das reais necessidades das Forças. Fomos execrados nesse fórum, nos chamaram de entreguistas e coxinhas, por propor alternativas realistas, por mortadelas e polianas (inclusive um gaúcho que se achava o dono da… Read more »