S-81, primeiro submarino espanhol classe S-80 em construção
S-81, primeiro submarino espanhol classe S-80 em construção

Espanha aprova revisão crítica do projeto de submarinos S-80

O Ministério da Defesa espanhol aprovou o Critical Design Review da Navantia (CDR) para os problemáticos submarinos S-80 de propulsão independente do ar do país, o primeiro dos quais está agora com cinco anos de atraso na construção.

De acordo com o anúncio feito pelo construtor naval em 15 de julho, a nova classe de submarinos pode agora fazer a transição para a produção.

Para lembrar, os quatro submarinos S-80 estavam em vários estágios de construção em 2013, quando a Navantia descobriu que os submarinos eram 70 toneladas mais pesados e que seriam incapazes de flutuar.

A Navantia como contratante principal para o programa de submarinos, trouxe especialistas do exterior para ajudar a lidar com o problema.

S-80
Concepção artística do submarino S-80. O submarino espanhol é uma interpolação do Scorpene francês, com um casco de maior diâmetro e sistema AIP por células de combustível

Parte da solução foi estender o casco de pressão do submarino de propulsão independente do ar (AIP), que foi originalmente deveria ser entregue em 2018. O trabalho foi concluído em abril deste ano, quando a companhia disse que estaria trabalhando no CDR (Critical Design Review) do primeiro submarino (S-81), ao longo deste ano.

Os submarinos estão sendo construídos com base num contrato de 2004 entre o governo espanhol e a Navantia (antigo IZAR). Quatro submarinos deverão custar cerca de € 1,756 bilhão para projetar e construir, mas em 2010 este valor tinha aumentado para € 2,212 bilhão (aproximadamente US$ 700 milhões por unidade).

O diretor do estaleiro e do programa de submarinos S-80, almirante José Manuel Sanjurjo Jul comentou o mais recente marco: “O programa para a concepção e construção do submarino S-80 é o projeto de engenharia mais complexo a ser realizado a nível nacional. Portanto, as dificuldades técnicas que surgiram ao longo do programa são normais no desenvolvimento e implementação de um projeto que requer soluções tecnológicas sem precedentes”.

FONTE: navaltoday.com

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
yluss
yluss
4 anos atrás

” Para lembrar, os quatro submarinos S-80 estavam em vários estágios de construção em 2013, quando a Navantia descobriu que os submarinos eram 70 toneladas mais pesados e que seriam incapazes de flutuar.”

Só acredito que uma barberagem dessas é verdade porque está publicado….. Que absurdo, não?

Pena que o contrato dos nossos engloba tanta coisa de modo que não sabemos o custo de projeto e construção por unidade dos subs… seria interessante a comparação…

Sds o/

Madmax
Madmax
4 anos atrás

Aproveitando a deixa. Por que a Espanha preferiu AIP que subnucs?

wwolf22
wwolf22
4 anos atrás

o S80 eh derivado do scorpene, correto ??
esse eh o fruto da projeto entre DCNS s Navantia…

John Paul Jones
John Paul Jones
4 anos atrás

Pois é wwolf ….

Vamos esperar o resultado da Associação entre DCNS e Odebrecht rs …..

OBIS
OBIS
4 anos atrás

Embora tenha sido uma cópia do Scorpene, não contruye DCSN (França), constrói Navantia (Espanha), e instrumentos, sistema de combate .. etc .. Não são franceses, são na maior parte das empresas espanholas (Navantia + Indra + FABA + SAEZ Tecnobit + + + Bionet Abengoa Gamesa + + etc …) ….

O S-80 tem 33 componentes de fabricação espanhola
E 19 de fabricação estrangeira, dos quais apenas um é francês, por isso sabemos que francês de componentes não tem nada e também é construído e equipado principalmente com tecnologia espanhola

OBIS
OBIS
4 anos atrás

Tipo 45 destroyers, submarinos Astute Inglês também teve problemas, atrasos e custos
Caças de quinta geração F-35 dos Estados Unidos + 8 países, também teve problemas, atrasos e custos

– O sucesso da S-80 seria um impulso para a imagem tecnológica da Espanha e reforçar o peso industrial

O futuro tem muitos nomes. Para os fracos é inatingível. Para os temerosos, o desconhecido. Para os corajosos é a oportunidade “(Victor Hugo)

Dalton
4 anos atrás

Os “especialistas do exterior” são dos EUA…mas…mesmo os 3 últimos submarinos da classe Virgínia sofreram com baixo controle de qualidade que afetou o sistema de propulsão tanto que as chamadas manutenções pós comissionamento estão levando o dobro do tempo o que irá atrasar o emprego dos 3 submarinos em mais de um ano. . A classe “Astute” britânica também enfrentou uma série de problemas e até precisou de auxílio técnico por parte dos EUA e o novo submarino russo “Yasen” levou 20 anos para ser terminado em parte por problemas financeiros em parte por dificuldades técnicas e o segundo da… Read more »

Delmo Almeida
Delmo Almeida
4 anos atrás

Obis, atrasos e custos adicionais é uma coisa, chegar ao ponto de não poder mais flutuar é um erro grosseiro. Romperam com os franceses e foram comprar os equipamentos nos EUA!

OBIS
OBIS
4 anos atrás

Delmo Almeida ……. Almeida Delmo ……. Primeiro , S-80 já não têm qualquer problema de peso, e que problema foi resolvido
…. Segunda , o submarino US Seawolf vai passar o mesmo que o S-80 , com a emissão de peso …….

-. Navantia( Espanha ) = um Erro grosseiro
-. General Dynamics( EUA ) = um Erro grosseiro .

Jr
Jr
4 anos atrás

Bom, a empresa que esta desenvolvendo o sistema de AIP desse submarino e a Abengoa, aquela mesma que entrou com o maior pedido de recuperação judicial da história na Espanha esse ano e abandonou várias obras de linhas de transmissão no Brasil. E a armada espanhola esta achando que esse submarino vai flutuar em 2020, será?

OBIS
OBIS
4 anos atrás

… Jr …. Os dois AIP contrato S-80, um dos Abengoa e outras Tecnicas Reunidas

Jr
Jr
4 anos atrás

Obis, é como ficou a situação da Abengoa, ela pediu recuperação judicial, isso atrapalhou o desenvolvimento do AIP para o submarino?

OBIS
OBIS
4 anos atrás

… Jr …. Abengoa foi em processo de falência não parar seu trabalho no mundo …. A AIP Abengoa foi queimado nos testes, de modo a Armada espanhola também contratar outra AIP Tecnicas Reunidas

luke skywolker
luke skywolker
4 anos atrás

Como é um produto estrangeiro as justificativas são aceitas, se fosse nacional as críticas já estariam em mais de 100 postagens