Home Indústria Naval Marinha de Cingapura adiciona mais 2 submarinos à encomenda original

Marinha de Cingapura adiciona mais 2 submarinos à encomenda original

3869
12
Type 214

SINGAPORE — Dois outros submarinos Type 218SG da ThyssenKrupp Marine Systems da Alemanha serão adicionados à frota da Marinha da República de Cingapura (RSN) a partir de 2024, anunciou na terceira-feira (16 de maio) o Ministro da Defesa Ng Eng Hen, na International Maritime Defence Exhibition and Conference (IMDEX) Asia.

Juntar-se-ão a outros dois submarinos anunciados previamente em 2013 — para ser entregues em 2021 e em 2022, respectivamente. Estes deverão substituir submarinos mais antigos na frota.

De acordo com uma declaração do Ministério da Defesa (MINDEF), os novos submarinos possuem inovações de design para otimizar os custos de treinamento, operação e manutenção. Eles também serão equipados com “capacidades significativamente melhoradas”, como sistemas modernos de combate e sistemas de propulsão independentes do ar (AIP).
O contrato do ministério com os construtores inclui um pacote de logística e um acordo de treinamento de tripulação na Alemanha.

Chamando o movimento de “outro passo importante no esforço de modernização da RSN”, Dr. Ng disse que a RSN precisa acompanhar o crescimento de outras marinhas na Ásia — estimulado pela necessidade de proteger o comércio e outros interesses marítimos.

“Os países da ASEAN, Austrália, China e Índia têm aumentado a capacidade de suas marinhas, com os orçamentos navais na região Ásia-Pacífico podendo aumentar em 60 por cento até 2020”, disse ele. O ministro também destacou um relatório de analistas de mercado de defesa naval AMI International, que estima que aproximadamente 800 navios de guerra e submarinos adicionais vão operar na região Ásia-Pacífico em 2030.

“Para ser eficaz, a RSN precisa manter o ritmo com este crescimento das marinhas na Ásia. Os quatro Type 218SG em serviço se complementarão em manutenção, logística e operações e terão melhores recursos para proteger nossas linhas marítimas de comunicação “, disse ele.

Em curso de 16 a 18 de maio, a IMDEX Asia destaca-se como o maior da atualidade, com 230 empresas participantes de 29 países, incluindo França, Alemanha e Itália, e a maior reunião de 28 navios de guerra de 20 marinhas. Representantes seniores das marinhas de mais de 40 países também estão presentes.

FONTE: Channel NewsAsia

Type 216

NOTA DO PODER NAVAL: os submarinos de Cingapura Type 218SG vão combinar características e tecnologias das classes Type 214 e Type 216. Terão também lemes em “X”.

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
wwolf22
wwolf22
3 anos atrás

PQP, admiro qnd os responsáveis preferem a capacidade/qualidade dos subs do que os $$ do lobby….
enquanto uns são patriotas outros são mensaleiros… vai brasil…

UBoot
UBoot
3 anos atrás

E lá vamos nós numa nova corrida.

Se ao menos o Brasil tivesse dominado a tecnologia de produção de submarinos, o que é essencial para o maior país do hemisfério Sul e de longe o maior do Atlântico, talvez estivéssemos gerando emprego e renda ao exportar para esses países menores porém com recursos.

Teríamos uma Marinha forte e uma economia menos debilitada…

E dá-lhe a “ToT” com os franceses…

Flamenguista
Flamenguista
3 anos atrás

Comentarios depreciativos contra o Scorpene em 3…. 2….. 1…..

UBoot
UBoot
3 anos atrás

Flamenguista, o Scorpène nem é de todo ruim. No geral, qualquer submarino razoável é melhor que nenhum. Diferente do NAe que adquirimos, os submarinos não serão monumento estático na Baía de Guanabara… O problema maior é ter abdicado de todo e qualquer desenvolvimento de tecnologia autóctone e se regozijar de ser a Embrapa nosso maior “celeiro” de patentes. Uns países investem em C&T e outros em soja. A diferença se vê nos acordos comerciais firmados, nas balanças comerciais e, consequentemente, nos recursos dispostos para Defesa. Faz mais de 500 anos que aqui vende-se commodities por tecnologia. Antes era pau-brasil por… Read more »

Delmo Almeida
Delmo Almeida
3 anos atrás

Flamenguista, esse povo parece que ignora as explicações do Admiral Dalton e tudo que quer esclarecer o assunto. Nem da vontade de explicar…

UBoot
UBoot
3 anos atrás

Delmo Almeida, Não entrei em debate técnico acerca do submarino pois haverá prós e contras em quaisquer das opções apresentadas por qualquer especialista. Posso juntar numa sala mais de uma dezena de especialistas com bons argumentos para venderem seus submarinos e você provavelmente concordará com todos. Agora, cabe apenas aceitar que a MB (ou o GF) tenha optado por uma delas. Mas que fique claro que “esse povo” serve ao seu país, paga impostos (quer dizer, as contas) e é o destinatário das ações das Forças Armadas. O último país onde uma categoria se achava superior às demais e governava… Read more »

Flamenguista
Flamenguista
3 anos atrás

Uboot
Onde eu assino?

Jr
Jr
3 anos atrás

Pelos dois primeiros submarinos dessa classe eles pagaram 1,6 bilhões de Euros, depois que esse valor veio a público, coisa que não é muito normal em compras feitas por Cingapura, a chiadeira lá foi geral, um monte de gente insinuando que gente dentro do MoD de lá teve a mão “molhada” pela tkms, achando um absurdo esse preço por dois submarinos que sequer vão ser construidos nos estaleiros de Cingapura (situação que elevou ainda mais as suspeitas que rolou acordão por baixo dos panos) O submarino parece ser bom, mas confesso que achei meio caro, nem a desculpa da transferência… Read more »

Mario
Mario
3 anos atrás

UBoot …falou tudo, nada a acrescentar.

Mario
Mario
3 anos atrás

De Palmeirense para Flamenguista…. assista “https://www.youtube.com/watch?v=ccq7VQ_wfMU

Fábio Mayer
Fábio Mayer
3 anos atrás

Que eu lembre, quando se contratou a classe Tupi, era para o Brasil construir e/ou receber 15 submarinos. Conseguiu 5 atrasando repasses de verbas, não conseguindo cumprir prazos e abusando da incompetência de nossos políticos. Agora o ovo de colombo são os Scorpènes, ótimas belonaves, mas com promessa de 5 convencionais e um nuclear… esperemos que a história não se repita, porque arrisca chegar, se muito, a apenas 2 convencionais…

sub-urbano
sub-urbano
3 anos atrás

É desconcertante comparar a Marinha de Cingapura com a do Brasil, levando em conta que aquele país é do tamanho da Cidade do Rio de Janeiro, sim da Cidade mesmo, não errei.

Somos um país com um potencial gigantesco e com 23 milhões de desempregados recebendo bolsa familia. Muito imposto, muita violencia, muito governo, muita malandragem… acho mesmo que um Soviético teria ficado estarrecido em ver o peso da burocracia no nosso país.