Marinha Russa confirma planos para construir um novo porta-aviões

70
7767
Project 23000E Shtorm

Segundo informes, a Rússia está mesmo planejando a construção de um novo porta-aviões

ST. PETERSBURG – A Marinha Russa planeja a construção de um novo porta-aviões para acompanhar o almirante Kuznetsov, informou o vice-almirante Viktor Bursuk, vice-comandante no comando da aquisição, na quarta-feira.
“A Marinha vai construir um porta-aviões”, disse Bursuk a jornalistas no International Maritime Defense Show, em São Petersburgo.

Segundo o vice-ministro da Defesa, Yuri Borisov, o contrato para a construção de um porta-aviões pode ser assinado até o final de 2025.

O Centro de Pesquisa Estatal de Krylov (envolvido em pesquisas no campo da construção naval) anunciou anteriormente o desenvolvimento de um projeto de porta-aviões pesado 23000E de até 100 mil toneladas, capaz de transportar um grupo aéreo de 80-90 aeronaves.

Segundo Bursuk, o trabalho para modernizar o Almirante Kuznetsov, o único porta-aviões da Marinha Russa, começará em 2018.

Em outubro de 2016, um grupo naval russo, liderado pelo porta-aviões Almirante Kuznetsov, que também incluiu o cruzador de batalha Pyotr Veliky e os destroyers antissubmarinos Severomorsk e Vice-almirante Kulakov, a fragata Almirante Grigorovich e navios de apoio, desdobraram-se por três meses no mar Mediterrâneo para apoiar as operações de combate russas na Síria.

FONTETASS

Previous articleChina lança ao mar o destróier Type 055
Next articleProjeto de destróier ‘Lider’ é aprovado pela Rússia
Subscribe
Notify of
guest
70 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos Andrey

5-4-3-2-1….
Contagem regressiva para aparecer um maluco falando que o Brasil deveria entrar de corpo e alma neste projeto com os Russos!

FERNANDO

Simmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
O mais rápido possívellllllllllllllllll

FERNANDO

Acredito que o Brasil deve rever suas prioridade.
Não iremos produzir CORVETAS, FRAGATAS OU PORTA AVIÕES, aliás, não iremos produzir nada.
Pois nosso políticos estão mais interessados no dinheiro que entra na carteira dos mesmos.
São pessoas mesquinhas, sem fundamentação teórica para estar ocupando o cargo ao qual estão exercendo, sem escrúpulos, estúpidos, covardes, mentirosos, sem caráter, e na maioria das vezes corruptos.
Em síntese, não estão nem ai para a MB, EB, FAB, BRAZIL ou POVO BRASILEIRO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Marcelo Danton Silva

Kkkkkk! Se este troço entrar no mar seu nível subira 1 metro. rsrsrs.

timuskukii

FERNANDO 29 de junho de 2017 at 15:16
Não adianta tirar os políticos e colocar outro, isso é cultural do Brasil, nunca vai mudar.

pangloss

Papel aceita qualquer coisa…

Jonas Rafael

Dois detalhes, a ilha dupla ao estilo do Queen Elizabeth e a aeronave de alerta aéreo que eles “planejam” utilizar, é muito parecido com o Hawkeye, mas propulsado a jato.

Ricardo Pinto

Notaram que vai ter “catapultas” ?

Agnelo Moreira

Um PA com 80-90 Anv é um super PA. Acredito q essa guerra fria tá crescendo muito. E mais, denota a intenção russa de projetar mais poder a mais distancia.
Será a possível disputa por espaço, como na África? Em disputa, inclusive com a China?
E esse AEW sem catapulta?
Interessante acompanhar isso.

Bardini

Ué… Mas não são os Russos que, segundo a “mitologia” dizem que um Porta Aviões é apenas um alvo caro???

Fred

Os russos fazem propaganda demais. Soa mais como desinformação às vezes. Esses dias mesmo estavam falando que iriam priorizar a produção de corvetas, fragatas, subs e destróieres.

Robson

Concordo com Fernando, dificilmente o Brasil vai desenvolver construção de porta aviões, corvetas e fragatas. Pois nossos políticos não tem nenhum interesse em defesa nacional, o máximo que vai acontecer é adquirir navios velhos de segunda mão de marinhas como Eua, França, Inglaterra e Alemanha a preço de banana ou doado para operar por 10 ou 20 anos.

donitz123

pangloss 29 de junho de 2017 at 16:17
.
Papel aceita qualquer coisa…
.
Tirou as palavras da minha boca.
.
Tenho certeza que ela tem planos mas não se concretizarão tão cedo.

Dranuits

80% da verba da defesa vai para salários, é isso mesmo??
Sobra 20% para manutenção

ARC

Acho interessante levantar certos pontos xa estratégia naval russa. Os russos diferente doa americanos não pretendem ter uma marinha de operação global a curto prazo, pois possuem como prioridade a manutenção e modernização da TRÍADE NUCLEAR sobre tudo, que tem na marinha sua participação pela força de submarinos nucleares, que custaram e custam caro pros cofres russos, essa é a prioridade. Segundo, e não menos importante, a postura bélica russa é baseada na DEFESA e na manutenção da soberania russa, o que implica controle de seus mares territoriais e afins, que é possível pelos meios conhecidos como navios patrulha, corvetas,… Read more »

ARC

Desculpem os erros de digitação.

Adriano B. Madureira

“Papel aceita qualquer coisa…” Mas apesar das adversidades,acho mais fácil o papel russo virar realidade de que alguns projetos de papel da MB… Muitos dizem que os russos estão quebrados,outros dizem que estão mais ou menos e outros dizem que estão a se recuperar. Oque não entendo é o porque de alguns projetos russos apesar de tudo,seguirem adiante e alguns serem mais baratos e tão bons quantos alguns similares ocidentais. Será que o baixo custo tem haver com o nível de nacionalização da matéria prima ou sistemas tecnológicos feito no país,e até talvez a mão de obra barata,fazendo que um… Read more »

Uboot

Olha, só sei que os russos estão gastando uma nota em maquetes (sim, isso é caro). . Uma questão interessante é… vão fazer tudo unidade única? Qual o “segredo”? . Adriano, tem gente aqui que ao falar “Rússia” já começa a corar (tem até personagem de Star Wars que precisa de capacete pra não mostrar a baba) mas…. a Rússia estar na pindaíba e, ao mesmo tempo, investir em Defesa… convenhamos, não é algo inédito naquelas terras. . Até porque, e isso eu vivo dizendo mas parece que a galera insiste em não entender, se você produzir e vender, estará… Read more »

Pangloss

Adriano B. Madureira 29 de junho de 2017 at 19:02
“Papel aceita qualquer coisa…”
Mas apesar das adversidades,acho mais fácil o papel russo virar realidade de que alguns projetos de papel da MB…
———————-
Não se pode esperar outra coisa, de um país que é membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, com direito a veto.
Afinal de contas, esse papel da MB (e do EB da FAB) é papel higiênico.

Leandro Costa

ARC, bons pontos, mas discordo bastante que a postura bélica Russa ser baseada na DEFESA e manutenção da soberania Russa. Na verdade, eu discordo pela ênfase na palavra ‘Defesa.’ Ucranianos provavelmente discordariam ainda mais. . Sim, os russos gostam de projetar poder. Ainda são bem melhores em projetar poder por terra e ar do que por mar, mas estão lentamente buscando um equilíbrio, e de cara com isso alavancam indústria naval e desenvolvimento tecnológico. Ou seja, estão indo por um caminho certo. Já por essas bandas brazucas… enfim… novo Modfrag antes das Tamandarés singrarem os mares? Se é que vão?… Read more »

Jodreski

Acho que a missão na Síria deixou bem claro a marinha russa quais são as capacidades e deficiências do Kuznetsov, certamente ele tem seu valor estratégico porém também tem limitações, um outro Nae maior certamente preencheria essa lacuna. Vamos lembrar que a marinha russa tem prioridades diferentes da americana, uma tenta se fazer onipresente enquanto a russa quer ser forte o suficiente para defender os interesses Russos em casos pontuais e Ainda prover defesa ao território Russo. Se esse Nae for concluído dará aos Russos uma capacidade de ataque que hoje eles não têm.

donitz123

Uboot 29 de junho de 2017 at 19:54 . Olha, só sei que os russos estão gastando uma nota em maquetes (sim, isso é caro). . A maquete do porta-aviões teria sido feita por um entusiasta. . E maquetes caras são a de um certo país tropical que tem um projeto de sub nuclear que só se tem maquete e já custou bilhões, esta sim uma maquete caríssima, e sabe-se lá se irá além disso. . A probabilidade de uma maquete russa (cara ou não) sair do papel é infinitamente maior do que uma brasileira. Afinal quantas maquetes do “futuro”… Read more »

_RR_

Interessante ver os russos praticamente “casados” com o conceito STOBAR. Preferem realmente o simples, por mais que isso cobre do desempenho do avião…
.
Os chineses aparentemente não são muito entusiastas, e planejam operar em CATOBAR no futuro. Certamente observaram o que faz a USN, operando um AEW de melhor desempenho e com seus caças partindo ‘full’ em condições ideais…

Leandro Costa

Donitz, aquela maquete era do São Paulo mesmo com os Sea Gripen. E vai ficar só na maquete mesmo.

Bardini

Olha, deve ser mais fácil o submarino nuclear brasileiro sair do que esse PA russo… Isso ai é do tamanho de um “Gerald Ford”, e dificilmente vai ser muito mais barato que um NAe norte americano.
.
E ai como ficam os novos Destroyers? PAK-FA? PAK-DA? Submarinos? Armata? Base na Lua?
Pura propaganda por conta do NAe Britânico…

GeneralSofá

Bardini, acredito (e torço) que os dois vão sair do papel, mas isso seria lá pra 2030

Uboot

Bardini, A Rússia tem motivos para investir em Defesa. No presente, muitos mais motivos que o Brasil. . Concordo que não haverá recursos para tudo isso, até porque a Rússia não tem mais de onde tirar grana. Porém, havendo demanda, creio que os demais projetos, mais simples, baratos e “exportáveis” devem ir pra frente. Se fizerem poucos mas de forma regular durante médio e longo prazo, contando ainda que quem compra o meio também compra assistência técnica e peças, creio que eles terão como bancar os navios “menores”. . Já Navios Aeródromo eu acho realmente complicado. Porém, não seria nada… Read more »

Uboot

donitz123, O Brasil não tem, pra ontem, necessidade de um NAe. É interessante, importante para quem tem, porém temos outros meios a serem produzidos antes em busca da renovação da Esquadra. . Os russos, por outro lado, tem com o que se preocupar. EUA nunca foram aliados, a China uma hora pode virar ameaça real (se bem que eles tem muito com que se preocupar também), a Índia é uma incógnita, a UE (apesar da saída do RU) já viu que precisa se fortalecer… Quer dizer, se a Rússia não abrir o olho, vai perder mercado e ainda ver inimigos… Read more »

Fábio Mayer

Hoje mesmo eu li em algum lugar que os russos chamaram os novos NaE classe Queen Elisabeth como belos alvos… mas não importa muito dentro da histórica doutrina russa/soviética de projetar poder em terra, agregando territórios aos seus. Se os russos pretenderem projetar poder, o farão por via terrestre mesmo, de modo que sua marinha é muito mais defensiva. Mas para uma superpotência militar, ter porta-aviões se faz necessário para demonstrar capacidades.

Luiz Trindade

Sim… Façamos o seguinte então… Desmobilizemos as nossas Forças Armadas, esqueçamos de nossa defesa, entreguemos pro primeiro país que passar por aqui para comprar o país ou melhor… Entreguemos tudo para o Titio Sam. Para que se envolver com outros países em projetos de defesa?!? Para que gastar com isso?!? Quero é ganhar dinheiro e que os outros se explodam, diriam alguns!

Wellington Góes

Sei lá, um NAe com 100k ton. não é muito maior do que os super NAes dos EUA. Pela escala desse projeto (isto é, se estiver bem escalado), não parece se compatível, ou seja, este novo projeto deverá ter muito mais do que 100k ton., talvez umas 110 a 120 mil toneladas (chute meu).
.
A propulsão deverá ser nuclear, pois se for convencional, pensem num consumo de combustível absurdo. Haja tanques de combustíveis.
.
Até mais!!! 😉

ARC

BARDINI, é necessário entender com funciona as coisas na Rússia em questões financeiras. Os destroyers da classe Leader estão aprovados pro próximo programa (2018-2025) e logo, o ultimo (se quiserem os 10 almejados) deve estar sendo entregue por volta de 2028-29 seguindo a produtividade russa atualmente, e até lá os submarinos estarão em grande parte atualizados e poucos estarão sendo construídos, as corvetas e fragatas já terão sido entregues e o único custo real será com a continuidade na produção do Armata (que está no programa 2018-2025) e PAK FA (2018-2025). Assim, o Shtorm, que como já foi dito, deve… Read more »

Dalton

Arc…
.
o que entendi é que foi aprovado um projeto preliminar…em sites russos traduzidos com à ajuda do “google” fala-se em 2024 para entrega final do projeto/início da construção…se for isso de fato não será possível entregar o último de 10 ou 8 em 2028/2029…serão navios bem mais complexos de construir do que as fragatas ainda mais se tiverem propulsão nuclear !
.
Quanto ao “Kazan” ele ainda não foi entregue…foi apenas lançado, para ser entregue e
talvez oficialmente comissionado ano que vem…isso que ele teve sua construção iniciada
para valer em 2009.

teropode

Serah um alvo notório para as armas ocidentais , alem de ser uma copia descarado do Carrier Britanico (piorado eh claro) !

ARC

Dalton, quando me referi aos programas e datas, me referi aos custos por regime de caixa, onde serão retirados recursos de fato do programa do período ao qual pretencem, assim, a classe Leader que tem início em 2019 da construção da primeira unidade, se for aprovado a construção das 8 ou 10 unidade, o orçamento necessário já estará disponivel no período ao qual pertence (2018-2025) e mesmo que a ultima tenha construção em 2032, estará assegurada nos recursos de seu período, só aumentará se houver acréscimos ou mudanças no projeto. O Shtorm, se aprovado, terá seus recursos no período de… Read more »

Ivan

_RR_ (30 de junho de 2017 at 10:47) . “Interessante ver os russos praticamente “casados” com o conceito STOBAR.” . Acredito que você chamou atenção para um dos pontos mais importantes desta matéria: A maquete de um suposto super porta aviões russo deslocando 100.000 toneladas e ala aérea de 80 a 90 aeronaves apresenta apenas uma Ski Jump na proa do navio, com uma segunda linha de decolagem na transversal, mas aparentemente sem rampa. . O tempo de lançamento de aeronaves, sem contar a limitação de carga das mesmas, será uma eternidade. . Talvez o ‘cara’ da maquete tenha que… Read more »

Dalton

ARC…
.
se entendi bem, então não há diferença com o que ocorre nos EUA por exemplo e em outras nações também quando se trata de manutenção de contratos por um período de tempo e eventuais acertos que se façam necessários.
.
Talvez o Bardini tenha demonstrado ceticismo sobre a conclusão do projeto já que no passado outros projetos foram anunciados e não seguiram em frente ou sofreram atrasos, pois, a
contabilidade é igual para todos…os russos precisam honrar os contratos assinados com os
fabricantes.

donitz123

Bardini 30 de junho de 2017 at 12:34
.
Olha, deve ser mais fácil o submarino nuclear brasileiro sair do que esse PA russo…
.
>>>Creio que terá metade da capacidade citada. Um avanço em relação ao antigo porém sem exagerar.
.
Fábio Mayer 30 de junho de 2017 at 13:06
.
>>>Hoje mesmo eu li em algum lugar que os russos chamaram os novos NaE classe Queen Elisabeth como belos alvos…
.
Também li o “artigo”. É uma bravata que esconde uma verdade já notada pela Marinha Americana que é a proliferação de misseis anti-navios.

Dalton

Ivan…
.
não sei se você entendeu da mesma forma…mas…o projeto russo de NAe apresenta pelo
menos duas catapultas de preferência segundo eles, “eletromagnéticas” no convés em ângulo,
então não seria apenas uma “rampa” na extremidade dianteira do convés de voo a responsável pelo lançamento das aeronaves…aliás…um exagero…80/90 delas…a não ser que uma maior proporção seja de helicópteros quando comparada à uma Ala Aérea da US Navy e mesmo assim faz décadas que NAes da US Navy nem sequer se aproximam de 80 aeronaves
embarcadas.
.
abs

_RR_

Ivan ( 30 de junho de 2017 at 17:14 ),
.
Pois é… Realmente não faz muito sentido… O grupo aéreo ficaria excessivamente limitado em perfomance…
.
Salvo melhor juízo ( me antecipando ao nosso caro ‘Admiral’, e contando com sua confirmação ), um NAe americano consegue colocar 90 aeronaves no ar em menos de 30 minutos. Um NAe STOBAR de 100000 toneladas certamente levaria uns 45 minutos pra fazer coisa igual…
.
Pode ser que estejam pensando em algo mais parecido ao conceito inglês, e vez por outra operar como um LPH… Vai saber…
.
Saudações.

_RR_

Dalton ( 30 de junho de 2017 at 17:45 ),
.
Se observar o convés em ângulo ( no desenho ), vai notar logo a frente dos defletores os “retentores” para a decolagem em STOBAR, tanto para a posição em ângulo quanto voltado para a rampa ( o que achei estranhíssimo; deve ser erro ), indicando que só usam o STOBAR mesmo…
.
Saudações.

Ivan

Dalton e RR,
.
Sorry.
Eu não vi catapultas eletromagnéticas.
Mas se houvessem (penso que não), qual seria o sistema do ‘danado’?
SCATOBAR (Short and Catapult Assisted Take-Off But Arrested Recovery)?
.
Contudo, observando melhor, o que parece é uma suave segunda rampa inclinada na pista transversal do navio.
Tá complicado.
Aparentemente o cara da maquete não conversou com os projetistas navais.
.
Forte abraço,
Ivan, o Terrível.

claudio quadros

sou mais Hms Ocean k52 míssil ante navio do que esta tranqueira russa única coisa russo vez qualidade foi helicópteros principalmente K52

Control

Srs

Na maquete não aparece, mas no desenho há a sugestão de 4 catapultas (emals?), curiosamente mais afastadas da borda do navio sugerindo um lançamento com uma pequena corrida final.
Ainda mais curioso é que duas estão orientadas para a proa, para o sky jump.

Sds

Bosco

Mesmo os caças tendo condições de decolarem por conta própria (contando com ajuda da rampa) o AEW não teria condição de fazê-lo. Se a plataforma do AEW for mesmo um avião convencional (a hélice ou a jato) obriga que haja mesmo um sistema de catapultas independente de haver rampa. O complicado é “rampa levemente inclinada com catapulta”. Isso obrigaria o “trilho” da catapulta a subir a ladeira. rsrsss Santa redundância Batman. rsrsss Isso seria pouco comum porque o mais sensato é fazer uma catapulta que seja capaz o bastante pra não precisar ser combinada com uma rampa. Mas os russos… Read more »

Roberto Bozzo

Bosco, não seria para usar as aeronaves que já existem, sem ter que fazer qualquer adaptação no trem de pouso frontal? Aí fica a catapulta para os meios novos e a rampa para os antigos….

Jorge Ferreira

Infelizmente é isso o que falta, a presença em uma campanha tornam claras as necessidades. Os pré-requisitos são levados em conta para a construção das FFAA da próxima geração e assim segue a vida em um lugar sério.

Dalton

RR e Ivan…
.
de fato não há catapultas no modelo e sim o que o RR chamou de “retentores” ou “Starting
Aircraft Restraining Advice”…não havia percebido, mas estão lá no desenho…como a maquete
não representa um projeto definitivo ainda, misturei com as informações dadas pela Rússia
nos últimos dois anos que o futuro NAe teria rampa e também duas catapultas…teremos que
aguardar uma nova maquete.
.
abs

Renan

O poderio de 3 países é impressionante. O EUA é dono do resto do Mundo. A China capaz de qualquer coisa e 1 bilhão de soldados. A Rússia nunca dobrou os joelhos a nenhuma ameaça, um país que faz frente sozinho a OTAN. Devido a sua capacidade tecnológica. É impressionante. Mesmo sobre embargos na guerra que é travada silenciosa no setor econômico. Todo os países que eu vi os EUA invadir. Eles aprovam sanções econômica, força o colapso econômico, inicia uma série de notícias de guerra híbrida, manipula a opinião global. Ae pronto acha um bode contrário a autoridade local,… Read more »