sexta-feira, setembro 17, 2021

Saab Naval

FOTOS: Submarino Goiás – S15

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Marinha do Brasil às vezes publica algumas boas surpresas no Facebook, como essas fotos do submarino Goiás (S15).

Segundo o NGB, o Submarino Goiás – S 15, ex-USS Trumpetfish – SS 425, foi o terceiro navio e o primeiro submarino a ostentar esse nome na Marinha do Brasil em homenagem ao Estado do Brasil Central e a tribo brasileira homônima. Foi construído pelo estaleiro William Cramp Shipbuilding Co., na Philadelphia, Pennsylvania.

Foi transferido para Marinha do Brasil em 15 de outubro de 1973, sob os termos do Mutual Security Assistance Program, e na mesma data submetido à Mostra de Armamento e incorporado à Esquadra no mesmo dia pelo Aviso n.º 0897 de 25/09/73 MM/EMA, do Almirante-de-Esquadra Adalberto de Barros Nunes e OD 0023/73 de 15/10/73 do CEMA (Bol 40/73/2463 MM) em cerimônia realizada na Base Naval de Charleston, Carolina do Sul. Foi sua madrinha de incorporação a Sra. Vera Maria G. Wollstein. Naquela ocasião, assumiu o comando, o Capitão-de-Fragata Edoardo Russo.

Em 1947, tornou-se o primeiro submarino a ser convertido para o padrão GUPPY II, sob a égide do Programa de Modernização conhecido como “Great Underwater Porpulsion Power” – GUPPY. Em 1961, foi convertido para o padrão GUPPY III.

A oficialidade do recebimento do Goiás foi a seguinte:

– CF Edoardo Russo – Comandante
– CC Odilon Luiz Wollstein – Imediato
– CC Luiz Sérgio Silveira da Costa – CheMaq
– CT Newton Rodrigues da Silveira – CheOp e Enc.Div. O
– CT Paulo Sérgio Silveira Costa – Enc.Div. T
– 1ºTen. Gilberto Huet de Bacellar Sobrinho – Enc.Div. M
– 1ºTen. Guilherme dos Santos – Enc.Div. S

O submarino Goiás na manhã de 16 de abril de 1990, deu baixa do serviço ativo da Armada e passou a Mostra de Desarmamento, em cerimônia realizada na Base Almirante Castro e Silva e presidida pelo CEMA, Almirante-de-Esquadra Renato de Miranda Monteiro, segundo a Portaria n.º 0041 do MM de 15/01/90. Em dezesseis anos, seis meses e um dia de serviço na MB, atingiu as marcas de 91.227,6 milhas navegadas, 9.581,2 horas de imersão, 759,5 dias de mar e lançou 22 torpedos, Foi entregue ao Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro para ser vendido em leilão.

NOTA DO EDITOR: nosso amigo José Henrique Mendes sempre lembra que a Marinha poderia disponibilizar as fotos já digitalizadas das centenas de fotos existentes no acervo da DPHDM. Nós que gostamos do assunto e os ex-tripulantes agradeceriam muito.

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

6 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Juarez

Do tempo em que tínhamos uma Marinha, de verdade.

G abraço

Claudio silva

Quando adolescente me lembro de ter ido algumas vezes no Distrito naval no Rio de Janeiro e lá tinha sala que escolhia fotos e eles colocavam na moldura.

Claudio silva

Na época me lembro que de lá saiam as fotos que iam para quartéis e demais unidades da Marinha.

SERGIO ALBERTO RODRIGUES MACHADO

Bons tempos, servi nele de 82 à 85 como Mn- QSE Sergio Alberto. Fico triste de não ter tirafo fotos nele.

Luiz Carlos de Figueiredo

Fui tripulante de navio por dois anos marinheiro de maquinas

Almir Silverio da Silva

O S15 foi trazido em 1994 para ser desmontado em Antonina/Pr, e ficou atracado no Cais do Matarazzo. A Navalpar, do Rio de Janeiro, requereu alvará de funcionamento em Antonina para desenvolver serviços também no ramo de desmonte de navios velhos, ocasião em que muitos ali foram desmontados, inclusive, o submarino Goiás. Esta informação consta no livro ANTONINA, 360 Anos de História / Claus Luiz Berg. Curitiba: C. L. Berg, 2006 187 pág. il; 21 cm

- Publicidade -

Últimas Notícias

Austrália abandona acordo de submarinos de 56 bilhões de euros com o Naval Group francês

A Austrália decidiu abandonar o acordo de A$ 90 bilhões (€ 56 bilhões) de 12 submarinos convencionais com a...
- Advertisement -