O novo porta-aviões da Grã-Bretanha, HMS Queen Elizabeth, entrou pela primeira vez em sua nova casa em Portsmouth na quarta-feira, 16 de agosto de 2017.

O porta-aviões de 65 mil toneladas, o maior navio de guerra que já construído na Grã-Bretanha, está sendo submetido a testes de mar depois de zarpar do estaleiro Rosyth da Escócia em junho.

Depois de sua chegada histórica a Portsmouth na quarta-feira, o navio se junta à longa lista de famosos navios da Royal Navy ali baseados.

32
Deixe um comentário

avatar
32 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
DaltonControlFábio MayerFRITZ PILSENigortepe Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Interessante é a razoável multidão que se reuniu para assistir a chegada da nova Nau Capitânea da RN. Também é interessante lembrar das multidões que se reuniram para saudar a saída e chegada da Força Tarefa da Operação Corporate em 1982. Mostra do patriotismo e orgulho do povo britânico por sua Marinha

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Acho esses NA`s espetaculares de lindos!!!

Uma pena vc ver as maiores Marinhas se modernizando, gerando empregos , enquanto a nossa Marinha do Brasil, a qual admiro muito, sendo sucateada pois, não existe cultura de Defesa em nossa sociedade e classe política!! Tudo tem que ter os famosos 5, 10, 20%!!!!

E o povo inglês prestigiando pois sabem e conhecem a História da sua Marinha há mais de 400 anos!! E querem ver tb como os seus impostos são empregados em proveito da nação!!

É o mínimo que um Governo deve fazer. Corrupção existe no mundo todo, mas aqui é endêmico!!!

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Marcelo, FHC entregou ao seu sucessor uma Marinha plenamente operacional, com 1 NAe, 10 Fragatas, 4 Corvetas + 1 recém lançada ao mar e outros navios. Agora compare com a Marinha que temos hoje.

Diogo Lima
Visitante
Diogo Lima

Parabéns Royal Navy!!!

Dalton
Visitante
Dalton

Iria mais devagar com o andor meus caros Marcelo and Tireless…em 2003 a Royal Navy também era bem maior do que é hoje, vejamos: . Em 2003: 3 CVLs classe Invincible com “harriers” disponíveis e o novo LPH HMS Ocean. Em 2017: 1 CV Queen Elizabeth sem nenhuma aeronave de asa fixa e o HMS Ocean programado para ser retirado de serviço em 2018, . Em 2003: 31 principais combatentes de superfície, entre destroyers e fragatas. Em 2017: 19; . Em 2003: 11 submarinos de ataque de propulsão nuclear; Em 2017: 7 . Hoje a Royal Navy simplesmente não tem… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Dalton 16 de agosto de 2017 at 14:47
Se os britânicos cometerem o desatino de elegerem Jeremy Corbyn vai piorar!

Ze Abelardo
Visitante

Dalton,
É notória a diminuição da RN. Acrescento os problemas da Type 45 e os submarinos parecem sofrer de uma maldição. Contudo, mesmo menor, todos os programas são dignos da RN. Todas as classes são oriundas de estaleiros britânicos e tecnologicamente estão no topo do mundo.
Infelizmente, esse alto conteúdo tecnológico tem um preço, que ultrapassa a capacidade financeira do Reino Unido e não se tem encontrado exportações que os supram.
Bem diferente da nossa situação, nossa frota reduzida não está de acordo com a capacidade econômica do país, nem os navios são aqueles que a marinha precisa e merece.

ebs
Visitante
ebs

Esse NA de fato é lindo… Parabéns RN e quanto à nós Brasileiros, cabe apenas resignar…

Dalton
Visitante
Dalton

Ze…
.
Ao menos o que a marinha brasileira tem está de acordo com o grau de ameaça e quanto à
capacidade econômica com um rombo enorme nas contas públicas, milhões e milhões de
desempregados, nova ameaça de “rebaixamento” etc, não dá para sonhar com mais e melhor,
ao menos por um bom tempo ainda.
.
abs

Ozawa
Visitante
Ozawa

As imagens não mostram mas dentre a tripulação perfilada no convés de vôo havia vários marinheiros com raquetes elétricas mata-drones nas mãos atrás das costas…

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

Bonito design,mas acho coincidência desde a Primeira Guerra Mundial os navios britânicos alcançavam os 48 km/h, como os encouraçados HMS Nelson e HMS Revenge. Acho que somente o Japão e os EUA que fizeram navios que alcançavam os 65 a 75 km/h. Embora o Izumo e o Nimitiz sejam mais velozes, ficou bonito ainda assim esse CV.

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

HMS TIRELESS 16 de agosto de 2017 at 11:48 muito bem lembrado!
HMS TIRELESS 16 de agosto de 2017 at 12:32 tbm adicionaria o tikuna nessa lista.

Dalton
Visitante
Dalton

Renan…
.
o “Nelson” foi construído após a I Guerra Mundial e a velocidade dele máxima estava abaixo dos 48 km/h…de qualquer forma…desconheço navios construídos pelo Japão e EUA…tipo encouraçados/cruzadores de batalha que tenham alcançado 65 a 75 km/h…mais de 35 nós ????
.
Quais exatamente você estaria pensando ??
.
abs

FABIO PEREIRA BUENO FILHO
Visitante
FABIO PEREIRA BUENO FILHO

SERÁ ESSE NAVIO IMUNE A EXOCETS ARGENTINOS?

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Nem os ‘cruzadores de batalha’ ou ‘encouraçados de bolso’ chegavam nessa velocidade.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Dalton,

Na época em que a RN teve que encolher , assim como a RAF, eu tb achei um absurdo, mas agora entendo a visão de longo prazo deles.

deram um passo para trás e três pra frente, pois estarão com 2 PA`s novos, equipados com F-35, além de novas escoltas e a RAF operando os P-8A Poseidon.

Diminuíram e racionalizaram os gastos, tornando-se mais ágil e focada na atividade fim. Ainda tem problemas? Sim, mas mostra o que é um Programa de Estado, devagar e sempre, enquanto isso, temos 10.000 Almirantes de Esquadra e uma Guarda Costeira cara de manter!!

hernâni
Visitante
hernâni

Lindo navio, pena que tenham acrescentado aquela rampa para o f35B. Um grande navio mas meio coxo, se conseguisse operar o f35A e aviões de alerta antecipado então sim, seria um dos melhores do mundo.

Walfrido Strobel
Visitante

Hernâni, vc deve ter se confundido, nenhum navio opera o F-35A.
Ou opera “B” ou “C”.

Diogo Lima
Visitante
Diogo Lima

Exatamente Marcelo Andrade, esse passo atrás que deram, hoje faz sentido!
138 F-35B, 9 P-8A Poseidon apoiando 8 type 26, 6 type 31, 6 type 45 e seus subs 7 Astute”s 4 Dreadnought”s.

Bardini
Visitante
Bardini

“138 F-35B”…
O que se discute lá é como vão conseguir comprar e operar todos os F-35B que precisam e o que vão fazer para substituir os Tornados, onde se cogita até reduzir o número de F-35B e comprar F-35A.
8 Type-26… Eram para ser 13 navios. Type-31 vai ser gambiarra cara pra tapar buraco. Os Type 45 estão dando problema. A classe “Astute” está dando dor de cabeça. Tem os caríssimos SSBNs para construir… As coisas por lá não andam aquela maravilha.
.
Vai ver é megalomania por parte da Royal Navy. Passo maior que a perna. Essas coisas.

igortepe
Visitante
igortepe

Como exportar? A Type 26 vai custar quase 2 bilhões de dólares.

Ze Abelardo
Visitante

Marcelo Andrade,
Concordo. A RN é uma força pequena, mas possui equipamentos no estado da arte e é sustentável financeiramente a longo prazo.
Um pulo do gato é o auto grau de automatização diminuindo as tripulações e otimização do pessoal de apoio. Dai sobra dinheiro para investir.
No Brasil, vamos no sentido inverso com grande quantidade de navios de concreto e tripulações grandes. Pelo que sei, a RN tem 33.000 de efetivo contra 60.000 da MB.

Ze Abelardo
Visitante

Bardini,
Realmente, discutir os problemas de navios altamente avançados projetados e construídos localmente deve ser muito bom.
Também deve ser bom debater se o F35 vai ser A ou B.
Enquanto isso, na banânia, é A4, C1… ou se vai ter dinheiro pra recuperar um motor diesel de 40 anos.

Ze Abelardo
Visitante

138 F35 são um poblemão. Poxa, que dor de cabeça. Imagina.

Bardini
Visitante
Bardini

O Brasil tem menos da metade do orçamento do UK, algumas vezes o tamanho do território deles e centenas de vezes mais problemas do que eles tem, contamos com Forças Armadas tendo de ser cabide de emprego, tendo que fazer assistência social, ser presença do estado, fazer GLO entre outras coisas e aberrações… Deixa os caras se virarem com o orçamento que temos e os nossos problemas, em um território continental, sem ter uma força profissional e sem previsibilidade financeira nenhuma para os planejamentos. Ai tu me conta se seria muito diferente a situação. . Eles são obrigados, por conta… Read more »

FRITZ PILSEN
Visitante
FRITZ PILSEN

HMS TIRELES. A maior aquisição do FHC para as forças armadas foi a compra do NAE SÃO PAULO (que já era um sucata), mais as fragatas da Royal Navy veteranas da guerra das Malvinas; os caças A4 usados do Kwuait e os tanques usados da Alemanha para o EB e os P3 da Força Aérea. Lembre-se que foi no governo FHC que estourou o escândalo SIVAM, onde os nossos sempre puros militares foram corrompidos pela empresa americana Raytheon. Foi na gestão LULA e DILMA que a MB pode dar início ao PROSUB (5 submarinos, sendo 1 nuclear), mais a nova… Read more »

Diogo Lima
Visitante
Diogo Lima

Bardini As type 26 eram 13 sim, assim como as Fremm eram para ser 17, mas no final serão “8”. “Type 31 gambiarra”= as FTI (Frégate de Taille Intermédiaire) gambiarra. Vai ver é megalomania desses sapos arrogantes! T45 e Astute dando problema não é segredo, o ( LCS ) navio de combate do litoral da US navy deu problema,o porta-aviões francês Charles de Gaulle, também não se escapa, mas a RN está correndo atrás das correções. A França não teve dinheiro para seu segundo porta-aviões, a Russia passa vergonha com sua Maria Kuznetsov fumaça guarnecido de “Mig29K” futuramente e daí… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Marcelo… . por melhor que seja um navio, ele não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo e na época dos interessantes “Invincibles”, 3 unidades, mais o “Ocean” que será retirado ano que vem a disponibilidade era maior e a China por exemplo não tinha nenhum NAe e ao contrário dos britânicos a China não ficará estacionada em “apenas” 2. . Veja por exemplo, a nova classe de SSBNs…continuarão sendo 4 unidades, a diferença é que ao invés de possuírem 16 silos para mísseis como os atuais e os futuros SSBNs da US Navy, terão apenas 12 silos, novamente… Read more »

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Olha, troco nossos problemas com os deles então!!!

Fábio Mayer
Visitante
Fábio Mayer

“…uhú…pousou um drone sobre ele…”… “…será que aguenta um exocet argentino?…” kkkkkk o brasileiro não tem Marinha,(tem um almirantado gigantesco, uns navios velhos e uns praças) e acha que pode espezinhar a Royal Navy… somos os fodões do planeta, temos malemolência, odiamos os imperialistas americanos e europeus, mas não aguentamos 10 minutos de guerra sequer contra a Marinha de Portugal, que dizer contra a Royal Navy!

Control
Visitante

Srs Para se ver como o Reino Unido encolheu. Há 101 anos a RN colocou em uma única batalha mais de 150 navios, dos quais mais de 30 encouraçados e cruzadores de batalha e hoje ele pena para ter menos de duas dezenas de escoltas. E, pior, dos grandes navios que participaram da batalha, a maioria senão todos haviam sido construídos há menos de dez anos, aliás, sua construção demorava bem menos tempo do que hoje, quando navios como o QE levam quase uma década para serem construídos; e observem, os encouraçados eram mecanicamente bem mais complexos de se projetar… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Control… . penso que é preciso analisar a época, …havia uma corrida armamentista , principalmente entre Alemanha e Reino Unido, então, mais estaleiros, mais trabalhadores, mais recursos voltados para construção naval e com o fim da Primeira Guerra houve uma pausa significativa na construção naval…a maioria dos navios que iniciaram a luta na Segunda Guerra eram da Primeira, modernizados. . Veja por exemplo o que se conseguiu durante a “guerra fria”…o USS Enterprise o primeiro NAe de propulsão nuclear foi construído em menos de 4 anos assim como foram os da classe “Forrestal” os primeiros dos chamados não oficialmente “Super… Read more »