Home Indústria Naval Quanto custa um navio de guerra feito na China?

Quanto custa um navio de guerra feito na China?

17589
37
A Type 054A “Liu Zhou” visitando o Brasil em 2013 – Foto: Alexandre Galante

O autor oferece uma estimativa, com foco na fragata Type 054A (Jiangkai II)

Por Gabe Collins

O que custa realmente aos estaleiros navais chineses para construir grandes navios de guerra? As fontes chinesas não revelam custos reais ou estimados de produção de navios de guerra e submarinos, por isso fica por conta dos analistas externos gerar este importante conjunto de dados. Quantificar os custos de produção de navios de guerra reforça nossa compreensão de como o orçamento de defesa da China realmente se traduz em hardware e capacidades.

Esta análise centra-se na fragata Type 054A (nome da OTAN: Jiangkai II), por três razões principais. Em primeiro lugar, é o maior combatente de superfície produzido em grande quantidade da China. Em segundo lugar, tem sido produzido em série por vários anos. Em terceiro lugar, é a pedra angular das capacidades de guerra de superfície da PLA Navy no presente e, de fato, teve desdobramentos operacionais sustentados (e em andamento).

Os leitores devem notar que esta é uma estimativa “Versão Beta” dos custos de produção da Type 054A. Está bem desenvolvido, mas quase certamente evoluirá à medida que mais participantes contribuam com suas ideias. Compartilho meus principais cálculos e premissas para fornecer um trampolim para outros analistas e espero que catalise uma discussão mais ampla que avance nosso conhecimento sobre o complexo naval-industrial da China.

Custos por Segmento

Este autor estima que a Type 054A custa atualmente um total de aproximadamente US$ 348 milhões por navio para construir e equipar (Gráfico 1). Esta estimativa deriva de dividir o navio em suas principais categorias de sistemas (casco e equipamentos, propulsão/produção de energia, armas e eletrônicos) e calcular seus respectivos custos, bem como o custo do trabalho necessário para montar o navio em um produto acabado.

A estimativa depende em grande medida da avaliação por analogia, em muitos casos, porque as fontes chinesas simplesmente não revelam informações de custos sobre a grande maioria dos insumos utilizados em navios de guerra que estão sendo construídos na China. Como tal, a estimativa é conservadora e pode superestimar os custos de construção e equipamentos.

Gráfico 1: discriminação de custos da Type 054A

Os valores do gráfico estão milhões de dólares americanos, juntamente com a porcentagem do custo estimado total do navio (números arredondados)

Fontes: Alibaba, Marinha dos EUA, mídias locais e estrangeiras, análise do autor.

A próxima seção elabora sequencialmente a estrutura de custos da Type 054A, com as áreas que mais contribuem para o custo final do navio.

ELETRÔNICA: US$ 102 milhões, 29 por cento. Os fabricantes chineses de eletrônicos de grau militar revelam pouca ou nenhuma informação sobre os custos unitários dos sistemas que eles produzem para o Exército de Libertação Popular (PLA). Além disso, o PLA não publica orçamentos detalhados, como os que são comuns no Departamento de Defesa dos EUA (US DoD). Como tal, esta análise usa uma abordagem de avaliação por analogia para estimar o custo provável dos principais sistemas eletrônicos do navio.

O sistema de dados de combate do navio ZKJ-4B/6 é baseado no Tavitac Thompson CSF. O guia The Naval Institute Guide to World Naval Weapons Systems, 1997-1998, estimou que o Tavitac representava menos de 5% do custo final da fragata Lafayette francesa, com base no custo unitário original de US$ 466 milhões das seis fragatas de classe Lafayette (“Kang Ding”) compradas por Taiwan em 1992, o que sugere que o Tavitac custou aproximadamente US$ 20 milhões. Dada a similaridade indicada pelos sistemas, é razoável valorizar o ZKJ-4B/6 em US$ 20 milhões por unidade.

O radar de busca Type 382 3D provavelmente custa cerca de US$ 15 milhões por unidade com base no preço do sistema de radar AMD Saab vendido para a Austrália para o LHD da classe “Canberra” e o fato de que os fabricantes chineses de radar provavelmente ainda não alcançaram a experiência e o nível de eficiência de processo de produção da Saab. A suíte de sonar da fragata Type 054A provavelmente custa cerca de US$ 20 milhões, com base no custo unitário do Sonar 2087 da Royal Navy e os requisitos de aquisição que a Marinha dos EUA usou em 2005 ao especificar as características de um novo sonar rebocado (towed array).

Finalmente, o autor estima que o sistema de controle de máquinas da Type 054A custa US$ 15 milhões, com base no fato de que a Northrup Grumman contratou para fornecer o sistema de controle de máquinas do navio de assalto anfíbio LHA-7 muito maior, com um custo de US$ 50,6 milhões. O autor reconhece que os custos de eletrônicos a bordo podem, na verdade, ser mais baixos, embora nenhum dado que ele conheça seja de menor custo.

A Type 054A possui 32 células VLS
para mísseis antiaéreos HQ-16 ou Shtil VL (SA-N-12 VLS) – Foto: Alexandre Galante

ARMAS: US$ 84 milhões, 24 por cento. A parte mais cara do conjunto de armas da Type 054A é provavelmente a das células do sistema de lançamento vertical. Um módulo de 8 células do sistema americano Mk 41 VLS – o mais utilizado no mundo – custa cerca de US$ 15 milhões. A Type 054A possui 32 células VLS no total e o autor descontou o custo do módulo 8 células para US$ 10 milhões, fazendo com que o sistema custe cerca de US$ 40 milhões.

O segundo componente mais caro do armamento da Type 054A é o sistema CIWS, com dois Type 730, que provavelmente custam cerca de US$ 11 milhões somados. O CIWS Phalanx Block 1B da US Navy custa US$ 5,6 milhões por unidade, e o autor acredita que este é um custo razoável para o CIWS Type 730 porque, embora a arma chinesa seja de um calibre maior e o sistema seja fisicamente maior, os custos de montagem e materiais são provavelmente substancialmente inferiores.

A Type 054A tem dois CIWS Type 730 de 30 mm, um em cada bordo – Foto: Alexandre Galante
Dois lançadores quádruplos de mísseis antinavio C-803 – Foto: Alexandre Galante
Helicóptero Harbin Zhi-9 (Z-9C,) versão naval do AS 365N Dauphin II fabricado sob licença – Foto: Alexandre Galante

MÃO-DE-OBRA: US$ 75 milhões, 22 por cento. Enquanto os dados são um pouco escassos, a construção e o comissionamento de um navio de guerra do porte de fragata de 3.000 a 4.000 toneladas de deslocamento parece exigir entre 2,5 milhões de horas-homem (FFG-7, EUA) e 10,8 milhões de horas-homem (Classe Godavari, Índia) de trabalho.

O autor estima que, atualmente, os estaleiros militares chineses, que podem oferecer maior intensidade de mão-de-obra do que os estaleiros ocidentais devido a uma grande força de trabalho, mas que quase certamente são substancialmente mais eficientes do que os indianos, exigem cerca de 3,2 milhões de horas-homem para construir e finalizar uma fragata Type 054A.

O custo médio de mão-de-obra dos estaleiros chineses é baseado nos custos de trabalho de de Jiangsu Rongsheng de 2013, um dos principais construtores navais privados, que são então aumentados em 25% para refletir o prêmio pago pelos conjuntos de habilidades especiais necessários para o trabalho de construção naval feito com especificações militares.

Type 054A durante Passex com a Marinha do Brasil – Foto: Alexandre Galante

CASCO E EQUIPAMENTOS: US$ 45 milhões, 13%. Esta estimativa de custo baseia-se no fato de que cerca de um terço do peso do navio de combate de superfície, como a Type 054A, geralmente consiste em metais — principalmente aço, juntamente com quantidades menores de ligas de alta qualidade e fiação e tubos.

O autor multiplicou as 1.200 toneladas métricas de aço provavelmente necessárias para um navio do tamanho da Type 054A em um custo médio de US$ 2.000/toneladas métricas para o aço de alta qualidade, como o usado em navios de guerra. O restante do custo provém de materiais compostos e materiais absorventes de radar, cujos dados de custo foram obtidos de itens similares vendidos no Alibaba.com e do custo de aplicar revestimentos absorventes de radar em navios de guerra de tamanho de fragata, conforme divulgado pelo Chicago Tribune (certamente um pouco datado já que é de 1993).

Os dados de custo para pintura, tubulação, bombas, válvulas e fiação também provêm de itens similares fabricados na China anunciados para venda no Alibaba.com, bem como o preço no London Metals Exchange para o cobre, o componente subjacente da fiação, e provavelmente parte das ligas de tubulações.

PROPULSÃO: US$ 32 milhões, 9 por cento. A maior parte dos custos da propulsão da Type 054A provém de seus quatro motores diesel Pielstick/Shaanxi PA6. Pelo menos uma empresa comercial oferece motores Pielstick para venda entre US$ 1 e US$ 10 milhões cada. Esta estimativa usa o preço médio de US$ 5 milhões por motor para refletir o tamanho do motor e a qualidade superior necessária para uma aplicação militar. O saldo do custo estimado reflete a caixa de velocidades, os eixos de transmissão, os lemes e os hélices.

CUSTOS DIVERSOS: US$ 10 milhões, 3 por cento. Esta categoria é um “catchall” que ajuda a estimativa geral da conta de partes e peças que podem ter sido ignoradas no processo de estimativa do custo de cada navio.

Uma Type 054 no fim da formatura durante a Passex com a Marinha do Brasil em 2013 – Foto: Alexandre Galante

Conclusão e Implicações Estratégicas

A estimativa de custo unitário de US$ 348 milhões chega razoavelmente bem ao preço que a China ofereceu pelas fragatas Type 054 à Tailândia, no início de 2013. A Marinha da Tailândia procurava gastar US$ 1 bilhão em novas fragatas e a China teria oferecido três Type 054 a esse preço. A oferta chinesa de navios a um preço efetivo de US$ 333 milhões cada um sugere que, com maiores margens de lucro a nível internacional, o custo efetivo entre os navios estaria entre US$ 350 milhões e US$ 375 milhões por unidade. Além disso, os navios importados provavelmente custariam menos para construir, dado que eles não são tão sofisticadas quanto as Type 054A entregues à PLA Navy.

Se o custo de construção real da Type 054A cair nessa faixa, cotando com o “lucro” dos construtores de navios de cinco por cento para entregas de navios à PLA Navy, o preço do navio entregue seria de US$ 365 milhões. Em termos de contratos públicos, isso ofereceria à PLA Navy um valor significativo em relação ao custo dos navios de origem estrangeira. Por exemplo, o construtor francês DCNS (atual Naval Group) vendeu uma fragata da classe FREMM ao Marrocos por US$ 676 milhões e as primeiras quatro fragatas F125 da Alemanha custam US$ 740 milhões cada.

Os gastos de hardware militar sempre incorrem em um custo de oportunidade, uma vez que mesmo uma economia grande e crescente, como a China, ainda possui uma quantidade limitada de recursos que podem ser devidamente dedicados às despesas militares. Para colocar o custo da compra de uma Type 054A em US$ 365 milhões em perspectiva, considere que o navio usa fundos iguais a cada uma das seguintes despesas alternativas, todas as quais estão em demanda em vários ramos do PLA:

  • Treze aviões de combate J-10.
  • Dez caças Su-30K de ataque.
  • 177,5 milhões de galões de combustível de jato para treinamento – combustível suficiente para permitir que cada um dos 97 caças Su-30 da China seja totalmente carregado com combustível 600 vezes.
  • Os salários anuais de cerca de 64 mil oficiais juniores de PLA.

Uma Marinha, em última análise, navega na força do tesouro nacional. A esse respeito, a PLA Navy ganha cada vez mais com a “utilização mais eficaz do seu dinheiro” com custos de aquisição de navios que são muito inferiores aos de outros grandes poderes navais da Ásia-Pacífico.

A comunidade analítica agora tem a oportunidade de criar um conjunto de dados de custos de navios de guerra únicos para desbloquear novas e poderosas linhas de investigação sobre a modernização naval da China e os gastos de defesa.

A Type 054A vista pela popa – Foto: Alexandre Galante

Gabe Collins é o co-fundador do China SignPost e um ex-analista de investimentos de commodities e pesquisador do Instituto de Estudos Marítimos do US Naval War College.

FONTE: The Diplomat / Tradução e adaptação do Poder Naval

37
Deixe um comentário

avatar
34 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
27 Comment authors
JPC3Fernando TurattiTopolWagnerAlex Barreto Cypriano Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
John Paul Jones
Visitante
John Paul Jones

Bom artigo, bem oportuno em época de competição pelas Tamandaré.

Não achei tão pechincha assim quanto falam por aqui ….

igortepe
Visitante
igortepe

Com certeza os impostos são baixíssimos, e a mão de obra é muito barata.
O Brasil também poderia construir navios de combate baratos, bastaria os governos não cobrarem ou reduzirem muito os impostos sobre todos os insumos utilizados na produção do navio.
Sem impostos as famosas Tamandarés sairiam por valores abaixo dos 300 milhões de dolares.

Pedro Paulo
Visitante
Pedro Paulo

O Brasil perde no fator competitividade com a china e a india,tomamos uma goleada de 30 a 0. Infelizmente a carga fiscal sobre um trabalhador brasileiro e muito alto,sera q no real momento q nossa marinha viver,nao seria jogo comprar umas 4 fragatas dessas da china?

Ádson
Visitante
Ádson

igortepe 18 de agosto de 2017 at 19:51
Igortepe, uma Tamandaré sem impostos em toda cadeia produtiva sairia por bem menos de 200.

Bardini
Visitante
Bardini

Pra mim, esse ai é o navio mais bonito que os Chineses fizeram nos últimos tempos…
.
Um pdf interessante a respeito das capacidades ASW do navio: http://www.admiraltytrilogy.com/cic/HarpoonAnalysis/PLAN_Towed_Array_and_Acoustic_Decoy.pdf

Bavaria Lion
Visitante

Caros

Vocês ainda acham que a tamandaré será concluida? So se for nos moldes que falei anteriormente: 25 anos, desdentada e com voracidade igual ao thrump asiático.

Renan
Visitante
Renan

Falando de China, não me parece correto estas contas, sim é uma base pare se pensar no custos totais, mas a China tem uma capacidade de baratear seus custos bem mais do que o apresentado, principalmente no que diz a respeito de eletrônica. Partindo da oferta chinesa citada no texto (333 por cada), apostaria no custo real de 290 a 300 milhões por cada Navio. Lucrando aproximadamente 10 % no contrato . Isto para venda, quanto a produção interna sem impostos calculo que seja algo entorno de 269 milhões para venda direta ao governo. Minha opinião Pois a china cobra… Read more »

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Na verdade pela estimativa eu penso o exato oposto: estão tentando vender com lucro marginal ou sem, apenas pra continuar empregando seus estaleiros.
Os EUA pra manterem sua indústria bélica como se em guerra estivessem, aposentam material cedo, vendem a preços baixos, doam e o escambau. O FMS dá lucro pras empresas americanas mas nada mais é que financiamento quase gratuito pelo erário público, que sai mais em conta do que ser obrigado a ele mesmo comprar o equipamento pra manter a fábrica.

CVN76
Membro
Noble Member

O problema nâo se resume somente aos altos impostos….além disso deve-se colocar na conta os seguintes fatores:

– Burocracia
– Falta de mâo de obra qualificada em grandes numeros
– Baixa qualidade de material fornecido de muitos liferantes
– Produçâo em pouca escala para realmente baratear o produto final
– Falta de palnejamento a longo prazo por parte do governo
– Preço alto de energia e matérias primas
– Transportes ruins e ineficientes

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

A Indústria Naval brasileira poderia voltar ao Topo dos Construtores Mundiais ,criando em torno de nossos Estaleiros ZPEs ,a trinta anos as projetamos , fizemos Leis e nada , a China com elas passou a Liderança ,criando-se uma ZPE em torno destes Estaleiros , tudo que for produzido fora seria entraria na área sem impostos e quando o produto pronto ,para fora e para dentro do País sairia isento de impostos , rapidamente conseguiríamos novamente uma das Lideranças na Construção Naval .

Patton Lives
Visitante
Patton Lives

Esqueceram de uma coisa que falta no Brasil, vontade popular de ter uma Marinha e FFAAs de gente grande, tem gente no país que nem sabe o que é um navio de guerra e pra que serve, as prioridades são outras no Brasil, infelizmente.

Dalton
Visitante
Dalton

Ainda bem que existem outras prioridades…como saúde, educação, etc…verdade que não se tem qualidade nem quantidade, mas, poderia se estar ainda pior se recursos fossem desviados para as forças armadas. . Mesmo que não houvesse tanta corrupção…acabar totalmente é impossível aqui e em qualquer canto do globo, tais recursos se não perdidos pela corrupção seriam/deveriam ser aplicados no bem estar da população…a menos que…houvesse uma ameaça externa de fato. . Gosto de navios de guerra desde muito jovem quando minha marinha favorita era a “Kriegsmarine” justamente por ser pequena e que permitiu-me decorar o nome e as características de suas… Read more »

_RR_
Visitante
_RR_

Excelente matéria.
.
Bastante interessante o estudo.

Patton Lives
Visitante
Patton Lives

Caro Dalton, essa é a prioridade ao qual me referi, corrupção.

Patton Lives
Visitante
Patton Lives

Você é uma exceção nesse país de apedeutas. Abraço.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Navio lindo em todos os aspectos e até onde meus olhos de leigo podem ver me parece ter excelente qualidade, muito bem equilibrado em termos de armamento e desempenho (pelos dados que se pode encontrar). Muitos criticam os equipamentos chineses mas é inegável que essa fragata é de encher os olhos… sem dúvidas cairia como uma luva para nossa Marinha, com 10 unidades dessa máquina estaríamos muito bem servidos e certamente teríamos condições de bancar o preço dos armamentos chineses, quanto as Tamandarés, é quase certo que vai enfrentar todo tipo de problema e atrasos pois nosso governo não perde… Read more »

Antônio
Visitante
Antônio

Muito boa a iniciativa. Mas me parece muito frágeis as premissas. Acho que por 50 milhões de dólares eles constroem. Ah, um radar tal a empresa ocidental tal faz por 30 milhões. E quem disse que uma empresa estatal chinesa faz por um milhão? Tipo vendem um verificador de pressão arterial de pulso no Brasil entre 100 é 200 reais. Quem disse que ele não é comprado na China por dez reais? Um pedaço de plástico, um display fabricado aos milhões, um pedaço de tecido… Enquanto isso, no ocidente um Tomahawk sai por2 milhões. Já a Coreia do norte, isolada… Read more »

camargoer
Visitante

Quanto o Governo Chinês paga de juros aos seus bancos? Sem responder isso não dá para comparar orçamentos e carga de impostos entre o Brasil e a China. Aliás, estes “comunistas” são mais eficientes em lidar com o orçamento do que alguns liberais que conheço.

Gilson Moura
Visitante
Gilson Moura

Antônio 19 de agosto de 2017 at 13:25
Tá viajando hein.

Vão escrever uma matéria sobre isso: https://www.youtube.com/watch?v=-8r5-1cCLGg
Isso é uma prova que a Rússia pode atacar qualquer alvo no globo?

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Achei interessantíssimo a discussão sobre os custo de construção de navios no Brasil e na China. Mas vamos lá:
A China tem tudo ao seu favor, trabalho análogo a escravidão, ou seja, gasta-se quase nada. Dinheiro não falta, espionagem para copiar projetos, engenharia reversa, empresas estatais trabalhando a todo vapor para atender uma demanda para os próximos 50 anos e finalmente, derradeiramente, a oneração fiscal é infinitamente menos que no Brasil.
Acho uma covardia comparar o modo produtivo dos dois países.

Theo Gatos
Visitante
Theo Gatos

Muito interessante a matéria… Pelo que ele mesmo escreveu é um trabalho vivo e em desenvolvimento que não se propõe a trazer uma verdade absoluta, ‘as um pouco mais de luz à discussão…
.
Agora eu perdi a parte da história que o Brasil ocupo o “topo dos construtores mundiais” a ponto de “voltar” pra essa posição…
.
Sds

Karl Bonfim
Visitante
Karl Bonfim

As corvetas classe Tamandaré, vão ter um custo muito próximo dos valores dessas maravilhosas fragatas chinesas, mas com armas sistemas embarcados e capacidades muito inferiores. Até mesmo as corvetas russas classe stereguchi, muito superior em armamento sistemas custam quase um terço a menos que as Tamandaré. Quando comparamos esses dados, não dá para segurar a indignação, acrescente a isso o grau de sucateamento da nossa minúsculas esquadra é a penúria das nossas forças armadas. A que ponto chegamos? Onde isso vai parar?

Antônio
Visitante
Antônio

Um míssil, depois de desenvolvido, nada mais é do que um cilindro metálico cheio de combustível, com dinamite é um GPS na ponta.
Tudo bem, talvez tenha simplificado demais.
Um GPS de csrro se compra por 100, 200 reais.
Outro exemplo, as mineradoras e siderúrgicas (que também extraem minério) brasileiras extraem minério, tem altos lucros com o minério, vendem para a China, um navio transporta meio mundo, descarregam, acendem fornos a altíssimas temperaturas, fabricam aço, pagam funcionários, carregam em navios e exportam para o Brasil, a um preço mais baixo do que o das siderúrgicas nacionais…

Zeabelardo
Visitante
Zeabelardo

Se vantagem fiscal resolvesse, as fábricas da zona Franca de Manaus não fechariam para reabrir na China.

Antônio
Visitante
Antônio

Em todo mundo ocidental estão fabricando navios e aviões a preços abusivos.
Um caça mequetrefe a 50, 100 milhões.
Não vale…
A indústria de defesa quebrando os governos.
Japão com dívida equivalente a quase 200% do PIB.
Dívida americana na casa dos 20 trilhões…
Dívida brasileira na casa de 4 trilhões.
E ainda ter que comprar aviões e navios pelos olhos apertados da cara…
Tecnologia não é comprar ouro é diamantes.
É pessoal especializado, tempo e técnicas de desenvolvimento.
Até o Brasil já produz aviões de ponta e tinta RAM.
Não há nada de difícil nisto…
Mas algumas empresas cobrarão fortunas. Seus donos ficarão ricos…

JPC3
Visitante
JPC3

Nada de difícil em construir armas competitivas e de última geração?

JPC3
Visitante
JPC3

Qual avião de ponta o Brasil produz sem precisar muito de tecnologia importada caríssima?

Zeabelardo
Visitante
Zeabelardo

No Brasil, tudo joga contra. Além dos tributos, há o custo de escrituração. Mesmo quando isento, vc é obrigado a mantê-la para fiscalização. Por vezes a complexidade da legislação causa mais custo que os próprios impostos. Coisa da terra Brasilis.

Zeabelardo
Visitante
Zeabelardo

Na última cartada, cada empresa é obrigada a ter uma inscrição estadual em cada estado é recolher ICMS conforme a legislação desse estado e do seu de origem. Só pra ficar mais facil. Muita gente deixou de atender determinados estados porque não compensa.

Zeabelardo
Visitante
Zeabelardo

Antônio,
Boa ideia, abra uma empresa de defesa e produza vc.
Um abraço,

ScudB
Visitante
ScudB

Ainda fico com opinião do mestre Bosco : China não costuma fazer coisa boa sem você pagar o preço razoável.O fabricante chinês é bicho desgraçado : Você tem que estar la e bater forte na cabeça do bicho para não fazer a m.rda. Comentei um dia algo assim com meu amigo de adolescência e ele (trabalha com transportadoras e participa diretamente na entrega ou transferencia dos navios para consumidor final) clama pelos todos os Santos e Deuses Pagãos de não entrar ou trafegar num “caixão chinês flutuante” : metal ruim , solda ruim , cabos sub-dimensionados , ferrugem total ,… Read more »

Ádson
Visitante
Ádson

Alguém com conhecimento de custos poderia fazer um calculo do custo de um OVP “Tamandaré” construído no Brasil.

diego
Visitante
diego

Projeto interessante, más não confio nos chinas para adquirir um barco completo pronto. Talvez seria interessante negociar de 6 a 8 cascos e o AMRJ faria o “recheio’ e acabamentos. Daria para instalar alguma artilharia básica para ficar mais econômico e rápido para prontificar para esquadra e indo instalando armamentos mais pesados com o tempo, fica a dica.

Bavaria Lion
Visitante

A fragata é boa, e produzir em grande escala um navio de 4000 toneladas (25 ativas de 2008 pra cá), com capacidade de combate no estado da arte é um feito notável.
Tem ótimos armamentos e utiliza helis no mínimo competentes para as funções ASuW e ASW.
Não está no patamar técnico das melhores do mercado, mas, seria difícil para 3 Type 26 sobreviverem a 6 Type054a…

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Muito interessante o artigo. Mas o preço final importa pouco para nações de PIB astronômico com setores industriais militares organizados e operantes, quer ao modo da América (que tem a vantagem de ter sua moeda, sem lastro metálico há muito, como referência mundial), quer ao modo da China. China, turbinada pela América, é o melhor inimigo que trocas econômicas poderiam enriquecer.
Abs.

Wagner
Visitante
Wagner

Dalton

A marinha Alemã- A esquadra de Alto Mar – Richard Humble – Rennes

Era a minha bíblia de quando eu era garoto kkkkkkkkkkkk , sabia cada trecho de cada página !

Topol
Visitante
Topol

Estes números podem estar superfaturados… e muito. O autor esqueceu de levar em consideração um fator muito importante: a China é um país comunista, muitas das empresas produtoras são estatais portanto não visam lucro nenhum, estão trabalhando a serviço do estado, dessa forma o custo real cai drasticamente já que o que deve ser levado em conta seria teoricamente apenas os custos da matéria prima e os custos de produção básicos da empresa estatal.