Home Indústria de Defesa Mísseis Tomahawk: Reino Unido compra sobressalentes e suporte

Mísseis Tomahawk: Reino Unido compra sobressalentes e suporte

2872
4
O Tomahawk Land Attack Missile (TLAM) ( Cruise Missile) é um míssil de ataque terrestre convencionalmente armado com um alcance superior a 1.000 milhas náuticas. Propulsado por turbojato, é lançado de submarino a partir de tubos de torpedo e tem um sistema autônomo de seguimento de terreno e voa através de rota pré-planejada

Peças sobressalentes e o suporte para o estoque de mísseis Tomahawk no Reino Unido estão sendo adquiridos pelo Ministério da Defesa com o trabalho realizado nos EUA e na Escócia.

O Tomahawk Land Attack Missile é um míssil de cruzeiro subsônico de longo alcance, para emprego em quaisquer condições meteorológicas, usado principalmente pela Marinha dos Estados Unidos e Royal Navy em operações de ataque terrestre lançado de navios e submarinos.

De acordo com uma notificação de contrato da DSCA:

“A Raytheon Co., Tucson, Arizona, está recebendo US$ 260.345.336 para a modificação P00010 para um preço fixo previamente fixado (N00019-17-C-0034) para aquisição de 196 mísseis de sistema de lançamento vertical Tomahawk Block IV completos e peças sobressalentes em apoio à Marinha. Além disso, esta modificação prevê a aquisição de peças sobressalentes e suporte para o governo do Reino Unido.

O trabalho será realizado em Tucson, Arizona (23,95 por cento); Walled Lake, Michigan (12,41 por cento); Camden, Arkansas (10,76 por cento); Gainesville, Virgínia (7,5%); El Segundo, Califórnia (6,5%); Glenrothes, Escócia (4,4 por cento); Fort Wayne, Indiana (3,7 por cento); Clearwater, Flórida (3,4 por cento); Middletown, Connecticut (3,1 por cento); Spanish Fork, Utah (2,46 por cento); Ontário, Califórnia (2,4 por cento); Midland, Ontário, Canadá (2,21 por cento); Vergennes, Vermont (1,96); Dublin, Geórgia (1,9 por cento); Berryville, Arkansas (1,7%); Westminster, Colorado (1,14 por cento); Simsbury, Connecticut (0,73 por cento); Moorpark, Califórnia (0,71 por cento); Valência, Califórnia (0,69 por cento); Hollister, Califórnia (0,69 por cento); Mesa, Califórnia (0,6 por cento); East Camden, Arkansas (0,55 por cento); South El Monte, Califórnia (0,51 por cento) e vários locais dentro dos EUA continentais (6,03 por cento).

Espera-se que o trabalho seja concluído em agosto de 2019.

A compra de armas dos anos fiscais 2017 e 2018 (Marinha dos EUA); e fundos de vendas militares estrangeiras no montante de US$ 260.345.336 estão sendo obrigados no momento do contrato, nenhum dos quais expirará no final do ano fiscal atual.

Este contrato combina compras para a Marinha dos EUA (US$ 256.702.665; 98,6%); e o governo do Reino Unido (US$ 3.642.671, 1,4 por cento) no âmbito do programa de vendas militares estrangeiras (FMS).

O Naval Air Systems Command, Patuxent River, Maryland, é o contratante”.

A Guerra do Kosovo em 1999 viu o HMS Splendid da classe “Swiftsure” se tornar o primeiro submarino britânico a disparar o míssil Tomahawk em combate.

A Royal Navy já disparou Tomahawks durante a Guerra do Afeganistão nos anos 2000, na Operação Telic como a contribuição britânica para a Guerra do Iraque de 2003 e durante a Operação Ellamy na Líbia em 2011.

Tomahawk sendo lançado de submarino

4
Deixe um comentário

avatar
4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
NunãoBardiniDiogo LimaMarcelo Andrade Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Isto é uma arma dissuasória e não um trambolho sendo lançado de um Hércules! Deixa eu ficar quieto….

Diogo Lima
Visitante
Diogo Lima

Apesar de muitos cortes na defesa, na quantidade, os britânicos ainda estão andando pra frente em relação a tecnologia.
No que diz respeito a mísseis e junte isso a;
MQ-9 Reaper, AH-64E Guardian, P-8 Poseidon e F-35B.