Home Indústria de Defesa Mísseis Tomahawk: Reino Unido compra sobressalentes e suporte

Mísseis Tomahawk: Reino Unido compra sobressalentes e suporte

2899
4
O Tomahawk Land Attack Missile (TLAM) ( Cruise Missile) é um míssil de ataque terrestre convencionalmente armado com um alcance superior a 1.000 milhas náuticas. Propulsado por turbojato, é lançado de submarino a partir de tubos de torpedo e tem um sistema autônomo de seguimento de terreno e voa através de rota pré-planejada

Peças sobressalentes e o suporte para o estoque de mísseis Tomahawk no Reino Unido estão sendo adquiridos pelo Ministério da Defesa com o trabalho realizado nos EUA e na Escócia.

O Tomahawk Land Attack Missile é um míssil de cruzeiro subsônico de longo alcance, para emprego em quaisquer condições meteorológicas, usado principalmente pela Marinha dos Estados Unidos e Royal Navy em operações de ataque terrestre lançado de navios e submarinos.

De acordo com uma notificação de contrato da DSCA:

“A Raytheon Co., Tucson, Arizona, está recebendo US$ 260.345.336 para a modificação P00010 para um preço fixo previamente fixado (N00019-17-C-0034) para aquisição de 196 mísseis de sistema de lançamento vertical Tomahawk Block IV completos e peças sobressalentes em apoio à Marinha. Além disso, esta modificação prevê a aquisição de peças sobressalentes e suporte para o governo do Reino Unido.

O trabalho será realizado em Tucson, Arizona (23,95 por cento); Walled Lake, Michigan (12,41 por cento); Camden, Arkansas (10,76 por cento); Gainesville, Virgínia (7,5%); El Segundo, Califórnia (6,5%); Glenrothes, Escócia (4,4 por cento); Fort Wayne, Indiana (3,7 por cento); Clearwater, Flórida (3,4 por cento); Middletown, Connecticut (3,1 por cento); Spanish Fork, Utah (2,46 por cento); Ontário, Califórnia (2,4 por cento); Midland, Ontário, Canadá (2,21 por cento); Vergennes, Vermont (1,96); Dublin, Geórgia (1,9 por cento); Berryville, Arkansas (1,7%); Westminster, Colorado (1,14 por cento); Simsbury, Connecticut (0,73 por cento); Moorpark, Califórnia (0,71 por cento); Valência, Califórnia (0,69 por cento); Hollister, Califórnia (0,69 por cento); Mesa, Califórnia (0,6 por cento); East Camden, Arkansas (0,55 por cento); South El Monte, Califórnia (0,51 por cento) e vários locais dentro dos EUA continentais (6,03 por cento).

Espera-se que o trabalho seja concluído em agosto de 2019.

A compra de armas dos anos fiscais 2017 e 2018 (Marinha dos EUA); e fundos de vendas militares estrangeiras no montante de US$ 260.345.336 estão sendo obrigados no momento do contrato, nenhum dos quais expirará no final do ano fiscal atual.

Este contrato combina compras para a Marinha dos EUA (US$ 256.702.665; 98,6%); e o governo do Reino Unido (US$ 3.642.671, 1,4 por cento) no âmbito do programa de vendas militares estrangeiras (FMS).

O Naval Air Systems Command, Patuxent River, Maryland, é o contratante”.

A Guerra do Kosovo em 1999 viu o HMS Splendid da classe “Swiftsure” se tornar o primeiro submarino britânico a disparar o míssil Tomahawk em combate.

A Royal Navy já disparou Tomahawks durante a Guerra do Afeganistão nos anos 2000, na Operação Telic como a contribuição britânica para a Guerra do Iraque de 2003 e durante a Operação Ellamy na Líbia em 2011.

Tomahawk sendo lançado de submarino
Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
2 anos atrás

Isto é uma arma dissuasória e não um trambolho sendo lançado de um Hércules! Deixa eu ficar quieto….

Diogo Lima
Diogo Lima
2 anos atrás

Apesar de muitos cortes na defesa, na quantidade, os britânicos ainda estão andando pra frente em relação a tecnologia.
No que diz respeito a mísseis e junte isso a;
MQ-9 Reaper, AH-64E Guardian, P-8 Poseidon e F-35B.