Home Indústria Naval Marinha Iraniana incorpora a quarta FAC-M classe ‘Sina’

Marinha Iraniana incorpora a quarta FAC-M classe ‘Sina’

4156
37

A Marinha da República Islâmica do Irã (IRIN) incorporou sua quarta embarcação rápida de ataque classe “Sina” (FAC) construída no país, em 5 de dezembro.

O comissionamento da Separ (P 234) ocorreu na base Bandar-e Anzali da IRIN no Cáspio. As três primeiras Sinas foram incorporadas pela frota do Cáspio entre 2004 e 2009.

A classe é baseada na FAC classe Combattante II que o Irã encomendou da França na década de 1970, pelo menos nove das quais continuam a servir no Golfo (com sede em Bushehr) e no Golfo de Omã (com base em Jask).

Imagens de satélite mostram que outra Sina está em construção em Bandar Abbas desde 2012 e o casco para o que pode ser uma sexta unidade esteve presente no estaleiro de Bostanu desde maio de 2016.

FONTE: Jane’s

Subscribe
Notify of
guest
37 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mk48
Mk48
2 anos atrás

Aparentemente muito bem armada.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
2 anos atrás

Para um país com mar territorial pequeno, demonstra uma boa força defensiva…

rl
rl
2 anos atrás

Quais as capacidades dessa embarcação?

Fiquei curioso.

Tamandaré
Tamandaré
2 anos atrás

Nem se iludam: isto é apenas uma barcaça porta-mísseis! Se pegar mar um pouco mais agitado tá todo mundo lascado ali!!

MO
MO
Reply to  Tamandaré
2 anos atrás

Sim, mas considere que o TO eles é um Golfo …. isto facilita muito este tipo de embarcação

Bavaria Lion
2 anos atrás

Um fast attack boat, menos capaz que os Gepard alemães. O conceito ainda é válido, pois a Visby sueca tem muito disso. Porém esse design era pra enfrentar grandes destroyers ainda artilhados, atacando com foguetões (exocet) a noite, numa era em que a optrônica ainda não estava 10% do que é hoje. Tal como aconteceu com o Eliat (http://www.naval.com.br/blog/2017/10/21/50-anos-do-afundamento-do-destroier-israelense-eilat-por-misseis-styx/), para acontecer hoje contra uma escolta, o FAC deve ser muito mais rápido, design e revestimento stealth, juntamente com mísseis mais capazes. Essa coisinha não teria a menor chance contra um heli com mísseis antinavio no estado da arte (até o… Read more »

MO
MO
2 anos atrás

Oxe, esta classe nao seria uma La Cambatent iranniquizada ?

Glasquis7
2 anos atrás

Bavária Lion,
O ambiente natural das FAC são fiordes como na Noruega ou o Chile. No seu TO as FAC são armas letais, saindo entre os canais e ilhotas pra lutar muito próximas ao litoral atacando de forma rápida e supressiva pra logo retornar à segurança dos Fiordes. Nessas condições são armas valiosas.

Estas são muito parecidas às SA´AR 4 Israelences.

Gabriel2
Gabriel2
2 anos atrás

Feio de dar dó!

MO
MO
Reply to  Gabriel2
2 anos atrás

ahhh, mas nao é feio nao irmao, a la combattent foi dos mais bonitos FAC-
M que ja existiram, o que é bunito para vc, Visby ? Tipo 45, Freemm ?? estes UQTR ?

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

Uma nova versão de um navio velho, que já está irremediavelmente obsoleto.

José Juscelino de Oliveira Neto
José Juscelino de Oliveira Neto
2 anos atrás

É até vergonhoso o Brasil não ter a capacidade de construir uma embarcação desse tipo. Ainda depende de um velho barco de 80 anos para patrulhar os nossos rios.

MO
MO
Reply to  José Juscelino de Oliveira Neto
2 anos atrás

Eis que surge mais um Jeniu, e ai Dom, o que tem a ver uma coisa com a outra, o que é um monitor fluvial, explica ae ?

Vergonha e dar palpite sem ter a minima noção do que se fala … se caso se sentir contrariado, explica ae o que os 80 anos desabonam o Parnaiba

Benvindo ao Naval, versão real, nao wikipedia ou google …

Bosco
Bosco
2 anos atrás

Interessante que essa embarcação de ataque utiliza um sistema de radar Mk-92 semelhante á utilizada pelas fragatas OHP. Esse sistema de radar combina um radar de vigilância aérea e um de direção de tiro no mesmo domo em forma de bolha.comment image

Bosco
Bosco
2 anos atrás

Ops! Comentário meu mal redigido. O que quis dizer é que esse navio utiliza um sistema de radar “semelhante” ao Mk-92, que era utilizado inclusive pelas fragatas OHP.

Luciano
Luciano
2 anos atrás

MO, os misseis utilizados são Exocet? Esse é o padrão da marinha iraniana?

MO
MO
Reply to  Luciano
2 anos atrás

Oi Luciano, não coneço o navio, acho que é uma versão iranica

Bosco
Bosco
2 anos atrás
Renan
Renan
2 anos atrás

Estes tipos de embarcação no nosso TO, seria de grande valia nas Foz dos rios, Portos e Ilhas de interesse.
Para uma defesa pontual próximo a costa.
No meu ver algo do tipo teria aproveitamento sim.
Mas no Brasil só serve se tiver velocidade de dobra, laser, 10 km de comprimento e 1 bilhão de toneladas então não serve.
Abraços.

cfsharm
cfsharm
2 anos atrás

Pode não ser a Miss Universo dos mares, mas perto do Ferrodepassarzumwalt tem seus encantos. Falo do perfil e não da capacidade bélica. Invocando Ivan o Mapento, creio que o perfil dela se adequa a sua área de atuação – acho que não foi concebida para mar agitado (realmente aí não é difícil imaginar a lasqueira).
Ainda tentando captar a correlação Monitor Fluvial x Embarcação de Ataque Marítima no contexto de produção naval?!?
Sds.

AL
AL
2 anos atrás

Pessoal, dando uma de Ivan, o mapento, essas embarcações são para o Mar Cáspio, mar interior fechado… Nada a ver com o “Brasil não construir coisas assim”, são realidades e mares beeem diferentes!!!!

https://www.google.com.br/maps/place/Bandar-e+Anzali,+Gilan,+Ir%C3%A3o/@37.5609017,42.6926775,5z/data=!4m5!3m4!1s0x401fea15a64891a7:0x6fdb63f32ff39466!8m2!3d37.4639089!4d49.4798635?hl=pt-BR

Luciano
Luciano
2 anos atrás

MO e Bosco, obrigado pela atenção!

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
2 anos atrás

Sim, costas bem recortadas e mares fechados são a sina desses navios.

Bavaria Lion
2 anos atrás

Caros, falei exocet porque o projeto original utilizava-os, ou aos harpoons nos modelos gregos e alemães.

Esse barco tem suas virtudes, como qualquer um. Mas ele já teria problemas pegando uma niterói modernizada pela frente, principalmente com um Lynx armado de sea skua, ele já teria muita dificuldade de evadir-se, se conseguisse tal feito.

Se ele pegar uma Saa’ar 4, 5 ou 6 pela frente, tem que torcer para não ser visto. Porque se for, e eles quiserem pegar, pegam.

Saudações.

Ádson
Ádson
2 anos atrás

O mundo está melhorando, ninguém disse: “melhor que a Tamandaré!”

Jeff
Jeff
2 anos atrás

Melhor que a Tamandaré… 😀

Ivan
Ivan
2 anos atrás

Prezado AL, (12 de dezembro de 2017 at 15:49) . Muito, muitíssimo obrigado. O mapa, sempre o mapa. . Estava no oftalmologista, apenas com o smartphone, desesperado com a cegueira geral em observar que estes barcos de ataque rápido – ou em inglês Fast Attack Craft (FAC) – estão sendo designados pela Marinha da República Islâmica do Irã (IRIN) para o Mar Cáspio. . No texto: “O comissionamento da Separ (P 234) ocorreu na base Bandar-e Anzali da IRIN no Cáspio. As três primeiras Sinas foram incorporadas pela frota do Cáspio entre 2004 e 2009.” . Outrossim, como você certamente… Read more »

Jonas Rafael
Jonas Rafael
2 anos atrás

A intenção é não ser vista obviamente. um helicóptero embarcado faria pouco caso delas, mas não dá pra ter um heli voando 100% do tempo. A intenção é usá-las em números para ataques de saturação. São um bom fator de dissuação na área em que atuam na minha opinião. Isso se conseguirem evitar serem destruídas em bombardeios aéreos nos prmeiros dias de conflito

AL
AL
2 anos atrás

Pensei em escrever justamente o que você já postou de maneira completa Ivan!! É outro mar e outro TO!!! Não sei qual o poderio naval da Azerbaijão e Turquemenistão, é um mar fechado e não tem muito “espaço” para grandes frotas lá. Lembro sim das Buyan-M despachando mísseis do Mar Cáspio. Uma dúvida: esse mar congela no inverno? Não achei essa informação em parte alguma.

Sempre curto muito seus mapas e suas colocações!!!!!

Ivan
Ivan
2 anos atrás

AL, . O Mar Cáspio tem seu maior comprimento no sentido norte-sul, que influencia em diferença de temperaturas, em que pese este mar ser um enorme lago salgado. . No norte, mais raso, é alimentado principalmente pelos rios Volga e Ural. Consequentemente tem menor salinidade e é influenciado pelo que acontece nos vales destes rios. Sim, no norte é mais frio também. . Pelo que entendi as temperaturas no inverno chegam até a 0ºC no norte e cerca de 10ºC no sul, próximo ao Iran. Já no verão as diferenças são menores, cerca de 1 ou 2 graus centígrados, oscilando… Read more »

Glasquis7
2 anos atrás

MO
“Eis que surge mais um Jeniu,…”

KKK O meu padrinho não perdoa KKK

MO
MO
Reply to  Glasquis7
2 anos atrás

Glasques

kkkkk eu sei que tem gente que quer me mandar a merda kkkkkkkkkkk tenta, mas embase o comentário , caso contrario Jeniu(2) ao quadrado

Sabe nada (a pessoa), inocente (rindo muito)

Edson Parro
Edson Parro
2 anos atrás

MO 12 de dezembro de 2017 at 13:13

Quando você escreveu La Combattante, pensei logo num contratorpedeiro francês. Mas aí, fui verificar e encontrei a tal de embarcação de ataque rápido ou seria embarcação rápida de ataque La Combattante.
Parece que os “francélicos” têm algum adido da MB na seção de “dar nomes a navios/classe de navios de guerra”.

Forte abraço

Edson Parro
Edson Parro
2 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini 12 de dezembro de 2017 at 16:10

Classe Sina, sina destes navios…
Boa!

Glasquis7
2 anos atrás

MO 12 de dezembro de 2017 at 22:15
“Glasques”

Po! o padrinho vai me “rebatizar”? KKK

José Luiz
José Luiz
2 anos atrás

Para o pessoal, há muitos anos atrás era um amante deste tipo de embarcação, hoje realmente vejo elas com muitas ressalvas, principalmente por causa da sua vulnerabilidade. Mas o mais importante somente servem para MARES ABRIGADOS, ou seja, não servem de maneira alguma para o nosso Atlântico Sul, aqui saiu da baía a embarcação já pega um mar difícil, quando vem frente fria fica muito difícil, quem mora no litoral sabe muito bem disso. Além do Mar Cáspio o outro teatro é o Golfo Pérsico que é super raso com 20 metros de profundidade e também de águas calmas. Outro… Read more »

Luiz FlorianoAlves
Luiz FlorianoAlves
2 anos atrás

Na segunda guerra os marujos de Tio Sam usaram as famosas PT Boats que eram o equivalente da época. Torpedeiras dotadas de dois motores de avião, gasolina de alta octanagem. Para fazer alguma coisa atuavam em flotilhas numerosas. Os Japoneses gostavam de pegar os caras dormindo e corta las ao meio, como fizeram com o Ten. Kennedy. O casco era de madeira. But…não respeitavam ondas e não se limitavam as aguas internas como baias e golfos, encaravam o mar grosso.