Home Marinhas de Guerra Submarinistas argentinos dependerão, nos próximos 13 meses, de navio com 45 anos...

Submarinistas argentinos dependerão, nos próximos 13 meses, de navio com 45 anos de uso

4820
67
ARA Salta

Por Roberto Lopes
Especial para o Poder Naval

O Comando da Força de Submarinos da Armada Argentina, sediado na Base Naval de Mar del Plata (415 km ao sul de Buenos Aires, por rodovia), ainda estuda como irá manter o adestramento dos seus oficiais e subalternos no ano de 2018.

Isso porque, com o desaparecimento do navio tipo TR-1700 San Juan (S-40), a 15 de novembro último, restaram a este Comando duas unidades que se encontram paralisadas, em reparos: o Santa Cruz (S41), da mesma classe do San Juan – nesse momento semidesmontado no estaleiro TANDANOR dos arredores da capital argentina –, e o Salta (S31), de 1.185 toneladas (à superfície), que já deixou o dique onde se encontrava, no estaleiro SPI (Servicios Portuarios Integrados), de Mar Del Plata, mas ainda não tem condições de submergir – e, portanto, de operar.

De acordo com informações obtidas de forma extraoficial pela Comissão de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados argentina, a questão dos prazos de restabelecimento da capacidade operacional do componente submarino é, por hora, bastante incerta.

Na semana que vem devem ser abertas as licitações para a aquisição de baterias para o Santa Cruz (que usa 960 desses equipamentos). O submarino se encontra, desde o fim de 2015, em sua manutenção de meia vida (Mid Life Upgrade – MLU), mas sua devolução às operações só será feita depois que especialistas do grupo alemão ThyssenKrupp Marine Systems auditarem as etapas já concluídas desse serviço de reparos.

A expectativa é de que o navio só esteja de volta à rotina das provas de mar a partir do mês de março de 2019.

ARA Salta – novembro de 2008 no Rio de Janeiro – Foto: Alexandre Galante

Adestramento – Na sexta-feira que vem (09.02), o Salta – uma embarcação tipo IKL-209/1.200 – completa 45 anos de incorporação, data que seu pessoal só poderá comemorar de forma discretíssima – por meio da leitura de um memorial diante da tripulação formada –, em atenção à dor causada pela perda dos 44 companheiros que viajavam no San Juan.

A situação criada pelo naufrágio é tão complexa e sensível que, a pedido dos familiares das vítimas, a Armada Argentina não pôde, até hoje – decorridos 80 dias do último contato feito pelo barco com sua base em Mar del Plata – declarar Luto Oficial (Duelo) em função da perda da embarcação. Esses familiares não aceitam a interrupção das buscas e pressionam para que a Marinha Argentina adquira um veículo submarino capaz de continuar investigando o fundo do mar.

A maior preocupação do Comando da Força de Submarinos é com a manutenção do treinamento das futuras tripulações de submarinistas argentinos.

Todos os anos o Comando forma entre 18 e 20 novos oficiais de submarinos, além de algumas dezenas de tripulantes subalternos. Não se sabe quantos serão declarados submarinistas este ano de 2018, e nem como serão feitos os estágios de aprendizado e as práticas em imersão.

Nos últimos anos, devido a repetidos problemas com os barcos da classe TR-1700, o adestramento dos militares argentinos chegou a ser feito por meio de mergulhos controlados do Salta nas águas – de pouca profundidade – da própria área da Base Naval de Mar del Plata.

A paralisia da Força de Submarinos Argentina agrava um quadro de obsolescências que já, praticamente, inviabilizou a capacidade de desembarque dos fuzileiros navais, por falta de um navio de desembarque adequado a essa tarefa.

A Marinha do Brasil vai atender um pleito dos argentinos e programar uma operação de desembarque anfíbio em conjunto com a Infantaria de Marinha Argentina, a partir do navio-doca Bahia (G40).

O destacamento argentino levará para bordo vários armamentos, além de algumas das suas viaturas.

Subscribe
Notify of
guest
67 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
FERNANDO
FERNANDO
2 anos atrás

ishiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

JC
JC
2 anos atrás

Triste ver isso com nossos vizinhos e serve muito bem de lição para Armada.

Mosczynski
Mosczynski
2 anos atrás

Se formos ver até que a MB tá bem. É como disse JC, tomara que seja usado como lição aprendida e quem sabe um dia tenhamos uma marinha de verdade.

Roberto F Santos
Roberto F Santos
2 anos atrás

Ummmmm mui amigos, quero ver se fosse ao contrario, os Fuzileiros precisando adestrar se eles iriam ajudar.

BrunoFN
BrunoFN
2 anos atrás

Triste fim

Nilson
Nilson
2 anos atrás

Entendo que temos mesmo que ajudar no adestramento dos FN hermanos, pelo menos uma vez por ano, mas fico preocupado com o Bahia, ele não para, temos que poupar seus motores. Espero que venha logo o Ocean, para eles se revezarem no máximo que puderem.
Quanto aos submarinos argentinos, realmente uma lástima, triste situação, quem sabe haja um clamor na nação e resolvam terminar a construção do ARA Santa Fe, se ainda tiver jeito (está parado desde 1994).

Roberto F. Santana
Roberto F. Santana
2 anos atrás

Salvo algum engano, lembro de uma dessas operações em conjunto com a Marinha do Brasil, bem interessante.
Os argentinos operaram os Super Étendard e o Grumman Tracker no NAe São Paulo. Junto com nossos A-4 Skyhawk formaram uma bela equipe.

BrunoFN
BrunoFN
2 anos atrás

Aki mesmo pode estar surgindo ,em breve, uma bela oportunidade pra Argentina e seu CFN .. se o Brasil pegar os 2 Albion ( pode ser 2 Bay mesmo ) … teremos 2 navios q poderiam interessar a eles … o nobre ”Matoso Maia” e ”Almirante Saboia” … quem sabe 🙂

Rogério Rufini
Rogério Rufini
2 anos atrás

Nilson, concordo, em toda missão tá ele o almirante saboia e Gastão motta, moro em Itajai-SC, e de agosto a janeiro ele já atracou aqui 2 vezes , e muito mar navegado mesmo

OSEIAS
OSEIAS
2 anos atrás

triste o que está acontecendo com as forças argentinas, não possuem aviação, sem embarcações, sem meio de defesa algum. O país está totalmente indefeso. Isso é o que acontece com um povo que acredita e embarca em governos populistas. Falência total em todas as áreas, o exemplo está ao lado. Isso pode acontecer conosco se não acordarmos. Fica ai a lição.

Nilson
Nilson
2 anos atrás

É isso aí, Rogério, vamos fazer uma campanha: “economizem o Bahia”!!!

João Igor
João Igor
2 anos atrás

Não é para zoar os argentinos pois estamos na pindaíba também. As perspectivas futuras ainda são incertas para a marinha do Brasil

OSEIAS
OSEIAS
2 anos atrás

O nosso vizinho está em uma situação terrível. Não possuem aviação, embarcações e meios de se defenderem. Qualquer um invadiriam seu território sem suas forças poderem fazer muita coisa. Fica ai o exemplo de um grande povo que embarcou em governos populistas, deu no que deu, falência total do estado. Vamos ver se aprendamos com isso, pois pode ser nosso futuro bem próximo.

Alessandro
Alessandro
2 anos atrás

Quem te viu e que te vê eim Argentina !!

Parabéns aos políticos de lá devem estar muito orgulhosos, depois vai lá na ONU chorar que quer de volta as ilhas FALKLANDS (é esse o nome correto pq são LOSERS!!!!)

Matheus
2 anos atrás

Realmente a situação dos argentinos e bem difícil

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

Eu acho que eles devem,aproximar dá china que está emprestado dinheiro, é encomendar pelo menos dois submarinos a eles com prestações a sumir de vista.O Brasil pode dar uma força a eles colocando alguns oficiais nos nossos simuladores,e talvez treina-los em nossos sub mais velhos.Quando falo dos chineses e que eles devem aproximar da china pois a Inglaterra boicotará eles em tudo.A Inglaterra é o nosso maior aliado,até mais que os EUA,pois sabe que o Brasil é confiável.

Nilson
Nilson
2 anos atrás

Entendo que ajudar a adestrar os Infantes da Marinha tudo bem, mas adestrar oficiais estrangeiros em nossos subs não. A operação de um sub tem muitos segredos e detalhes que, imagino, não devem ser repassados a outras forças.

fabio Souto.
fabio Souto.
2 anos atrás

Eles estão bem em relação ao numero de navios escoltas 14 não sei se tem
alguma em PMG?

camargoer
2 anos atrás

Olá Colegas. Qual seria a opinião de vocês sobre a venda do S 30 Tupi (ou algum deles) para a ARA? Com a entrada em operação dos nossos Scorpenes, será que faz sentido mantermos todos os Tupis operando? Talvez um ou dois deles ainda tenham 10 ou 15 anos de operação e fosse mais razoável transferi-los para os argentinos do que simplesmente aposenta-los da MB. Além disso, isso poderia significar até a venda futura de 2 scorpenes novos fabricados em Itaguaí para a ARA. Seria isso tão estranho assim?

Rodrigo Tavares
Rodrigo Tavares
2 anos atrás

Antes de acontecer outra tragedia, se esse governo argentino tiver algum pingo de consciência vão desativar esse pudim de ferrugem…submarino de 45 anos?

Nonato
Nonato
2 anos atrás

Depois dizem que eu simplifico demais… Mas vejam esse submarino em manutenção de meia vida… Desde 2015… Como funciona isso? Há cem funcionários trabalhando dia e noite nessa manutenção? Três anos é muito tempo. Não sei se tem a ver com falta de verbas. Mas me parece comum essas manutenções demoradas. Eventual complexidade é na base ou sabe fazer ou não faz. Por exemplo, nem toda oficina mecânica sabe consertar câmbio automático. Mas as que sabem mexer, ao pegar o serviço, não tem de passar um mês tentando aprender. Para quem sabe, é rápido. Vai direto ao problema, diagnostica, substitui… Read more »

Leonardo M.
Leonardo M.
2 anos atrás

Camargoer

A armada Argentina mal tem dinheiro para modernizar um submarino de 45 anos, imagina comprar um mais novo?

Daglian
Daglian
2 anos atrás

Ronaldo de souza gonçalves 4 de Fevereiro de 2018 at 21:39
Por que o Brasil deveria dar uma força aos argentinos? Nós já temos nossos problemas a zelar e os argentinos não são nem de longe um grande aliado de nosso país. Lamento fortemente a perda do ARA San Juan, mas nem por isso acho que o Brasil deva se desdobrar a ajudar a armada daquele país.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
2 anos atrás

Camargoer, não seria estranho.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
2 anos atrás

“Não sei se tem a ver com falta de verbas”

Sim, Nonato, tem tudo a ver com falta de verbas.

Bardini
Bardini
2 anos atrás

“Qual seria a opinião de vocês sobre a venda do S 30 Tupi (ou algum deles) para a ARA?” . Mas nem a pau. . “Com a entrada em operação dos nossos Scorpenes, será que faz sentido mantermos todos os Tupis operando?” . Os SBR não estão sendo feitos para substituir a Classe Tupi. Pode vir acontecer se a grana ficar curta? Pode… Mas não é o que se pretende. . “Talvez um ou dois deles ainda tenham 10 ou 15 anos de operação e fosse mais razoável transferi-los para os argentinos do que simplesmente aposenta-los da MB.” . Então.… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
2 anos atrás

“Então. Não faz nem dois anos que o Tupi (o mais velho) saiu de uma longa modernização de 6 anos (Sistema de combate AN-BYG, novas baterias e torpedo Mk-48 e outras coisas). Dar essa conquista e importante arma de mão beijada para os Argentinos?” De fato, isso não faria sentido nem para o Tupi que saiu há pouco tempo de PMG com modernização, nem pro Tapajó já modernizado, nem pro Tamoio ou pro Tikuna atualmente em manutenção e modernização. Mas tem o Timbira que ainda está aguardando na fila. Enfim, como escrevi ao Camargoer, não seria estranho. Também não seria… Read more »

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
2 anos atrás

Para mim, a Argentina poderia voltar a idade da pedra lascada.Nada para essa gente.

NOTA DOS EDITORES: DISCUTAM O TEMA OBJETIVAMENTE, SEM XENOFOBIA. PRIMEIRO AVISO.

marrua 113
2 anos atrás

Cuidado, sempre, os argentinos como nós, somos bem sucedidos e invejados pela nossa produção agrícola, a China é um potencial imenso de “famintos”, “auxiliar” os argentinos é nos preservar dos chinas perto, lembramos que eles podem fechar um bom acordo com os chinas e aí nós, como estamos sempre se arrastando com nossas defesas , podemos correr o risco de que em médio prazo o argentinos estejam em posição melhor. Aqui os chinas estão entrando muito forte em geração de energia, produção de alimentos e logística. Atenção.

Rodrigo Tavares
Rodrigo Tavares
2 anos atrás

“Para mim, a Argentina poderia voltar a idade da pedra lascada.Nada para essa gente.”

É um dos países que mais compra do BR, principalmente eletrodomésticos e veículos

Faz sentido desejar isso a eles?

Silvio RC
Silvio RC
2 anos atrás

Meus caros, não se enganem. historicamente eles já nos deram varias provas de que não se pode confiar nessa gente. Se eles estivessem um pouquinho melhor, estaríamos provando a empáfia desse povo. E digo mas, estão nessa situação porque procuraram. Não se cansam de nos sacanear no MERCOSUL. Eles que peguem a sua cuia e vão bater na porta do dragão, a quem eles tem procurado se alinhar nos últimos anos. NOTA DOS EDITORES: DISCUTAM O TEMA OBJETIVAMENTE, SEM XENOFOBIA. SEGUNDO AVISO. NÃO NOS OBRIGUEM A COMEÇAR A EDITAR E APAGAR COMENTÁRIOS QUE QUASE SEMPRE FAZEM A DISCUSSÃO DESCAMBAR PARA… Read more »

camargoer
2 anos atrás

Olá Leonardo. Uma coisa é modernizar um velho submarino que talvez já esteja no limite de vida de suas peças mecânicas. Outra, é pegar um navio mais novo dentro do prazo de operação. Será que não seria mais econômicos desistir dos velhos IKL deles e operar um ou dois dos nossos “Tupis” por alguns anos, já pensando em um programa de longo prazo para substitui-los por dois novos? Cada Scorpene novo custa certa de 450 milhões de dólares. Um bilhao de dólares é muito dinheiro, talvez até para o BNDES financiar. Vejo alguns bons motivos para isso. O primeiro é… Read more »

Nilson
Nilson
2 anos atrás

Ainda acho que a saída para os hermanos é terminar a construção do Santa Fé, que dizem estar 70% pronto e faltando uns 70 mi de dólares. Desde, é claro, que ainda se possa aproveitar o que foi feito, está parado desde 1994. Seria, além de tudo, uma redenção para o orgulho deles, que está bem abalado…

Nilson
Nilson
2 anos atrás

Se vendermos 1 ou 2 Tupi para eles, perderemos a oportunidade de completar uma tão almejada frota de 9 subs, para depois mantermos o patamar, aumentar mais um e ir só substituindo. E as modernizações dos Tupi serão importantes para manter Itaguaí funcionando, mesmo que demorem são uma aplicação de tecnologia de que dispomos.

Rennany Gomes
Rennany Gomes
2 anos atrás

A situação das Forças Armadas Argentinas é critica, a continuar assim logo logo o povo e os políticos platinos vão ter que tomar uma decisão. Querem ou não querem ter Forças Armadas? Porque do jeito que estar não dá. é expor os nobres soldados e praças argentinos ao perigo constante na forma de equipamentos obsoletos e de parca manutenção, não se brinca de defesa.

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Fabio…
.
à marinha argentina tem 13 “escoltas” e não 14…mas…números não dizem tudo…a disponibilidade de meios não é boa.
.
Os 4 principais combatentes , classe “Almirante Brown” tem tamanho comparável às “Niteróis” e são pouca coisa mais novas.
.
Não acredito que à marinha argentina esteja melhor que a força aérea argentina, cuja situação é caótica.
.
abs

Tallguiese
Tallguiese
2 anos atrás

Tá bom. O que o Brasil tem nos estoques de usados pra oferecer pra ajudar eles? Tem M-2000 parado aí dão pra eles e eles fazem lá um acordo com os franceses pra colocar eles pra voar é um exemplo. Deve ter uns blindados aí parado em algum lugar não? Caminhões veículos. Que tal os AT-26 que não usamos mais. Vixe já acabou minhas ideias. Bem tentei ajudar. Não deu! Kkkk

Fellipe Barbieri
Fellipe Barbieri
2 anos atrás

Se foram os caças da força aérea, se foram os porta aviões, se foram a maioria das escoltas, se foram os meios terrestres, e agora se vão os submarinos … tão logo a arma submarinista Argentina vai ser apenas mais uma lembrança que não vai mais existir . A irresponsabilidade fiscal e o populismo estão cobrando seu preço, e ele é alto, muito alto . Se os Hermanos quisessem poderiam comprar ao menos um par de submarinos Type 209 usados, mas eles não tem como comprar, e se comprarem não terão como operar por falta de dinheiro . O governo… Read more »

Nilson
Nilson
2 anos atrás

Fábio, quanto às escoltas da Armada Argentina:
– 4 Meko 360, fragatas classe Almirante Brown, operando desde 1983/1983/1983/1984
– 6 Meko 140, corvetas classe Espora, 85/86/87/90/2001/2004
– 3 corvetas classe Drummond, 78/78/82, usadas basicamente como Navios Patrulha Oceânicos, tem apenas 1200 ton
Segundo matérias publicadas recorrentemente aqui no Poder Naval, tentam desde 2009 comprar 4 OPVs, estão na terceira ou quarta tentativa, ainda sem sucesso.
Mas a situação por lá é crítica, veja a matéria de 2012:
http://www.naval.com.br/blog/2012/11/24/52812/
Já se falava em problemas muito sérios de manutenção, o que, infelizmente, parece ter desaguado na tragédia do ARA San Juan.

cipinha
cipinha
2 anos atrás

A Argentina possui um Submarino quase pronto que precisa apenas vontade deles para ser terminado e o outro tem ao menos 30% já construido, não se faz necessário a aquisição de algo usado, nem mesmo novo, basta boa vontade de prosseguir com o que já se iniciou

Dalton
Dalton
2 anos atrás

O que foi noticiado tempos atrás é que apenas o “Santa Fé” poderia ou pode ser terminado, visto que os outros 3 cascos foram canibalizados para manter os 2 submarinos que então encontravam-se em serviço operacionais.
.
Depois de tantos anos e uma possível falta de mão de obra especializada e obsolescência de
instalações, talvez não seja tão fácil completar mesmo o “Santa Fé” ou não valha a pena o
custo x benefício.
.
Ainda se aguarda o resultado dos estudos para o término dos trabalhos no “Santa Fé”…talvez em breve venhamos a conhece-lo.

Leonardo Andrade
2 anos atrás

Pelo amor de tudo que é mais sagrado é sério isso??? Justamente a única capacidade de dissuasão naval minimamente existente hoje está nesses 5 Subs dos quais pelo que leio temos na melhor das hipóteses hoje 2 operacionais (modernizados) + 1 em PMG e os outros na fila… E a alguém propõe doar parte desses meios a outra marinha??? Com todo respeito e admiração pela grande maioria das dos colegas que cogitaram essa possibilidade mas isso não tem pé nem cabeça se justamente estamos tentando ampliar a quantidade de sistemas de armas submarinas vamos abrir mão disso para doar submarinos… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Leonardo Andrade
2 anos atrás

“Justamente a única capacidade de dissuasão naval minimamente existente hoje está nesses 5 Subs dos quais pelo que leio temos na melhor das hipóteses hoje 2 operacionais (modernizados) + 1 em PMG e os outros na fila…” Leonardo, Na verdade são dois operacionais modernizados, dois realizando manutenção e modernização e um aguardando na fila. ” E a alguém propõe doar parte desses meios a outra marinha???” Eu pelo menos não sugeri doação alguma, apenas respondi ao Camargoer que a possibilidade que ele aventou (que até onde entendi era de venda de um classe Tupi à Argentina) não seria algo estranho.… Read more »

Gustavo GB
Gustavo GB
2 anos atrás

O que falta para a Argentina, além de verbas, é planejamento. O San Juan foi o último submarino comissionado pela ARA e já tinha 30 anos de uso. Já passou da hora dos argentinos buscarem a substituição de sua velha frota e até o momento nenhuma movimentação oficial foi feita nesse sentido. O Salta e o Santa Cruz não podem operar para sempre, caso contrário teremos novas tragédias.

Gustavo GB
Gustavo GB
2 anos atrás

Os argentinos precisam perdoar suas forças armadas pelos crimes do passado. A força aérea está quase extinta, a força de submarinos idem e até o momento pouco ou nada tem sido feito para reverter a situação.

Rennany Gomes
Rennany Gomes
2 anos atrás

Gustavo GB 5 de Fevereiro de 2018 at 13:59
Os argentinos precisam perdoar suas forças armadas pelos crimes do passado.

Disse tudo amigo, ou o preço será muito alto.

Soldat
Soldat
2 anos atrás

Pois é fala-se muito de falta de verba e corrupção no governo Argentino. – Mas o fato que apesar de o governo Argentino ter uma administração totalmente pro ocidental ou (seja amantes dos Amis), não interessa aos Amis e nem aos Ingleses (e a nos Brasileiros também por motivos geopolíticos é claro) que os Argentinos desenvolvam suas forças armadas em qualquer grau sejam defensivo ou ofensivo. Obs. Existe por ai um tal plano que os Amis-Ingleses querem um pedaço ou todo da Patagônia, se não me engano se chama “Plano Andino”. Em relação ao tópico é muito triste a situação… Read more »

Fabio Souto.
Fabio Souto.
2 anos atrás

Gostaria de saber de a ARA TEM ESCOLTA em PMG atualmente??

camargoer
2 anos atrás

Caro Leonardo. Talvez eu não tenha explicado com clareza, até porque é apenas uma ideia para debatermos. O Nunão soube complementar bem o que sugeri. A MB tem hoje 5 submarinos da classe Tupi, bastante velhos se forem comparados com os novos Scorpenes que receberá nos próximos anos. Apesar do processo de modernização, em breve eles terão que ser retirados de serviço. Não creio que interesse para a MB nem para o Brasil que a Argentina perca sua capacidade de operar submarinos. Tenho a impressão que em termos geopolíticos, saria ótimo que a Argentina continuasse a manter alguma capacidade. Mesmo… Read more »

Nilson
Nilson
2 anos atrás

Fábio, vai uma pista:
https://www.youtube.com/watch?v=lCXqwOgSB2Y
Em 04/06/2017 uma das corvetas A-69 (Classe Drummond) compartilhava um dique com o ARA Salta.
Se conseguir, vou dar uma pesquisada no sita defensa.com, que é citado no video.
Abraços

Nilson
Nilson
2 anos atrás

Fabio Souto. 5 de Fevereiro de 2018 at 14:21
Gostaria de saber de a ARA TEM ESCOLTA em PMG atualmente??
Fábio, há notícias (jun/2017) que uma das corvetas A-69 (Classe Drummond) está docada junto com o ARA Salta, para reparaciones.