segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab Naval

China vai testar canhão eletromagnético ‘railgun’ em navio de desembarque

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Fotos postadas por um observador chinês da Marinha do Exército de Libertação Popular chinês (PLAN) mostram o que parece ser um canhão eletromagnético railgun instalado em um navio de desembarque de carros de combate (LST) da PLAN, o Haiyang Shan.

O LST está sendo usado para testar a arma porque o seu convés pode acomodar os contêineres para o sistema de controle e fonte de energia da arma, de acordo com comentários de um ex-oficial da PLAN.

Por quase uma década, o Office of Naval Research (ONR) da Marinha dos EUA e várias empresas trabalharam para desenvolver um sistema railgun para navios dos EUA. Uma arma protótipo foi fabricada pela BAE Systems. Testes no Centro Naval de Guerra da Superfície da Marinha dos EUA em Dahlgren, Virgínia, foram considerados tão bem sucedidoa que a Marinha estava planejando realizar mais testes da arma no mar a bordo de um navio Joint High Speed Vessel (JHSV).

O programa prometia entregar uma arma que poderia disparar projéteis em velocidades superiores a Mach 7, com um alcance que ultrapassava 100 milhas. O projétil de hipervelocidade de 23 libras (10,4 kg) projetado pelo railgun à Mach 7 tem 32 megajoules de energia – aproximadamente equivalente à energia necessária para acelerar um objeto pesando 1.000 quilos (1.1 toneladas americanas) a 252 metros por segundo (566 milhas por hora).

Mas o programa foi amplamente engavetado devido aos problemas orçamentários em curso do Departamento de Defesa e à perda de interesse no Escritório de Capacidades Estratégicas do DOD no financiamento de um maior desenvolvimento. O contínuo “sequestro” do orçamento do DOD forçou a Marinha e o ONR a deslocar o foco do desenvolvimento para o objetivo de longo prazo do railgun de usar o projétil hipervelocity (HPV) em direção ao objetivo a mais curto prazo de sistemas de armas da Marinha dos EUA.

A China claramente observou o programa dos EUA com interesse, e a PLAN começou a trabalhar em seu próprio sistema de armas eletromagnéticas há cerca de cinco anos, de acordo com a fonte ex-PLAN Dafeng Cao. Agora, a PLAN está se preparando para fazer testes no mar, fazendo com que o Haiyang Shan, de 20 anos, seja o primeiro navio a ser armado com um railgun.

O Haiyang Shan faz parte da Frota do Mar do Leste da China (e nos últimos dois anos um visitante freqüente das ilhas artificiais que estão sendo construídas pela China em águas disputadas do Mar da China Meridional). Não é um navio de guerra terrivelmente moderno – mas tem a vantagem de um grande convés seco para acomodar o hardware necessário para gerar as altas tensões exigidas por um railgun.

Esse sistema de energia dedicado é essencial, porque mesmo os navios de guerra chineses modernos não têm capacidade de geração elétrica para alimentar um railgun. Na verdade, apenas os destróieres de classe Zumwalt da Marinha dos EUA têm capacidade de geração suficiente para poder, uma vez que foram projetados com armas de energia direcionadas para o futuro. Enquanto os porta-aviões nucleares certamente possuem energia do reator, eles não possuem o sistema de distribuição elétrica necessário.

FONTE: arstechnica.com

- Advertisement -

52 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
52 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MARCOV

Segundo o publicado pela Defense News (Mike Yeo), os projéteis normalmente não contém explosivos, contando com a alta velocidade dos mesmos para causar dano.

A força eletromagnética transmite altíssima energia cinética para o projétil, excedendo facilmente aquela produzida pelas armas que utilizam explosivos.

Outras vantagens são a ausência de propulsores explosivos ou ogivas para estocar ou manusear, como também o baixo custo dos projéteis quando comparado com o armamento convencional tais como mísseis de cruzeiro, enquanto que a sua alta velocidade torna difícil a defesa contra eles.

Augusto

Até tu, China?

Washington Menezes

É só dá a ideia e a china faz.

BrunoFN

Brinquedo novo pra Type 055 … q coisa em

Roberto Bozzo

Eles vão dominar os mares…

joao brasil

Mais um roubo de dados dos Chineses?

Bardini

“Provide the first-class naval weapon & equipment for building the first-class navy in the world.”
.
É o que está escrito naquela faixa vermelha…

Bardini

E sim, tem cara de cópia da Railgun da BAE…

Rafael_PP

Este equipamento parece caminhar para ser armamento padrão das grandes marinhas em um futuro até próximo. Além dos projetos mais avançados da BAE e da China, há ainda uma antiga iniciativa franco-germânica, por meio do fronteiriço Institute de Recherches de Saint-Louis; pesquisas também na Russia e o Japão também sonha com o dispositivo em sua próxima classe de Destróieres.

Aldo Ghisolfi

LEMBRO do tempo muito próximo, qdo qq coisa a respeito da China era motivo para chacota, tipo ‘vai soltar peçinha’…

Henrique de Freitas

Eh…então. Até comentei sobre isso quando apareceu a reportagem sobre a fragata chinesa.
Para quem não conhece a China ou nunca viajou para lá não tem a mínima ideia do que está acontecendo em termos de tecnologia. Como falei existem produtos de A até Z. Tudo depende de quanto você está disposto pagar.

Augusto L

Engenharia reversa!! E espionagem!!

Ronaldo de souza gonçalves

Vejo isto como uma excelente bateria de costa com 100milhas de alcance montador em uma linha de trem de alguns quilômetros,vamos reviver os canhões de navarrone,se for num estreito ninguém passa se for num veiculoautopropulsado .Armas do futuro .será que o Brasil está estudando pelo menos teoricamente algo parecido.Para baixar custos pode ser feito em conjunto com outro pais que tem longa costa.

Plinio Carvalho

Augusto L, so tem um prototipo e é da BAE, como os Ching ling conseguiram fazer engenharia reversa?

Nonato

Não entendo esta questão do sigilo. Às vezes é bom você falar que tem arma tal para inimigo ficar assustado e não mexer com você. Mas também pode, especialmente quando dá detalhes da arma, passar a ideia para o inimigo. O que muita gente aqui não entende é a ideia de conceitos e princípios no desenvolvimento de armas. Ninguém precisa pegar o projeto ou ver a arma. Se alguém fala numa arma que dispara “balas” impulsionadas por eletromagnetismo já é o suficiente. Se mostra vídeo no YouTube, piorou. Esses conceitos básicos da física, já são dominados há décadas pelas grandes… Read more »

Nonato

Trump precisa agir…

Nonato

Se os EUA não tomarem uma atitude, daqui a pouco os chineses desembarcam em nova Iorque.

Renato B.

Vi em outro site, o SNAFU, que o protótipo não seria uma railgun, mas uma coilgun. Os chineses não estariam usando um trilho (rail) mas espirais para acelerar o projétil. Por um lado parece que a performance da coilgun seria pior. Por outro lado ela seria mais resistente, aguentaria mais disparos. E como “plus” em teoria, seria possível alcançar velocidade final de projétil disparado até maior que na railgun por transmitir a energia para impulsionar o projétil de forma mais eficiente. O interessante é que além do uso como arma imagino que isso pode revolucionar o disparo de satélites. E… Read more »

Renato B.

Porém já vi em outros lugares, que na verdade os chineses só estão fazendo experimentos com um railgun mesmo.

Bosco

Renato,
Tem uma característica interessante do coilgun que é ele não produzir chama no disparo. Teoricamente o disparo é imperceptível.

Nonato

Bosco, vamos desenvolver um coilgun desses?
Conhecimento você tem bastante.
E eu tenho essa visão pragmática das coisas.
Acho que a engenheira gata talvez pudesse participar desse projeto tupiniquim.
😚

RL

Como ouvi por aí…
“Deus criou os céus e a Terra. O resto….foi feito na China.”…

Daqui a pouco os caras criam até planetas com uma impressora multifuncional 3D dentro de casa.

Rui Chapéu

Olha, uma coisa até os americanos concordam. Existe muito mais engenheiros sendo formados na China do que nos EUA. Só um exemplo do ano 2016 – “poeowwwaqui”forbes.com/sites/niallmccarthy/2017/02/02/the-countries-with-the-most-stem-graduates-infographic/#357564d7268a China formou 4,7 milhões. EUA 568´000. Se for contar que apenas 10% dos que se formam na China aprenderam mesmo e são excelentes engenheiros, temos praticamente o total de formados nos EUA. Pra ser comparado, 80% ou mais dos formados nos EUA deveriam ter a mesma qualidade de um engenheiro chinês. Ou seja, a China vai começar a lançar cada vez mais novidades e vão começar a disparar em questões de novas tecnologias.… Read more »

Bosco

Nonato, E o pior é que o pessoal costuma pegar no seu pé mas eu acho suas colocações bem interessantes. O pessoal cria dificuldade pra vender facilidades e complica muito o que é ou deveria ser simples. Esse tá sendo um processo normal no Ocidente que o está levando à bancarrota, e tudo mundo acha “normal”, “é assim mesmo”, etc. É o que vemos por exemplo, todo ano, os pais tendo que comprar livros sempre novos para os filhos em idade escolar. Livro de ensino agora é descartável e são caríssimos. Sábado comprei três livros de historinhas exigidos pela escola… Read more »

Bosco

O processo de fabricação em massa começado na Revolução Industrial está em colapso no Ocidente e visivelmente no Brasil onde o preço das coisas é calculado na base do supetão. Sem falar que o Estado pagando tudo mais caro (inclusive a mão de obra) porque esbanjar dinheiro que não foi ele que ganhou é “de boa” só faz as coisas piorarem, puxando os preços pra cima. E aí entra novamente o Estado impondo coercitivamente seus tributos escorchantes que também todo mundo acha normal. Hoje uma balinha é vendida a 2 reais, independente de milhões serem fabricadas por dia. Esses livrinhos… Read more »

Bosco

O sistema “coilgun” não produz atrito (é igual os trens MAGLEV) e portanto não sai aquele fogaréu como no sistema “railgun”.

Renato B.

Bosco, pelo que entendi o processo para chegar a uma coilgun viável é mais difícil e os americanos optaram pelo good enough.

Inclusive acho que vc vai gostar do seguinte link http://www.projectrho.com/public_html/rocket/spacegunconvent.php#id–Kinetic_Kill_Weapons–Hypervelocity_Weapons. Tem até desenhos de um proposta de railgun orbital.

Augusto L

https://www.naval-technology.com/comment/railgun-potentially-cancelled-went-wrong-us-superweapon/.
Aqui fala que o railgun falhou em demonstrar capacidade d múltiplos disparos e que so os zunwalt teriam capacidades de dispara-los mas que canhões normais teriam capacidade de disparar projéteis HPV mais com menor velocidade, as forcas armas preferiram investir nos canhões normais com projeiteis HPV.

Augusto L

Capacidade de forma engenheiros não mede a capacidade de um pais em produzir tecnologias, ate porque voce pode contratar mão d obra estrangeira, mas o que mede é o investimento em pesquisa e nesse quesito os EUA e a UE são imbatíveis não tem ngm que chega perto.

Burgos

Eles estão em nossas roupas, Bones ,sapatos ,celulares, computadores, carros e até em aviões da US AIR FORÇE !!!
Aí eu pergunto !!!
Aonde eles vão estar daqui a pouco ?

Victor

“O programa prometia entregar uma arma que poderia disparar projéteis em velocidades superiores a Mach 7, com um alcance que ultrapassava 100 milhas. O projétil de hipervelocidade de 23 libras (10,4 kg) projetado pelo railgun à Mach 7 tem 32 megajoules de energia – aproximadamente equivalente à energia necessária para acelerar um objeto pesando 1.000 quilos (1.1 toneladas americanas) a 252 metros por segundo (566 milhas por hora).” para efeitos comparativos o canhão de 16”/50 de 406mm da classe Iowa conseguia projetar um projetil de 1,224.7kg a uma velocidade de 762 metros por segundo, entretanto o alcance máximo era de… Read more »

Fflyer

Pessoal, só pra complementar as informações acima, a China já faz trens MAGLEV que são impulsionados da mesma forma que os canhões, então, teoricamente é apenas uma outra aplicação para uma tecnologia já dominada, obviamente tem suas peculiaridades, mas obviamente tem gente inventando formas de resolvê-las. @Bosco, o railgun tbm não deveria sair fogaréu, a diferença é que as bobinas estão posicionadas de forma a usar o campo eletromagnético em seu exterior (o controle é mais dificil, pois o gradiente do campo é grande), enquanto que o coilgun se usa o campo gerado em seu interior, que se aproxima de… Read more »

sub-urbano

To rindo aqui do Bosco indignado com esse negócio de livros… kkkkkkkk é o terceiro comentário dele falando nisso kkk.

Bosco, tive que pagar aqui também, 1.000zão só os livros, caríssimo pra mim e olha que não é uma escola top top, um absurdo. Pra mim uma atitude criminosa das escolas, acho que isso é venda casada.

jagderband#44

Um comentarista falou que “Trump precisa tomar uma atitude” ou algo assim. Ora bolas. Chineses tem mais de 5000 anos de história. Até o meio da idade contemporânea os asiáticos eram os povos mais ricos, aliás, deixavam os europeus no chinelo. Respeitem os caras.

sub-urbano

Sobre a china é isso aí mesmo gente. Seriedade, compromisso e unidade nacional.

Sempre fomos a periferia do Ocidente então não temos nada a perder. Até porque eu acho que o Brasil não será um país mais daqui uns 50 anos. As divisões internas aqui, sociais, ideologicas e etc estão cada vez piores.

Essa Constituição de 1988 criou um estado criminoso, uma cleptocracia legitimada por uma lei mandrake. Tem juiz aí recebendo 500 mil por mês, abusurdo.

sub-urbano

jagderband#44 5 de Fevereiro de 2018 at 11:26
Verdade.

O ocidente copiou muitas tecnologias chaves da China no fim da idade média: polvora, papel, imprensa, notas de dinheiro, doca seca e petróleo-combustível. Fora as outras bobeirinhas como porcelana, fogos de artificio e cardapio de restaurante kkkk

Lucio Sátiro

Vou ali mandar fazer um neoencouraçado com umas 3 torres triplas principais e muitos silos de misseis AAe e antinavio também

André Luiz.'.

sub-urbano 5 de Fevereiro de 2018 at 11:23 “ To rindo aqui do Bosco indignado com esse negócio de livros… kkkkkkkk é o terceiro comentário dele falando nisso kkk. – Bosco, tive que pagar aqui também, 1.000zão só os livros, caríssimo pra mim e olha que não é uma escola top top” — claro que é!! ‘top, top’ em nós, os pais de alunos, ora bolas!! rsrsrs Minha sobrinha, que sou quem banca o estudo, só de livros para o 3º (e último! Ufa!!…) ano do secundário já vão também uns R$ 600 e tantos ! Mas é o melhor… Read more »

Bosco

Augusto,
O HPV está mesmo sendo estudado para ser lançado de vários canhões/obuseiros, desde os canhões navais de 127mm, AGS de 155 mm, EMG de 150 mm, obuseiro M777, M109A7, etc. Diferente do projétil LRLAP que utiliza um motor foguete para incrementar o alcance o HPV usa o método de subcalibragem para reduzir o arrasto e portanto, aumentar o alcance, como na munição Vulcano dos italianos.

Zorann

Olá Rui Chapéu!
.
Interessante o link que postou. A cerca de uns 2 anos, eu dei uma lida em uma materia a respeito disto, e na época a China formava 1 milhão de engenheiros por ano. Tanto na reportagem de 2 anos atras, como nesta, é interessante ver o Iran entre os primeiros. Na reportagem que li o Iran formava mais engenheiros anualmente que os EUA, na época cerca de 250.000 (não lembro o numero exato).
.
O mais interessante é comparar isto com o Brasil, onde não formamos nem 60.000 anualmente e não há empregos para todos eles.

Hernâni

Bosco, li o último comentário, o HPV usa o método de subcalibragem para reduzir o arrasto… Se essa munição consegue velocidades hipersónicas e pode ser usada por canhões já existentes então é um achado! Ainda não percebi como funciona, pode explicar melhor? Sobre a China, a abertura ao mundo foi apenas económica, transformaram-se na fábrica do mundo com recurso a uma mão de obra barata e ausência de regulamentação laboral e ambiental. Agora, com recursos financeiros em excesso, é natural que desenvolvam algumas tecnologias de ponta. Como não houve abertura politica e começaram a ter alguns tiques de domínio imperialista… Read more »

Copo

Maglev é a tecnologia alemã. O que eles fazem lá tornou obsoleto aquela.

Bosco

Hernani, O HVP (tinha digitado errado) é um projétil comum para todos os canhões navais (127mm, 155 mm e 150 mm EMG) e para os obuseiros M-109 e M777. Nos canhões/obuseiros convencionais eles serão lançados via carga de projeção e no EMG (railgun) será lançado por força EM. O que muda no HVP serão os “sabots” para que se adeque a todos os diâmetros de cano (127mm, 150 mm e 155 mm) e terão versões guiadas ou não guiadas. As guiadas poderão ter carga explosiva ou serem formadas só por metal denso, destruindo pela energia cinética. Haverá versões contra alvos… Read more »

Augusto L

Meu caro Hernani defensora da liberdade comercial aos à moda chinesa, que posso te garantir que passa longe do liberalismo econômico ocidental, a retórica chinesa é so pra inglês vê, os acordos comerciais que a China se abre são do tipo china-china e não ganha-ganha para todas as partes, eles fazem o que o Trump falou que ia fazer no seu pais, o engracado é que ngm critica a politica China primeira governo Chinês como criticam as politicas nacionalistas do Trump

jagderband#44

Zorann, o Brasil não é um país desprovido de vocação e cultura industriais. Se formar engenheiro no Brasil é então uma “furada”. Somos um país de bacharéis, de preferência em direito romano.

Bosco

Hernani e demais interessados,
Esse é um dos artigos mais completos sobre o tema.
https://www.dsiac.org/resources/journals/dsiac/summer-2015-volume-2-number-3/hypervelocity-projectiles-technology

Hernâni

Obrigado Bosco,
Já estou mais bem informado. consegui ver no youtube o conceito dos italianos da Vulcano. Também pelo artigo se percebe que vai haver grandes mudanças nas armas navais.

Hernâni

Augusto,
Estou completamente de acordo consigo.

Henrique de Freitas

Este Railgun deve deixar uma assinatura eletromagnética bem expressiva no spectrum de frequências. Possivelmente de banda bem larga, muita larga.
Será interessante o sistema de detecção de disparos. Com o tempo deverá ser possível até analisar a assinatura específica de uma arma Y de um navio X.
Vamos ver como isso irá se desenrolar
Abraços

Gustavo GB

O Brasil não deveria investir em projetos similares? Não precisa equipar navios de primeira, mas estudar o conceito é importante para tentarmos acompanhar essa tecnologia. Os russos também começaram seus estudos:

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Construtor naval CSSC da China atinge a meta de entrega de 2021 e mantém a liderança mundial

A China State Shipbuilding Corporation (CSSC) informou que, com a entrega de dois novos navios em 1º de dezembro,...
- Advertisement -