Home Indústria Naval Marinha da República da Coreia recebe primeira fragata FFX-II, ROKS Daegu

Marinha da República da Coreia recebe primeira fragata FFX-II, ROKS Daegu

5057
39
ROKS Daegu

A Marinha da Coreia do Sul recebeu a primeira das oito fragatas de classe Daegu (FFX-II), ROKS Daegu (FFG-818), anunciou no dia 1 de fevereiro a Administração do Programa de Aquisição de Defesa da Coreia do Sul (DAPA).

Daegu deverá entrar em operação no segundo semestre de 2018.

A fragata foi construída pela Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering (DSME) e lançada no estaleiro Okpo da DSME em junho de 2016.

O segundo navio também está sendo construído pela DSME, enquanto os navios três e quatro serão construídos pela Hyundai Heavy Industries (HHI) sob um contrato DAPA de US$ 586 milhões a partir de dezembro de 2016.

As fragatas FFX II são um aperfeiçoamento  das fragatas classe Incheon (FFX). Deslocando 2.800 toneladas, os navios da classe Daegu deslocam 500 toneladas a mais que os seus predecessores e medem 122 metros de comprimento.

As fragatas do segundo lote estão equipadas com um sistema de lançamento vertical coreano de 16 células para defesa contra ameaças aéreas e seis tubos de torpedos para guerra antissubmarino. Propulsadas pelas turbinas a gás MT30 da Rolls-Royce, as fragatas são capazes de atingir velocidades de 30 nós, de acordo com a DAPA.

A Daegu e suas irmãs terão um sistema de sonar rebocado (TASS), além de canhões e um sistema CIWS Phalanx.

As fragatas são destinadas a uma variedade de missões, incluindo guerra antissubmarino, guerra antiaérea, patrulha, vigilância, busca e resgate e proteção da zona econômica exclusiva.

FONTE: navaltoday.com

39
Deixe um comentário

avatar
38 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
22 Comment authors
RobsonmktAiracobraBardiniJrJacubão Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Raul Luar
Visitante
Raul Luar

Uma dúvida meio @OFF

Quanto a Marinha e a Emgeprom conseguiu capitalizar para o projeto tamandaré?

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Conseguiu 1 bilhão para a capitalização da Emgepron no orçamento deste ano (entrou como reserva de contingência).

http://www.naval.com.br/blog/2017/12/14/corvetas-classe-tamandare-aprovada-capitalizacao-da-emgepron/

Nilson
Visitante
Nilson

Raul, a notícia que circulou aqui no Poder Naval é que no orçamento de 2018 há previsão de capitalização de 1 bi (de reais), destinada ao programa Tamandaré. Lógico que sujeito a contingenciamento, etc, etc. Não sei também se a Emgepron gasta uma parte do dinheiro com suas despesas próprias, ou se será líquido para comprar o navio. Pelo que entendi, vc quer comparar com o preço da Daegu. Dá pra ver que está bem longe ainda…

Otto Lima
Visitante

Em minha franca e leiga opinião, uma modificação da Classe Daegu com canhão de 76 mm, MANSUP e propulsão CODAD atenderia aos requisitos da MB para a Classe Tamandaré. Quanto ao CIWS Phalanx, o mesmo poderia ser mantido na CT, no lugar do canhão de 40 mm, se o HMS Ocean vier com os seus.

Nilson
Visitante
Nilson

Nunão, desculpe ter “atravessado” a sua resposta, foi no ímpeto de colaborar, sua resposta deve ter saído enquanto eu digitava a minha.

Nunao
Visitante
Nunao

Não precisa pedir desculpas, respostas sincrônicas são absolutamente comuns.

Tamandaré
Visitante
Tamandaré

Só deslocam 2.800 toneladas?? Estranho, achei que fossem mais pesadas…

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

2800t é o deslocamento leve. A plena carga o deslocamento é de cerca de 3500t.

Top Gun Sea
Visitante

É navio que com algumas modificações atenderia as necessidades da MB. Estes Coreanos estão na briga!

Galitto
Visitante
Galitto

Desculpem a minha dúvida não tem nada ver propriamente com a Fragata mencionada na matéria acima mais vejo a vezes comentários sobre o sistema de defesa de ponto (PHALANX CIWS) – Close-in weapon system, que é muito caro para operar bem como sua manutenção. Esse não seria um tipo de armamento que a nossa AVIBRAS poderia tentar pesquisar e por consequência fabricar, isto ao meu ver seria uma forma também de diversificar seus produtos.

_RR_
Visitante
_RR_

Galitto,

Na teoria, tudo é possível… E a iniciativa, sem sombra de dúvidas, seria válida. Mas mais prático que desenvolver algo como o Phalanx, seria um sistema AA baseado em míssil.

Outro sistema, talvez mais simples de ser concebido, seria algo na linha soft kill baseado em cortina de fumaça ( como o MASS alemão ). Aliás, uma combinação de algo como o MASS alinhado a um sistema de defesa/míssil, seria o mais apropriado para compor uma defesa terminal contra as ameaças atuais e futuras ( notadamente mísseis supersônicos ).

_RR_
Visitante
_RR_
Rogério Rufini
Visitante
Rogério Rufini

Fontes dentro da MB, alegam que a coreia do sul a proposta é demais tentadora, não só por corvetas, mas sim por um pacote mais amplo e um financiamento espetacular, que incluíria ate mesmo uma versão da KDX-III um pouco menor e mais barata, mas com sistema AEGIS,

Bosco
Visitante
Bosco

RR,
O Brasil já fabrica um sistema equivalente ao MASS, o SLDM, do IPqM.

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezado Rogério Rufini,

Seria ótimo. Suas fontes são da MB? Não conheço essa proposta.

O que sabia era de uma proposta do PROSUPER que envolvia a modernização do AMRJ e a construção de 5 fragatas derivadas do destroyer KDX II.

Abraços

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

“Rogério Rufini 6 de Fevereiro de 2018 at 21:17
Fontes dentro da MB, alegam que a coreia do sul a proposta é demais tentadora, não só por corvetas, mas sim por um pacote mais amplo e um financiamento espetacular, que incluíria ate mesmo uma versão da KDX-III um pouco menor e mais barata, mas com sistema AEGIS,”

Rogério, esta versão menor da KDX 3 chama-se KDDx (projeto DSME 8000); se o que vc diz for verdade, seria fantástico… a MB poderia participar no desenvolvimento do projeto, onde se espera que se inicie a construção da primeira unidade após 2025.

Jr
Visitante
Jr

Espero que os Coreanos ofereçam uma variação da DW3000 para a MB que parece ser uma fragata mais bem elaborada, essa daegu ficou muito estranha, estava vendo fotos dela em um fórum Coreano e a impressão que passa é que o acabamento dela é pobre, os próprios Coreanos acharam isso, diferentemente da DW3000 (versão para Tailândia) que parece ser mais bem acabada
fotos da DW3000
https://forums.spacebattles.com/threads/dsme-launches-first-royal-thai-navy-frigate.519460/

Morais
Visitante
Morais

A DW 3000 usa radares Saab (Sea giraffe 4A e o AMB se não me engano), e o provável DSME 8000 possivelmente o 8A.

Burgos
Visitante
Burgos

Mirradinha !!!
Parece ser desdentada !!!
Não gostei não !!!

Almeida
Visitante
Almeida

Não curti essa daí também não, parece uma corveta.

Bavaria Lion
Visitante

Uma bela fragata. Não esteticamente, mas em desempenho no que se propõe.

Otto Lima
Visitante

A fragata leve LF-4000, da espanhola Navantia, também seria uma boa opção para a MB.

https://www.navantia.es/ckfinder/userfiles/files/lineas_act/productos%20diciembre%202015/LF-4000%20%28antiguna%20F-538%29.pdf

_RR_
Visitante
_RR_

Bosco ( 6 de Fevereiro de 2018 at 21:27 )

Obrigado pela informação. Vou pesquisar mais a respeito.

Saudações.

_RR_
Visitante
_RR_

Burgos ( 7 de Fevereiro de 2018 at 0:31 ),

Almeida ( 7 de Fevereiro de 2018 at 0:54 ),

São 16 células VLS, que acomodam uma combinação de mísseis para AAW, ASuW e ASW (!); 1 x peça de 127mm; 1 x Phalanx; e 2 x reparos triplos TT.

Diria que está muito bem armada sim… Eu só substituiria o 127mm por um Super Rapid de 76mm, e o Phalanx pelo RAM.

Burgos
Visitante
Burgos

RR;
Boa tarde;
Continuo achando pouco !!!
Acredito que a criação e o propósito dessa nova classe deve ser para ações curtas e rápidas e deve ter pouca autonomia (dias de mar) também.

Jacubão
Visitante
Jacubão

Na moral?
Esse Naviozinho para mim é uma corvetinha.
2.800 Ton de deslocamento?
Muito leve.
Queremos algo próximo de 4.000 Ton de deslocamento.
Essa corvetinha Koreana deve jogar feito uma caixa de fósforo no cabo de Santa Marta com vento SUL;
Tá dispensada!!!!

_RR_
Visitante
_RR_

Burgos ( 7 de Fevereiro de 2018 at 13:32 );

Boa noite.

Ela faz, salvo melhor juízo, 4500 NM ( provavelmente a uns 14 nós, no diesel ).

Um navios dessas dimensões ( mais de 120 metros e acima das 3000 toneladas full ) e com uma tripulação de 120, é improvável que tenha menos que 30 dias de mar…

Sinceramente, me tornei entusiasta dessa classe. Simples e racional, como a ‘Barroso’…

_RR_
Visitante
_RR_

Jacubão ( 7 de Fevereiro de 2018 at 14:43 ), Esse vaso desloca full 3600 toneladas. Nesse caso particular, e até onde sei, o foco da MB ainda é um navio que circunde as 3000 toneladas, para atuar basicamente dentro da ZEE. Se os coreanos oferecerem ela, estarão estrapolando ( e muito ) as exigências originais. Por outro lado, resta claro que a Marinha busca algo superior ao originalmente pretendido ( já certamente considerando a baixa das Type 22 e ‘Inhaúma’, e contemplando a possibilidade de não contar com vasos novos além desses na próxima década ), e pode acabar… Read more »

Jr
Visitante
Jr

RR, a versão de exportação com algumas adaptações para os Tailandeses custou 410 milhões de dólares, mas como as adaptações que eles teriam que fazer a pedido da MB são mais modestas no que tange a armamentos principalmente, creio que poderia sair com um preço menor

Jacubão
Visitante
Jacubão

Com todo respeito aos Forristas do Poder Naval eu digo o seguinte:
Me mostrem quantos FERROS os senhores ostentam no peito?
Daí vamos discutir qual tipo de escolta os NAUTAS querem para nossa “Briosa”
Att;

_RR_
Visitante
_RR_

Jr ( 7 de Fevereiro de 2018 at 20:19 );

Não espere que uma ‘Daegu’ fique muito mais barata. Certamente haverá o preço a ser pago pela ToT e outros pormenores.

Podemos sim esperar um navio dentro dos US$ 400 milhões…

Bardini
Visitante
Bardini

Posso estar falando bobagem, mas as chances dessa Fragata ser adquirida pela MB devem ser nulas, já que não é um produto Posco Daewo..

Jr
Visitante
Jr

Essa fragata foi construída no estaleiro da Posco Daewoo, quanto ela ter chance ou não, creio que ela talvez não tenha por outros motivos

Bardini
Visitante
Bardini

Bom… Tá aí uma coisa que seria interessante esclarecer, pq eu nunca entendi:
.
Qual a relação entre Posco Daewoo do Brasil (Da concorrência da Classe Tamandaré) e a Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering, a tal da DSME que construiu esse navio?

Airacobra
Visitante
Airacobra

Saudações amigo Jacubão, bons tempos e gelada em porto fora hein, cabedelo, belgrano, rio grande, ate q em santos há cerca de uma decada papo vai papo vem e vc acabou soltando q era o Jacubão, ai falei q era o Airacobra, kkk, bons tempos, pra quem ja navegou muito em classe inhauma com cerca de 1900 ton full, inclusive muitas vezes no cabo de santa marta com mar 7, creio que uma daegu com cerca de 3600 ton full (quase o dobro da inhauma) seguraria bem o piano na nossa Briosa, sem desmerecer as outras, co.o Meko A200 e… Read more »

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

Bardini 8 de Fevereiro de 2018 at 19:14

Bardini, pelo que entendi são a mesma empresa, a Daewoo fundiu-se a Posco e passaram a se chamar Posco Daewoo pelo mundo.

http://www.daewoo.com/eng/pdIntroduce.do

Robsonmkt
Visitante

Pelo deslocamento, design e equipamentos, é bem parecida com o conceito da corveta Tamandaré. Se o valor do contrato com a Hyundai Heavy Industries (HHI), no valor de US$ 586 milhões de fato engloba a construção dos navios 3 e 4, então ela parece ser bem competitiva – caso a MB dê preferência para continuar com convertas ao invés de partir para fragatas.

Airacobra
Visitante
Airacobra

Robsonmkt, a classe Daegu tem quase 1000 toneladas a mais que o projeto da Tamandare full load, ela está mais pra uma fragata leve do que para uma corveta como é o caso do projeto da Tamandare

Airacobra
Visitante
Airacobra

Esse deslocamento de 2800 ton citado no texto é o deslocamento vazio, o deslocamento carregado dela é de cerca de 3600 ton, enquanto que o deslocamento carregado do projeto da Tamandaré é de 2800 ton