domingo, março 7, 2021

Saab Naval

EXCLUSIVO: o ‘Ocean’ deve passar a se chamar ‘Pernambuco’

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

HMS Ocean

Por Roberto Lopes
Especial para o Poder Naval

O nome mais cotado, na Marinha do Brasil (MB), para rebatizar o porta-helicópteros de assalto anfíbio Ocean, comprado pela Força à Marinha do Reino Unido, é Pernambuco – estado natal do atual ministro da Defesa, Raul Jungmann.

A opção pela unidade da Federação onde Jungmann nasceu divide almirantes e oficiais superiores da corporação.

Uns acham natural que o nome dos navios homenageie o ministro de Estado que ajudou a compra-los. Outros acham que a MB não deve se deixar tolher pela necessidade de batizar seus navios capitais com o nome do ministro da Defesa.

Em 2015, a gestão que apenas iniciava do atual Comandante da Marinha, almirante Eduardo Leal Ferreira, batizou o navio-doca francês Siroco com o nome de Bahia, estado que o então titular da Pasta da Defesa, Jacques Wagner (carioca de nascimento), havia comandado como governador entre os anos de 2007 e 2014.

A escolha para o porta-helicópteros da Royal Navy (RN) ainda não foi feita.

Sábado passado (10.02), durante um almoço no Clube Piraquê, no Rio de Janeiro, o almirante Leal Ferreira só admitiu para amigos que havia “uma corrente” dentro da Força defendendo o nome Pernambuco.

A Marinha Real Britânica divulgou, para a imprensa de seu país, uma pequena alteração no cronograma de descomissionamento do HMS Ocean. A cerimônia de desativação do navio foi antecipada de 31 para 27 de março (uma terça-feira).

Uma fonte do Poder Naval que acompanha de perto a transferência do porta-helicópteros para o Brasil informa que a antecipação resulta de um acordo entre a MB e a RN.

Segundo a fonte, isso permitirá que o PMG do navio tenha início, na Inglaterra, um pouco antes do inicialmente previsto.

HMS Ocean

Histórico – Caso receba mesmo o nome de Pernambuco, o porta-helicópteros será o quarto navio da MB a ostentar essa denominação.

O primeiro foi o monitor fluvial Pernambuco, de 650 toneladas e torre couraçada na proa que exibia dois canhões L/45, de 4,7 polegadas (120 mm), construído no velho Arsenal.

Incorporado em 1910 ele foi designado para a Flotilha de Mato Grosso, em Ladário. Entre os seus comandantes esteve o almirante Jorge Dodsworth Martins, que, em outubro de 1945, assumiu, por quase um ano, o cargo de ministro da Marinha.

A 20 de julho de 1961 a MB comissionou o contratorpedeiro Classe Fletcher Pernambuco (D30), navio construído nos Estados Unidos durante a 2ª Guerra Mundial.

Entre os seus comandantes estiveram os almirantes Thelmo Dutra de Rezende, que chefiou o Comando do Controle Naval do Tráfego Marítimo e foi controlador da Área Marítima do Atlântico Sul, e Otavio Aché Pillar, nomeado, em fevereiro de 1979, Comandante da Força de Submarinos.

O último Pernambuco, foi outro contratorpedeiro adquirido pela Marinha do Brasil aos estoques da US Navy: um navio da classe Garcia que, incorporado a 25 de setembro de 1989, foi mantido na ativa até março de 2004.

- Advertisement -

193 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
193 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO

Deveria ser PARAÍBA! Mas pernambuco ficou bonito!

Everton Matheus

Espiríto Santo fica beeeeeem melhor

Raul

De algum ângulo isso é nepotismo kkkkkk

Qualquer nome serve, contanto que o bichão venha e domine o atlântico. Nada de ser rainha do cais.

João

Eu me acostumei a ver docas alagáveis em navios de capacidade anfíbia. Pelo que vejo, o Ocean não as possui, então gostaria de saber como se dá o desembarque dos veículos que estão no navio.

Kayck Santana

Salve! Ó terra dos altos coqueiros!
De belezas soberbo estendal!
Nova Roma de bravos guerreiros
Pernambuco, imortal! Imortal!

Ótima notícia.

Raul

João,

Eu creio que o HMS Ocean não possui doca alagável. O desembargue das tropas é feito pela lateral.

http://www.warfareblog.com.br/2017/04/hms-ocean-perna-longa-dos-fuzileiros.html

Em 1:19 segundos aparece o desembargue.

João

Mas para o desembarque é necessário alguma infraestrutura como em um porto, ou ele pode ser feito em uma praia?

fabio Souto.

Ele tras o armamento completo? vem algo com ele?

Flávio Cardia

João, o Ocean não possui doca alagavel mesmo não… o desembarque de tropas é feito por lanchas e de veículos por uma rampa na popa conforme foto abaixo

https://www.savetheroyalnavy.org/wp-content/uploads/2016/10/HMS-Ocean-Pontoon.jpg

Ozawa

Deveriam por os nomes de todos os Estados numa urna, retirando obviamente os absolutamente inelegíveis, e sortear o vencedor. Simples assim. O acaso, a sorte, sem política.

Flávio Cardia
RAFAEL DAMASCENO

Alguma informações de quanto kg suporta essas rampas traseira e lateral?? Seria viável a entrada e saída dos M113 ?

Raul

A Marinha vai substituir os Phalanx’s por algum outro armamento? Visto que eles não estão inclusos na compra.

João

Eu vi uma imagem em que a rampa traseira estava em contato com uma embarcação de desembarque, para realizar esse procedimento é necessário alto nível de adestramento ou trata-se de algo comum e de fácil realização?

Lucas Gontcharov

É bom saber que meu estado será homenageado, e pelo visto, meu “chute” estava certo. Essa disputa por parte dos almirantes em relação ao nome é bastante idiota, o que importa é que pela primeira vez desde o descomissionamento do Minas Gerais, teremos um nau capitânia digno.

Leonardo

Alguma chance de voltarem atrás no descomissionamento do nosso Nae?

Carlos Alberto Soares

Acre.

Rennany Gomes

Bem vindo Pernambuco!

737-800 RJ

Qualquer nome serve; o importante é que essa belezinha chegue logo, junto com o anúncio de aquisição das Type 23 inglesas desativadas!

Cabral

Pernambuco ‘O Leão do Norte’

Cabral

Eu sou mameluco, sou de Casa Forte
Sou de Pernambuco, eu sou o Leão do Norte
Eu sou mameluco, eu sou de Casa Forte
Sou de Pernambuco, eu sou o Leão do Norte…

Matheus

Na segunda foto deu pra ver o quão bonita essa barca é, coisa lindra, vem pro papai, hihihi

Bob Joe

Politicagens à parte, que seja bem vindo ao Brasil, Pernambuco.

Anderson

Espero a confirmação do nome. O nome é inspirador, tendo em vista que a história do Brasil nos mostra que Pernambuco sempre teve uma atitude de um Guerreiro, sempre lutou e se destacou, não é diferente nos dias atuais, temos Estados no Brasil fora do eixo “Café com Leite”, já estava na hora das Naus Capitanias da MB saírem dessa rotina. Nada contra esses Estados, são importantes e desempenham um papel importante para o desenvolvimento do Brasil, entretanto temos outras Unidades da Federação importante seja no quesito histórico, econômico, cultural e político. Como diz o Hino de Pernambuco “A República… Read more »

Italo costa

Creio que o nome Amazonia seria mais condizente com o pirte do navio. E mais simbolico

Dario Martins Mendonça

Sergipe pois foi o primeiro navio na briosa que alías tinha o 1° Ten Leal, hoje Comandante da Marinha.

Burgos

O que foi que falei ?!
Tinha comentado no post anterior quando começaram a comentar sobre o nome !!!
“Só sei que começa com a letra “P” e é nome de um estado”.
Foi mal aí !!! Editores do blog e todos os comentaristas !!! KKKKKKKKKKKKK

Felipe Morais

Ótimo nome, dada a importância desse estado na história do país. Mas, já que o nordeste foi homenageado da última vez, preferia que fosse de outra região. Espírito Santo foi uma boa sugestão.

Quero saber quando a Marinha irá homenagear minha Brasília!
hehehehe
sendo bombardeado em 3…2…1

Oráculo

Foi em Pernambuco que aconteceu a Batalha dos Guararapes.
Cuja data, 19 de abril de 1648, é considerada o marco fundador do Exército Brasileiro.
E que não por acaso é o Dia do Exército.

Belíssima homenagem da Marinha a esse estado e ao valente povo pernambucano.

Claudiney Martins

Alexandre Galante 12 de Fevereiro de 2018 at 23:09
“Raul ainda não sabemos se os Phalanx serão mantidos, a Marinha deve informar em tempo oportuno.”

Segundo comentaristas de forum inglês ele não vem pois seria reaproveitado. Porém, o silêncio sobre ele deve significar negociações.

Erichwolff

Eu te disse! Eu te disse!

Sérgio Araujo

Da onde surgiu essa cultura da MB em nomear embarcações com nome de estados? Eu preferia que desse um nome bem mais intimidador ou um nome de algum comandante.

Fernando "Nunão" De Martini

“Da onde surgiu essa cultura da MB em nomear embarcações com nome de estados?” Sergio Araujo, Tirando um ou outro caso pontual, pode-se dizer que a tradição nasce com o batismo de seis monitores fluviais construídos durante a Guerra do Paraguai (1864-70), que homenagearam seis províncias do Império. Depois, já na segunda década da República, uma esquadra completa de 14 navios encomendada à Inglaterra homenageou 14 estados, aos quais se somaram outras unidades incorporadas na época (como o tender de submarinos Ceará e o monitor Pernambuco). Os últimos navios dessa esquadra deram baixa no início da década de 1950, quando… Read more »

CAJ FAB 84

Bonita nave e bonito nome. Que chegue logo, isso que importa. Nossa MB está muito necessitada de um bom Navio Capitânia… bem vindo!!!

Nunes-Neto

Independente do nome , que venha logo p MB , mesmo sabendo que temos helicopteros para o “Pernambuco” uns de ataque puro sangue iam deixa lo bem intimidador, não precisava ser muitos!Minha torcida que venha o Ocean e as River ( as fragatas inglesas não acho vantagem), ano que vêm compramos os Caça Minas e um NaLog, só esperar as Tamanduas estaremos muito mais equilibrados.Acho que as T23 já ficaram na década de 90/2000, são melhores do que temos na MB , mas vamos nos concentrar nas Tamanduas!

Felipe Morais

Ou nomes de cidades importantes…Porto Seguro, Salvador.

Acaba por repetir nomes e vasos importantes na história da Marinha acabam sendo “trocados” por algo novo…às vezes nem tão substancial como o anterior.

Mas enfim…tradição é tradição!

Felipe Maia

Galante, já cheguei a fazer esse questionamento antes, mas ninguém soube responder.

O Ocean pode embarcar e desembarcar veículos também pela rampa traseira utilizando lanchas LCVP. A pergunta é: seria viável desembarcar os M113 e os Piranha diretamente no mar através desta rampa? Pergunto isso porque, até onde eu sei, não tratemos LCVP ou Mexeflote aptos a operar blindados na ordem das 15 tons.

Inclusive a rampa me parece ser larga e robusta o suficiente para a passagem de um CLAnf. Seria possível?

Jeferson Rodrigues de Souza

Viva ao bravo guerreiro!

Amauri Soares

Belo nome , vai ficar lindo 😍 no porta helicópteros, desde quando ele não fique parado , tomara que o são Paulo seja feito uma plataforma na própria base naval para os pilotos manterem seu treinamento com aeronaves de asas fixas , até que possamos adquirir um outro porta aviões para substituir o são Paulo

Silas

Devia chamar São Paulo, porque o A12 praticamente nem existiu rss. Mas Pernambuco é um belo nome.

Sérgio Luiz

Rio de Janeiro deveria ser o nome deste porta helicóptero. Já tivemos Minas Gerais, São Paulo!

Wanderley

Seja qualquer nome que venha ser atribuido a essa nova aquisição para a Marinha, o importante é que ela tenha os recursos necessários para cumprir sua missão constitucional.

SmokingSnake 🐍

“O Ocean pode embarcar e desembarcar veículos também pela rampa traseira utilizando lanchas LCVP. A pergunta é: seria viável desembarcar os M113 e os Piranha diretamente no mar através desta rampa? Pergunto isso porque, até onde eu sei, não tratemos LCVP ou Mexeflote aptos a operar blindados na ordem das 15 tons.”

Baixar a rampa diretamente na água? Isso quebraria a rampa… a água não ofereceria nenhuma sustentação e a força no ponto fixo da rampa seria imensa, principalmente quando o blindado estivesse na ponta da rampa.

Felipe Maia

SmokingSnake,

Veja as imagens na internet. A rampa traseira opera apoiada sobre um flutuador. Os veículos descem pela rampa até o pontoon para só então embarcar nas LCVP (que acredito não sejam aquelas orgânicas do navio, que só levam homens).

Minha ideia seria descer os blindados ao mar pela rampa e flutuador. Com os M113 e Piranha me parece viável, já os CLAnf não sei se seria possível em razão das dimensões e do peso do blindado.

Adriano Luchiari

Amauri Soares 13 de Fevereiro de 2018 at 9:27 aeronaves só operam em porta-aviões quando estes estão navegando. Eles inclusive aumentam sua velocidade para gerar vento no convés e, junto com a catapulta, proporcionar maior velocidade relativa aos aviões na decolagem.

SmokingSnake 🐍

Pensei que estivesse falando em colocar um veículo anfíbio diretamente na água rs

Gustavo

malditos nomes de estados. Colocassem Amazônia azul que tanto amam. Republica, Federação, e assim por diante. Não acho legal.

Satyricon

Smoking Snake, o NCCC Almirante Sabóia desembarca os Clanfs dessa forma, por uma rampa traseira, diretamente na água:
http://www.defesa.gov.br/index.php/noticias/4415-anfibios-desembarcam-no-litoral-do-espirito-santo-em-exercicio-militar-de-paises-da-cplp

Alberto

Como seria a inscrição do costado? A30???

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Doutrina de engajamento da US Navy contra submarinos inimigos

A doutrina de Guerra Antissubmarino (ASW) da US Navy (Marinha dos EUA) prioriza a destruição dos submarinos de um...
- Advertisement -
- Advertisement -