Home Indústria Naval Japão incorpora o Seiryū (SS-509), nono submarino classe ‘Sōryū’

Japão incorpora o Seiryū (SS-509), nono submarino classe ‘Sōryū’

4617
51

A Força Marítima de Autodefesa do Japão (JMSDF) incorporou seu nono submarino da classe Sōryū durante uma cerimônia em 12 de março, na Prefeitura de Hyōgo.

O JS Seiryū (SS-509), como o nono submarino da classe é nomeado, foi construído e entregue pela Kawasaki Heavy Industries (KHI) e sua base será em Yokosuka.

A KHI lançou o décimo submarino Sōryū do país em 6 de novembro de 2017, enquanto a construção nos 11º e 12º submarinos está em andamento.

Os submarinos de 84 metros de comprimento são os maiores submarinos convencionais do mundo. Eles também são os primeiros do Japão a ser equipados com sistemas de propulsão independente do ar (AIP) que lhes permitem permanecer totalmente submersos por longos períodos de tempo, graças aos motores Kockums Stirling AIP.

Operados por 65 marinheiros, os submarinos deslocam 2.950 toneladas e viajam a velocidades de 20 nós.

A JMSDF agora tem nove submarinos em serviço ativo com o décimo com entrega programada para março de 2019.

FONTE: navaltoday.com

51
Deixe um comentário

avatar
18 Comment threads
33 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
30 Comment authors
smichttDaltonIvanRafael Oliveira_RR_ Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
diego farias
Visitante
diego farias

Top!

Walfrido Strobel
Visitante

O militar faz umas coisas estranhas para se exibir, tem alguma necessidade de se programar uma formatura onde se entra marchando sobre o submarino. Qual o objetivo disso?
Poderia comandar fora de forma e o pessoal se deslocaria sem essa papagaiada para o submarino.
Parece aquela exibição ridícula dos indianos demonstrando o Bofors 155mm.
. https://m.youtube.com/watch?v=PaK1jFg8JBE

Gabriel
Visitante
Gabriel

Você não compreende algumas “coisas estranhas” justamente por que não é Militar. Simples assim.

Daniel
Visitante
Daniel

A sua (falta de) explicação só piorou as coisas, kkkkkkkk

Guilherme Candido
Visitante
Guilherme Candido

Perfeito

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

O Walfrido foi Oficial da FAB.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

verdade, mas tem grande diferença entre servir na FAB e na MB, é quase outro mundo, da doutrina a tradição.

Walfrido Strobel
Visitante

Tenho como exemplo um helicoptero da MB que estava operando na BAPV em apoio ao EB que era interventor na disputa armada entre Rondonia e Acre no final dos anos 80, onde a Governadora de Acre determinou a PM invadir Rondonia. Eu estava de Oficial de Fia e Operações que era acumulado naquela época e avisei ao Ten. Fleury, piloto da Marinha que estava chegando um Ten. Brig., mas como ele era amigo do CMT da Base dispensou qualquer cerimonial na chegada, quando desembarcou abraçou o CMT e comprimentou os poucos presentes e foi fazer um lanche, viu o helicoptero… Read more »

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

Walfrido tudo o que mantém esses pequenos mundos flutuantes chamados de navios, é a ordem, disciplina e trabalho duro.

Bryan
Visitante
Bryan

Isso é muito comum nas forças miliares orientais e em alguns países ocidentais. Você sabia que nos EUA os militares não sabem ordem unida? Eles apenas caminham numa postura ereta, mas marchar, não! Geralmente essa postura de marchar, ordem unida, são típicas de países de origem ditatorial, como aconteceu no Brasil. Parte da nossa doutrina é francesa, posteriormente alemã. Depois da Segunda Guerra que se adaptou à concepção americana. Mas o grosso ainda é francesa e alemã.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

ola Bryan, só corrigindo, os militares norte americanos sabem marchar, só que é utilizado principalmente em situações cerimoniais ou treinamento, sedendo assim maior “mobilidade” para o soldado ou marujo.

smichtt
Visitante
smichtt

Isso me fez lembrar um comentário de meu pai que, sendo italiano, morava em Pisa durante a guerra e viu tropas alemãs e americanas (provavelmente também brasileiros, mas ele nunca me falou deles). Ele não se conformava com a diferença de disciplina (marchar inclusive) e eficácia entre ambos. E por isso preferia a Wehrmacht, em termos de organização militar.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

O submarino é de propulsão convencional né?!?

Mk48
Visitante
Mk48

Sim Luiz , até porque a atual Constituição do Japão não permite que eles de desenvolvam e operem submarinos nucleares.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Estranho… Qual seria o motio da proibição? Pois falta de dinheiro e vontade dos almirantes não deve faltar!

Mk48
Visitante
Mk48

Douglas , após a 2a Guerra os foram americanos que praticamente reescreveram a nova Constituição do Japão. Só lhes foram permitidos ter uma Força de Auto Defesa. Nesse contexto um subnuc fica de fora, por razões óbvias.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

O problema é que na época em que a constituição foi redigida ela fazia sentido, só que hoje ja está bem errada, serve só como uma trava.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Auto defesa com isso tudo? Imagina se não tivesse essa proibição? kkkkkk

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

Há mais de 60 anos o Japão voltou a ser independente. Se quisessem já teriam mudado a constituição. O fato é que a destruição do país na IIGM foi tão grande que eles parecem realmente ter desistido de resolver problemas utilizando meios militares.
Um ponto importante a considerar é a estrutura demográfica do Japao, país com população envelhecida e proporcionalmente poucos jovens. Nao é de espantar que não sejam tão aguerridos quanto foram.

Bryan
Visitante
Bryan

A Constituição Brasileira também afirma que “toda atividade nuclear em território nacional somente será admitida para fins pacíficos”, mesmo assim está se projetando um submarino nuclear. Até onde me consta, submarino nuclear é uma arma de guerra ofensiva. O Japão não faz esse tipo de arma porque a história recente desse país impede. Apenas isso!

Mk48
Visitante
Mk48

Bryan, com relação ao Japão, foi exatamente o que escrevi , só que em outras palavras.

MadMax
Visitante
MadMax

Vejo o Japão cada vez mais preocupado em se armar.

Andrigo
Visitante
Andrigo

E com razão, convenhamos! Com o dragão chinês cuspindo fogo na cerca do quintal, mais a “lagartixa atômica” da Coréia do Norte de lambuja, tolo seria o país que não se armasse.
País sério é aquele que não confia na boa fé alheia.

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

O motores Kockums Stirling AIP são os mesmos que equipam os submarinos suecos. Aliás a US Navy ficou tão impressionada com o desempenho do submarino da Classe Gotland, equipada com esses motores que emprestou um por dois anos (2005 – 2007), obtendo muitos sucessos que incluíram “afundar” muitos submarinos norte-americanos e aproximar-se de porta-aviões sem serem detectados.
http://www.naval.com.br/blog/2017/03/06/submarino-sueco-classe-gotland-pronto-para-novo-motor-aip/

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Não sei porque mas essa classe de sub me passa uma sensação de segurança maior do que as outras.. kk

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

Um grande submarino sem dúvidas, charme especial a popa em x, mais lento que o scorpene porem maior alcanse.

_RR_
Visitante
_RR_

SeaPredator,

As diferenças em velocidade, tanto submerso quanto na superfície, são virtualmente nulas.

A classe ‘Riachuelo’ certamente terá alcance maior que o ‘Scorpenè’ padrão. Eu chutaria algo entre 7000 e 7500 MN a 8 nós.

Já a classe ‘Soryu’, por ser mais pesada e maior, teoricamente teria mais espaço para combustível. Contudo, o AIP certamente cobra seu preço nesse caso. Não achei dados acerca do alcance desses vasos japoneses no diesel, mas penso que não vai muito além das 8000 MN a 8 nós.

De toda a sorte, já é impressionante este vaso fazer mais de 6000 MN com AIP a 6 nós.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

Saudações RR.

Tu tens razão.
Achei algumas fontes que dizem que o Soryu tem uma faixa operacional em torno de 6.135 MN.

Boa noite ao amigo.

Bardini
Visitante
Bardini

Pra quem reparou bem nas imagens, viu que o submarino está coberto com placas, que visam diminuir a sua detecção.

Mk48
Visitante
Mk48

Bem observado Bardini.

Zeabelardo
Visitante
Zeabelardo

Submarinos convencionais são especialistas em tocaia. Nossos amigos chineses não tem vida fácil no mar amarelo e no mar da china.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

Sem dúvida ele é um dos melhores submarinos feitos na região, realmente sigiloso, isso é quase tudo para um submarino.

Ps: suas opiniões estão fazendo falta em certo blog aéreo zé rsrs.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Localizar um desse ou um Saab A26 deve ser uma tarefa ingrata.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

A Saab exagera quando fala do A-26, “o projeto mais moderno do mundo”, mas de fato vai ser um bom sub.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Dentre os submarinos convencionais provavelmente devem ser mesmo, o sufoco que o Gotland deu um sufoco na US Navy, imagina seu sucessor.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

hehe verdade.

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

12 submarinos prontos ou em contrução da classe Sōryū (9 entregues)…os japoneses estão bem! Esse submarino parece ser muito bom! Com esses 12 submarinos, quantos submarinos o Japão terá no futuro próximo?

Ivan
Visitante
Ivan

Xará, . Os planos eram para 10 submarinos classe Sōryū, mas pode ter mudado para os 12 que você escreveu. . Contudo é bom lembrar que a JMSDF opera também 11 (onze) submarinos classe Oyashio (geração anterior), que deslocam 2.750 toneladas na superfície e 4.000 toneladas submersos. Estes Oyashio são apenas diesel-elétricos (sem AIP), mas são bem armados (6 tubos de lançamento HU-605 de 21 polegadas com até 20 recargas de torpedos Type 89 e/ou UGM-84 Harpoon) e gozam de bom conceito operacional. . Aparentemente os planos da Marinha do Japão (JMSDF) é manter sempre um grupos de uma dezena… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Ivan…
.
historicamente a marinha japonesa tem operado com 16 submarinos na linha de frente e outros 2 utilizados apenas para treinamento.
.
O que foi decidido anos atrás é aumentar gradualmente para 18 então 20 submarinos para uso na linha de frente além dos 2 utilizados exclusivamente para treinamento.
.
Com sorte será possível manter 5 “sempre” no mar que poderão ser reforçados
em caso de necessidade adiando-se uma manutenção de rotina ou acelerando o
treinamento de unidades que ainda não estejam certificadas para combate.
.
abs

Ivan
Visitante
Ivan

Admiral Dalton, . Esse número de 16+2 eu lembro (acho que foi comentário seu…), da época dos submarinos classe Harushio, antecessor dos Oyashio. . Hoje são 11 (onze) Oyashio: – Oyashio; – Michishio; – Uzushio; – Makishio; – Isoshio; – Narushio; – Kuroshio; – Takashio; – Yaeshio; – Setoshio; – Mochishio; Submarinos diesel-elétricos com deslocamento de 2.750 toneladas na superfície e 4.000 toneladas submerso; comprimento de 81,7 metros, boca de 8,9 metros (o SSN Los Angeles tem 10,0 metros de boca), calado de 7,4 metros. . Os submarinos classe Sōryū seriam 14, sendo 8 comissionados até 2017, 1 comissionado agora… Read more »

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

O caminho para se defender da frota chinesa passa por este submarinos ,a quantidade ainda é pouca em relação aõs chineses,mas o japão está no caminho certo esperar o EUA ajuda-los em caso de agressão da china é burrice ,atraso.A China está muito mal vista na asia,adversários por todos os lados,japão,india ,vietnan,indonésia,aústralia Taiwan e por ai vai.O Único pais alinhado com a china é o Paquistão.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

E a Coréia do Norte.

jodreski
Visitante
jodreski

Essa constituição Japonesa precisa ser reescrita, me parece um ótimo sub, porém que falta faz um sub nuc de ataque aos japoneses. Vamos lembrar que os subs japoneses foram estudados exaustivamente pelos americanos e Russos, e na minha opinião sãos os países que melhor fabricam estas armas, porém é lamentável ver a capacidade de produção japonesa travada por uma constituição antiga e que precisa urgentemente ser revista se o Japão pretende realmente defender seus interesses frente aos Chineses.

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

D-us não permita que aconteça, mas uma guerra convencional ali no mar da China, pode ser mais brutal, do que a Segunda Guerra… Os torpedos e mísseis atuais fariam uma carnificina nas frotas de superfície.

SeaPredator
Visitante
SeaPredator

Saudações Tiger 777.

Ainda mais porque o nível populacional aumentou também, sem dizer que a economia mundial va para as “cucuias”, as rotas marítimas bloqueadas, arrastaria o mundo para o conflito.

Bavaria Lion
Visitante

Um dos melhores submarinos do mundo. A vista traseira lembra um Typhoon. Belonave em amplo sentido.

Luiz Floriano Alves
Visitante
Luiz Floriano Alves

Os submarinos alemães, no final da guerra, possuiam revestimnto com placas de Linóleo. Esta substancia não reflete sinais de radar (com comprimentos de onda da época).
Os japoneses estão no caminho certo: o sistema AIP torna o submarino mais letal ao fechar as possibilidades de detecção mas usadas. Sem assinaturas térmica, magnéticas ou acústicas essas naves furam qualqur força tarefa de escolta anti SUB.

_RR_
Visitante
_RR_

Luiz,

O Stirling converte energia térmica em mecânica. Apesar da evolução recente, certamente que há um resquício de ruído, visto ser um tipo a pistão.

AIP de célula de combustível, que não tem partes móveis, certamente é algo mais silencioso. Contudo, é algo muito mais complexo de lidar e caro de manter.

_RR_
Visitante
_RR_

Outro detalhe importante: lemes em X… muito mais eficientes…

Com 3000 toneladas, constitui-se em algo imenso para um submarino convencional. É até maior que o antecessor ( classe Oyashio ).

Somando o motor ‘Stirling’, torna-se muito mais capaz que a classe ‘Scorpenè’. Aliás, o AIP ‘Stirling’ é a coisa mais simples, prática e usual que se poderia conceber nesse seguimento; baseado numa tecnologia que é centenária…! Como demonstrado pelos suecos na classe ‘Gotland’, há a possibilidade de se adapta-lo a qualquer submarino.

Ivan
Visitante
Ivan

Outro detalhe importante:
O ritmo de lançamento dos submarinos japoneses e o pouco tempo que levam para renovar sua frota.
Apenas como referencia, o SS-590 Oyashio, que dá nome a classe anterior aos classe Sōryū, foi comissionado na JMSDF em 16 de março de 1998, sendo o mais antigo em operação naquela marinha, usado junto com o Michishio (SS-591) como navios de treinamento.
Acho que são classificados agora como TSS-3608 e TSS-3609.
.
Sds.,
Ivan.