Home Forças Anfíbias Japão ativa primeiros fuzileiros navais desde a Segunda Guerra Mundial para reforçar...

Japão ativa primeiros fuzileiros navais desde a Segunda Guerra Mundial para reforçar defesas contra a China

7720
53
Soldados da Brigada de Desdobramento Rápido Anfíbio da Japanese Ground Self-Defense Force (JGSDF), a primeira unidade de Marines do Japão desde a Segunda Guerra Mundial, se reunem em uma cerimônia de ativação da brigada no Campo Ainoura da JGSDF em Sasebo, na ilha de Kyushu, no Japão em 7 de abril de 2018 – Foto: REUTERS/Issei Kato

Por Nobuhiro Kubo, Tim Kelly

SASEBO / TOKYO, Japão (Reuters) – O Japão ativou neste sábado (7.4.18) sua primeira unidade de Marines desde a Segunda Guerra Mundial, treinada para combater invasores que tentem ocupar as ilhas japonesas ao longo do Mar da China Oriental, que Tóquio teme ser vulnerável a ataques da China.

Em uma cerimônia realizada em uma base militar perto de Sasebo, na ilha de Kyushu, no sudoeste do país, cerca de 1.500 membros da Amphibious Rapid Deployment Brigade (ARDB), usando camuflagem alinhada em meio a um clima frio e ventoso.

“Dada a cada vez mais difícil situação de defesa e segurança em torno do Japão, a defesa de nossas ilhas tornou-se um mandato crítico”, disse Tomohiro Yamamoto, vice-ministro da Defesa, em um discurso.

As tropas realizaram um exercício público de 20 minutos de simulação, recapturando uma ilha remota dos invasores.

A formação da brigada de marines japonesa é controversa porque as unidades anfíbias podem projetar a força militar e poderiam, alertam os críticos, ser usadas para ameaçar os vizinhos do Japão. Em sua constituição pós Segunda Guerra Mundial, o Japão renunciou ao direito de travar uma guerra.

A brigada é o mais recente componente de uma força marinha em crescimento que inclui porta-helicópteros, navios anfíbios, transporte de tropas de rotor basculante Osprey e veículos de assalto anfíbio, destinados a deter a China à medida que ela pressiona o acesso ao Pacífico Ocidental.

A China, que domina o Mar do Sul da China, supera o Japão em gastos com defesa. Em 2018, Pequim que reivindica um grupo de ilhotas desabitadas no Mar da China Oriental, controlado por Tóquio, gastará 1,11 trilhão de yuans (US$ 176,56 bilhões) em suas forças armadas, mais de três vezes o Japão.

A ativação da ARDB de 2.100 militares leva o Japão um passo mais perto de criar uma força similar a uma Unidade Expedicionária de Fuzileiros dos EUA (MEU) capaz de planejar e executar operações no mar longe de sua base.

“Eles já demonstraram a capacidade de montar uma MEU ad hoc. Mas ter uma capacidade sólida de MEU requer um esforço conjunto”, Grant Newsham, pesquisador do Japan Forum for Strategic Studies.

“Se o Japão pensar nisso, dentro de um ano ou ano e meio, poderá ter uma capacidade razoável”.

Newsham, que ajudou a treinar as primeiras tropas anfíbias do Japão como oficial de ligação do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, disse que o Japão ainda precisa de um quartel general anfíbio para coordenar as operações, bem como mais navios anfíbios para transportar tropas e equipamentos.

Os planejadores militares japoneses já estão ponderando algumas dessas adições. Sua Força Aérea de Autodefesa (JASDF) quer adquirir F-35Bs para operar a partir de seus porta-helicópteros Izumo e Ise, ou de ilhas ao longo do Mar da China Oriental, disseram fontes à Reuters.

Os Estados Unidos desdobraram no mês passado seus F-35Bs em suas primeiras operações no mar a bordo do navio de assalto anfíbio USS Wasp, que tem sede em Sasebo. O porto de Kyushu também abriga o porta-helicópteros Ise do Japão e fica próximo à base da ARDB.

Separadamente, a JGSDF (Japan Ground Self-Defense Force – Força Terrestre de Autodefesa do Japão) pode adquirir pequenos navios anfíbios de até 100 metros (328,08 pés) de comprimento para transportar tropas e equipamentos entre ilhas e de navio para terra, disseram duas fontes familiarizadas com a discussão. As forças terrestres japonesas não operam seus próprios navios desde a Segunda Guerra Mundial.

“A ideia é trazer forças e equipamentos em grandes navios para a ilha principal de Okinawa e depois dispersá-los para outras ilhas em embarcações menores”, disse uma das fontes, que pediu para não ser identificada por não estar autorizada a falar com  meios de comunicação.

FONTE: Reuters

53
Deixe um comentário

avatar
34 Comment threads
19 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
38 Comment authors
Theo GatosFlávio HenriqueHumbertoDelfimRonaldo de souza gonçalves Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Bardini
Visitante
Bardini
Rafael_PP
Visitante
Rafael_PP

Vem aí mais um Corpo de Fuzileiros “air-centric”?

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Mais para que? eles tem 3 Osumi (o mais velho é um ano mais novo que o HMS Ocean) 2 Hyuga e 2 Izumo, a não ser que esse substituem os Izumo (e eles vire “F-35 Carrier”) ou substituam os Osumi ou sejam para os F-35.

Jefferson
Visitante
Jefferson

Parabéns, viva o Japão.

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

Além da linha vermelha…

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

Torcendo para que o Japão avance o investimento de submarinos mais do que uma unidade por ano, para pelo 5 a 10 unidades por ano. E todo seus poder de autodefesa com melhor eficiência.

Mahan
Visitante
Mahan

Banzai!!!

Dalton
Visitante
Dalton

Renan…
.
Construir 5 submarinos por ano é impossível mesmo para o Japão. Historicamente a “marinha japonesa” tem mantido 16 submarinos para linha de frente e 2 usados exclusivamente para treinamento.
.
A meta agora é manter 18 ou mesmo 20 submarinos para linha de frente além dos usuais 2 para treinamento o que será conseguido estendendo a vida útil dos mais antigos.

Masa
Visitante
Masa

São 14 subs da classe Soryu previstos e mais 11 (2 p/trein.) da classe Oyashiro, ou seja, 23 subs para linha de frente e 2 pra treinamento…

Dalton
Visitante
Dalton

Quando e se o último dos 14 “Soryu” for comissionado provavelmente o “Oyashio” mais antigo que hoje serve como unidade de treinamento deverá estar sendo retirado de serviço, quando então outro da classe assumirá sua função de treinamento.
.
Submarinos japoneses tem permanecido em serviço por cerca de 20 anos apenas
e uma extensão de vida provavelmente será limitada à apenas uns poucos anos
mais, permitindo 22 submarinos na linha de frente.

Charles Mattioda
Visitante
Charles Mattioda

Japoneses neglicenciaram sua segurança e perderam muito tempo nessa corrida. Agora para correr atrás do prejuízo vai sair mais caro leve muito tempo para levantar uma força considerável contra a China, chineses sabem disso.

Rodrigo Tavares
Visitante
Rodrigo Tavares

Foi primeira unidade dissolvida pelos EUA no pós guerra

Nilo Antonio Rodarte
Visitante
Nilo Antonio Rodarte

Não sei se vem do Oriente Médio ou do Mar da China, mas acho que vou presenciar na minha geração uma grande guerra que talvez evolua para uma guerra mundial.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Realmente, a situação está desandando muito rapidamente… A lei da evolução está se cumprindo, pois parece que a humanidade não aprendeu nada com as últimas guerras… se a situação passar para uma guerra mundial é o fim da terra…

ODST
Visitante
ODST

O fim da terra não, apenas de uma parte da humanidade, uma guerra nuclear para o planeta é fichinha, já passou por coisas muito piores.

jorge Alberto
Visitante
jorge Alberto

Como disse “absurdamente” um executivo EUA: Guerras sao boas! ( :O )

– Houve grande evolucao das ciencias durante a 2ª GM;
– Crescimento economico;
– Diminuicao da populacao (principalmente);
– “Criacao” de vagas de emprego; etc…

Especialmente, sobre o 11 de setembro, o qual ele estava explanando: “tens ideia de qual benefico foi esse ataque aos EUA”?
– Empresas de remocao de escombros;
– Empresas de Engenharia;
– Construtoras;
– Vagas de emprego foram abertas;
– As Empresas ali sediadas, tiveram que remontar seus escritorios… Comprar moveis, computadores, papelaria, etc, etc…
– Dentre muitissimas outras coisas $$$

Da nauseas, mas e a realidade, nua e crua!

Olhando

Luis
Visitante
Luis

realidade alguma nisso. guerras são necessárias para autodefesa, ou proteger povos q estejam sendo acatados por seu próprio governo, não são boas economicamente no geral, apesar de poderem ser para poucas empresas e grupos pontuais. se fosse assim quebrar a vidraça do padeiro seria uma vantagem social pois assim ele vai comprar outro vidro de uma fábrica q empregou muita gente, e contratar o serviço de um vidraceiro etc… o q não condiz com a realidade, na prática houve destruição de bens e o padeiro gastou suas economias em vez de adquirir algo q necessitava, simplesmente para retornar ao padrão… Read more »

Carpophorus
Visitante
Carpophorus

Tomara que não! Seria ao fim da humanidade.

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

O Japão pode ter uma constituição pacifista, mas não perderam o conhecimento da arte de guerrear. A experiência adquirida na última grande guerra foi mantida como objeto de estudos em suas academias militares. Eu acredito que não jogariam fora esse conhecimento. Por isso a China não vai encontrar facilidades com eles.

Fabhi
Visitante
Fabhi

Um exemplo simbólico do q vc fala Luiz e o fato de mesmo depois de perder a guerra, ter sido ” amarrado” e sufocado pela legislação pacifista ,ainda assim a força de auto defesa marítima mantém a mesma bandeira de guerra do tempo da marinha imperial , lembrando q as tropas não eram chamadas de fuzileiros navais mas sim ” tropas especiais de desembarque” os rikusentai , que teoricamente seriam paraquedistas da marinha

Washington Menezes
Visitante
Washington Menezes

Por mais estranho que pareça, mas as exigências americanas sobre o controle das forças japonesas pode ser a possível derrocada americana no Oriente, suprimindo o que seria a maior força naval aliada hoje em dia, e que muito em breve será a China .

Dalton
Visitante
Dalton

A marinha imperial japonesa foi completamente destruída durante a guerra e o país
encontrava-se em tal estado de penúria que não poderia ter continuado a construir navios
então os EUA não suprimiram nada e durante a guerra da Coreia (1950-1953) até
sugeriram que o Japão participasse do conflito.
.
O Japão perdeu sua marinha, mas, o Reino Unido possuía a maior marinha do mundo em 1939 e não foi por culpa dos EUA que a Royal Navy é o que é hoje.

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

OFF – EUA, Inglaterra e França iniciaram o ataque contra a Síria.
https://g1.globo.com/mundo/noticia/trump-anuncia-ataque-na-siria.ghtml

Tadeu 54
Visitante
Tadeu 54

Apesar de seu aumento nos gastos militares a China ainda não tem estrutura adequada em termos navais e aéreos, por enquanto não consegue partir para um desafio de verdade no Pacífico, isso claro que não a impede de falar grosso, ainda veremos muita guerra de nervos pela frente.

Mateus von Marchi
Visitante
Mateus von Marchi

Prelúdio de uma guerra que todos sabemos que chegará.

Rodolfo Livio
Visitante

Estamos a quantos minutos da meia-noite?

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

2 minutos e contando…

João
Visitante
João

Se o seu vizinho compra uma metralhadora não quer dizer que ele vai te fuzilar, mas com certeza se um dia ele pensar em fazê-lo pensará duas vezes ao saber que você tem 10 metralhadoras.

Bruno Ricardo
Visitante
Bruno Ricardo

Uma Guerra nuclear em grande escala seria o fim do estilo de vida em que vivemos. Após as destruições pelas bombas, haveria o inverno nuclear que certamente alcançaria o mundo todo.

Carlos Eduardo Goes
Visitante
Carlos Eduardo Goes

Concordo com alguns colegas foristas….tenho 35 anos de idade e acredito que estarei vivo para ver a III WWW. O caminho ja esta traçado. A questão é quando e onde será o estopim….. Mas se enganam os que acham que sera o fim de apenas de uma parte da população. Será a quase extinção humana da Terra.. Devido as atuais e complicadas alianças e acirdos existentes, não existirá PAÍS neutro. Todos terão de lutar de um lado. E o uso de armas nucleares e quem sabe quimicas, tornará a maior parte do planeta inabitavel por centenas de anos, uma vez… Read more »

Carlos Eduardo Goes
Visitante
Carlos Eduardo Goes

Esse cenario que coloquei é apenas o pós guerra em curto prazo, mas como nosso colega forista Bruno Ricardo, ainda teremos no médio prazo o inverno nuclear. ou seja, quem sobreviveu a guerra, conseguiu encontrar apos longa e ardua peregrinação um local seguro sem contaminação, ao inferno de viver num mundo quase sem água e sem comida, se matando pelos escassos recursos, tendo visto parentes e amigos morrerem pelo caminho, sobrevivido a toda brutalidade humana que nossa especie é capaz de fazer com a própria(assalto, tortura, sadismo, estupro), por fim ainda terá de enfrentar um inverno rigoroso e devastador. Na… Read more »

Walfrido Strobel
Visitante

Está assistindo muito filme…

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

É uma das possibilidades se acontecer uma nova guerra mundial, talvez o cenário mundial fique ainda pior… sem o controle do Estado, tudo ficaria uma loucura, desordem total.

Jota
Visitante
Jota

Na minha opnião a China está esticando a corda além da conta. É claro que ela precisa se autoafirmar como potencia militar mundial , mas com essa forçacão de barra para cima dos vizinhos , ela vai acabar conseguindo uma situação impensável: o Japão se tornar uma nação Nuclear , com submarinos e mísseis. Daí eu quero ver chinês reclamar e falar que não pode. Depois Coréia do Sul também e por aí vai. Vai tomar na testa!

Robson
Visitante

Acredito que a única saída que o Japão tem e se tornar uma potencia nuclear e fazer uma aliança com alguns paises também ameaçados pelos chinas de forma a se defenderam mutuamente..

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

Aliança já existe com Coreia do Sul, EUA, Austrália, Nova Zelândia e Taiwan. Mesmo que informalmente.

Rodrigo Tavares
Visitante
Rodrigo Tavares

Aliança entre Japão e EUA informal?

Japão maior aliado militar dos EUA depois da GB/França.

José Carlos David
Visitante
José Carlos David

Do jeito que a coisa vai, a aniquilação da humanidade é uma questão de tempo (não muito) e será salutar para o recomeço do planeta.

Aldo Ghisolfi
Visitante

A CHINA busca um ‘acerto de contas’ com o Japão. Velhas contas e feridas que não cicatrizaram…

Zorann
Visitante
Zorann

Não concordo com a maioria. . Vocês realmente acham que uma guerra mundial será iniciada por causa de algumas ilhotas desabitadas do Japão? Ou por causa da Síria? . Isto não vai acontecer. Sou capaz até de afirmar que se a China for lá e tomar as ilhas hoje, nada de mais sério vai acontecer. Vão convocar o conselho de segurança, reunião emergencial, alguém vai propor sanções, que serão vetadas pela China e talvez Rússia. Nenhuma nação terá coragem de impor sanções comerciais à China, porque senão quebram. Enfim, vai ser uma choradeira, algumas escaramuças, aumento da tensão, e a… Read more »

Zorann
Visitante
Zorann

Só completando: pesquisando, encontrei materias sobre a existencia de um projeto de se construir uma base, um pequeno porto na ilha maior. Há até imagens do que seria esta base. Acho que esta é a saída.

Rodrigo Tavares
Visitante
Rodrigo Tavares

Concordo contigo Apesar do oriental encarar vida e morte de uma diferente de nós, mas os tempos são outros, não como em 1930 na época da guerra Sino Japonesa. A China um país miserável e destruído após anos e anos de guerra civil e guerra contra os nipônicos, para um crescimento sólido que já passam por décadas, com melhorias para sua população. Sabem que uma guerra em grande escala seria um retrocesso, dependem de mercados como Europa e EUA. Os japoneses sabem mesma coisa, os sul coreanos idem, vietnamitas idem. País mais preocupante da região é a Coreia do Norte,… Read more »

Helio Eduardo
Visitante
Helio Eduardo

SEmpre existiu e sempre existirá, com as adaptações e mudanças ocasionadas pelo progresso, uma relação entre o custo econômico e político de uma guerra no seu momento posterior (sanções econômicas, isolamento diplomático, perda de mercados) e o custo/benefício da guerra em si. Concordo que o que segura, e muito, a China de hoje é o tenor do que sofrerá seu comércio se ela for vista como um agressor. Mas também concordo, e muito, que com o Japão o que a China deseja de forma atávica é a vingança (existem formas mais polidas de dizer isso, mas, no fim, é vingança… Read more »

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

Falamos que japão tem 22 submarinos no total entre 2 modelos( enquanto o Brasil tem 5 meio velhinhos é um semi acabado). O Japão sim tem que acelera mudar esse negocio de autodefesa,para forças armadas mesmo,a Alemanha depois de pouco tempo retornou e tem forças armadas, mesmo que membro da otan.A china tem uma produção militar intensa, enquanto a índia tem que comprar muito equipamento é o japão desculpe o termo boiando em relação a china.

Dalton
Visitante
Dalton

À Alemanha conta com apenas 6 submarinos dos quais nenhum deles estava certificado para missão poucos meses atrás …o “auto defesa” incorporado na força naval japonesa
não passa de simples aparência, já que as forças armadas japonesas são muito mais
capazes que as da Alemanha e não é de agora.

Walfrido Strobel
Visitante

E a grande verdade é que o Japão não precisa destas ilhotas disputadas, faz por birra, se um dia tiver uma guerra por causa destas ilhas, que pague o preço pela teimosia em as querer e que enterre seus mortos.
Ja era hora do Japão parar de criar problemas e mandar o invasor da II Guerra mundial ir embora, mas parece que gostam de ser ocupados eternamente pelos EUA.

Delfim
Visitante
Delfim

Concordo com Strobel. É problema demais por ilha de menos.
Que os japoneses estabeleçam um preço pelas ilhas, que os chineses tem $$$ de sobra.

Dalton
Visitante
Dalton

Não são apenas as ilhotas, mas, a zona econômica ao redor delas e desistir simplesmente delas seria uma humilhação. E a ocupação americana terminou há décadas atrás, o que existe é uma aliança militar que permite que os EUA mantenham forças militares no território japonês situado
em local altamente estratégico o que foi e continua sendo vantajoso para o Japão.
.
Mesmo a Espanha que não foi ocupada pelos EUA compartilha sua principal base naval com os
EUA há décadas.

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

Depois das ilhas qual será o próximo alvo?

Humberto
Visitante
Humberto

Dalton 15 de Abril de 2018 at 14:04
Complementando (se me permite) o Mestre Dalton.
Uma invasão as ilhas, dependendo da maneira que foi explorada junto a sua população, pode significar sim um aumento na mentalidade nacionalista e quem sabe resgate do pensamento militar pré segunda grande guerra. Creio que este último muito ruim para todos na região.

Dalton
Visitante
Dalton

Granted ! 🙂 . Humberto…o Japão abriu mão do militarismo e com uma boa ajuda dos EUA tornou-se a segunda maior economia do planeta, até pouco tempo atrás e não tenho duvida que o principal responsável por esse milagre foi a população japonesa, mas, se a União Soviética tivesse “invadido” o norte como ela queria, é bem possível que o norte tivesse sido uma espécie de Alemanha Oriental o que teria comprometido o crescimento. . Enquanto à Alemanha tem “vergonha” do seu papel na Segunda Guerra, justificável pelo Holocausto e como tal tratou de reconhecer e ajudar Israel entre outras… Read more »

Robson
Visitante

Essa disputa esta alem de definir quem tem o pênis maior ou quem e o macho aufa da região…. Existe um revanchismo histórico, uma questão econômica e uma posição estratégica…adiar uma guerra e um grande erro… China e Coréia do norte devem ser desabilitadas imediatamente se e que vcs me entendem….

Theo Gatos
Visitante
Theo Gatos

Decisão cada vez mais importante para garantir os interesses japoneses em mais de uma área afastada de seu território… Não sei se vocês acompanharam, mas esteve em destaque também a descoberta de reservas minerais que são largamente providos pela China, em ilhas japonesas…
.
https://www.sciencealert.com/japan-just-found-a-semi-infinite-deposit-of-rare-earth-minerals
.
Sds