Home Marinha do Brasil Mostra de Armamento do Porta-Helicópteros Multipropósito Atlântico

Mostra de Armamento do Porta-Helicópteros Multipropósito Atlântico

16706
56
PHM Atlântico no pôr do sol
PHM Atlântico no pôr do sol no Reino Unido. Observar o indicativo visual A140 pintado também na chaminé

Hoje, realizou-se na Base Naval de Devonport, na cidade de Plymouth – Reino Unido, a Mostra de Armamento do Porta-Helicópteros Multipropósito (PHM) Atlântico (A140), ex-HMS Ocean.

Na cerimônia, a tripulação brasileira embarcou no navio e o pavilhão nacional foi hasteado pela primeira vez.

O navio, adquirido por £ 84 milhões, foi adaptado e reparado pelas companhias Babcock e a BAE Systems para a transferência à Marinha do Brasil.

O PHM Atlântico passará nos próximos dias pelo Flag Officer Sea Training (FOST), um programa da Royal Navy que provê o treinamento operacional no mar para todos os navios de superfície, submarinos e auxiliares, sendo ministrado por uma dedicada equipe de especialistas da Marinha Real.

A chegada do PHM Atlântico ao Brasil está prevista para meados de agosto.

Depois da chegada, virão meses e meses de testes, com o navio atracado e operando ao largo da costa brasileira. As certificações necessárias ao aprontamento da embarcação, para que ela seja considerada plenamente operacional, devem entrar pelo ano de 2020.

PHM Atlântico hasteia o pavilhão nacional
PHM Atlântico hasteia o pavilhão nacional

Assista abaixo ao vídeo publicado pela Marinha do Brasil no Twitter, mostrando o embarque da tripulação brasileira no PHM Atlântico.

56 COMMENTS

  1. Só lembrando que “Mostra de Armamento” é um cerimonial realizado para marcar a incorporação oficial de uma determinada embarcação ao serviço ativo independentemente das suas características ou funções. O termo “armamento” não está relacionado com as armas da embarcação, mas sim à “armação”, ou seja, os equipamentos e as equipagens.

  2. Oficiais da MB sorrindo que nem criança com presente de Natal….hahahaha

    Lindo navio. Sou da turma que apoiou a compra desde o primeiro rumor. Quando muita gente reclamava que a MB só comprovava lata velha.

    • Eu também! Apanhei muito aqui pelas viúvas das escoltas ao defender a compra do Atlântico mas, valeu a pena. Vislumbrei que seria uma ótima aquisição e um enorme salto para uma marinha moderna. E de fato é! Agora é esperar ano que vem um dos NTs da classe Wave, outra ótima aquisição.

  3. O que mais me espanta nisso tudo é um navio desse tamanho, cheio de sistemas, motores e afins custar mais barato que um caça atual do tipo Gripen, Sukhoi, F-16 etc….

    Esse navio saiu barato demais ou os aviões estão com preços na estratosfera??

      • Será que esse preço ultra-camarada do PHM não estaria de uma forma ou de ‘outra’ relacionado com a concorrência das Tamandarés? Afinal a BAE está no páreo. Também podemos levar em conta que o Brasil é um cliente importante de meios de superfície britânicos e, haja vista também que, nos últimos tempos nosso país vem assumindo uma posição de preferencial comprador de meios que poderão dar baixa na RN pelos próximos anos!

    • É o preço que se paga por ToT, mano.
      Na outra reportagem mesmo eu tinha perguntado o porque de pagarmos 70 milhões nos motores do ManSup que já estão obsoletos no dia de hoje (os novos Block III usam microturbinas) e foi essa a resposta que recebi.
      Sim, podiamos ter comprados jatos mais baratos, mas não poderíamos aprender a fazer pois seria apenas aquisição.

    • É Ruy, o que mais espanta é o preço das embarcaçoes ser tao barato e nossa marinha ser praticamente inexistente…ate parece que querem desarmar o Brasil para entregá-lo a quem pagar mais…

  4. Lembro-me perfeitamente quando há alguns anos o Ocean esteve no Brasil para participar de exercícios com os nosso CFN e o pessoal da trilogia caiu em cima massacrando o navio e dizendo que não era uma boa compra para a MB, blá, blá, blá… Hoje todo mundo elogia.

  5. A BAE Systems deve ser declarada a vencedora no programa das Tamandaré, não tem muito o que raciocinar.
    Além do produto ser talvez o melhor dos ofertados, essas demonstrações de confiança devem ser levadas em conta.

    • O que deve ser levado em conta são os requisitos elaborados pela MB, se a BAE cumprir esses requisitos e apresentar um modelo type 31 mais pesado que a corveta do CPN, como parece que vai apresentar, com certeza ela passa a ser uma das favoritas

  6. Lindo navio! Parabéns pela aquisição! Noiiisss critica, mas noisss também elogiamos.
    Cadê os comentários do MO com aquela foto do ostra? kkkk

  7. Sou leigo no assunto, porém gostaria de saber se para a MB seria bom adquirir alguns Hovercraft para desembarque de tropas e meios de assalto anfíbio ? Grato

  8. Muito bom para a Marinha, excelente navio. São sou militar, mas filho de militar da Marinha. Espero que ele passe por Salvador primeiro.

  9. Parabéns a nossa MB, entramos no século XXI, agora podemos calar às gralhas que falam sempre contra. E gostaria que nossos representantes em Brasília, pudessem passar pelo menos uma semana em nossas forças para darem mais valor, pois a maioria nunca esteve em um quartel.

  10. Deus salve a rainha ! kkk
    Mais uma vez nos tratando como gente grande,sabemos que não foi de graça,porém cada vez mais os ingleses criam um laço com a MB !
    E sejamos francos tem tudo para dar BAE na tamandaré !
    Bem pelo menos eu torço para isso acontecer,eles tem uma boa proposta e um ótimo relacionamento com a MB
    Tenho quase certeza que desde Das Niterói até o atlântico vai pesar na mesa
    logico que vença á melhor proposta,mais os caras sabem usar a diplomacia nessas horas kkk

  11. E eis que em tempos tão difíceis, vem esta aquisição.

    Não há dúvidas de que é um muito bem vindo alento a uma marinha que a tempos clama por navios novos; sobretudo os vasos destinados a operações anfíbias, cujos antigos NDD já vinham empurrando água para muito além do que deveriam…

    Pessoalmente, acredito que um NPaLog seria mais necessário, mas convenhamos que uma compra de oportunidade como esta não poderia ser simplesmente ignorada…

  12. Parabéns a MB que ser a sempre um orgulho para todos os brasileiros em especial a todos nos rese9rvista naval .Sou do tempo que ainda era marinha de Guerra e da V 17 e V18 saudosa Corveta Ypiranga e Corveta Forte de Coimbra

  13. Gostaria de obter de quem disponha de informação, responder essas questões:
    Após o treinamento de toda tripulação embarcada, foi informada a viagem para o Brasil será em Agosto, a data que isso ocorrerá ainda não foi definida ? Em sua grande viagem inaugural qual será a estratégia de navegação ? Quantos dias até chegar ao Rio ?

    • De acordo com o “Jane’s,” o Atlântico tem chegada prevista para o dia 25 de Agosto. Acredito que a estratégia de navegação dele será: “Sair da Inglaterra —-> Chegar no Rio de Janeiro.” A quantidade de dias até chegar ao Rio de Janeiro vai depender da velocidade de navegação e condições de mar.

      • Agradeço Leandro pela resposta, só fica uma indagação interessante; O Cmte Do Atlântico provavelmente não testará as máquinas em “Full Power” afinal provavelmente o alto comando que fará o planejamento de rota entre os dois portos. Outro detalhe a capacidade de combustível dele teria autonomia para essa viagem sem abastecimento ?

        • Uma viagem curta, apenas de ida, sem aeronaves e seus combustiveis, apenas com as peças e equipamentos não instalados? Sim, teria combustível sim, de sobra inclusive.

          E acredito que as máquinas serão testadas em todos os regimes de velocidade durante o FOST.

        • A autonomia dele é de 13 mil km, fiz uma medição grosseira no google Earth e dá +- uns 10 mil km da Inglaterra ao RJ.

        • Circunferência da Terra = 40.075 km
          Distância até Rio de Janeiro = 9.272 km
          Autonomia do NPH Atlântico = 13000 km
          Positivo.

  14. Sinceramente, o hino da Marinha deveria ser o hino nacional, é a mais bela canção feita no Brasil, é de arrepiar. Repito, parabéns ao site pela cobertura, não vejo a hora de visitá lo.

    • Discordo meu querido USS Montana. Eu acho o Hina da Independência ou do Imperio do Brasil o mais bonito. Mas cada qual com sua opinião.

      • Falando de hino, o nosso é bonito (apesar de muito erudito e 80% da população não saber a letra inteira e outro tanto não saber o que significa) mas é meio que uruca pro nosso país. Parece até ser de propósito já que realmente o país foi feito só pra uns 20% que direta ou indiretamente mamam das tetas do Estado. Os outros 80% são bucha de canhão eleitoreira e cidadãos de segunda classe.
        Acho que seguimos ao pé da letra o tal “deitado eternamente em berço esplêndido” e “impávido colosso”.
        Sem falar que hoje somos o futuro a que se refere o hino: “e o teu futuro espelha essa grandeza”, feito em 1908.
        Acho que tá na hora de mudar. Mantém a música mas altera a letra pra ver se traz melhor sorte para os próximos 100 anos.

  15. Discordo meu querido USS Montana. Eu acho o Hino da Independência ou do Imperio do Brasil o mais bonito. Mas cada qual com sua opinião.

  16. Parabéns a MB….. Alguém poderia me informar qual sistema CIWS vai ser instalado no A-140 Atlântico com a remoção dos Phalanx? E na minha opinião pessoal o Pantsir-ME seria o ideal por fornecer uma cobertura de 360º a 20 km do navio.

  17. So leigo no assunto, mas seria possível a MB operar os aviões Bell-Boeing V-22 Osprey e o Lockheed Martin F-35B Lightning II no phm atlântica

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here