Home Indústria de Defesa Rússia comissiona fragata Almirante Gorshkov, Project 22350

Rússia comissiona fragata Almirante Gorshkov, Project 22350

5471
16
Admiral Gorshkov, primeira da classe

A Marinha Russa incorporou o navio líder das fragatas Project 22350 – Almirante Gorshkov – em uma cerimônia em São Petersburgo em 28 de julho.

Com a presença do vice-chefe da marinha e outros funcionários do governo e dos estaleiros russos, a cerimônia foi realizada antes das comemorações do Dia da Marinha russa em 29 de julho.

O almirante Gorshkov teve sua construção iniciada em 2006 e iniciou os testes em 2015.

O comissionamento da fragata foi adiado mais de uma vez e acabou ocorrendo quase dois anos depois do planejado. O comissionamento do segundo navio da classe, Almirante Kasatonov, também ocorrerá oito meses mais tarde, em decorrência de atrasos no navio líder da classe.

A nova classe de fragatas sofreu com problemas técnicos e foi em parte adiada pela incorporação de uma quantidade maior de sistemas de armas de “alta precisão” e seus testes subsequentes.

As fragatas de 135 metros deslocam 5.000 toneladas e têm um alcance de cruzeiro de mais de 4.000 milhas náuticas.

Elas serão equipados com mísseis antissubmarino e antinavio e um canhão principal de 130mm A-192M. Também contam com o sistema de defesa aérea naval Poliment-Redut, que foi declaradamente uma das razões por trás do atraso, e 16 lançadortes de mísseis antinavio Onyx ou Kalibr.

Um helicóptero antissubmarino Ka-27 também será embarcado.

Vista aérea da Almirante Gorshkov quando estava em término de construção
Vista aérea da Almirante Gorshkov quando estava em término de construção
Almirante Gorshkov em desfile naval
Almirante Gorshkov em desfile naval

16 COMMENTS

  1. Belo barco, Mais um cruzador leve do que fragata. Só aquele canhão de 130 mm. deve rugir e mostrar os dentes de longa distância. But…não é para o nosso TO ….dizem. Mas que faria uma diferença na MB, isso ninguém duvida. Umas quatro ficariam de bom tamanho.

  2. Bela Fragata, em diversos aspectos.
    Seria uma candidata do eventual PROSUPER da Marinha do Brasil, caso o programa de “Fragatas Pesadas” volte a andar?
    Lembrando que os Russos foram convidados, mas não apresentaram propostas, para as Fragatas Leves/Corvetas Pesadas Tamandaré mesmo possuindo projetos que, em tese e adaptados, poderiam se enquadrar nos parâmetros, como os Steregushchiy, do Projeto 20381 (2.200 T) e Admiral Grigorovich, do projeto 11356M (4.035 T).

  3. Adorei Está fragata, estou mandado agora fazer 12 delas, brincadeira.
    Mais este projeto russo e um dos melhores, gostaria que a nossa MB fizessem parcerias com a Rússia, pois eles têm um norral de altíssima qualidade no que tange área da segurança marítima, aérea e no solo.
    Sem falar a área espacial que seria um grande trunfo para nosso desenvolvimento espacial e retirar de vez os VLs parado em solo nacional a bastante tempo.

  4. Muito bacana essa classe. Além do atraso nos sistemas de armas citado no texto, creio que houve problemas com as turbinas a gás serem de origem ucraniana não? Ou isso foi em outra classe?
    São as FREMM russas!

    • O maior motivo dos atrasos foi e tem sido a falta de fundos…uma versão russa da longa gestação da corveta “Barroso” que também sofreu muitos atrasos por falta de fundos.

      • Almirante!
        Principal motivo não foi econômico.
        É que em processo dos testes mudaram varias combinações dos sistemas de armamento ja visando os 22350M. Almirante Gorshkov rodou mais de 40 mil milhas!!
        E principal problema era no Poliment-Redut tentando “casar” Poliment com Podberezovik.
        E tb introdução de complexo Medvedka-2 (junto com Vinhetka modificada).
        Resumindo podemos falar que principal motivo de atraso (pelo menos em relação da data inicial) foi a rotina dos testes para definir os parâmetros técnicos para esta nova classe dos navios e resolver os problemas antes de produção em serie.
        Um grande abraço!

        • ScudB…
          .
          acho que exagerei comparando com a gestação da “Barroso”, mas, tem havido uma falta de fundos não apenas para o programa de fragatas, mas, virtualmente para todos os demais programas e manutenções de meios e curiosamente uma das coisas que li recentemente envolve seu comentário sobre o “Redut” e o meu sobre falta de fundos…com dinheiro disponível muita coisa pode ser solucionada mais rapidamente.
          .
          “The Admiral Gorshkov-class has had to deal with various technical issues, including performance and compatibility problems with its Polimut Redut air defense missile system and with its propulsion system. The entire Project 22350 program also suffered from periodic funding shortages since its inception.”
          .
          Um grande abraço !

          • Diria 70/30 : 70% porque envolveu as turbinas (so ficaram prontas em 2017) e Poliment-Redut com Medvedka-2.
            30% por causa da grana (Poliment deveria chegar “ao ponto” por meio de erros e acertos que nenhum tipo de financiamento poderia resolver. Caso de evolução mesmo).
            Um grande abraço!

  5. Eu achei que já tivesse sido comissionada há mais tempo!
    Qual foi o problema? Foi a substituição dos motores ucranianos?

    De qualquer forma, é um belissimo vaso… parece que os russos vão abandonando as linhas de seus anteriores meios navais… uma pena, pq eu acho os navios russos muito elegantes (vide a classe slava e as kirov)

  6. Para quem ama de paixão a Marinha Russa e fica obcecado com cada corvetinha que entra em serviço lá, como eu por exemplo ( kkkkkkkk !!! ), ver essa nave finalmente entrando em serviço foi o acontecimento do militar do ano !!!

    É, demorou, mas, entrou em serviço. Existe uma previsão da Kasatonov para entrar em serviço em Novembro do ano que vem, se bem que pode ser que venha antes.

    A Golovko aguarda os novos Saturn MR90, e a Isakov ainda está na montagem final do casco.

    Uma misteriosa foto mostra uma outra dessas fragatas ao lado da Isakov, igualzinha, mas ninguém tem certeza de que navio é. Rumores de que é uma 22350 M, mas, não se tem certeza. Outros sites afirmam ser a Admiral Yumaschev, que seria a quinta Gorshkov, mas isso não foi confirmado.

    A polêmica atingiu até a Wikipedia, que já mudou trẽs vezes nos ultimos meses naquela tabela de construção.

    Cuidado com as informações bombásticas de sites internacionais como a Jamestown sobre a marinha Russa. Esses sites tem viés político e não são nada confiáveis. Gostam de reunir tudo o que da errado na Frota e jogar num único artigo, escondendo as coisas boas.

    Ora, se eu reunir num unico artigo tudo aquilo que deu de errado com a construção naval inglesa ou americana ou com as proprias Marinhas, a conclusão é de que ambas estão em colapso…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here