Home Indústria de Defesa Irã revela novo míssil balístico antinavio

Irã revela novo míssil balístico antinavio

5137
39

O Irã divulgou em 13 de agosto um novo míssil balístico anti-navio chamado Fateh Mobin. A nova arma é baseada no míssil Fateh 110 existente

TEERÃ (FNA) – O ministro da Defesa iraniano, brigadeiro-general Amir Hatami, assegurou à nação que o país continuará avançando nos campos de defesa e mísseis, independentemente das ameaças e sanções dos inimigos.

“O poder de mísseis da República Islâmica do Irã é um poder de dissuasão defensivo e, como prometi a nosso querido povo, não pouparei esforços para aumentar as capacidades de mísseis do país e, certamente, aumentaremos nosso poder de mísseis diariamente”. Hatami disse, dirigindo-se a uma cerimônia para revelar um novo míssil de produção nacional chamado “Fateh Mobin” em Teerã, na segunda-feira, 13 de agosto.

Ele se referiu às ameaças dos inimigos contra o Irã por suas capacidades de mísseis e disse: “O que é dito sobre o poder de defesa e mísseis da República Islâmica é uma reivindicação barata e infundada e uma clara interferência, e a grande nação iraniana não permite a nenhuma potência estrangeira interferir em sua defesa e assuntos militares”.

O general Hatami descreveu o poder de defesa e mísseis do Irã como dissuasão e disse: “Se Deus quiser, vamos nos esforçar para fortalecer essa capacidade de defesa dia após dia”.

Ele também sublinhou a determinação do Irã de aumentar ainda mais seu poder de defesa em todos os campos, apesar das sanções, pressões e guerra psicológica dos inimigos.

Em declarações relevantes em julho, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Bahram Qassemi, renovou a posição do Irã sobre seu programa de mísseis e disse que as atividades de defesa do país são uma linha vermelha enquanto não representam ameaça para outros países.

“O Irã anunciou repetidamente que suas atividades de mísseis fazem parte da política de dissuasão da República Islâmica e foram perseguidas de acordo com os interesses nacionais do país e pela proteção de sua dignidade e território, como é o caso de qualquer outro país independente”, Qassemi disse.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã sublinhou que as atividades de mísseis do Irã não são contra nenhum país e só têm caráter defensivo.

FONTE: farsnews.com

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Danton
Marcelo Danton
1 ano atrás

Vixiiii mãe!
Os “portões do inferno” se abriram e engolirão os EUA…agora VAI.
Esse pessoal é criançola mesmo né..não tem a minima vergonha de passar carão….

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Marcelo Danton
1 ano atrás

É por ai, todo mundo anda a carregar nos bolsos e nos botões de disparo de suas hiper armas as “chaves dos portões do inferno”.

O mundo irá acabar, destroçado pela fúria divina retratada nas hiper armas que diariamente estão a brotar.

Segue o jogo…

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

São nesses horas que Irã me lembra muito o Iraque do inicio dos anos 2000… quem não se lembra da temível e imbatível Guarda Republicana Iraquiana.

No Sputnik os caras foram além: “Na segunda-feira (13), o ministro da Defesa do Irã, Amir Hatami, apresentou o míssil balístico Fateh de nova geração que é capaz de se esquivar de radares e atingir alvos com alta precisão, informa a agência de notícias Tasnim.”

J.Neto
J.Neto
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Espero, sinceramente, que não…desejar que mais um louco possa detonar um artefato destes, só pode ser tão louco quanto…

Elpide Balbino Ambrósio
Elpide Balbino Ambrósio
1 ano atrás

Paquistão, como uma nação muçulmana, deveria auxiliar o Irã no desenvolvimento da bomba atômica. Este país precisa se fortalecer para não ser alvo de saque daquele país fomentador de desgr@…. no mundo. Torço por vocês iranianos

CRSOV
CRSOV
Reply to  Elpide Balbino Ambrósio
1 ano atrás

O Paquistão é de maioria sunita enquanto que o Iran é xiita !! Logo não há chances de ter essa ajuda a não ser que algum cientista de lá clandestinamente mediante $$$$ repasse esses segredos e materiais sensíveis !!

CRSOV
CRSOV
1 ano atrás

Só esqueceram de falar dados como alcance, carga explosiva, precisão etc. No mais o Iran faz bem em aumentar o número e melhorar a tecnologia de suas armas. Se essas armas são efetivamente boas e avançadas isso são outros 500 mas é melhor do que ficar deitado em berço esplêndido como é feito em nossa querida Putênfia !!

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  CRSOV
1 ano atrás

Acredite, eles não esqueceram. Tudo foi convenientemente omitido. Discrição, meu caro. Sobre paiol não se fala aos sete ventos.

Diego
Diego
1 ano atrás

Só faltou pintar de preto e dizer que é um míssil stealth

carvalho2008
carvalho2008
1 ano atrás

parece relativamente pequeno, com ogiva pequena…menor que um exocet….pode ser o angulo da imagem, é balistico mesmo ou sea skimming?

Bosco
Bosco
Reply to  carvalho2008
1 ano atrás

Carvalho,
Numa análise pé de chinelo, ele com certeza é supersônico (superfícies de controle pequenas e enflechadas), não é “de cruzeiro” (não tem asas no meio do corpo), então não é sea-skimming, e é propulsado por um motor foguete.
Resumo da ópera: ou é um míssil balístico ou semi-balístico.

BILL27
BILL27
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Este missel não lhe pareceu fake ? Estas aletas peqenas , a parte traeira dele tbm bem estranha .Não me convenceu rs

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Dizer o que?
È, parabéns Irã, China, Índia etc..
Só lamento repúbliqueta de bananas!

Celso
Celso
1 ano atrás

Mais uma maquete…
Pequeno, com aletas pequenas, lançador que parece de madeira…kkkkkkkkkk

abrahamyamato
abrahamyamato
1 ano atrás

parece um cabo de vassoura kkkk

Alessandro
Alessandro
1 ano atrás

dizer o que né ? parabéns Irã tbm lamento que a repúbliqueta de bananas não tem… não pera, tem o MANSUP !!

é aquela velha máxima, ” a grama do vizinho sempre é mais verde” rsrs…

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

Alessandro, as gramas geralmente são iguais, o problema é como cada vizinho trata a sua, uns com carinho, dedicação e amor, outros a deixam ao leo, não cuidam e deixam os insetos e alguns herbívoros fazerem o trabalho de cuidar, fertilizar e aparar, preferindo canalizar os recursos de manutenção da mesma, na cervejada de final de semana. abração st4

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

parece ser uma tática interessante fazer o ataque a navios por cima e em velocidade supersônica, me parece que CIWS como o Phalanx não cobrem esse arco superior. Queria saber como é a guiagem: radar, IR, IIR, TV ? Uma grande quantidade desses mísseis lançados contra um Burke devem ter mais chances que a mesma quantidade de “sea skimmers” para furar a defesa. Antes desse modelo iraniano só tinha ouvido falar do DF-31 chinês que é muito grande e pode ter seu lançamento confundido com o de um ICBM, o que pode complicar as coisas.

Bosco
Bosco
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

Marcelo, A defesa naval ideal é em camadas. Com certeza a defesa primária contra esse tipo de ameaça não fica por conta de CIWS. Obrigatoriamente eles têm que ser enfrentados de longe. A vantagem do voo a baixa altitude (e em especial dos regime de voo “sea skimming”) é que para um mesmo RCS o tempo de reação da defesa é reduzido. Vindo do alto os sensores do navio irão detectar a ameaça mais longe e terão maior tempo de reação. Mesmo em se tratando de um ataque de saturação, creio eu que esse tipo de ameaça é mais fácil… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Eu tambem acho……quando é balistico, o horizonte radar é enorme limitado apenas a capacidade de iluminação do radar…..assim, os misseis SM podem ser disparados para defender ainda a uma boa distancia….e sendo uma boa distancia, mesmo que exista um ataque de saturação o tempo de resposta e capacidade de disparos de misseis de defesa vão se equivaler….quando é sea sikmming o horizonte radar fica em 35-40km….e se o missil é supersonico o tempo fica mais reduzido….inclusive em caso de saturação e misseis que possam mudar de rota para engajar o alvo por lados diferentes ampliam esta saturação em face das… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  carvalho2008
1 ano atrás

interessante. Mas creio que a idéia dos iranianos, com inspiração em seus aliados chineses, deve ser driblar pelo menos uma das camadas de defesa, a derradeira dos CIWS. Considerando que já possuem há bastante tempo mísseis sea skimmers (desde o silkworm), talvez a idéia seja o uso concomitante dos dois tipos.

strana
strana
1 ano atrás

Não concordo com o regime reinante no Irã, embora não o considere pior do que aquele existente na Arábia Saudita e outros países do Golfo, todos apoiados incondicionalmente pelo Ocidente. Admiro profundamente as proezas de Israel, um país que tudo para dar errado – nem água possui – mas que tornou-se, com empenho e determinação, uma espécie de mini superpotência tecnológica, científica, econômica e militar. Contudo, a política externa israelense é lamentável : tratam como lixo os palestinos e, mesmo assim, posam como vítimas inocentes qdo uns foguetes caseiros são lançados contra Israel. O Irã é o único país do… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  strana
1 ano atrás

Amigo embora eu tenha algumas discordâncias eu devo admitir que seu posicionamento é respeitável! Contudo, apesar de conforme você falou eles formarem um número alto de engenheiros aqui qualidade não é quantidade! Especificamente falando da tecnologia bélica os iranianos estão bem atrás de Israel, que forme bem menos engenheiros inclusive em virtude do menor tamanho da sua população.

Marcelo
Marcelo
Reply to  strana
1 ano atrás

parabéns pelo comentário equilibrado e preciso! coisa rara de se ver….

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
1 ano atrás

Não vou entrar no mérito da questão política geográfica, religiosa, etc… Mas um país com os embargos que possui, consegue desenvolver uma linha de mísseis (de papel mache ou não) manter e conseguir fazer operar o tomcat (um dos design mais lindos de caça) o F5 e outros produtos militares, é digno de reconhecimento e aplauso, deveríamos ser humildes e aprender com eles, e o ideal, tb com Israel, são exemplos a serem seguidos, principalmente no que tange ao amor, dedicação, preocupação e respeito por seu país. Se tivéssemos um 1/5 disto, estaríamos ente as 3 ou 4 potências do… Read more »

Cristiano GR
Cristiano GR
1 ano atrás

Água tem. Tem o Rio Jordão, que aliás não está sendo bem cuidado, e o Mar da Galiléia, além de muitos reservatórios para criação de peixes. As proezas são fruto do capital à disposição deles, pois a grande maioria dos bancos pertence a famílias judias, e, também, muitas outras empresas muito grandes e conhecidas mundialmente, todas apoiando o sionismo, uma espécie de patriotismo racial. E soma-se a isso o amplo apoio do tio Sam(uel), econômico (ganham bilhões anualmente) e militar, do qual participam muitos judeus em cargos de alto escalão de todos os governos, não importando o partido que governe.… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
1 ano atrás

O case Iraniano pode ser similar, embora em menor escala, do case chines….quemestá na casa dos 50 sabe….era hilario acompanhar nos foruns a forma jocosa e de despeito do furistas sobre as iniciativas chinesas…”tudo Xing ling, 25 de março, solta pecinha”…..mesmo os caras com baita programa espacial, estação, maior malha de trens bala e a turma ironizando….hoje tão ai….e o Irã? logico muitissimo menor, mas a necessidade faz seus meios….pouco a pouco vão criando sua industria belica….com a Africa do Sul foi assim, a guerra que se envolveram e os embargos motivaram uma prospera industria de defesa…e o interessanrte e… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
1 ano atrás

Off topic

Mestre Bosco….

Você viu sobre o Fakour-90 Iraniano…a engenharia reversa dos Phoenix? Será que o bicho chega aos 150 km mesmo?

Bosco
Bosco
Reply to  carvalho2008
1 ano atrás

Carvalho,
Também tenho minhas dúvidas. Eu sinceramente não acredito muito nos iranianos na questão tecnológica. E a culpa é toda deles. Antes, eles já desfilaram com S-300 “fake”, depois mostraram aquela maquete de um caça stealth, e por aí vai!
No chão, na forma de maquete, o Brasil também tem uns 10 a 15 mísseis, mas sabemos que operacionais não passam de uns 2 ou 3. A diferença é que por aqui a gente não diz que é real.
Um abraço.

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Caro Alessandro, enquanto que o vizinho corta sua grama, cuida de suas plantas e deixa seu jardim lindo a cada 6 meses, o nosso quando faz esse serviço leva 5 anos para isto. Isso quando o mesmo sendo jardineiro, acha bonito por soberba que é, contratar um gringo europeu, judeu ou norte americano espertalhão para fazer o serviço. Pois para o mesmo, o “santo de casa” nuca faz milagre e as ferramentas nacionais são sempre ultrapassadas, ai quando sobra um pouquinho de seu salário minguado vai para Europa, Israel ou E.U.A comprar o que tem na vendinha da esquina, porquê… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Isto para não falar na auto sabotagem de nossos próprios oficiais generais que fazem de tudo e mais um pouco para jogar a “pá de cal” em programas estratégicos nacionais como Vant Falcão (faleceu porquê a FAB deu preferência aos Hermes Israelenses), Guará, Gladiador II, AVB da Ares (Perderam para o LMV-I da Iveco), MAR-01 (aguardando encomendas que nunca chegam), MAA1-B (Cancelado em detrimento do Pyton-IV inferior), SMKB e FPG-82 (Kits de guiagem de bombas nacionais que não receberam uma única encomenda), SISNAV (Giroscópios a fibra óptica que foram abandonados), SNC Vant ( Sistema de navegação e controle), DPA Vant… Read more »

sergio ribamar ferreira
1 ano atrás

De certa forma o Sr foxtrot. está certo, porém as condições e embargos de países ao Irã levam este país a usarem recursos locais para sua defesa. mesmo que alguns não concordem. O irã possui um arsenal considerável e pode, sim dar prejuízo à alguma nação. Mesmo sabendo que poderá ser dizimada. também não me é de espantar que a força iraniana possui capacidade de ter artefatos nucleares. ( lembramos que conversações entre Coréia do Norte e Irã0 foram reiteradas em questão de defesa). este novo míssil é mais uma demonstração que utilizam e muito de engenharia reversa e, sim… Read more »

strana
strana
1 ano atrás

Vc já foi a Israel ? Como disse o Shimon Peres, o “Jordão tem muito mais história do que água”. É uma afirmação totalmente verdadeira, pois ele parece mais uma vala do que um rio em muitas partes do percurso. Israel foi pioneiro em purificar água do mar para beber. O deserto é hj um mar verde. Inegável que Israel recebe ajuda de grupos externos, mas eles são , em grande parte, judeus. Dizer que Israel só atingiu o nível atual de desenvolvimento por receber auxílio externo seria o mesmo que afirmar que a Alemanha só é o que é… Read more »

sergio ribamar ferreira
1 ano atrás

Concordo com o Sr. strana. Fazer negócios com Israel é muito bom. Possuem empresas de qualidade Excelente fruto de educação e tecnologia qualitativas. quem dera tivéssemos mais negócios e aprendizagem com este país?!

Cristiano GR
Cristiano GR
1 ano atrás

Se o Brasil recebesse o apoio econômico e militar do tio Sam(uel) que os israelenses recebem e o apoio de empresários sionistas mundo afora, o Brasil seria uma potência mais forte que a Alemanha e UK. É muito dinheiro a disposição. Muita cultura e tecnologia a disposição. Lá transformam a água do mar em água potável, sei bem disso desde 99, e transformam o deserte em verdes plantações, são exportadores de peixes cultivados, então não falta água, citei o rio Jordão e o Mar da Galiléia apenas para ficar nas fontes que existem e sei que, pelo uso da água… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Cristiano GR
1 ano atrás

Israel é uma pequena nação com menos de 10 milhões de pessoas…com o que Israel recebe de “ajuda” não seria suficiente para mudar um país tão grande e com tantas mazelas como o Brasil.
.
E apesar de toda essa “ajuda” dos EUA é sabido que navios e submarinos israelenses por exemplo, são subsidiados pela Alemanha ou seja toda essa “ajuda” dos EUA não é suficiente.
.
Isso não tira o mérito dos próprios israelenses, mas, uma população menor, mais bem educada, mais unida e contando com melhor infraestrutura, etc, facilita muito as coisas
na minha opinião.

Bosco
Bosco
1 ano atrás

E os países árabes que recebem ajuda dos milhões de “brimos” espalhados pelo mundo. E esses “brimos” tão longe de serem coitadinhos. A maioria tá montada na grana. Eu fico de cara com brasileiro que implica com nações estrangeiras darem dinheiro seu para outras nações estrangeiras. Sinceramente não consigo entender! Nós brasileiros não sabemos o que fazem do nosso rico dinheirinho e ficamos nos preocupando com o rico dinheirinho dos outros. Vira e mexe tem um pra lembrar que Israel recebe dinheiro de fora, que o F-35 é muito caro, que é um absurdo o DDG-1000 custar 1 bilhão de… Read more »

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Agora, a China gastar bilhões para se armar até os dentes enquanto 50% da população é miserável aí o povo delira de paixão. O povo chinês que se lasque desde que o “Dragão” consiga bancar sua soberania absoluta não se curvando ante os maldosos ianques e assumindo o posto de potência dominante.

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Caro Bosco o Tio San (tam) também gasta bilhões enquanto fazem inimigos mundo a fora por ganância sobre seus recursos naturais. Travam guerras com a desculpa de “ataque preventivo” enquanto leva morte e destruição a países e culturas alheias, mas não querem que o país atacado reide da forma que puder. Mas muitos aqui também veem com bons olhos. Isso para não falar em sua população negra, em sua maioria pobre e que também morre de fome e descaso, vide exemplo do furacão na Carolina do Sul. Veja bem, não defendo nem o governo marxista Chinês nem o Capitalista americano,… Read more »