Home Asas Rotativas Os primeiros pousos de helicópteros no PHM Atlântico

Os primeiros pousos de helicópteros no PHM Atlântico

16594
62

Hoje pela manhã foram realizados os primeiros pousos de helicópteros da Força Aeronaval a bordo do Porta-Helicópteros Multipropósito (PHM) Atlântico (ex-HMS Ocean).

O PHM Atlântico iniciou a VSA (Vistoria de Segurança de Aviação) ao largo de Cabo Frio, com o objetivo de deixar o navio apto a realizar operações aéreas seguras com os helicópteros da Força Aeronaval.

Nos vídeos e fotos divulgados pela MB aparecem um UH-15 Super Cougar, um SH-16 Sea Hawk e um IH-6B Bell Jet Ranger III realizando a VSA no PHM Atlântico.

Os primeiros pousos de aeronaves a bordo do novo porta-helicópteros da Marinha do Brasil coincidiram com o Dia da Aviação Naval, comemorado hoje.

Haverá um Desfile Naval para a chegada do PHM Atlântico ao Rio de Janeiro no dia 25/08, com início às 08:30h na orla da Barra da Tijuca, percorrendo toda a orla da Zona Sul, adentrando a Baía de Guanabara até a altura da Escola Naval.

O PHM Atlântico deverá atracar no AMRJ às 12h.

ASSISTA AOS VÍDEOS ABAIXO:

Subscribe
Notify of
guest
62 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luciano
Luciano
1 ano atrás

Bravo zulu!

Vitor
1 ano atrás

Parabéns MB! Excelente aquisição!

Vovozao
Vovozao
1 ano atrás

Um dia de glória para a nossa MB, podemos nos orgulhar temos um porta helicópteros, primeiro pouso/decolagem no dia da aviação. Tudo acontecendo por alguns oficiais souberam avaliar esta aquisição e lutar com os nossos políticos para aprovarem a verba para a compra. Como estamos em um momento político o Phm pode ter vários ”pais” para conseguir votos. Que isto não aconteça.

Fábio CDC
Fábio CDC
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Caro Vovozao:
.
Acredite em mim: 99,99% da população brasileira só lembra que existe Marinha quando vê um cara de branco andando na rua e vai morrer sem sequer tomar conhecimento da existência desse navio.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fábio CDC
1 ano atrás

Caro Fabio. Segundo um estudo da FGV “Relatório ICJBrasil” de 2017, 56% dos brasileiros confiam nas forças armadas (similar á confiança na Igreja Católica que é 53%). Para comparar, apenas 24% confiam no poder judiciário. Estes números mostram que a população reconhece a existência das forças armadas e as apoia. Sugiro a leitura do relatório para uma compreensão realista de como a população avalia suas forças armadas.

Paulo Rafael
Paulo Rafael
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Reconhece, mas não conhece.

Rennany Gomes
Rennany Gomes
1 ano atrás

Os primeiros de muitos pousos na nossa Nau Capitânia.

Zéfiro
Zéfiro
1 ano atrás

Topzeira!

Marcos Campos
Marcos Campos
1 ano atrás

E parece que o tempo prestigiou as operações com um cenário cinematográfico.

Laerte Marcelli
Laerte Marcelli
1 ano atrás

Orgulho no máximo! Parabéns Brasil!

TeoB
TeoB
1 ano atrás

Olha, de verdade parabéns a toda a MB pela excelente compra! muito servirá a nossa marinha o PHM Atlântico. E ao Poder Naval parabéns também pela cobertura que fez e faz sempre de altíssimo nível e confiabilidade.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Imagino que, a despeito do profissionalismo, o pessoal embarcado no Atlântico estejam igual criança quando ganha presente novo. haha
Bom. Eu, com certeza, estaria. Que orgulho por saber que essa embarcação agora pertence ao Brasil.

Pablo
Pablo
1 ano atrás

Não via a hora desse momento acontecer!!!

DigoSSA
1 ano atrás

Maravilha! Parabéns ao site pela cobertura.

Bruno S.S
Bruno S.S
1 ano atrás

Ta errado!!! Quem pousa primeiro teria que ser o HU-1, por antiguidade. Rsrsrs

Front
Front
1 ano atrás

Vocês hão de concordar… A tempos que não vemos ou assistimos fotos e vídeos como esses, em que o Poder Naval nos brindou com essas belas imagens do VSA do Atlântico. Realmente essa grande operação que está havendo hoje, em conjunto com a comemoração alusiva ao dia da Aviação Naval, somados a Parada Naval no sábado; certamente irão chamar a atenção da imprensa que só tem noticiado lado ruim de 1 das 3 forças, principalmente em questão a intervenção no Rio de Janeiro. Vejo que as operações e exercícios militares da 3 forças, deveriam voltar a ser mais costumeiros, pois… Read more »

Tallguiese
Tallguiese
1 ano atrás

Será que foi aproveitado o os profissionais que atuavam no São Paulo, digo para não perde -mos a expertise de operar em NAE num futuro distante. Acredito que formar pessoal para operar em NAE seja bem custoso!

Leonardo Araújo
Leonardo Araújo
Reply to  Tallguiese
1 ano atrás

Fico contente por ver o pessoal de convés operando em seu habitat natural e não em solo. Imaginem a satisfação deste destacamento tão especializado em se sentir útil novamente.
Este com certeza é um passo importante para um futuro NAe.

DEIVID Inácio Campos
DEIVID Inácio Campos
1 ano atrás

O máximo sauve nossa armada!

wwolf22
wwolf22
1 ano atrás

Alguém saberia dizer se a MB ira operar drones a partir PHM Atlantico??

Serigy
Serigy
1 ano atrás

Excelente!!!! Viva PHM Atlântico!!

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Na boa ,pra galera da terra seca como eu,rs, fico pensando em como deve ser bacana sair no convés de uma máquina destas no cenário da última foto com uma xícara de café na mão, a cada golada contemplando e sentindo a brisa do mar e o nascer do Sol.
Fantástico!!!!

Bueno
Bueno
1 ano atrás

emocionante!! Parabéns Marinha do brasil!

Ana
Ana
1 ano atrás

Parabéns

ednardo curisco
ednardo curisco
1 ano atrás

côrra már linda

ednardo curisco
ednardo curisco
1 ano atrás

Aos especialistas:

Li que o Atlântico consegue ser tão mais barato porque é um navio construído segundo técnicas de um navio ‘civil’ para uso militar. isto o tornaria mais frágil num ambiente de guerra.

Considerando razão custo x serviços prestados e que este tipo de navio basicamente só entra no teatro de operações quando a área está razoavelmente segura, quanto se torna realmente necessário se gastar 3 ou 4 vezes num projeto ‘militar num navio como esses?

Humberto
Humberto
Reply to  ednardo curisco
1 ano atrás

Caro Ednardo, Vou colocar os meus acho aqui. 1- Ao contrário do que muitos acreditam, atualmente os embates são mais ciladas do que algo combinado (como nas guerras com mosquete). Mesmo com toda a tecnologia, você não sabe 100% da movimentação do seu inimigo ou dos seus meios, no máximo você tem uma ideia, ou seja, o engodo é a arte a ser dominada. Exemplo foi a operação Overload. Ou seja, você só vai saber que foi enganado quando chegar a hora, não dá para cravar que a área esta razoavelmente segura. 2- O inimigo não luta como você deseja… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Humberto
1 ano atrás

O sheffild era a fragata mais moderna dos britanicos e é foi incapaz de suportar um acerto. A era dos cruzadores e encouracados que odeiam receber 4 a 8 acertos e continuar combatendo normalmente acabou
Os navios atuais mesmo blindados podem nao afundar mas serão postos fora de combate e levarão meses de manutenção e assim, o efeito militar será o mesmo pois quando estiver consertado a guerra já teria acabado acabado a tempos

Humberto
Humberto
Reply to  Carvalho2008
1 ano atrás

Carvalho, bom dia. Compartilhando o pouco que eu sei, não é somente a blindagem que torna o navio mais resistente e caro. Obviamente é necessário uma maior proteção na pista assim como no hangar, mas o que encarece o projeto é a redundância, controle de danos, flexibilidade, maior resistência, motorização. Isto implica em grandes portas corta fogo nos hangares (portas pesadas e que se fecham rapidamente, precisam de mecanismos e motores sofisticados), melhor estanqueidade (até procurei no google se a palavra existe hehe), sistemas de controle e comunicação duplicada ou triplicado, a colocação de tanques de combustíveis (principalmente combustível de… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Humberto
1 ano atrás

mestre, sei disto….mas a afirmação é exatamente esta…a despeito dos mais modernos requisitos tecnico militares, os navios de atualmente são invariavelmente postos fora de combate uma vez acertados…..

Por fora de combate é uma coisa….

Ser tirado de combate é outra….

mas em ambos os casos, o navio deixará de estar presente e somente voltaria a operar depois de muitos dias ou meses de manutenção….

esta é a questão.

ednardo curisco
ednardo curisco
Reply to  Humberto
1 ano atrás

Adorei o ponto de vista. Longo só é ruim quando sem conteúdo!

Faz bem sentido.

USS Montana
USS Montana
1 ano atrás

Pergunta aos demais, com a chegada do Atlântico o São Paulo será realocado a um outro lugar ou continuará no pier do AMRJ?

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  USS Montana
1 ano atrás

Deve continuar no pier até que seja designado seu destino final. Bom lembrar que o mesmo ocorreu com o Mingão quando da chegada do São Paulo.

Borat
Borat
1 ano atrás

Vai conseguir participar da UNITAS?

Roosevelt
Roosevelt
1 ano atrás

E por falar em Unitas, a fase Atlântico não acontece mais? Que pena.

Souto.
Souto.
1 ano atrás

A MB vai comprar mais helicoptero SH-16 sea hawk?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Souto.
1 ano atrás

Caro Souto. Pelo que entendi dos comentários do Alm Monteiro, não serão adquiridos helicópteros para o A140. Os aparelhos vão variar a cada missão, sendo solicitados aos esquadrões (acho que ele mencionou o termo “palheta” ou coisa assim). Se a MB adquirir novos SH16 será para reequipar os atuais esquadrões de aeronaves, não para equipar o A140.

Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Venha veja e vença. Agora, sim temos um capitanea de verdade. Com o melhor pedigree, eis que nascido na Royal Navy. Que não falhem ao completar seu armamento, especialmente dotando de proteção AA, de primeira linha, que ele merece.

Joao Moita Jr
1 ano atrás

Show de bola!!!!!

Roger
Roger
1 ano atrás

Gostaria de pedir neste momento licença ao editor chefe Galante. Acho ser importante como leitor do Poder Naval fazer um comentário: – Todos (ou sua maioria) devem se lembrar da matéria abaixo: https://www.naval.com.br/blog/2009/03/07/tributo-ao-nael-minas-gerais-a11/ Com a chegada do PHM Atlântico tudo indica que presenciaremos o mesmo triste fim que teve o maior Porta Aviões que a Marinha possuiu que foi o NAel Minas Gerais. Tristemente o NAe São Paulo será levado para corte, sabe-se lá aonde. Quanto dólares que a Marinha obterá de recursos com a sua venda ? Só espero que a experiência obtida com as vidas que se perderam,… Read more »

USS Montana
USS Montana
Reply to  Roger
1 ano atrás

O SP tem um problema que seu interior é todo revestido em amianto, altamente tóxico, isso requer um desmantelamento especializado. É capaz da MB ter que pagar pra fazer isso ao invés de ganhar uns trocados pela sucata por conta disso.

Leonardo Araújo
Leonardo Araújo
Reply to  Roger
1 ano atrás

Nada de melancolia, são palavras que demonstram a realidade. Acredito que a destinação destas duas naus como museus vivos seria um melhor destino por várias vertentes : aproximar o contribuinte ao enorme trabalho e desafios da ME, despertar nos jovens e crianças a busca por conhecimento e quem sabe engajamento nas forças, fomento do turismo militar gerando recursos para a população local.
Acredito que a designação de uma no sudeste e outra no nordeste seria interessante para dar oportunidade a população regional em visitar os equipamentos.

Dalton
Dalton
Reply to  Leonardo Araújo
1 ano atrás

Apenas os EUA conseguiram preservar alguns de seus NAes… nem mesmo o Reino Unido com sua longa tradição conseguiu. . É algo extremamente complicado…primeiro um grupo deve convencer à marinha que tem o dinheiro necessário para conversão e manutenção e também um local apropriado e caso tais critérios não sejam conseguidos, nada feito. . Recentemente um grupo interessado em preservar o ex USS Ranger, não encontrou os critérios e o gigantesco NAe, que seria o único dos chamados “Super Carriers” a virar um museu, foi para o desmanche que foi completado ano passado. . Resta apenas uma única chance…o ex… Read more »

Silvio RC
Silvio RC
1 ano atrás

Seja muito bem vindo!
Não vai se chamar Pernambuco, Atlântico também é um ótimo nome, mas quem sabe adotem o “leão do norte” como mascote e o transformem em “Leão dos Mares”

De Recife, Um grande abraço a todos!

Leonardo Araújo
Leonardo Araújo
Reply to  Silvio RC
1 ano atrás

Valeu conterrâneo

Luiz Antonio
Luiz Antonio
1 ano atrás

Muito legal, emocionante ver a MB retomar operações com a aviação naval embarcada não apenas com aeronaves orgânicas. É o reinício, com persistência e amor ao Brasil que vale a pena. Parabéns marujada.

USS Montana
USS Montana
1 ano atrás

A MB tem que dar um fim logo no NAE SP, um “trambolho” daquele enferrujando no pier da AMRJ não é bom pra ninguém.

USS Montana
USS Montana
Reply to  USS Montana
1 ano atrás

Ops, ex NAE SP.

vicente de paulo
vicente de paulo
1 ano atrás

excelente ..

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
1 ano atrás

Sem palavras! A emoção dominou.

Raphael
Raphael
1 ano atrás

Emoção, Orgulho e principalmente ESPERANÇA, são os sentimentos que tenho ao ver essa matéria!! Excelente!!

Gustavo Romko
Gustavo Romko
1 ano atrás

Pergunta sem resposta é a de quais esquadrões e quais helis da MB vão operar no PHM e em que quantidade. Alguém sabe responder?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Gustavo Romko
1 ano atrás

Caro Gustavo. Segundo a informação de um alto oficial da MB aqui no PN, os helicópteros que irão operar no A140 terá uma composição flexível, mudando a cada missão. A MB não pretende adquirir helicópteros exclusivos para o A140, mas irá empregar os equipamentos disponíveis nos vários esquadrões de transporte, ataque ou emprego geral. Imagino que a MB poderá operar qualquer um dos atuais modelos de seu inventário, mas como disse, a quantidade vai depender da missão. Se a MB adquirir novos helicópteros será para reequipar os esquadrões, não para equipara o A140.

Cleber
1 ano atrás

Juro que não consigo entender que, num país continental como o Brasil de tantas riquezas $$ a proteger no mar , não temos verbas para comprar pelo menos meia dúzia de CH-47 em apoio aos Fuzileiros e uma dúzia de Cobras em apoio ao desembarque daria mais ” copo ” ao navio .

Camargoer
Camargoer
Reply to  Cleber
1 ano atrás

Caro Cleber. Uma consulta rápida indica que o custo unitário de um CH47 é cerca de US$ 39 milhões (R$ 160 milhões). Para comparação, o preço do A140 foi de R$ 350 milhões. Um KC390 cerca de R$ 200 milhões e cada Scorpene cerca de US 450 milhões (cerca de R$ 2 bilhões). Meia duzia de CH47 seria cerca de R$ 150 milhões. Concordo com você que é caro mas não é absurdo. O MinDef poderia trocar 3 KC390 pelos 6 CH47, ou talvez reduzir de 36 para 35 o número de gripens. Como é tarde para cortar um Scorpene,… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Tua conta tá meio confusa: se 1 CH-47 custa 39 milhões de dólares, 6 deles custariam, arredondando, 240 milhões de dólares, o que equivaleria à 1 bilhão de reais!! O equvalente a quase 3 vezes o que custou o Atlântico à MB. Já li em vários locais que o custo estimado de um KC-390 é de 70 a 80 milhões de dólares, o que equivaleria de 280 a 320 milhões de reais. No caso do Gripen, você não pode fazer a conta simplista de dividir o total do contrato pelo número de unidades adquiridas. Se você diminuir de 36 para… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Caro Flanker. Obrigado pela correção. Os 6 helicópteros novos custariam cerca de US$ 250 milhões (não R$150 milhões como escrevi equivocadamente, mas R$ 1 bilhão como você colocou. Perfeito). Eu concordo que o orçamento da FAB é uma coisa e o da MB é outra (apesar das forças estarem no orçamento do MinDef e que todos os recursos do governo federal saírem do mesmo caixa). Tentei mostrar que a aquisição de um dado equipamento é mais uma questão de prioridade do que orçamento. Se a MB achar necessário adquirir CH47 ou qualquer outra aeronave, irá abrir um programa de reaparelhamento… Read more »

Cleber
1 ano atrás

Concordo amigo Camargoer ! O problema não é dinheiro, a questão também é que são mal aplicados esses recursos , tipo em pensões etc… gastamos bilhões do orçamento em ” regalias ” digamos , e não em investimentos como deveríamos .

Camargoer
Camargoer
Reply to  Cleber
1 ano atrás

Olá Cleber. Recentemente li o relatório da CPI da Previdencia. Ao que parece, o problema está equacionado (não é possível cortar os benefícios atuais, mas evitar que eles existam no futuro). Acho que isso foi feito (ao menos no executivo e nas forças armadas. Nem vou falar nada do MP e do judiciário, né?). Também acho que os atuais programas (Scorpence, Guarani, Astros2000, KC390, Gripen, Tamandaré) são corretos e prioritários. Imagino que ao serem encerrados, o MinDef terá folego para novos programas. Talvez helicóoteros pesados, ou um novo lote de Scorpenes, ou as Fragatas. Vamos ver o que será mais… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Cleber
1 ano atrás

Caro Cleber. Não creio que o problema sejam as forçar armadas (ou outros órgãos do executivo, como universidades). Por exemplo, hoje vi um Toyota Sw4 (R$ 170 mil) com uma placa de bronze do Ministério Publico da União (MPU), com apenas um ocupante.

Tadros
Tadros
1 ano atrás

Bravo Zulu PHM Atlantico