Home Conflitos em andamento Rússia ataca e captura navios da Marinha da Ucrânia na Crimeia

Rússia ataca e captura navios da Marinha da Ucrânia na Crimeia

16224
84
Foto feita durante o encontro entre os navios russos e ucranianos
Foto feita durante o encontro entre os navios russos e ucranianos

A Rússia disparou contra três embarcações militares ucranianas na península da Crimeia, numa grande escalada de tensão entre os dois países.

Dois barcos patrulha e um rebocador foram capturados pelas forças russas. Um número de membros da tripulação ucraniana ficaram feridos.

Cada país culpa o outro pelo incidente. Na segunda-feira, os deputados ucranianos devem votar a declaração da lei marcial.

A crise começou quando a Rússia acusou os navios ucranianos de entrar ilegalmente em suas águas.

Os russos colocaram um petroleiro debaixo de uma ponte no Estreito de Kerch – o único acesso ao Mar de Azov, que é compartilhado entre os dois países.

Durante uma reunião do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia, o presidente Petro Poroshenko descreveu as ações russas como “não provocadas e loucas”.

As tensões aumentaram recentemente no Mar Negro e no Mar de Azov, ao largo da península da Crimeia – anexadas pela Rússia em 2014.

O rebocador e um dos barcos patrulha ucranianos que foram capturados pelos russos
O rebocador e um dos barcos patrulha ucranianos que foram capturados pelos russos
Avião de ataque Su-25 sobrevoam a ponte que liga a Crimeia e a Rússia
Avião de ataque russos Su-25 sobrevoam a ponte que liga a Crimeia e a Rússia

Como a crise se desdobrou?

De manhã, os barcos de guerra Berdyansk e Nikopol, da Ucrânia, e o rebocador Yana Kapa tentaram navegar do porto de Odessa, no Mar Negro, para Mariupol, no Mar de Azov.

A Ucrânia diz que os russos tentaram interceptar os navios, abalroando o rebocador. Os navios continuaram em direção ao Estreito de Kerch, mas foram impedidos pelo petroleiro.

A Rússia enviou dois aviões de combate e dois helicópteros para a área. Acusou os navios de entrar ilegalmente em suas águas e disse que o tráfego havia sido suspenso por razões de segurança.

A Marinha Ucraniana disse mais tarde que os barcos foram atingidos e tomados enquanto tentavam deixar a área. Ela disse que seis membros da tripulação ficaram feridos.

O FSB (Serviço Federal de Segurança) da Rússia confirmou mais tarde que um de seus barcos de patrulha usou a força para apreender os três navios ucranianos, mas disse que apenas três marinheiros foram feridos.

A Ucrânia disse que tinha informado aos russos sobre o plano de transferir seus navios pelo mar até Mariupol.

FONTE: BBC / COLABOROU: Rustam Bogaudinov

84 COMMENTS

  1. Situação complicada e mais ainda com a ação da mídia russa, gerando uma guerra de narrativas que dificulta muito ver quem agiu “certo” (se é que alguém o fez). Aí fica claro a importância do elemento “informação midiática” e controle da narrativa.

    No fundo, são povos irmãos, ambos eslavos, mas a marca do tempo soviético deixou um lastro profundo nos ucranianos. A propósito, se não me falha a memória, as eleições que potencialmente poderia retirar o presidente Poroshenko (Ucrânia) do poder estavam se aproximando, com Lei Marcial o mesmo se beneficia um bocado… Não creio que tenha sido armado, seja false flag, mas é um elemento a se considerar também. Pode ser um movimento que apresse a entrada da Ucrânia na OTAN.

  2. Poroshenko ta querendo de qualquer jeito arrumar desculpas para por o pais em regime de alerta para atrasar as eleições sabe que vai perder kkkkkk

  3. Estaria o capitão de um dos barcos patrulha, mais pequenos, dos ucranianos autorizado a abrir fogo nesta situação? Afinal, o rebocador que protegiam (já agora, o rebocador era muito provavelmente destinado a rebocar o petroleiro debaixo da dita ponte, daí a reacção russa) foi de facto atacado, mesmo que de leve, pelos russos. Pergunto porque de facto desconheço se numa situação destas pode ou não haver um disparo justificado (reparei que os russos, a operar barcos maiores, como os ucranianos, a operar barcos mais pequenos, usam ambos o mesmo tipo de armamento sendo que muito provavelmente, tendo em contra a proximidade das embarcações, os ucranianos estariam em vantagem).

  4. Normal.

    Perderam a bomba.

    Perderam e venderam armamentos.

    Perderam a chance de aderir a NATO.

    Perderam a chance de aderir a UE.

    Na Ucrânia tem duas coisas boas:

    Terras férteis e lindas mulheres.

      • As ucranianas são famosas pela sua beleza há muitas décadas. Até em música dos Beatles existe menção (Back in the U.S.S.R). Mas isso é relativo. Tem gente que nem gosta…

      • Bom, eu não sei como é a média, mas a Ucrania tem a Anastasia Sokolova … Não por acaso, ela é considerada a maior pole dancer do mundo.
        Dá só uma olhada diga se uma dessa não sobe a barra do nível de beleza das ucranianas em geral!

          • Entendi. Você é um graaande conhecedor das etnias Ucranianas. Que etnia é essa então? Bukovina ou Lvivschina? Central(Kiev) ou Gutzuis?Palesse? Poltava? Odessa?etc…
            Um desses vai me falar sobre Ucranianas uma mexda dessas? So posso entender este chilique dum representante de clã da Jean Wyllys e Pablo Vitar! Vai torcer pelo Vasco! Deixe assunto das mulheres com quem entende. A mulherada brasileira , ucraniana , húngara e sueca é uma joia da genoma feminina.Mas para Voce é cara de um “cadáver”…
            Deve ter passando muito tempo na Ucrânia procurando os cadáveres.
            Tenho pena.

  5. Marcos 10
    E a propósito, já que vc não sabe, na segunda guerra da Chechênia os russos venceram, expulsaram os rebeldes e tomaram para si novamente a Chechênia

  6. Pedro jamais os Ucranianos levariam vantagens,
    Os russos estavam com 2 Rubin-class patrol boat que levam o Camcopter S-100 e podem levar 4 KH-35. 2 Mangust class e mais um não reconhecido…

    A guarda costeira russa é bastante bem equipada e opera até duas Krivak III class.

    Marcos10 a Russia retomou a Chechênia em 1998/99. E hoje é um dos locais mais importantes pra mulçumana russia… Assim como Kasan

  7. Por que raios em toda notícia sobre a Rússia aparecem trocentas pessoas defendendo a Rússia com unhas e dentes, falando mal de quem estiver contra, passando inclusive pelo comentário infeliz sobre a Ucrânia alguns posts acima e comprando imediatamente tudo o que sai do Kremlin?

    Eu juro que gostaria de entender essa tara de algums brasileiros com aquele país.

    • Astroturfing.
      Faz parte, não são os únicos, o jeito é relevar e focar em quem posta regularmente. Até tem outra maneira de coibir isso, com aquelas APIs do Serpro, mas tem custo proibitivo pra um blog de defesa.

    • Tem gente que quer ser do contra só por ser. Pergunta pra qualquer um: se por algum motivo essa pessoa fosse expulsa do país e tivesse a opção de ir para a Noruega ou para a Coreia do norte, para onde iria?

    • Caro Aero. Pode ser que comportamento dos russofilos tenha a mesma origem dos americanos e outros tantos a esquerda e a direita. Preferem defender suas ideias a debater com seriedade. Coloco como exemplo a resistência de tanta gente a ler o que é contrário a sua ideologia

    • Acho que é porque existe uma massiva propaganda contra a Russia no ocidente, o que também que prejudica o senso crítico na hora de analisar os fatos, seja para quem abraça ou repudia a propaganda ocidental.

      • O comunismo como ideologia de Estado não tem mais peso na Rússia – é oficial. “Não será estabelecida nenhuma ideologia estatal ou obrigatória”, lê-se na Constituição Russa de 1993. Trata-se de uma diferença substancial em comparação com as constituições da era soviética, que enfatizavam que o Partido Comunista era “o líder e a força motriz da sociedade soviética e o núcleo de seu sistema político”.O PCUS deixou de existir após o colapso da URSS no final de 1991. Boris Iéltsin, o primeiro presidente da Rússia e ex-membro do PCUS, proibiu o partido, que possuía 18 milhões de membros no momento de sua extinção. Isso significou o fim da Rússia como um Estado comunista.

    • Sinceramente também não consigo entender. A Rússia age em todas as esferas de maneira irresponsável, do doping de atletas olímpicos, Ataques químicos contra civis na Síria, financiamento dos separatistas na região sul da Ucrânia e invasão da Crimeia.
      Sobre o incidente, vejo a Rússia utilizando a força de forma desproporcional. Contrariando as leis marítimas.
      Em resumo, A tara dos brasileiros pela nova USRR é simplesmente demoníaco.

      • Pitaco: suponho que decorra de alguns fatores, como
        1. Ampla rede russa de notícias alinhadas com o Kremlin (RT, Sputnik – que era o “Pravda” – além dos especializados em assuntos militares: southfront, strategic-culture, etc.) – que agem com duplo padrão: dão voz às dissidências internas (q por vezes estão certas) – nacionalistas, conservadores, etc. – dos países ocidentais contra o progressismo esquerdista da velha mídia e, por outro lado, buscam criticar os líderes ocidentais e fomentar a discórdia entre estes. Tão fazendo o trabalho deles. O Governo russo investiu pesado (diferented a China, neste quesito) para ter portais de notícia nas principais línguas do mundo, criando um canal alternativo para disseminação de narrativas. Influenciar a narrativa é, em parte, influenciar a tomada de decisão.

        2. Além de tal mídia, há o fomento e influência nas ideologias “dissidentes” buscando cooptar intelectuais e críticos em geral, seja da extrema-esquerda, seja da direita-anti-liberal, buscando simplicar o “inimigo” comum como sendo somente o neocon-liberal-sionista: nisto se encaixa o neo-Eurasianismo do Aleksandr Dugin (que chamara os EUA de “Grande Satã” a semelhança de Bin Laden). Nisto, arregimenta e aproveita o capital político de anos e anos de crítica (por vezes justas, reconheço) ao imperialismo yankee gerado pelas Esquerdas e árabes.

        3. Fora isto, há o romantismo adolescente e idiota dos ocidentais comunas que acham que a Rússia de hoje ainda é a “URSS”… Mal sabem eles que a coisa lá, tá mais para um pré-neo-Czarismo ortodoxo! Claro, uma parte considerável da elite dirigente da Rússia é herdeira e criada nos tempos soviéticos, isto é verdade. Mas as coisas mudaram. A burrice desta classe de esquerdistas, somada a cega fé na malvadeza do imperialismo yankee, os faz defender o progressismo aqui (LGBTs, etc.) e ao mesmo tempo aplaudir a Rússia e a China… Enfim, esse é o fator do “idiotismo útil”.

        4. Fora isto, existe, suponho, o velho sentimento da vira-latice BR: infelizmente, enquanto país, temos uma identidade nacional mal resolvida e uma história recente “envergonhada”, sem contar que nossa educação NÃO nos legou uma postura positiva em relação a nossa própria história – conhecemos pouco e mal sobre nossas grandezas culturais. Somado a isto, nos falta “mitologia” cultural em torno de nossos heróis, batalhas, etc. E isto termina resultando em gente que odeia seu próprio povo, cultura e pertencimento ao Ocidente, tanto no tipo “lambe-bota-americanu” cego (que odeia ter nascido no BR, imita tudo de lá, menos o patriotismo que o americano tem pelo país dele) quanto o vira-lata-esquerdista cego, que vive louvando Cuba e Venezuela (e China e Rússia).

        Claro, deve ter mais coisa, mas suponho que isto ajuda.

  8. Que confusão!
    Vejam que os russos mandaram aviões de ataque, qualquer ação beligerante por parte das embarcações ucranianas provavelmente seriam respondidas com ataques aéreos, tenso, muito tenso…
    Viajando um pouco, em caso de guerra parece ser bem difícil proteger essa ponte que liga a Rússia ao território da Crimeia, é bem possível que ela seja destruída, o que obrigaria os russos a avançar pelo leste onde há grande concentração de tropas e militares. Seria um confronto de grandes proporções.
    Eu ainda acho que a Ucrânia não consegue entrar na OTAN e se entrar vai precisar, antes, ganhar uma guerra…

  9. A UCRÂNIA tem jogado um jogo muito perigoso com a RÚSSIA, e já pagou um preço muito alto com anexação da CRIMEIA ao território da RÚSSIA. Os governantes da UCRÂNIA não são crianças, para não saberem que o território ucraniano é extremamente estratégico para prováveis inimigos russos (OTAN), com uma fronteira muito grande com a RÚSSIA e próximo grandes centros urbanos e militares russos, então, até o mais inocente dos homens sabe que haveria ou haverá retaliações dos russos diante de uma tentativa de aliança entre UCRÂNIA e OTAN. Não defendo a RÚSSIA, mais também não posso defender UCRÂNIA que mesmo sendo uma nação independente, está colocando a RÚSSIA em perigo. Os governantes da UCRÂNIA não são crianças!

    • Com a lei marcial o Poroshenko quer ficar no poder. Fica cutucando onça com vara curta.
      A Criméia é Russa desde 1792 tempo da imperatriz Catarina, a grande. A Frota Russa do mar negro sempre esteva ancorada lá. Este pessoal precisa conversar mais. Qualquer imbecil juramentado, sabe que os Russos não vão aceitar a OTAN na Criméia. Como jamais os Estado Unidos aceitariam qualquer base inimiga na América Central e jamais Israel vai devolver as colinas de Golam.

  10. Querem acabar com essa guerra? Dividam a Ucrânia e criem um estado tampão como a Bielorrússia. A Ucrânia Ocidental ficaria livre pra entrar na OTAN e na UE. Em troca peçam a devolução dos territórios da Geórgia e a redução da militarização de Kaliningrado.

  11. Aerokicker 26 de novembro de 2018 at 0:21 , eu até explicaria, mas não adianta começar uma discussão que iria sair do assunto da postagem. Mas se serve de consolo, na minha época de escola nos anos 90, achava a Rússia o máximo e solução de todos nossos problemas, até ver qual a real desses caras.

  12. 26/11 – segunda-feira, bdia a todos, sempre digo: manda quem pode, se a Ucrânia possuísse uma marinha bem equipada os Russos nunca pensariam em uma agressão, saberiam que eles iriam responder ao ataque. Como não tem tem que ir para as mídias reclamar. Tudo isso serve de aviso a MB, temos que estar preparados, evitando atacar, porém, os atacantes saberão que podemos atacar, coisa que hoje não temos ( poder de ataques).

    • Basta ver a notícia anterior aqui nesse Blog mesmo que pescadores chineses atacaram pescadores Brasileiros. Se a situação escalar, e se conhecendo chineses só não escala se os brasileiros recuarem, o que vamos ter para botar na mesa?
      A guerra da lagosta já foi no sufoco, sorte nossa que foi contra a França. Agora contra os chinas…

  13. Faz algumas semanas que a Ucrânia transita com embarcações de sua “marinha” pelo estreito de Kersh sem que houvesse qualquer problema. Seguindo o acordado elos dois países ( Ucrânia e Rússia) no acordo de 2003 não existe qualquer problema que venha a impedir a passagem das embarcações. Ocorre que com a anexação da Crimeia pelos Russos, a “marinha” ucraniana tem apreendido embarcações russas que se utilizam dos portos na península, obviamente levando aos russos a fazerem o mesmo como contra resposta. No caso desse incidente, as embarcações da Ucrânia se aproximaram entre 20 a 50 km da costa da Crimeia ( bem fora da área usual de tráfego marítimo para quem pretende atravessar o estreito de Kersh). Se isso foi feito de forma deliberada para provocar os russos ou foi feito por ser mais seguro haja visto o pequeno porte das embarcações ucranianas, não sabemos. O fato é que durante quase um dia inteiro russos e ucranianos navegaram de maneira não colaborativa, os ucranianos não atendendo às demandas russas e os russos tentando impedir a navegação dos ucranianos. Outro ponto importante ( e quem for ” naval” pode esclarecer melhor) é que existem regras para a navegação em águas restritas , no caso, o estreito de Kersh ( que ficou mais restrito ainda com a ponte) e os Russos estão dizendo que a “marinha” da Ucrânia dessa vez ignorou totalmente e de forma irresponsável as regras para a navegação nessa área restrita. Ou seja, provavelmente os dois lados estão errados ( e não é de todo impossível que o presidente ucraniano tenha armado essa situação para aumentar sua popularidade, já que sua situaçao está se complicando, com inúmeras denuncias de corrupção em seu governo, baixa popularidade e aprovação e a quase certeza de que não será reeleito nas próximas eleições de 2019. Dessa forma a decretação de “lei marcial” cairia como uma boa notícia para ele, que só teria a ganhar com isso)

    • Bem resumido e praticamente irretocável amigo Ypojucan!
      Falta so lembrar que a Ucrânia esta quase paralisada e fronteira com a Polônia bloqueada devido a protestos dos Evroblachers (traduzindo fica como Eurolata ou Europlaca – usuários dos carros com as placas da EU) fica mais claro ainda a origem dessa situação. O resto seria os detalhes e encenações.Dos dois lados. Por la não tem nenhum santinho não.
      Um grande abraço!

    • A situação da Ucrânia é política e econômica. A Ucrânia nunca foi um país independente, sempre fez parte da Rússia. A Rússia nasceu em Kiev. Depois houve a invasão e a tomada da parte ocidental da Ucrânia pela Lituânia, seguida pela Polônia e depois como parte do Império Austríaco. Ucrai significa partir, separar. A Ucrânia na verdade se chama Ukraína, a cortada. A parte leste e norte da Ukraína continuou russa, a parte ocidental foi obrigada a falar polonês. Somente após a Segunda Guerra que a Rússia retomou a parte da Ucrânia que havia sido invadida e tomada. Como houve o domínio econômico dos condes e empresários russos sobre os empresários da parte ucraniana polonesa, houve então a reação destes e o justo desejo de serem independentes. A coisa complicou porque não há fronteira fisica entre as duas Ukraínas e tanto os ucranianos de uma parte como o de outra casaram-se entre si e com os russos. Na verdade, os ucranianos são russos. A Língua é a mesma, as comidas, as crenças, os hábitos, quase tudo. Existem pequenas diferenças regionais como existe aqui e em todos os lugares, mas são o mesmo povo, a mesma nação, eles tem a mesma origem. A disputa é apenas comercial, econômica. O povo tem sido iludido e sofre as consequências. Durante a Primeira Guerra os russos ucranianos da parte ocidental, ocupada, formaram um exército que se aliou aos alemães. A questão é muito complexa. A Criméia era russa, depois passou a ser tártara sob o império russo. Na Segunda Guerra ela se aliou aos Nazistas e o Stalin retirou um milhão de tártaros da Criméia para a Sibéria. Metade morreu devido as péssimas condições de frio e falta de alimentos. Os russos moscovitas, russos brancos e russos ucranianos ricos ocuparam as casas e propriedades deixadas pelos tártaros. Um genocídio. Mas ela nunca foi ucraniana, até porque a Ucrânia nunca foi um país, mas parte da Rússia. Sobre o incidente de hoje, acho que ninguém sabe de fato a verdade, mas é óbvio que eles, as duas partes, se aproveitam de qualquer incidente para incendiar ainda mais a questão. Sou filho de russos ucranianos, conheço a língua, a história e os costumes.

  14. Penso que devemos, sim!, conviver com a diversidade de opiniões, PRINCIPALMENTE num site como este; caso contrário teríamos sempre a REPETIÇÃO IDEOLÓGICA de apenas um dos lados da questão.
    O site não seria o que é sem a opinião contrária.
    Não sou pró-comunismo, mas a Rússia tem o pleno direito de promover o que entender seja o melhor para a manutenção de sua soberania e a Ucrânia pode (e deverá!) buscar parceria com quem entender possa lhe ajudar e não tenha receio de enfrentar o poderoso Urso.

    Numa situação como esta, flagra-se, como postado, a necessidade de uma marinha militar poderosa ao máximo. Oxalá os nossos novos ventos ventem para esse lado, que está em grande calmaria.

    • Caro Alfo. Concordo com.vocr sobre o risco de um blog de discussão se tornar uma comunidade fechada, parecida a um grupo de Facebook,.na qual todos se repetem. Lembrei das ovelhas da *revolução dos bichos”

  15. Não se cutuca a onça com vara curta. A Ucrânia deveria dar melhor cobertura para seus barcos de patrulha e rebocadores. Barcos levemente armados não são páreo para barcos da marinha Russa, que não economiza armamentos em seus vetores. Sem falar da cobertura aérea com aviões e helicópteros. A Russia volta a exibir sua alma imperialista, que mostra desde Pedro o Grande.

  16. Caro Alfo. Concordo com.vocr sobre o risco de um blog de discussão se tornar uma comunidade fechada, parecida a um grupo de Facebook,.na qual todos se repetem. Lembrei das ovelhas da *revolução dos bichos”

  17. Vocês não perceberam que não foi a marinha de guerra russa… mas sim a Guarda costeira russa. Só a Guarda costeira russa já mais que suficiente pra conter e derrotar a Marinha ucraniana.
    E sobre criticar a Rússia ela só 3sta fazendo de proteger sua segurança… assim como Israel e Estados Unidos.
    Por mais louco que seja, algumas pessoas de direita a acham comunista igual a pessoas de esquerda. Hahahaha
    A Rússia de 1992 e principalmente virada do século 21 é maisapitalista que o Brasil.
    Por sinal ela está na posição 20/21 entre os países com mais liberdade pra empreender…. E o Brasil lá embaixo.

  18. A Ucrânia era um colchão entre Otan e Rússia. A Rússia durante o colapso na década de 90 não realizava patrulhas e suas atividades militares eram restritas. Putin restabelece a Rússia no mapa geopolítico. Até que a Otan bate no portão, a reação é inevitável. O mundo esperimenta uma espécie de guerra fria requentada. Desta vez com a China como a nova locomotiva econômica.

  19. Brasil: aprenda como defender seu território, seus interesses e sua gente. É jogar duro o jogo entre nações. Se a Rússia acha que nasceu na Criméia, ninguém vai conseguir provar o contrário. Não sou comunista nem defendo a Rússia nem a China, porém eles entendem muito bem a arte da guerra e como fazê-la. Veja que a ponte já fazia parte do processo de anexação da Criméia. Tudo tem que ter planejamento. Tomar uma atitude de vez em quando também faz parte. Assistam o vídeo do abalroamento do pesqueiro chinês perto de Fernando de Noronha. O sentimento de total desamparo assusta quem depende de uma atitude do nosso governo. Mas acho que isso vai mudar.

  20. Porquê os navios ucranianos não pararam no primeiro aviso? Muito estranho, foram até o final (o petroleiro impediu a passagem sob a ponte) mesmo sendo alvejados por tiros…
    Se eles de fato notificaram com antecedência que iriam passar pelo estreito de Kerch, não é fácil comprovar, só mostrando o documento…?

    • A sequencia foi um pouco diferente.
      Na primeira vez eles pararam a 6 km da ponte (com reboque danificado). Mas sem tiros. Passaram assim varias horas aguardando ajuda dos outros navios ucranianos que saíram , foram impedidos e voltaram para o porto. Na segunda tentativa de furar o bloqueio é que eles foram barrados com os tiros.
      3 marujos feridos com estilhaços (passam bem).
      Ou seja , olhando as fotos e vídeos fico uma impressão de uma provocação e , em seguida , resposta da Guarda Costeira – paciente mas de pouca diplomacia.
      Um grande abraço!

    • De qualquer forma é um bloqueio ilegal, a Ucrânia nem precisaria alerta a Rússia que ia passar seus navios por ali. Já que ela tem território banhado pelo Mar de Anzov.
      A Ucrânia não tem nenhum motivo em termos legais que a impessa a não passar por esse estreito, o único empecilho é a reação Militar russa.
      Aí teremos que ver também se a Rússia bloqueou esse estreito para prejudicar a economia ucraniana e aí a marinha ucraniana decidiu enviar um rebocador, ou se, a Rússia fez o bloqueio pq a Ucrânia iria mandar navios para o leste ucraniano que poderiam ser usados contra os rebeldes.

      • Augusto L, com a Criméia de um lado e Krasnodar do outro, trafegar pelo estreito de Kerch significa entrar em águas territoriais russas… Me parece que é preciso, sim, haver comunicação prévia (não estou dizendo que não houve…), ainda mais se tratando de embarcações militares.

        • Não, a lei marítima da ONU é clara que em estreitos, os países banhados por aquele mar advento do estreito tem a liberdade de navegação mesmo que o estreito esteja em território de outro.
          É praticamente considerado território internacional.
          Sem falar que pra Ucrânia a Criméia é ucraniana, então o estreito n seria todo russo.

          • A questão toda nem é sobre o fato da “passagem” e sim sobre “os procedimentos” . Como os ucranianos violam permanentemente as regras parando e aprendendo os navios mercantes russos e estrangeiros (com suspeita de colaboração com a Rússia) , os procedimentos recíprocos estão sendo tomados.
            Menos ainda fica difícil falar sobre “ilegalidade” se analisar De Facto e De Jure: neste caso o que deve prevalecer é a lei de bom senso para evitar provocações.
            Um grande abraço!

    • A URSS seria difícil, a maior ameaça são os EUA. Por isso é importante uma boa e grande frota de submarinos, tanto convencionais quanto nucleares, a própria Rússia é exemplo disso, a marinha deles tem uma doutrina quase que totalmente defensiva, com grande foco nos submarinos e aviação baseada em terra.

  21. eder barbosa dos reis 26 de novembro de 2018 at 12:17
    “Fico imaginando se a URSS ou a CHINA ou outra potencia tentar tomar a força nossa mar territorial como iremos defender ?”
    Com certeza, caso a China tentasse tomar nosso mar, seria algo agressivo, mas não tenho nem Ideia de como teria sido uma invasão da URSS ao Brasil

  22. Augusto L,
    A OTAN militarmente pode fazer pouco com a Russia. No mar de Azov nem em sonhos molhados dos mais pro OTAN…
    Resta choro e gritaria pelo lado Ucraniano… A OTAN já esta olhando pra outro lado.
    Sobre a Crimeia ela é russa e pronto. A cultura é toda russa desde o Império.
    As pessoas devem parar de olhar pra Russia com ideologias “como se ela sendo comunista ” ela foi ta vitima quantos outros estados… De falta de liberdade religiosa até esse embrolho.
    Tanto que o comunismo é menos de 12% na Russia e nem foi comemorado de forma Oficial pela Russia e Putin.

    • Claro que pode, basta mandar um navio da marinha americana abarrotado de marines e Seals, se a Rússia atacar será a III guerra mundial.
      Assim como não atacaram a ponte aérea aliada em 45-46 não atacariam a Otan hoje no Mar de Azov.

      • Aí é terceira guerra mundial e os EUA e a Europa viram pó, assim como o mundo todo, você acha que isso é uma possibilidade? Além que seria muito difícil os EUA tentarem ir por lá com navios de superfície, a marinha russa é desenhada exatamente para esse tipo de ambiente, um navio ali seria alvo fácil.

  23. Augusto L, ta vendo muito filme.
    Assim tu criou a US Navy suicida… hahahaha! So falta falar que eles vão operar como Jack!
    Tu que ver o mundo pegar fogo.

    Sabe que a Russia poderia fazer isso também… Pegar uma Kirov ou Gorshkov lotar de SSO,FSB, Spetnaz e partir até florida… Sua viagem vale pros dois lados, e III Guerra Mundial é o resultado em ambos.

    *Só como curiosidade: Na Crimea se tem varias Brigadas costeiras com misseis” BaL, Bastion-P, Moskit… cobertos por S400/S300F/PM2, Pantsir S2, Tor M2-U e BUK-M2/M3 . Só na Crimea se tem os 14 SU-27SM + 3 Su-30M2 + 12SU-27S 18 SU-25SM3 e 2 SU-25UB da Ruaf + perto de 20 SU-24M2 e MR e outros 10 Su-30SM da Marinha e na Russia

    • Não é filme, é realidade.
      Os navios soviéticos passaram no bloqueio a Cuba em 62.
      Os aviões aliados passaram na ponte aérea de Berlim em 45.
      Os navios da US Navy passaram ali se os EUA quisessem.
      Só se trata de disposição.
      Iria criar uma crise ? Sim, claro, mas isso não quer dizer que os russos atacariam, pelo simples fato que isso causaria a 3° guerra mundial. Do mesmo jeito que não derrubaram os aviões na ponte aérea de Berlim e do mesmo jeito que os EUA não afundou os navios que carregavam misseis e suprimentos para Cuba.
      Você não entende geopolítica.

  24. De tempo em tempos Mr Putin precisa de aplausos da platéia interna. Sua condição exige isso, e ele bem sabe.
    Sua matemática é que ele tem mais a ganhar com isso do que seu oponente (e talvez esteja certo, do ponto de vista da opinião pública russa).
    Mas um dia o caldo entorna…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here