segunda-feira, março 8, 2021

Saab Naval

Fragata HMS Argyll caça submarinos no Mar das Filipinas

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

HMS Argyll
HMS Argyll, fragata Type 23

A fragata Type 23 HMS Argyll da Royal Navy caçou submarinos no Mar das Filipinas durante exercícios com marinhas aliadas do Japão e dos Estados Unidos.

Esta foi a primeira vez que essas marinhas se combinaram assim, testando suas habilidades de guerra antissubmarino.

O destróier porta-helicópteros do Japão, JS Izumo, trabalhou com a fragata baseada em Plymouth para caçar um submarino da Marinha dos EUA, que fazia o papel do inimigo durante dois dias de treinamento.

A Argyll já trabalhou ao lado da Marinha Japonesa (Força Marítima de Autodefesa do Japão) durante sua atual missão – em uma missão de nove meses no Golfo e no Pacífico – mas esta é a primeira vez que as três nações trabalham juntas nessa região.

“Compartilhar a experiência e a experiência da Royal Navy com nossos parceiros e aliados em todo o mundo enfatiza o compromisso do Reino Unido em promover segurança internacional e estabilidade”, disse o comandante Toby Shaughnessy, comandante da HMS Argyll.

Como parte dos exercícios, o Izumo e a Argyll lançaram helicópteros para caçar o submarino.

O helicóptero Wildcat da Type 23 foi carregado com um Torpedo Variável de Teste (TVT) pelo 208 Flight antes de lançar-se do convés da Argyll para intensificar a busca pelo submarino dos EUA.

Os japoneses também enviaram seus helicópteros antissubmarino Seahawk juntamente com uma aeronave de patrulha marítima.

“Dado o aumento do tráfego marítimo em todo o mundo e os eventos atuais, a importância de uma maior colaboração e cooperação entre nossos três serviços altamente capazes e semelhantes não pode ser exagerada”, disse o capitão Katsuyoshi Motoyama, comandante do Izumo.

“Todos compartilhamos uma visão comum de melhorar a eficácia operacional de nossas forças marítimas”.

A Argyll está atualmente em um destacamento de nove meses e seguindo estes exercícios atracou ao lado da Base Naval dos EUA em Yokosuka, Japão.

Após as operações durante o período de Natal, esta foi uma oportunidade para a tripulação do navio explorar a capital Tóquio e conhecer nas montanhas ao redor de Yokosuka para participar de esportes de inverno.

FONTE: Royal Navy

- Advertisement -

26 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Leonel Testa

Essa e uma das type 23 que serao desativadas em 2023. Olho nelas rsrsrs

Dalton

Com 32 anos de muito uso, necessitando de uma revitalização antes de ser transferida para outra marinha…para durar outros 10 anos…bom…seria inédito para a marinha brasileira adquirir combatentes de superfície com 32 anos de uso…mas…também nunca imaginei que a US Navy um dia iria querer
que seus “Arleigh Burkes” servissem por 40 anos ou mesmo mais.

Nilson

Grande Dalton, o pior é sabermos que mesmo sem a revitalização as Type 23 decrépitas estarão anos-luz à frente de nossas atuais fragatas.

Nilson

Lembrando que os chilenos estão de olho em 3 delas para substituir suas 3 fragatas mais antigas. A vantagem é que são 13 unidades, disponibilizando cerca de uma por ano a partir de 2023, ou seja, nesse assunto tem muita água para rolar.

Dalton

O submarino em questão é o USS Hawaii, baseado coincidentemente em Pearl Harbor
que fica no Havaí.
.
Um pequeno erro de digitação que provavelmente não causa muito dano é a palavra
“destacamento” quando o correto seria “desdobramento” no paragrafo abaixo…
.
“A Argyll está atualmente em um destacamento de nove meses e seguindo estes exercícios atracou ao lado da Base Naval dos EUA em Yokosuka, Japão.
.
E a base de Yokosuka é compartilhada entre americanos e japoneses, não sendo uma base exclusiva dos EUA e onde também situa-se um dos 2 esquadrões de submarinos japoneses.

Rafael_PP

Dalton, é interessante como muito da estrutura da Marinha Imperial foi, de certa forma, mantida. O outro esquadrão de submarinos se encontra sediado no centenário Distrito Naval de Kure, lugar que viveu o esplendor e a queda do Império; do lançamento do Yamato, à campanha de bombardeios, ataques da USN e, por fim, a bomba nuclear.

Dalton

E o Esquadrão Anfíbio da US Navy que tem um navio extra, justamente para no caso de um encontrar-se em manutenção ou sofrer algum dano, juntamente com os navios de guerra de minas encontra-se em Sasebo…
e Sasebo embora não tão importante historicamente como Yokosuka e Kure,
foi bastante expandida durante a II Guerra e foi lá que foi construído um navio
que tornou-se bastante conhecido…o cruzador leve “Yubari”.
abs

Rafael_PP

Caro Dalton, ótima menção ao revolucionário Yubari! Parece um capricho do destino uma belonave tão importante para história naval ser afundada por um submarino em sua patrulha de estréia…

Sasebo pode não possuir o glamour das instalações mais clássicas, porém, a reputo a mais importante nas atividades militares do Império, mormente sua posição geográfica. É possível ter um ótimo vislumbre da Prefeitura de Nagasaki no ótimo documentário Japão de Norte a Sul – NatGeo. Desde a instalação militar até a própria Mitsubishi. Se não me engano no terceiro capítulo.

Grande abraço, Dalton!

Flamenguista

As sempre imponentes Type 23!!

Vovozao

08/01/19 – terça-feira; btarde, off-topic; senhores lendo no site RN do dia 04/01 – consta informação que o Wave Ruler ja se encontra disponivel para a MB; isto eu entendi que estão concordando com uma negociação; somente dependendo de uma contrapartida da MB; por acaso existe alguma informacao a esse negocio. Assunto site RN do dia 04/01/19 para qualquer duvida.

marcelo kiyo

Como eu disse no post do Almirante chinês louco. Filipinas e suas mediações, será o principal campo de batalha em uma suposta guerra sino-americana.

Tomcat4.0

Eita navio bonitão e imponente viu, coisa linda pra arejar os zóios !!!

Luiz Trindade

Isso demonstrar tardiamente a necessidade de fortalecer os laços militares amigos para deter a força da China naqueles mares.

Paulo Costa

A Royal Navy merece pela sua historia e ja devia estar operando uma dezena de type 26 Essa fragata HMS Argyll e uma velharia dessas type 23 que deveriam ser descomissionadas imediatamente e vendidas todas a alguma marinha amiga sul-americana para serem revisadas e operarem mais 15 a 20 anos kkkk. Falando serio, ainda tenho muitas duvidas se vale mesmo a pena para a Marinha do Brasil gastar dinheiro e comprar 05 ou 06 dessas fragatas para operar mais 10 anos apenas, Sera que nao seria o caso de gastar um pouco mais de dinheiro agora e comprar 06 ou… Read more »

DORIA

Um pouco mais??? Acha que uma fragata destas deve sair a quanto para o Brasil?

Paulo Costa

Leia meu comentário de novo e vera que as palavras “um pouco mais” referem se ao dinheiro que sera gasto na compra das CCT e nao as type 23 ou seja, gastar um pouco mais e comprar mais duas corvetas por exemplo.

Pedro nine-nine

Qualquer país que as compre irá usar os navios por mais de 10 anos acredite. Não é inédito, várias marinhas operam navios por 40, 50 e 60 anos, no fundo são cascos e enquanto não cai o dinheiro é modernização até não aguentar mais. O recheio também conta.

Bispo

“fragata Type 23 HMS Argyll da Royal Navy caçou submarinos”… lembrei fato relatado em outubro/2012 …que um Project 945A chegou a 500km da costa americana….antes de ser detectado….. fica o pensamento…. “as vezes pensamos que estamos na caça sem saber que já viramos a presa”….rs

JPC3

500km é longe. Certamente eles chegam mais perto que isso, tanto os russos quanto os americanos e europeus.

Bispo

a questão nem é os 500km ou que país chegou perto do litoral do outro … o fato é … com tantos satélites militares em orbita… até que ponto uma navio “caçador de submarinos”…é eficaz…. presumo que se um pais…tem interesse em invadir determinada área pelo mar… vai monitorar de N formas.

Guizmo

Belas fotos

Burgos

Essa seria bacana ter aqui no Brasil !!!
Pena que quando derem baixa no Reino Unido vão tar só no osso !!!😔

Renan Lima Rodrigues

O IJN Inazuma classe Akatsuki já era bonito, essa versão classe Murasame contratorpedeiros multi propósito ficou bonito demais…. Só achei parecido com o JS Takanami

Luiz Floriano Alves

Tem comentarista que não aceita barcos movidos a turbina. Para eles o motor Diesel é o preferido. Essas Type 23 com motorização a turbina não vão agradar estes colegas.

Renan Lima Rodrigues

Heh?

elcimar.marujo

esse lançador das type 23 é horrível e volumoso ( não sei se esse é o sylver) o mk 41 americano é bem mais compacto,e caro,e peca em aceitar somente misseis made in usa,se não me engano o sylver esta sendo preparado pra receber os misseis europeus,aster..mica..etc

- Advertisement -

Guerra Antissubmarino

Doutrina de engajamento da US Navy contra submarinos inimigos

A doutrina de Guerra Antissubmarino (ASW) da US Navy (Marinha dos EUA) prioriza a destruição dos submarinos de um...
- Advertisement -
- Advertisement -