Home Estaleiros Espanha inicia a construção de novas fragatas F-110 em maio

Espanha inicia a construção de novas fragatas F-110 em maio

6692
34
Fragata F-110
Fragata F-110

Uma nova classe de fragatas para a Marinha Espanhola terá a construção iniciada em maio deste ano, confirmou o Ministério da Defesa do país na segunda-feira.

As cinco novas fragatas serão construídas pelo estaleiro naval espanhol Navantia sob um contrato de 4,3 bilhões de euros (US$ 4,9 bilhões) que foi aprovado pelo Ministério da Defesa em dezembro de 2018.

O primeiro navio da nova classe deverá ser entregue em 2025 e o último, em 2030 ou 2031.

As fragatas F-110 são a próxima geração de navios de superfície de múltiplas missões da Marinha Espanhola. As fragatas verão a introdução de um Sistema de Gerenciamento de Combate evoluído e um novo radar de banda S de estado sólido com o objetivo de promover parcerias entre a indústria dos EUA e da Espanha.

A Lockheed Martin, empresa norte-americana responsável pelo projeto e desenvolvimento do sistema de gerenciamento de combate Aegis, já está trabalhando com a espanhola Indra na integração do novo sistema de radar de banda S de estado sólido desenvolvido para as fragatas F-110.

De acordo com o Ministério da Defesa, as fragatas F-110 irão medir 145 metros de comprimento e deslocar 6.100 toneladas. Eles serão equipados com um canhão principal de 5 polegadas, mísseis Harpoon, lançadores de torpedos, dois canhões de 30 mm e um sistema de lançamento vertical de 16 células (VLS).

As fragatas F-110 substituirão as fragatas da classe “Santa Maria” da Marinha Espanhola que estão em serviço desde 1986.


Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
_RR_
_RR_
1 ano atrás

É por essas e outras que acredito que o PROSUPER já perdeu o selo de validade… Uma nova geração de vasos está prestes a deixar as pranchetas, apressando a desatualização dos projetos ora disputando.

Seja como for, não creio que se poderá esperar por muito mais que os atuais esforços da MB mesmo… E olhem que não considero a atual situação da MB um desastre; longe disso…

Minuteman
Minuteman
1 ano atrás

Enquanto isso, só sonhamos. Triste.

Vilton Pinheiro Lemes
1 ano atrás

Dezesseis células em um navio de mais de 6000 toneladas? Parece pouco, não?

nonato
nonato
Reply to  Vilton Pinheiro Lemes
1 ano atrás

Concordo plenamente.
E não duvido que sejam apenas 8 harpoons.
Navio demais para armas de menos.
Se pelo menos tivesse o sistema aegis para defesa antimísseis balísticos e outros…

Mateo Munoz
Mateo Munoz
Reply to  nonato
1 ano atrás

Há muito que as fragatas fabricadas na Espanha incorporam o sistema de combate Aegis. Toda a linha F 100 já tem tal sistema bem como as fragatas produzidas para a Noruega.

Guilherme Silva
Guilherme Silva
Reply to  Vilton Pinheiro Lemes
1 ano atrás

Pelo oque sei a respeito dessas novas fragatas, ela terão o foco na guerra anti-submarina.

Dalton
Dalton
Reply to  Vilton Pinheiro Lemes
1 ano atrás

É pouco, mas, provavelmente há espaço para duplicar essa capacidade no futuro, de qualquer forma se levar em conta que 4 mísseis ESSM block II já selecionados podem ser acondicionados em único silo, isso dá um total de 64 mísseis, nada baratos ou seja, não adianta também ter muitos silos e mísseis de menos , mas, provavelmente se terá uma combinação de SM-2s, um por silo e ESSMs, e com melhores sensores isso já as torna muito superiores que os navios que deverão substituir.

BILL27
BILL27
Reply to  Vilton Pinheiro Lemes
1 ano atrás

Tbm achei …uma fragata com pouco armamento

Mercenário
Mercenário
Reply to  Vilton Pinheiro Lemes
1 ano atrás

Mesmo número de células que as FREMM italianas…

De qualquer forma, concordo com a observação.

César
César
1 ano atrás

Incrível como diversas Nações estão se mexendo e atualizando os seus meios Aéreos, Terrestres e Navais.
Quanto a nós!!!
Os nossos programas de reaparelhamento das nossas forças, é o programa mais sem vergonha que existe atualmente, quando os Gripens chegarem, assim como as Tamandarés entre outros, já vam chagar obsoletos e viraram alvos fáceis, frente a quinta geração e tudo mais etc.

Sandro
Sandro
Reply to  César
1 ano atrás

Olha quanto aos Gripens não compartilho de sua colocação, ate pq a Versao que compramos e a NG, isto é a mais avançada de todas. Teria sido pior se tivéssemos comprado F-18, Typhon ou mesmo o Rafaele, esses sim projetos mais antigos que o NG. Superior ao NG no mercado, ate o momento só F-35, e esse muito além de nossas capacidades orçamentarias. O Gripen foi a maior acertada de nossa FAB. Agora quanto aos demais meios, com exceção das ultimas compras de oportunidade da marinha, o resto e sucata. Lamento muito que nessa visão utópica de sub-nuclear, não tenhamos… Read more »

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Sandro
1 ano atrás

Sandro estás precipitado, não duvido da New Generation do Gripen, mas dizer que o Rafale ou Eurofighter é inferior é algo duvidoso, pelo menos não na totalidade. Ambos são aviões com peso para os suportar se é que me faço entender. Claro que se compararmos a próxima geração do Gripen com as primeiras versões dos outros dois aviões europeus, estes últimos serão pelo menos tecnologicamente inferiores, mas não tanto se nos referirmos às ultimas versões e talvez não de todo, se falarmos de futuras (potencialmente) “tranches” de actualizações. César, o conceito da quinta geração de aviões, os “stealth”, não torna… Read more »

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  César
1 ano atrás

O Estado brasileiro não pára de crescer há 40 anos. A cada dia ele custa mais caro, tem mais funcionários ativos ou inativos e, mesmo aumentando os impostos todos os anos, as despesas crescem mais que as receitas. Se isso não for revertido, o Brasil continuará desse jeito: fazendo programas mirabolantes e insuficientes, que nunca chegam à termo. Solução? Vai levar 20 anos e vários governos, de direita ou esquerda, mas começa por uma reforma da previdência.

Kemen
Kemen
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 ano atrás

Existem duas soluções para podermos dispor de maiores verbas para a Marinha, aumentar o poder aquisitivo da população e consequentemente o consumo e a produção ou, visar o mercado externo aumentando as exportações e consequentemente a produção, simples assim o dificil é como faze-lo.

mattos
mattos
1 ano atrás

No Brasil de meu Deus, muito blá,blá,blá e pouca ação. Só vejo os outros incorporando e/ou construindo e/ou comprando. Eta povo que toca muito a bola e chuta pouco a gol.

737-800RJ
737-800RJ
1 ano atrás

Daqui a pouco aparecem comentários do tipo “e a gente sofrendo para iniciar a produção de 4 corvetas”. E quem comentar isso não estará errado se pensarmos bem…

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Será que aguenta tem medo de petroleiro?

Marcos R.
Marcos R.
1 ano atrás

Navantia…sei não, tenho dois pés atrás com a qualidade deles!

Sandro
Sandro
Reply to  Marcos R.
1 ano atrás

Concordo Marcos, olha o caso da Fragata da Noruega. Uma colisão já causou o naufrágio, imagina se fosse um míssil? A meu ver deixou muito a desejar no quesito sobrevivência, não vale a fortuna que custa.

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Sandro
1 ano atrás

Ainda nem se concluiu nada Sandro e Marcos. Mesmo que seja falha da Navantia dificilmente se repete o erro a seguir. Não se tira mérito aos espanhóis.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Peter nine-nine
1 ano atrás

Mas não se limita a fragata norueguesa quite antes de afundar já apresentava corrosão incompatível com sua idade, tem o patrulha venezuelano, o submarino com o erro de casa decimal que nunca emergiria, é uma série de problemas.

Kemen
Kemen
Reply to  Marcos R.
1 ano atrás

Manutenção, devido ao frio, os noruegueses não gostam de se pendurar na cadeirinha e por um pincel na mão, kakakakaka.

Kemen
Kemen
Reply to  Sandro
1 ano atrás

Para o futuro, fragatas “quebra gelo” a prova de petroleiros de casco duplo.

FERNANDO
FERNANDO
1 ano atrás

PROSUPER??
O que é isso??
Favor explicar

Luiz Floriano Alves
Reply to  FERNANDO
1 ano atrás

A colisão de navios sempre será um desastre. Quanto maior for a tonelagem, maior será o efeito cinético nas estruturas. Presenciei muitos danos, inclusive na corveta Imperial Marinheiro, fabricada com excelente aço holandês e que quase foi a pique na colisão com um petroleiro.No caso da Noruega o rombo no casco foi muito extenso e atingiu vários compartimentos. O Titanic raspou um iceberg e jaz no fundo do oceano.

Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Makes sense…

Kommander
Kommander
1 ano atrás

O Brasil tá a ver navios kkkkkkkkkkkkkkk
Essa frase nunca fez tanto sentido

Kemen
Kemen
1 ano atrás

As F-110 serão similares as fragatas Type 26, F-125 e FREMM, multimissão. O armamento é o mais moderno disponivel para os aliados no ocidente.

Miguel
Miguel
1 ano atrás

Parabéns a Espanha, produz seu material bélico e não precisa de sucatas velhas de
países centrais.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

De quantos milímetros é o canhão principal de 5 polegadas?

Navegante
Navegante
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

127 milímetros

Eduardo
Eduardo
Reply to  Navegante
1 ano atrás

Bah, muito bom então!

Heitor
Heitor
1 ano atrás

Será que vão ceder fragatas pro maduro tbm? Há fontes que os espanhóis modernizaram tanques de guerra venezuelanos, que podem ser usados para oprimir a oposição. A esquerda não tem jeito mesmo…

Waldir Fares Filho
Waldir Fares Filho
1 ano atrás

Acho muito bom a forma que esses países fazem. Compram novos e com uns 30 anos de uso, vendem para marinhas mais pobres (como a nossa). Já fazem uma grana na venda e com ela já vão pagando por uma nova classe de navios. Como esses novos contam com financiamento a juros baixos e período longo, já fecham a conta logo.. Brasil deveria comprar só as Tamandarés mesmo, e fazer da mesma forma. Logo umas 16.. faz em 16 anos a construção e paga no mesmo prazo.. pena q a nossa esquadra se encontra a duras penas hoje, com escoltas… Read more »