segunda-feira, janeiro 24, 2022

Saab Naval

Ida da Fragata União para Missão de Paz no Líbano

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Fragata União
Fragata União

Navio integrará a FTM-UNIFIL, a partir de março

A partir de 15 de março de 2019, a Fragata “União” (F45) passará a integrar a Força-Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas do Líbano (UNIFIL), em substituição à Fragata “Liberal” (F43), que participa da operação desde setembro de 2018.

O navio partirá da Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ) no dia 27 de janeiro, às 10h, e fará escalas logísticas em Natal (BRA), Funchal (PRT) e Valência (ESP), com previsão de chegada em Beirute no dia 7 de março.

A missão UNIFIL foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1978, e conta, atualmente, com a participação de 35 países, incluindo o Brasil, e com cerca de 12 mil militares e policiais, além de funcionários civis. No dia 29 de setembro de 2011, foi autorizado, pelo Congresso Nacional, o envio de um navio da Marinha do Brasil para integrar a Força-Tarefa Marítima (FTM) da UNIFIL e contribuir para a garantia da paz e da segurança no sul do Líbano.

União e Liberal no Líbano (clique nas imagens para ampliar)

Serviço:
Local: Base Naval do Rio de Janeiro, Niterói-RJ.
Data: 27 de janeiro de 2019.

DIVULGAÇÃO: Marinha do Brasil

- Advertisement -

35 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Adriano RA

Linda a foto das duas fragatas em 2017.

Marcelo R

Num está na hora de acabar com esse passeio…., pois so temos tres fragatas que tem alguma condição mostrar algum “dente”, as outras são Defensora e a Independencia, se o Brasil precisar de um grupo que podemos dizer “armado” para enfrentar alguma ameaça inesperada, não temos nada alem dos patrulhas com canhão de 40 mm ou então pedir o apoio da 4a frota americana… Esse passeio alem de desgastar aceleradamente o que temos não representa nenhum credito para o Brasil……

Walfrido Strobel

E os dólares que rolam, vc não sabe a briga que é nas Forças Armadas a disputa por participar em uma missão no exterior.

Pedro nine-nine

Marcelo, enquanto a MB estiver a cumprir com as obrigações internacionais brasileiras garante e justifica investimento, investimento esse que sendo limitado imagine se as forças armadas não fizessem este tipo de missões. Se não me estiver a fazer entender, vou dar um exemplo: A Europa nos últimos anos cortou muito no poder militar bruto, porque as suas obrigações não justificavam e porque as hipotéticas ameaças não apareciam. Com o vazio deixado finalmente perceberam que a Europa estava a ficar para trás, agora já voltaram a investir. É um conceito básico de justificar investimento, é a participar em missões que a… Read more »

Pafúncio

Não é um passeio. O local da patrulha destas fragatas é um ambiente hostil, estarão sendo monitorados por radares sírios, israelenses, russos dentre outros. A experiencia adquirida pelos nossos marinheiros durante a missão levará ao aprimoramento da doutrina naval. Possivelmente durante a missão haverá avião israelense ou russo fazendo interferência nos radares da fragata. Sem contar que tem possibilidade de acompanha tudo o que acontece no ar e no mar por estarem em constante patrulha. Sem falar no risco de morte. Pode acreditar que a missão vai cobrar cada centavo que der.

Adriano Luchiari

Concordo Pafúncio, porém já são quase 8 anos de aprimoramento de doutrina que está acabando com as nossas já cansadas escoltas.

Souto.

Alguma informaçao sobre as fragatas Niteroi e constituiçao?
a F40 Niteroi esta opereacional???

Gustavo

Niterói já é baixa e constituição toda quebrada. Quem está em reparo é a defensora tentando fazer essa missão!

Hélio

Melhor em ação que encostadas no porto.

Claudio Luiz

Os 8 anos teriam se passado de qualquer forma.
Aparentemente você defende uma MB com todos os seus navios atracados e sem uso para não desgastá-los… Aaaafff!!!

Valim

Aqui, nos exercícios que são realizados, apenas brincamos de treinar… mas, lá naquele ambiente, o bicho pega esmo… não é brincadeira, não!!! Bem que a gente podia ter mais navios a prestados para poder participar mais de missões desse tipo.

Monteiro

Acho importante participar de missões de paz, é uma forma de testar a prontidão e o preparo das forças e dos meios empregados…

Celso

Me engana que eu gosto. A marinha CVC não para…Só não tem navios, mas tem 70.000 sócios….

Luiz Floriano Alves

A ONU que compre barcos e os membros forneçam as tripulações. Olhem a distancia a percorrer para chegar no TO. Com estas velharias acabamos dando o vexame de pedir reboque para as marinhas próximas.
Com essa idade e defasagem tecnológica não faz sentido dar uma de pais dono de marinha poderosa. Até o minusculo Portugal possui navios melhores.

Paulo

Muitas festinhas, formaturas. Essa é a nossa marinha carioca… Ninguém fazendo “missão de paz” na costa do Ceará para impedir o embarque e desembarque de ilícitos.

Mahan

A marinha bolivariana atacando navios em águas internacionais e a marinha brasileira no Mediterrâneo Oriental! Genial !

Fernando Turatti

Sempre que surge notícia quanto a missão de paz no Líbano surgem comentaristas reclamando sobre preço e desgaste. Honestamente, o ganho diplomático e o adestramento dos tripulantes certamente vale o custo extra. No mais, o desgaste é natural do uso, obviamente sem usar algo dura mais, mas pra que? O Brasil precisa pra ontem de novos meios de escolta, não é um ou dois anos a mais ou a menos de operação desses navios que irá fazer grandes diferenças.

Willber Rodrigues

Boa sorte, e que Deus acompanhe os tripulantes.

Willber Rodrigues

Aproveitando:
Quando um navio na MB participa desse tipo de missão, ela vai totalmente armada com toda a capacidade de munição?

Alexandre Galante

Sim, vai com dotação de guerra.

Willber Rodrigues

Obrigado

Airacobra

Inté o talo.

Roberto_BC_SC

Enquanto isso a italia: De acordo com o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o general Augusto Heleno, um dos pontos levantados seria o interesse dos italianos pela venda de equipamentos militares ao Brasil, além do setor da construção naval. Um dos projetos seria a construção de uma fragata Fremm, com obras na Itália.

Mauro

Parabéns aos homens e mulheres, marinheiros e marinheiras, aos homens do mar que integram a tripulação da Fragata União em mais esta missão de paz no exterior.
Estão mantendo as tradições e glórias da invicta Marinha de Barroso, e ajudando a elevar o nome do Brasil junto ao estamento das Nações.
Boa sorte na missão.

Navy Jack

A MB está de parabéns que está apoiando a missão UNIFIL já por tanto tempo.
Sendo assim não será na hora de pensar em adotar um esquema de rotação somente das tripulações?
Gastando mais de um mês só para chegar na área de operação e depois mais de um mês para voltar ao Brasil. Seria mais eficiente de deixar o navio no mar Mediterrâneo pelo menos por 1 ano e só trocar a tripulaçaõ.

Dalton

Ideia interessante…claro que o ideal seria um navio com duas tripulações, como é o caso dos “LCSs” e “SSGNs” da US Navy…estes últimos permanecem longe de casa por mais de um ano e a troca de tripulações ocorre em Diego Garcia e Guam…mas…há também boas instalações para se oferecer manutenção para unidades da US Navy, não sei se é o caso do Líbano. . O que lembro é que devido a danos sofridos em uma das fragatas foi necessário enviar o “Apa” para levar peças e assumir temporariamente a missão alguns anos atrás. . A Royal Navy pretende deixar uma… Read more »

edcarlosprudente

Eu considero essa missão importante, a presença da nossa MB no mar Mediterrâneo dá uma certa relevância para o Brasil por se manter presente naquele vespeiro chamado Oriente Médio, no entanto, nossa MB carece de meios em quantidade e disponibilidade para esse tipo de missão.

Acredito que o fato dos novos meios, tanto de superfície quanto submersíveis, possuírem maior tonelagem e poder de fogo que os meios anteriores, digo isso pelos novos submarinos e projeto de corvetas, é sinal que nossa MB tem planos de se projetar por mares mais distantes.

Saudações!

NightHawk

Vejam que a função das naves é mesmo esta. E a função do guerreiro é estar adestrado.

Leonardo

Parabens a Marinha Brasileira, por salvar vidas de refugiados em situação de aflição.
Os impostos estäo bem empregados.

Flanker

Galante, Dalton, XO, ou outro colega: Que equipamento é aquele que aparece, tanto na foto (das duas fragatas juntas) como no desenho, sobre o passadiço da F-43 e que não está presente na F-45? No desenho, ele aparece logo acima do designativo “UN”. Na realidade, ali aobre o passadico, tem outros dois equipamentos, que tem em uma fragata e não tem na outra.

Dalton

Também não sabia Flanker…e para ser sincero nem reparei, sempre há algumas diferenças entre navios de mesma classe e mesmo alguns equipamentos são instalados e outras vezes não, mas, ao pesquisar descobri que parece ser o “CMESLQ-1A” de “guerra eletrônica”, mais um dispositivo que tenta enganar um “radar”…não é algo que me interesse, mas, se for do seu interesse há mais na internet sobre ele.
.
abraços !

Fernando Vieira

Alguém saberia me responder como esses navios saem para missões de paz em termos de armamento, ou melhor, munição? Saem com dotação de paz ou vão de paiol lotado?

Rui Sousa

Um par de fotos da F45 – União à chegada ao Funchal, para reabastecimento, ontem:
https://madeira-cruiseship-spotting.blogspot.com/2019/02/f45-uniao.html

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Dois porta-aviões dos EUA entram no Mar da China Meridional para ‘combater influência maligna’

Dois grupos de porta-aviões dos Estados Unidos entraram no disputado Mar da China Meridional para treinamento, disse o Departamento...
- Advertisement -