Home Aviação Naval Grã-Bretanha vai enviar porta-aviões para o Pacífico

Grã-Bretanha vai enviar porta-aviões para o Pacífico

22768
102
HMS Queen Elizabeth lança jato F-35
HMS Queen Elizabeth lança jato F-35 (clique na imagem para ampliar)

Londres insta o Ocidente a estar pronto para flexionar a força militar no Pacífico, enquanto a Marinha dos EUA aumenta as atividades no Mar da China Meridional; mensagem dura pode ser parte do esforço para salvar as aparências para recuperar a confiança atingida pelo Brexit, diz analista chinês

As potências ocidentais devem estar preparadas para apoiar seus interesses com o poder militar, assim como a Grã-Bretanha está preparada para enviar seu novo porta-aviões ao Pacífico, disse na segunda-feira o secretário de Defesa britânico, Gavin Williamson.

Falando em Londres no Royal United Services Institute, um grupo de estudos britânico, Williamson disse que os aliados ocidentais devem estar preparados para “usar o poder duro para apoiar nossos interesses” e não intervir contra potências estrangeiras agressivas “arrisca nossa nação a ser vista como pouco mais do que um tigre de papel”.

Ele confirmou que o HMS Queen Elizabeth, o único porta-aviões ativo da Marinha Real Britânica, será enviado para o Pacífico, onde a China está envolvida em uma disputa sobre reivindicações territoriais no Mar do Sul da China.

Ele disse que o porta-aviões, que será a peça central da Royal Navy quando entrar em serviço em 2020, participará da missão junto com os jatos F-35 da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos, acrescentando que a Grã-Bretanha deve aumentar a “massa e letalidade” das forças do país.

A mensagem de Williamson veio na medida em que a Marinha dos EUA intensifica suas atividades no Mar do Sul da China. Na segunda-feira, os destróieres norte-americanos USS Spruance e USS Preble entraram em águas a 12 milhas náuticas de Mischief Reef, uma ilha artificial controlada pelos chineses nas disputadas Ilhas Spratly.

A presença da embarcação imediatamente provocou uma forte repreensão do Ministério das Relações Exteriores da China, que disse que os EUA deveriam parar imediatamente as “ações provocativas” que violassem a soberania chinesa.

Wang Yiwei, professor de relações internacionais da Universidade Renmin em Pequim, disse que as operações da Grã-Bretanha seriam diferentes das dos americanos, embora a Grã-Bretanha, como um dos principais aliados dos EUA, tenha seu papel a desempenhar.

Wang disse que as observações de Williamson poderiam ser mais um movimento para salvar as aparências à medida que a Grã-Bretanha luta por seu futuro, particularmente depois do Brexit, acrescentando que, como um antigo império global, a Grã-Bretanha também tem ex-colônias e interesses residuais e influência na região.

HMS Queen Elizabeth e destróier Type 45
HMS Queen Elizabeth e destróier Type 45

“O principal motivo dos políticos britânicos é recuperar a confiança danificada no futuro do país, já que o Brexit… causou uma enorme incerteza. Eles estão tentando demonstrar força e poder”, disse ele.

A Grã-Bretanha declarou repetidamente sua intenção de aumentar suas atividades em águas asiáticas e realizou operações conjuntas com os EUA. Em janeiro, a fragata HMS Argyll se juntou ao destróier do USS McCampbell para seis dias de exercícios e operações no Mar do Sul da China.

O exercício veio logo depois que o USS McCampbell completou outra “operação de liberdade de navegação” perto das Ilhas Paracel, controladas pela China.

Em agosto, a Marinha Real Britânica realizou sua primeira operação de liberdade de navegação, enviando o navio de assalto anfíbio HMS Albion para patrulhar perto das Ilhas Paracel.

Quatro meses depois, Williamson anunciou planos para construir uma base militar na região, possivelmente em Singapura ou Brunei, para ter uma presença mais permanente no Pacífico ocidental.

Wang disse que tal medida teria consequências negativas, mas não um impacto dramático nos laços entre a China e a Grã-Bretanha.

“A cooperação é mais do que predominante entre os dois lados, e a China não quer mais inimigos”, disse ele.

Já em 2017, o então ministro das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, disse que o HMS Queen Elizabeth patrulharia o Mar da China Meridional assim que fosse desdobrado.

Encomendada em dezembro de 2017, o porta-aviões de 65.000 toneladas com propulsão convencional possui um convés de voo com “ski jump” e pode transportar 36 jatos de combate furtivos F-35B Lightning e 4 helicópteros.

F-35B decola do ski jump do HMS Queen Elizabeth (clique na imagem para ampliar)

FONTE: SCMP – South China Morning Post

102
Deixe um comentário

avatar
22 Comment threads
80 Thread replies
3 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
64 Comment authors
Peter nine ninerui mendesmendesAbrahãoConanJean Jardino Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
PauloR
Visitante
PauloR

“Grã-Bretanha vai enviar porta-aviões para o Pacífico”

E não assusta ninguém

737-800RJ
Visitante
737-800RJ

Acho que russos e chineses não pensam da mesma forma que você…

Junior
Visitante
Junior

Esse porta aviões não esta totalmente operacional, por isso o “não assusta ninguém”. Isso é mais simbólico do que qualquer outra coisa, a Grã Bretanha esta toda enrolada com o Brexit, empresas estão abandonando Londres, e as que estão ficando estão paralisando investimentos por causa da incerteza, a economia no começo do ano esta desacelerando, se acontecer um hard brexit a libra despenca tornando muito mais caros, os já caros projetos de defesa deles, como F-35, P-8 Poseidon, a fragatas type 26, os quatro submarinos nucleares, as type 31 e outro programas, muitas coisas nesses programas são pagos em dólares,… Read more »

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Mas tu gostas da lista de dispensas deles, não é?
Empresas paralisadas e … ; tu sabes lá o que é o Reino Unido.
E para já ainda não houve Brexit.
Tristes são aqueles que acham que para crescerem, os outros têm que cair, e ficam entusiasmados com isso.
Triste essa mentalidade, pois eu espero que todo o Mundo viva melhor no futuro, e me dará muito gosto, ver o Brasil e a América Latina acompanhando esse crescimento, ou suplantando até.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

os Chineses não gostaram, vivem falando que vão afundar esses navios quando passam no mar do sul da China, mostrando que lá é área livre para navegação, e criticou o Japão com os Classe Izumo.

Ricardo
Visitante
Ricardo

Concordo plenamente! Gra-Bretânia não é nem sobra do que foi um dia. Não não consegue operar nada sem ajuda dos EUA, possui poucos barcos e feitos pela metade. Seu orçamento é deficitário. É uma marinha completamente débil!

flavio aranha
Visitante
flavio aranha

É o que falavam da Inglaterra durante a segunda guerra mundial…

Abrahão
Visitante
Abrahão

Nunca duvide da capacidade do povo inglês,o leão pode estar adormecido.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Eu pessoalmente não duvido da capacidade de nenhum povo, dava portanto um excelente estratega ^^

Elton
Visitante
Elton

Nos tempos do Império britânico os japas deram a maior surra neles no Pacífico aniquilando meios que estavam preparados e em alerta de combate ,imagina o que os chinas fariam com a esquadra deles sem não estivessem em baixo das asas da USNAVY

Heitor
Visitante
Heitor

Não sei por que você tem tanto negativos… você falou a verdade, a RN não assusta mais como antes, teria trabalho com a Marinha Indiana (sua antiga colônia), imagina com outras maiores e mais modernas. O afundamento do HMS Prince of Wales no Pacifico foi o fim do domínio britânico dos mares.

Dalton
Visitante
Dalton

A Royal Navy não quer “assustar” assim como a marinha francesa que também tem enviado navios para o Pacífico também não quer, trata-se de uma coalizão que pode ter ou não efeito sobre a política externa da China. . E não foi o afundamento do “Prince Of Wales” que pôs fim ao domínio britânico dos mares…a US Navy já era a maior até pelo fato de não estar em guerra ainda e não ter perdido a quantidade de navios que os britânicos já haviam perdido sem contar os navios que estavam sendo reparados nos EUA graças ao “Lend Lease” e… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Almirante Dalton, não custa lembrar que a partir de 1943-1944 foi formada uma poderosa frota chamada Eastern Fleet, inicialmente sediada no Sri Lanka, e que passou a desfechar ataques devastadores nos Japoneses especialmente nas Índias Orientais holandesas (hoje Indonésia) sendo que o Porta Aviões HMS Victorious inclusive participou da campanha da ilha de Iwo Jima.

Um detalhe interessante é que entre os marinheiros da Eastern Fleet estava o então Tenente Phillip Mountbatten, que depois se casaria com a princesa Elizabeth (hoje Rainha Elizabeth II) e se tornaria o Duque de Edimburgo

Dalton
Visitante
Dalton

Tire…
.
na verdade ele participou da campanha posterior de Okinawa e não Iwo Jima.
.
abraços

Mercenário
Visitante
Mercenário

Elton,

Vale lembrar que nessa época (2ª GM) o Royal Navy combatia a (então) poderosa marinha alemã no Atlântico Norte, com ênfase em guerra antissubmarina, e a marinha italiana, especialmente, no mar mediterrâneo, enquanto a marinha imperial japonesa atuava basicamente no pacífico.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Nipo é Nipo, Sino é Sino, não misture as coisas, é como dizer que o Brasil venceria a Alemanha pq os EUA também venceram.

Marcos
Visitante
Marcos

voce so esquece que japa e japa e china e china, e japa dominava tudo ali e inclusive a china, o erro deles foi entrar em guerra contra os americanos, ai e derrota na certa e foi o que aconteceu,

Munhoz
Visitante
Munhoz

A questão principal neste caso é que os EUA, precisam de mais países navegando no mar do sul para desafiar a China e dizer que os EUA não são os únicos ali .

E neste caso a China pode arriscar dar um tirinho no traseiro dos ingleses só para eles ficarem espertos, é a tal historia com os EUA eles não arriscariam agora com outros pode ser que criem coragem !

O ideal neste caso é pelo menos um navio dos EUA ficar ao lado dos ingleses por precaução !

Renato B.
Visitante
Renato B.

Duvido, EUA e Reino Unido tem uma aliança, se a China atacar um vai chamar o outro para a briga e todo mundo lá sabe disso.

Munhoz
Visitante
Munhoz

No papel 📝 é assim mas na prática a coisa é um pouco diferente, veja o tamanho da relação comercial entre China e EUA, vc acha que os EUA iriam arriscar uma guerra total por um navio inglês?

Renato B.
Visitante
Renato B.

Inverto a pergunta: Você acha que essa mesma China arriscaria uma guerra total atacando um navio inglês?

Maus
Visitante
Maus

Os dois países fazem parte da otan, se um for atacado o outro vai entrar na briga.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Maus, sejamos realistas, depende também do motivo….

Marcos
Visitante
Marcos

queria saber qual pais atacaria a marinha inglesa e ficasse de boa, a argentina sentiu na pele, a aliança dos estados unidos com a inglaterra e uma alianca de pai e filho, nunca voce vai ver os americanos neutro ou contra os ingleses numa guerra e sim juntos, a nao ser claro a guerra da independencia deles.

Jefferson B.
Visitante
Jefferson B.

Mas quem disse que o brexit é sinal de fraqueza? Fraqueza é fazer parte da união européia é ser gado de manobra de Paris e Berlim. A UE está um lixo, sem credibilidade e totalmente frágil… Sair dessa porcaria é um alívio imenso. Basta ver a Suíça que nunca fez parte desses grupinhos europeus…sempre mantiveram a verdadeira estabilidade: independência de ação
O resto é gente querendo atacar a ação individual de cada país, tem muita gente querendo ver o Reino Unido na UE… Basta ver a choradeira de Berlim e Paris.

Marcelo Lemos
Visitante
Marcelo Lemos

Bom a resposta e correta? A Suíça esta encravada em solo europeu e sempre foi um pais neutro haja vista a 1 e 2 guerras mundiais, e no mais sempre foi considerado paraíso fiscal. Já a Inglaterra e uma ilha e como tal vai ficar bem isolada economicamente tudo que consomem vem do continente, e a força de trabalho na ilhota ta ruim faz uns 20 anos. Para começar a sede do Banco europeu era em Londres não e mais foi para Berlim perdeu-se os empregos. Como era considerada a Capital Financeira da Europa status que não tem mais. Com… Read more »

Mercenário
Visitante
Mercenário

Londres não é mais considerada a capital financeira da Europa? Parei de ler por aqui…

A dúvida sempre foi qual o centro financeiro mais importante do Mundo, agora da Europa…

nonato
Visitante
nonato

A Inglaterra sempre foi uma ilha. Assim como o Japão o é.
Tudo que a Inglaterra consumiu sempre veio do continente, inclusive em épocas nas quais era inimiga da França, Holanda, Espanha e Portugal.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

A Inglaterra nunca foi inimiga de Portugal.

Conan
Visitante
Conan

Ingenuidade sua se acha que por causa do Brexit Inglaterra e o resto do continente europeu vão cortar relacionamento ou deixar de fazer negociações comerciais, isso não passa de briga de comadres, uma gota de água no oceano da historia milenar destes países que estão ligados por fortes laços econômicos, culturais e militares para o que der e vier. Mais uma coisinha, ninguém vai sair de lugar nenhum ou fechar nada, a economia do Reino Unido é uma das maires do mundo com uma população de grande poder aquisitivo per capita e o que consta no final é $$$$ se… Read more »

Kommander
Visitante
Kommander

A UE está um lixo? Que moral você tem pra falar da Ue, você mora lá? Presta atenção onde você tá, vive num país de 3 mundo, com forças armadas sucateadas, onde a econômica gira em torno de matéria prima em pleno século 21. Um país onde não tem segurança, educação e nem saúde de qualidade. Pense bem antes de criticar a União Europeia, eles não estão vivendo o seu melhor momento, mas comparado ao país que você vive, estão anos luz a frente.

Sagaz
Visitante
Sagaz

O que que você faz aqui em um site de notícias armadas brasileiras? Vai ficar de preconceito contra o seu próprio povo? Seus pais, seus avós.. isso é algo que eu nunca vou entender, pessoas que medem 200 milhões como pequenos olhando apenas a própria insignificância.

Kommander
Visitante
Kommander

Falar a verdade virou sinônimo de preconceito? EU apenas não aceito essa situação, se você quer que o país continue do jeito que está, apenas continue aceitando esses problemas como se fossem “normais”.

sagaz
Visitante
sagaz

Eu não sou estrangeiro, sou brasileiro, estou em um site de assuntos militares brasileiros, e de repente vem alguém que aparentemente é brasileiro(!?) vir falar mal de brasileiros !?

Acho que é aquela máxima, sempre haverá alguém sentado na sombra falando mal de quem está tentando fazer algo, afinal reclamar, choramingar, colocar a culpa nos outros é o padrão da insignificância de quem não pode fazer nada.

200 milhões remam um barco cheio de furos jogando fora a água que está entrando… fale menos e caça um balde, ou um remo, ou pula fora!

Nilson
Visitante
Nilson

Apontar o problema é o primeiro passo para resolver. Por isso, não entendo essa ideia de que não se pode apontar as mazelas do Brasil. Fora isso, me parece ufanismo exagerado. Elogiar o que é bom, apontar o que está errado. Parece-me ser a visão correta.

Eliakim
Visitante
Eliakim

Palmas, Nilson!

Apontar problemas e criticá-los é o primeiro passo para solucioná-los.

É também importante elogiar o que é certo, para incentivar e reconhecer os esforços.

Heitor
Visitante
Heitor

Já tem muita gente perdendo empregos por causa do Brexit. Venderam gato por lebre na campanha do Brexit. Empresas que tinham sede em LOndres ou em outras cidades grandes estão perdendo confiança em ficar e stão realocando para o continente.

A Johnson mandou caminhões para o RU a fim de estocar produtos como remédios e materiais para hospitais e farmácias em caso de um Brexit sem acordo, o que ocasionaria falta de alguns produtos e, logo, a alta súbita dos preços.

Socrates BR
Visitante
Socrates BR

O Brexit foi excelente para o Reino Unido, nunca entrou tanto dinheiro no país, o PIB cresceu acima da média, a geração de empregos idem, a sensação de bem-estar interno melhorou, principalmente no aspecto social. Cuidado com o que vocês andam lendo, se a saída do Reino Unido é tão ruim, então por que o desespero do resto da UE? Não seria o oposto? Os países da UE deviam estar “cagando” para os ingleses e dariam risadas da decisão errada, mas a realidade é o oposto, o Reino Unido agora passa a ter liberdade de tratar um a um de… Read more »

Danir
Visitante
Danir

Os ingleses mesmo sem o poderio que tinham no passado, ainda são tremendamente profissionais e perigosos quando provocados. Muito mais do que por exemplo os franceses. O brexit garantiu aos ingleses a sua identidade e independência de uma Europa efeminada, politicamente controlada por esquerdistas que segue uma cartilha suicida e globalista, onde Bruxelas torna-se o centro do poder europeu (poder controlado por alemães e franceses). Alguem acredita que os americanos deixariam a Inglaterra sem apoio contra qualquer ação hostil da China, da Rússia ou mesmo da União Européia? Eu penso que o Brasil deve se aproximar da Inglaterra assim como… Read more »

nonato
Visitante
nonato

Isso mostra que a união europeia é ruim.
Muitos países não fazem parte e vivem.
A união europeia por sinal já se aproveitou muito da Inglaterra.
Se a Inglaterra é umas das maiores economias da Europa, certamente a qualidade da economia de lá ajudou a união europeia a ter um nível mais elevado.
Certamente a Inglaterra foi mais importante para a UE do que a Grécia, Portugal e Espanha…
Estão tentando punir a Inglaterra por escolher não fazer mais parte.
A Inglaterra é independente e não precisa se curvar ao autoritarismo de Macron e Angela Merkel que estão afundando a Europa.

Heitor
Visitante
Heitor

Jefferson, queria morar no “lixo” da UE… com taxas de homicídio super baixas, onde posso andar na rua com mais tranquilidade.

Danir
Visitante
Danir

Desde que você não entre nos guetos muçulmanos nas grandes capitais européias, não seja mulher andando a noite na Suécia e não procure a policia local para relatar ocorrências que não serão divulgadas, a Europa pode ser muito legal; desde, é claro também que você não esteja incidentalmente no caminho de algum homem bomba ou atropelador; sem falar em detonadores de trens ou de pessoas. Eu vivi em Londres alguns anos atrás e posso dizer que as coisas mudaram muito de lá (1980/1990s) para cá (2019).

Heitor
Visitante
Heitor

Danir, na França não existe só Paris. Outra, se eu for assaltado em Paris, eu tenho certeza que a polícia vai, pelo menos, fazer um BO (algo que tentei fazer aqui na “segura” São Paulo e nunca consegui). Existe problemas com a questão dos imigrantes? Sim, mas a França não vai acabar por causa disso, já teve problemas muito maiores.

Heitor
Visitante
Heitor

Me expressei mal, na França ou Alemanha não existem só Paris ou Berlim… mas mesmo assim, nessas capitais a polícia trabalha.

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Realmente, só inveja, tomara vós a crise Europeia. Mas compram barcos de guerra Europeus, aviões, tanques e para o que mais houver dinheiro. E para os efeminados europeus, como por aí disse um ressabiado, na hora da verdade quem comparece pelo Ocidente, é EUA e países da UE.

Rick1979
Visitante
Rick1979

Andar com tranquilidade na UE hum deixa eu ver ? Não ! Com um monte de refugiados entrando no continente, vários casos de Terrorismo na França, Espanha, Alemanha e Reino Unido, foi isso que alimentou o Brexit ! Portanto se não vai bem para os Ingleses pergunta pro governo Socialista Espanhol se está bem ?! Pergunta para o Macron com os coletes amarelos, pergunte aos Governos Gregos e Italianos que foram praticamente abandonados pela questão imigratória por Bruxelas, resultado ? Se não está bem para um lado, para o outro muito menos !

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Alguém faz um comentário destes a uma união com objectivos diga se nobres e recebe 23 likes….
Sou suspeito em afirmar o contrário pois sou europeu por isso nem vou contestar, venham antes cá, dar uma volta pela união, “ver o lixo que UE é”.

Gorgoroth
Visitante
Gorgoroth

“sou europeu”

Junior
Visitante
Junior

Ele é português, eu entendo perfeitamente o choque que ele tem ao ler ” A UE está um lixo” de um brasileiro

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Junior, para mim não se trata de ser um brasileiro a dizer tal afirmação. Trata se sim de que tal não é baseado em factos reais, que até poderiam ser apresentados, mas antes numa fiel ideologia distorcida de alguém que não sabe, não conhece e nem está aqui, claramente, para comprovar. Ora, pode se dizer que UE em particular teve bastantes falhanços mas a mesma também tem muitos feitos, alguns apenas alcançados pelo próprio conceito de União e do que esta mesmo representa, feitos esses que apesar das aparentes fraquezas distânciam na do rótulo lixo, sendo que quem o afirma… Read more »

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Choque????? Pela tua ignorância invejosa.
Se entrasse por esse teu discurso, então imagina o que diria um Português, orgulhoso de ser Europeu, da tua América Latina.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Não percebi gorgoroth, “sou europeu” e pelo mesmo motivo não contestei… Esclareça-me, pois não percebi a sua repetição das minhas palavras.

Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Visitante
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro

Podemos ir vestido de saias, como os efeminados holandeses fizeram diante do ataque muçulmano contra suas mulheres ?

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Francisco Pinheiro, ora nada como um bocadinho de xenofobismo seguido de homofobismo seguido de uma pitada de maxismo, não necessariamente nesta ordem. Vais bem, és muito evoluído.

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Peter nine nine, palavras para quê? Ele se descrebe tão bem.

Heitor
Visitante
Heitor

Normal, Peter… engraçado que quando o PT estava no poder muita gente que hoje diz “que a UE está um lixo” queria ir para a Europa. Mas parece que a modinha hoje é dizer que “a UE está um lixo”, falam isso em um país que tem uma taxa de homicídios de mais de 60 mil mortes por ano. Eu queria saber o que um homem há mais ou menos 100 anos atrás (quando a Europa se incendiava em guerras e crises) pensaria sobre a UE, que, entre erros e acertos, uniu antigos inimigos.

Cmte. Nogueira
Visitante
Cmte. Nogueira

Não creio que a Suíça sirva de exemplo…
Ela não seria nada vendendo apenas caneta, canivete e chocolate.
Se trata da maior lavanderia de dinheiro notoriamente conhecida. Atividade realizada sem qualquer ética ou norma. Esse é o motivo da sua neutralidade. Se ela tivesse de se submeter aos controles da União Europeia, sua atividade se inviabilizaria.

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Mas tu ficas com a sobra desse lixo, têm juízo, a UE é a segunda potência mundial, o resto é inveja de ex colonos.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Jefferson, mas você por acaso é europeu?

marcelo kiyo
Visitante
marcelo kiyo

Me faz lembrar da trágica força Z.
Agora os ingleses testaram a coragem de seus marinheiros, nomeando essa flotilha de Task Force Z 2.0 .

Dalton
Visitante
Dalton

Afundar o “Queen Elizabeth” ainda mais com aeronaves e pilotos do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA a bordo, significará uma guerra que poderá escalar para uma guerra nuclear com consequências impossíveis de prever, diferente da situação em 1941 que aliás via, corretamente, os nazistas como a principal ameaça e mesmo depois de Pearl Harbor, a prioridade foi à Alemanha. . A Força Z foi enviada, contra o conselho do Almirantado, antes do ataque à Pearl Harbor como um meio de dissuasão contra os cada vez mais agressivos japoneses e quando ainda pouco se sabia do efeito de aeronaves sobre… Read more »

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Mais uma pedrinha na sandália chinesa…

ADM José Neto
Visitante
ADM José Neto

A Inglaterra já derrotou a China duas vezes , pode ser a terceira, nós tivemos uma geração de babá ovo de vermelhos. Vou falar uma coisa somem a segunda com todas as marinhas até a décima terceira não dá o poderio americano no mar em quantidades e meios navais e estamos falando de 14 grupos de ataque capitaneados por porta aviões nucleares da classe Nimitz fora os convencionais e a reserva técnica que são navios pronto para uso docados em portos americanos e o tamanho real do poderio militar naval americano e a Inglaterra e aliado de primeira grandeza. Deu… Read more »

Jarbas Ferreira
Visitante

Sem contar que o Japão é sim uma potência e já encomendou 100 F35 extras, a Coreia do sul não fica muito atrás, tem a Índia com seu bilhão de população para fazer frente ao exército chinês e a Austrália ninguém fala mas ela ano passado fez uma “pequena encomenda de navios de guerra junta a empresa BAe da “pobre” grã Bretanha de 36 bilhões de dólares para aquisição de 11 corvetas fora seus 2 novos navios de desembarque classe Juan Carlos (parecido com nosso PHM Atlântico tudo novinho em folha, e aí china, vai encarar?

TeoB
Visitante
TeoB

O Brasil deveria aproveitar e mandar o Atlântico escoltado por uma Niterói e a Barroso…
mostrar que temos café no bule…. tá, parei! kkkk
é na verdade aquelas águas estão tensas msm, espero que ninguém faça besteira pq é um barril de pólvora!

Danir
Visitante
Danir

Collcar kkkk num comentário é ofender a inteligência do interlocutor e depor contra a própria capacidade de se expressar com clareza e eventual ironia.

JACUBÃO
Visitante
JACUBÃO

Rapaziada os tempos são outros!
Se os Britânicos entrarem numa com os Chinas, o caldo entorna bonito.
Os caras não estão de brincadeira!

Luiz Floriano Alves
Visitante

Na tradição da RN não há inimigo suficientemente forte para fazer recuar os navios de Sua Majestade. Já dizia a tradição naval britânica: a cautela não é a nossa principal virtude. Os ingleses vão encarar o Dragão. Estou certo disso.

JACUBÃO
Visitante
JACUBÃO

Hoje os Britânicos seriam pulverizados no Pacífico Oriental.
Os chineses estão muito bem preparados

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

O rato que ruge.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Esse título é do Irã

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Lembre-se que no “filme” o rato ganhou a guerra…

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Bem. Isso não é filme.

Bruno
Visitante
Bruno

Polegar vermelho se morde todo.

carvalho2008
Visitante

É assim que começa a escalada….

Ai a China pega e começa a entupir os argentinos de equipamentos só para dar troco e forçar a Inglaterra a aumentar o esforço e navios no Atlantico Sul…..sorte que no momento os argentinos não estão com um governo populista como os anteriores…senão este cenario acabaria ocorrendo…

A coisa tá ficando complicada….

Mário - SEAE
Visitante
Mário - SEAE

É uma situação muito mais preocupante do que parece. O fato é que generais chineses andam dando declarações, em que demonstram a clara disposição de mostrar que seu poder pode ser usado, a fim de deixar claro que quem manda naquela parte do mundo são eles. Se em uma situação de proximidade excessiva entre navios de guerra ocorrer, temo que alguma ação imprudente, tal como o disparo contra uma embarcação americana, inglesa, ou de qualquer outra nação ligada aos americanos, possa desencadear um conflito de grandes proporções. Imaginem uma situação hipotética, onde um Destroyer chinês ataque o porta aviões inglês,… Read more »

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Uma reação Americana, ou da Nato, ou Britânica, pois se dispararem contra o porta aviões, os Britânicos têm submarinos nucleares Estratégicos, mas parece que por aqui, a royal navy, não conta, então arrisquem .

Bardini
Visitante
Bardini

OFF Topic… Mas nem tanto:
.
Fiquem com imagens do CDG operando FULL, abarrotado com 30 Rafales…
.
https://www.meretmarine.com/fr/content/porte-avions-charles-de-gaulle-35-appareils-bord
.
OFF Topic 2: Os franceses fecharam a compra de 4 navios derivados do LSS Vulcano, da Fincantieri…

Gustavo
Visitante
Gustavo

Pois é, só nessa foto tem mais poder de fogo que toda a FAB.

Mauro
Visitante
Mauro

Precisa ser tão VL?

Gustavo
Visitante
Gustavo

?

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Mas depois, a UE não conta. Tão enganados que estão quem faz que pensa assim, porque a verdade é que a Europa ainda hoje é odiada por … tds sabem.

CipherNine
Visitante
CipherNine

30 rafale apenas no convés.
Me pergunto quantas aeronaves CDG pode carregar no total.

Dalton
Visitante
Dalton

Normalmente apenas dois esquadrões de Rafale M embarcam totalizando 24 aeronaves…esse excedente de 6 aeronaves inclui aeronaves de um terceiro esquadrão em treinamento que em caso de necessidade pode sim embarcar desde que se aceite as consequências posteriores, como enfraquecer o terceiro esquadrão, maior desgaste, redução de treinamento, etc. . A França adquiriu 3 aeronaves E-2C Hawkeye dos EUA que recentemente foram modernizadas duas das quais embarcam no “CDG” e normalmente 4 helicópteros também são embarcados, então o “CDG” normalmente opera com 30 aeronaves, 26 de asa fixa e 4 rotatórias. . O “CDG” poderia embarcar um máximo de 40… Read more »

737-800RJ
Visitante
737-800RJ

Obrigado pelas informações, Dalton!
São comentários como esse que engrandecem a Trilogia, que infelizmente tem tido mais picuinhas de fanboys russos e chineses do que bons debates.

Roberto Bozzo
Visitante

Sobre o Off Topic 2, parece que a versão francesa será maior e o contrato gira em torno de 1,7 bi….

Jeff
Visitante
Jeff

Por essas e outras que devemos nos armar minimamente para defender o nosso território e o nosso mar. Não devemos entrar nessas brigas de cachorro grande, já temos nossos grandes problemas internos pra resolver. Neutralidade é uma sábia decisão em alguns casos.

Somos da paz, só precisamos mostrar que não devem mexer conosco.

Kommander
Visitante
Kommander

Pois é, mas se você falar pra algund aqui, vão te chamar de vermelho na hora, pelo simples fato de dizer “neutralidade”.

Grozelha Vitaminada Milani
Visitante
Grozelha Vitaminada Milani

Segundo o que eu aprendi em outro post com Vovozão e Celso, a Marinha da Rainha vai mandar seu porta-aviões fazerem Missões Humanitárias no Pacífico.

Com esse propósito ganham créditos e livram a barra do Brexit.

Sincero
Visitante
Sincero

Esse porta aviões será o HMS Hood do século XXI. Só aguardando.

JOSE DE PADUA VIEIRA
Visitante

Se o F-35 decolou na foto pela ski jump, por que a portinhola do fan está aberta?

Amauri Soares
Visitante

A um velho ditado que se diz assim. Quem tem um não tem nada, quem tem 2 tem um, então se o reino unido quer mostra uma coisa que ele não e , então e melhor eles ficarem bem longe da china ou da Rússia , e deixarem que os Estados unidos tentem alguma coisa . Mas oque da a entender e que o próprio Estados unidos tbm não vai conseguir nada a não ser uma guerra com consequências catastróficas para todos .

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Rússia? Cadê o porta aviões da Rússia mesmo? A Rússia não tem nem porta helicópteros, marinha muito fraca.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Que surpresa … um analista chines criticando a Gra-Bretanha por nao permitir a expansão militar agressiva da china ditatorial em mar territorial de outros países.

Os EUA, a Gra-Bretanha, a Austrália e o Japão tem que se unir e botar a china no seu lugar.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

O HMS QE e o type45 ficam bem lindos um ao lado do outro. 👌

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Verdade 👌 !

Ficam perfeitos lado a lado.

Neves João
Visitante
Neves João

Só eu que acho essas dias pontes grande demais para o resto????? Horrível…

Émerson Gabriel
Visitante
Émerson Gabriel

Eu sou novo aqui no Blog. Alguém pode me tirar uma dúvida? Aqui é um blog de assuntos militares ou blog de economia. Porque o que eu mais vejo nos comentários é debate sobre o Brexit… Bom sobre o assunto da matéria, na minha opinião a Inglaterra está querendo intimidar e não creio que a China faça um ataque correndo o risco de azedar de vez com os americanos.

Jean Jardino
Visitante

Mas tem avioes para carregar risssssss, o F35 ta mais capenga que teco teco, so problemas, vai mandar um porta avioes vazio para fazer cruzeiro la. Gastaram bilhoes em dois porta avioes de 65000 toneladas para carregar 36 jatos. Reino Unido enfiou dinheiro pelo ralo.