Home Indústria de Defesa Brasil vai modernizar sistemas de combate de três fragatas

Brasil vai modernizar sistemas de combate de três fragatas

10771
98
Fragata União – F45, da classe Niterói (Vosper Mk 10)

O Jane’s noticiou que a Marinha do Brasil melhorará significativamente a capacidade de comando e controle de três de suas seis fragatas Mk.10 da classe “Niterói” como parte do projeto estratégico de recuperação da capacidade operacional plena.

A empresa privada local CONSUB Defesa e Tecnologia modernizará o sistema de gerenciamento de combate SICONTA MK II (CMS) para a versão SICONTA MK II Mod 1 até 6 de dezembro de 2021, por meio de atualizações de software e hardware.

O Comando de Operações Navais (ComOpNav) está na fase final de seleção dos navios que terão seu CMS atualizado, informou a Marinha ao Jane’s.

O projeto também incluirá atualizações para os SICONTA MK II instalados no Centro de Treinamento Almirante Marques de Leão (CAAML) e no Laboratório de Manutenção de Software (LMS).

Displays do SICONTA no Centro de Operações de Combate (COC) da fragata Niterói

98
Deixe um comentário

avatar
28 Comment threads
70 Thread replies
4 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
60 Comment authors
BoscoFavarattiAlmeidacolombelliednardo curisco Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Maus
Visitante
Maus

Teremos que fazer compras de oportunidade ou não teremos mais uma marinha.

Pangloss
Visitante
Pangloss

Modo irônico on: Temos que ter uma Marinha, senão não faremos mais compras de oportunidade.

João Souza
Visitante
João Souza

Temos que fabricar navios ou não teremos mais uma marinha.

Aldo Ghisolfi
Visitante

TEMOS nós mesmos de fabricar navios de guerra com auditoria permanente e punição exemplar para sobrepreços, superfaturamentos, perda de prazo e coisas do gênero. E, lógico, pagamentos sempre dentro das datas dos cronogramas físico-financeiros. Mais do que na hora de ser cobrada a falta de vergonha da indústria e da Administração que atrasa pagamentos.

Tulio
Visitante
Tulio

Na verdade não há necessidade de esperar uma punição para sobrepreço e coisas do tipo, é só assinar um performance bond que a seguradora vai se assegurar o bom andamento do contrato, ou ela vai ter que arcar com os custos e prejuízos.

Humberto
Visitante
Humberto

Olha, o prêmio a ser cobrado deve ser do custo do programa (ou mais). Ninguém é maluco em fazer um seguro destes.
Primeiro as Corvetas são a cabeça de uma série (em tese), então, não se sabe quais o problemas que podem aparecer e quanto isto vai custar.
Segundo, o custo Brasil
Terceiro: um monte de gente querendo morder algo
E por ai vai.

Favaratti
Visitante
Favaratti

Concordo plenamente

Carlos
Visitante
Carlos

Já passou da hora de construir no mínimo tem que comprar duas unidades e construir o restante para substituir e quem sabe ampliar coisa que dúvido muito ou e pedir de mais.

colombelli
Visitante
colombelli

temos é que fazer as duas coisas. Nem so fabricar nem so comprar de oportunidade

Diego K
Visitante
Diego K

Temos que passar a previdência, enchutar pessoal, dividir marinha de guarda costeira ou não teremos uma marinha.

Maus
Visitante
Maus

Os militares só vão aceitar a reforma se ocorrer aumento no salário, então não vai mudar nada.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Combinou com o Mansueto ?

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Militar é funcionário púnico se a lei passar eles só acatam , não mandam em nada no país. São iguais a qualquer funcionario público.

Murder Nova
Visitante
Murder Nova

Aníbal era funcionário púnico, deu muito trabalho para os romanos.

kemen
Visitante
kemen

Funcionário púnico punido pelos invejosos, que não enviaram nada, nadinha mesmo durante os 7 anos de campanha.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Punico ?

Juscelino S. Noronha.
Visitante
Juscelino S. Noronha.

Temos que construir meios próximo do mesmo ritmo da Marinha Chinesa (ritmo, não quantidade), senão não teremos mais Marinha, rs.

jodreski
Visitante
jodreski

Pra isso primeiro temos que ter o dinheiro que a China tem…

ednardo curisco
Visitante

temos que secar o oceano. aí não precisaremos de marinha.

Bosco
Visitante
Bosco

Mas aí o exército tinha que aumentar.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Antes tarde do que nunca, pelo visto estão mexendo os paus para aguentarem até a entrada das corvetas e possíveis escoltas de compras de oportunidade. Torço para que não estoure o orçamento e atrase vários e vários anos até fazerem o serviço de atualização de fato.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Acho que daqui pra frente o Wave será a única compra de oportunidade. Até porque é ralamente compra de oportunidade mesmo!

Grumec013
Visitante
Grumec013

ORAÇÃO DO MERGULHADOR: Esperarei com paciência a arrebentação e serei obstinado em alcançar a praia e cumprir a minha missão; Não deixarei que o frio do mar, a dor ou o cansaço me façam recuar… Pedirei a Deus que mantenha sempre em meu coração a coragem dos bravos e a determinação dos audazes; E os meus inimigos terão mais motivos para temerem as noites chuvosas, sem lua e a maré cheia!!!” Quando a soberania do nosso país for ameaçada, assim como nosso petróleo, os bravos tubarões de aço estarão lá pronto para combater e defender nossa nação. sou uma pessoa… Read more »

_RR_
Visitante
_RR_

Resta claro então que as demais unidades desta classe haverão de serem desativadas até 2025. Por essa época, também não restara mais nenhuma Type 22 e as ‘Inhaúma’ remanescentes estarão nos estertores finais, havendo somente – provavelmente – a ‘Barroso’ operando ‘full’.

Serão seis (?) escoltas usadas e quatro novas até essa data… Arriscado… pra dizer o mínimo…

E se isso permanecer assim, crava-se então a sentença… Uma compra de oportunidade deverá ocorrer, se se quiser manter um mínimo de dez escoltas operando até 2030, cobrindo futuros vasos a serem construídos por esse período.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Colega discordo de voce …

Na minha opinião, a MB devia mesmo é radicalizar e descomissionar ja as 03 fragatas classe niterói em 2019 e 2020 e passar as 02 Inhaúma para servir como Navio Patrulha em algum distrito naval.

Menos navios, menos gastos … e Mais incentivos para nao parar as CCT’s.

E tentar empurrar as 02 classe greenhalgh para servirem ate 2025 e essas 03 Niterói melhoradas ate 2030.

elton
Visitante
elton

deve radicalizzar mesmo e tambem uma medida que aliviaria bastante os gastos seria desativar e vender todos os predios e propiedades que não sejam vitais para o suporte da esquadra alem de reduzir o numero de pessoal drasticamente deixando apenas os quadros envolvidos na manutenção,treinamento e suporte da frota e dispensar todo o pessoal temporario que não seja da area tecnica

_RR_
Visitante
_RR_

Paulo Costa,

As Type 22 serão uma dor de cabeça muito maior que as ‘Niterói’ na próxima década. Já empurraram muito mar e provavelmente vão parar até 2022. Aliás, creio ser inevitável…

Os navios da classe Inhaúma, praticamente “sacrificados” na década passada em prol do modfrag da classe ‘Niterói’, também não durarão muito mais, haja visto o desgaste acentuado ( aliás, somente a ‘Julio de Noronha’ deu sinal de vida até agora )…

Ou seja, não adianta… Vai ter que vir alguma coisa, ou vai faltar escolta…

Ricardo Pinto
Visitante
Ricardo Pinto

Mas não tinha uma informação do Almirantado que todas as Niterói iriam voltar ativa de um jeito ou outro, que mais nenhuma unidade seria dado baixa até que fosse dado um rumo para o caso das Tamandaré ?

marcus mendes
Visitante
marcus mendes

Diminuam o enorme efetivo da Marinha e as nababescas mordomias do oficialato, que vai sobrar dinheiro.
As forças armadas viraram um enorme cabide de emprego.
Fuzileiros que nunca verão um combate, infantaria do exercito e da aeronautica no mesmoo caminho.

Marcelo
Visitante
Marcelo

Eu tenho dito: melhor comprar 8 corvetas. Se a questão for navios pesados, há de se levar em conta o seguinte: numa guerra de coalizão, forneceremos navios principais, como Bahia, Atlântico e o futuro Wave, os NDCC etc. Se for conflito contra um país de primeira linha, 4 fragatas não farão diferença e serão afundadas em uma semana. Não teremos conflitos com países do nosso porte militar. Em suma, comprar fragatas usadas e em pouca quantidade não adianta nada. Escoltas serão feitas pelos submarinos e corvetas

Pangloss
Visitante
Pangloss

Escolta feita por submarinos?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Sub’s não fazem escolta.

Pericles Ferreira Leite
Visitante
Pericles Ferreira Leite

Sub Nucs de ataque tomam parte nos CSG.

Marcelo
Visitante
Marcelo

Em verdade me expliquei mal. Quis dizer que a rota a ser realizada por uma esquadra seria assegurada pela navegação prévia de subs, como a US Navy faz

Dalton
Visitante
Dalton

O que a US Navy faz é enviar seus navios para áreas onde já existam submarinos e lá pode ou não haver uma interação entre eles. . Até a década passada tentou-se incluir um submarino em Grupos de ataque centrados em NAes, mas, simplesmente não há submarinos em número suficiente para “amarrar” por mais de um ano, desde a fase de treinamento antes da missão até a fase de sustentação depois de encerrada a missão. . No papel ainda existe a possibilidade de em tempo de guerra isso voltar a acontecer, mas, na prática não. . Veja que o USS… Read more »

mk48
Visitante
mk48

Escolta feita por submarinos ? Onde você viu isso rapaz ?

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Vejamos uma coisa, submarinos fazem sim escolta, são um importante meio ofensivo e defensivo aptos para a defesa e ataque, sendo portanto capazes de complementar as escoltas de superfície. Vejamos a intervenção na Líbia em que subs e fragatas meko de Portugal eram parte das escoltas de navios logísticos e corredores marítimos civis. É sempre bom ter um submarino amigo por perto e embora estes não sejam “escoltas” no sentido da palavra usada no Brasil, eles são para todos os efeitos um meio apto ao complemento da escolta naval. No Brasil escoltas são as fragatas e corvetas porque na prática,… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

P 99… . o termo “escolta” foi uma opção da marinha brasileira…na US Navy eles preferem chamar de “combatentes de superfície”, apenas isso. . Na década de 1980, existiam os esquadrões de contratorpedeiros e fragatas depois passou a existir o esquadrão de corvetas, então resolveram simplificar as coisas criando 2 Esquadrões de escolta, e isso foi feito ainda quando a marinha brasileira tinha recém adquirido o NAe São Paulo. . Não há nenhuma relação do termo “escolta” com o fato da marinha brasileira ter operado NAes. . Quanto a submarinos, não se deve confundir uma interação com navios de superfície… Read more »

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Dalto, independentemente disso, um sub é um meio apto a escolta, nem que só como complemento. Lá está, a terminologia escolta foi adoptada com o São Paulo recém adquirido, sendo este o principal navio da esquadra da altura, não terá sido a toa, que os meios de superfície aptos para tal, foram denominados de escoltas. Mesmo que não directamente conectado, o termo estaria no mínimo influenciado. Ainda sobre os subs, repare que são poucos os destacamentos navais que não se fassam acompanhar de um meio destes, para ESCOLTA no subaquático a melhor arma é o submarino, e na escolta submarina… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Insisto…não há nenhuma relação com a mudança para o termo “escolta” com à aquisição do “São Paulo”…foi uma coincidência até porque na ocasião havia duas classes de fragatas, uma de contratorpedeiros e uma de corvetas e resolveu-se simplificar as coisas, na prática nada mudou desde o “Minas Gerais”. . Com a baixa de mais navios, houve outra mudança no sentido de que as corvetas passaram para o Segundo Esquadrão de Escolta juntamente com as fragatas classe “Greenhalgh” e todas as fragatas classe Niterói formaram o Primeiro Esquadrão. . Outra mudança na mesma ocasião foi que o “Esquadrão Anfíbio” foi extinto… Read more »

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Sim Dalton, não estou a discordar, o meu comentário veio em resposta a afirmação de que submarino não faz escolta, ele faz, talvez não no Brasil, mas no mediterrâneo por exemplo o que não falta são submarinos a garantir o normal funcionamento dos corredores marítimos. Tendo eu dado o exemplo da intervenção na Líbia. Nesta intervenção, meios de superfície e submarinos ficaram encarregues de escoltar embarcações civis e militares, submarinos convencionais foram fundamentais quando o objectivo era a escolta de embarcações civis sem que estas fossem incomodadas pela presença de meios militares. Um submarino consegue monitorar e distinguir embarcações civis… Read more »

Hermes
Visitante
Hermes

Acho que vocês estão discordando/concordando. O Dalton falando sobre a terminologia, dizendo que o termo escolta na MB é recente e o Peter nine nine falando sobre a missão, que submarinos em determinadas condições podem cumprir missões de escolta e outras que não são tão comuns a submarinos. Ao final, um submarino pode às vezes fazer missão de escolta e o nome oficial desse tipo de missão pode um dia mudar de novo, para “combatente submarino”, “agregado” ou sei lá o que inventarem.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Sim hermes, de facto. 🙄🤔😊

Dalton
Visitante
Dalton

Talvez esteja sendo chato demais…mas…o que entendi é que o P99 acredita que o termo “escolta” nasceu pela aquisição do “São Paulo” e não é o caso. . Foi uma maneira de simplificar e colocar navios diferentes em um único esquadrão. . Na US Navy era costume incluir fragatas da classe Oliver Perry em esquadrões de destroyers…na marinha brasileira criaram o Esquadrão de Escoltas no lugar dos antigos esquadrões de contratorpedeiros, fragatas e corvetas, todos podem eventualmente escoltar uma unidade de maior valor, mas, antes de tudo são combatentes de superfície. . E pelo visto o nome colou, pois o… Read more »

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Dalton, eu não estou a discordar, o meu comentário inicial foi uma resposta a afirmação de que submarinos não fazem escolta, eles fazem, talvez não no Brasil mas no contexto OTAN o que não falta são este tipo de meios nesta função, tendo eu dado o exemplo da intervenção na Líbia. Nesta intervenção, meios de superfície e submarinos foram usados na escolta de meios militares e civis. Submarinos convencionais foram essenciais, quando a missão era a escolta de navios mercantes, sem que estes fossem incomodados pela presença de meios militares. O submarino moderno é capaz de monitorar e escoltar estes… Read more »

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Os submarinos não são empregados como “escolta”… seria amarrar por demais um meio cuja maior arma é a discrição… colocá-lo junto a um GT, fazendo patrulha em setor, por exemplo, é equivocado… doutrinariamente, aos submarinos é designada uma Zona de Patrulha ou então é determinado seu posicionamento em um ponto focal… eles operam independentemente, de acordo com diretriz própria… abraço…

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Fernando, repare e interprete bem o que eu escrevi, eu não disse que subs são escoltas conforme a terminologia usada no Brasil para meios de superfície, eu disse que eles são aptos para a escolta no sentido da palavra, porque de facto está no expectro das suas capacidades esta função. Eu não inventei nada, apenas relatei. Por fim, repare, que é precisamente pela sua discrição que o submarino moderno é de grande utilidade nesta e noutras funções, em momento algum eu sugeri que um submarino actua como escolta que nem um meio de superfície, seria até inviável pela sua baixa… Read more »

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Peter, eu desconheço que sub “são usados na escolta de meios mercantes em zonas de conflito”… mas efetivamente “monitoram os mares e respectivos corredores marítimos”… corretíssimo… abraço…

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Sim Fernando, talvez você desconheça mas de facto, quando o submarino “patrulha” um corredor marítimo, especialmente quando perto de uma zona de conflito, o que ele está a fazer é efectivamente escolta dos navios mercantes que ali passam, claro DESDE QUE seja esta a sua “directriz”. Repare que no contexto de escolta, a mesma não tem de ser óbvia, no caso do submarino sequer é visível. Tanto que já referi anteriormente um exemplo: – (…) Nesta intervenção, meios de superfície e submarinos foram usados na escolta de meios militares e civis. Submarinos convencionais foram essenciais, quando a missão era a… Read more »

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Correção, trocar “ou o Brasil não usa os seus subs ao máximo das suas capacidades e utilidade” por :ou a Marinha do Brasil não divulga tão bem a utilidade dos seus submarinos.
Não quero estar aqui a passar descrédito seja a que instituição for 🙂.

Kommander
Visitante
Kommander

Já sei o que a MB quer… tá querendo entrar pro Guiness Book como a única marinha a operar navios de guerra com mais de 100 anos.

Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

Caro Kommander.

No caso do Monitor Parnaíba – construído em 1936 e o mais antigo navio de guerra em atividade no mundo, se não me engano, falta pouco para (a MB) operar “navios … com mais de 100 anos”.

Gabriel Oliveira
Visitante
Gabriel Oliveira

Pergunta: Enquanto as 3 passam por uma modernização o que acontecerá com as outras duas?isto e já excluo de cara a Niterói. Elas operaram por mais quanto tempo uns 2 ou 4 anos a mais talvez …
Greenhalgh e Rademaker duas incógnitas até quando irão aguentar.
Certo é,compras de oportunidade ocorrerão indiscutivelmente,resta saber o que…
Penso que algo precisa ser viabilizado nesse meio tempo de modo a não deixar a marinha sem navios .

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Acho que fornecerão peças para as três

Maus
Visitante
Maus

Vamos fazer uma vaquinha e comprar aquele destroyer japonês pra MB.

Almeida
Visitante
Almeida

A gente já faz vaquinha, todo dia. Se chama impostos.

Pedro Bó
Visitante
Pedro Bó

Interessante que mesmo sendo vasos de guerra antigos, as Niterói possuem um design bastante moderno ainda na atualidade.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Sim, são navios lindos! Essa foto ficou show! Sentiremos saudades !!!!

Pangloss
Visitante
Pangloss

Eu adoro as Niterói.
Acho que elas são lindas.
E também vejo modernidade no desenho delas até hoje, embora não sejam os navios mais atuais nesse aspecto.
Acho que a MB, mesmo depois das Tamandaré, não alcançará o mesmo nível que atingiu quando operava suas seis Niterói.
Foi um tempo que passou, e que, se voltar, ainda demorará a fazê-lo.

Leonardo
Visitante
Leonardo

País continental sem guardar costeira Marinha do Brasil precisa de 3 frotas gigante norte sudeste sul

José Carlos
Visitante
José Carlos

Isso é uma vergonha, bando de inúteis é os líderes desse governo igual a todos os outros não custava nada adiquirir duas fragatas novas ou iniciar a construção dos mesmos navio já vai para 5 décadas de estagnação sem nenhuma aquisição de Fragata um dos principais navios de guerra importante a uma Marinha e ainda faz uma palhaçada para iniciar a construção de 4 míseras corvetas

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Caraca meu amigo, o atual Governo? Esse que assumiu a bagunça de anos de desleixo? Que está há 3 meses no poder? Você não tem idéia da bagunça que deixaram em todas as áreas! Saia do lugar comum da mídia globalista e pesquise o que está ocorrendo nos bastidores. Um exemplo, meu irmão é servidor público , não vou citar de que esfera federal, mas só de cargo comissionado no órgão dele, foram 3.000 extintos e o pessoal que só batia ponto, está trabalhando de segunda a sexta , além das greves que todo mês o Sindicato queria, acabou a… Read more »

elton
Visitante
elton

a marinha tambem não ajuda mantendo uma quantidade menor de pessoal

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

É meu amigo, não temos uma marinha, temos uma guarda costeira e mesmo assim ainda muito mal! Pena em ver um país tão indefeso como o nosso!

Vovozao
Visitante
Vovozao

17/03/19 – domingo – bdia; não entendo o do porque de continuar investindo em sucatas, com o que irão gastar daria para comprar pelo menos 1 lá Fayette’s, aí sim investir em um novo sistema de combate, nossos almtes. não querem entender que nossas fragatas já deram o que podia, motorização antiga e cansada, cascos com mais de 30 anos, daqui a pouco começa a fazer água, porque continuam insistindo não entendo. Vem aquela velha estória, não tem dinheiro; dinheiro tem, basta querer e saber pedir. Existe um ditado que diz, dinheiro não tem, transfere-se, sempre usousse fazer isto no… Read more »

Roberto luiz
Visitante
Roberto luiz

Eles estão preocupados com seus bolsos. Dinheiro para filhos , netos.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Na realidade, o problema do Brasil (militares e politicos) é achar que investimento na área militar, não é investimento, pois somos um pais pacifico e não temos conflitos! Fico imaginando que um conflito pode acontecer a qualquer momento, mas vamos supor que seja daqui a 5 ou 10 anos, praticamente vamos ter o mesmo poder que temos hoje, ou seja, ESTAMOS LASCADOS.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Muito boa alternativa, frente a atual conjuntura. Serão 3 Niterói + Barroso segurando as pontas. Possivelmente + compra de oportunidade. Aliadas as 4 Tamandaré. É o que se pode fazer no momento, até que novas fragatas possam ser adquiridas. Longe do ideal, mas compatível com a atualidade da América do Sul. O esforço principal está no programa de submarinos, acertadamente, que realmente são e serão a grande força de dissuasão da Marinha, particularmente com um nuclear. É realmente compreensível que alguns aficionados motivados, mas com pouco conhecimento das missões e estrutura da Marinha brasileira, comentem aqui e distribuam frustrações: “o… Read more »

Eduardo
Visitante
Eduardo

Se informa melhor então e, principalmente, caia na real para ver que o sub nuclear já era!

Gabriel
Visitante
Gabriel

Sério?
Compartilha mais tuas informações obtidas com “exclusividade”, por favor.

Parabellum
Visitante
Parabellum

Prioridade agora é restabelecer a capacidade de sobrevivência dos militares e seus familiares. Se nem isso o congresso nacional se dispões a fazer…. Meios operativos são o próximo passo.

Roberto Dias
Visitante

Parabellum, muita gente não entendeu o que você quis dizer, acha que uma marinha pode rumar sozinha para o futuro, não sabe que um oficial formado nas escolas da MB pode ganhar umas 6x mais como civil, que uma força sem pessoal capaz não é capaz, etc…

igortepe
Visitante
igortepe

Ser militar é uma opção. Não foram forçados a se tornarem militares. Quem estiver insatisfeito deve pedir baixa. O contribuinte brasileiro agradeçe.

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Realmente… mas ser civil também é opção… quem quiser ter os direitos de militar, que jure à bandeira…

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

Tem gente que não entende….

O cidadão acha que militar tem direitos…explica para ele o que é receber uma ordem praticamente suicida de avançar sobre adversários, para que outros de seu grupo possam salvar-se….que não há opção de não obedecer pois isto seria crime (se conseguir continuar vivo)….até na brincadeira, qualquer garoto sabe jogando xadrez o significado das pedras sacrificáveis …o cara acha que alguém quer ser sacrificável em vários aspectos sem compensações????

Se com compensações já existe uma evasão das forças para o setor civil, imagina sem…

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

E como o amigo pretende atrair pessoas aptas a se sacrificarem quando necessário….? Mudança compulsória de local de trabalho, estar sujeito a prisão ou corte marcial caso desobedeça ordens, desde coisas simples como abandonar/recusar cumprir turno dobrado se solicitado….não receber horas extras….etc….

O Amigo já ouviu falar de evasão de militares altamente treinados e qualificados para o setor civil?

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Pois é, e pretendem abrir mão de nosso Siconta que está em ótima evolução por um sistema estrangeiro nas Fragatas classe Tamandaré
É de uma idiotice sem igual as coisas no Brasil.
Acho que deveriam aproveitar essa modernização e ao invés das niteroiense modernizarem as Greenhalgh.
Incluindo os radares nacional Gaivota-X , Saber-M200 naval, Siconta Fênix, TORC-30 mm naval etc.
Utilizando a plataforma das Greenhalgh como demonstrador de tecnologias nacionais

Elton
Visitante
Elton

Parece até que o Siconta e um AEGIS da vida ….

ALEXANDRE
Visitante

Ainda acho q deveriamos comprar as fremm’s mas como n mando nada e parece que o governo atual e anterirores tb n ligam muito entao…

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Isso nao é nenhuma novidade e ja era pra ter acontecido em 2016, mas espero e torço para que outras pequenas melhorias também sejam feitas nelas, pena que nao vao mexer na propulsão ou nos sistemas de armas.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

A fragata F-43 Liberal tinha sido modernizada. Será que ela vai passar de novo pela modernização?

Oswaldo
Visitante
Oswaldo

Ressalto que gosto do assunto, porém, sou leigo.
Se a MB fechasse as tamandarés com o Fincantieri e pegasse as 2 FREMM de lambuja seria o pulo do gato ?
Ou não mudaria nada ?

Millenium
Visitante
Millenium

Pois é, eu tava querendo saber que fim levou essa conversa das FREMMs italianas. Esse papo tá em dia, ou já virou passado?

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Acho que a MB deveria pensar sobre as Lafayettes francesas…
Adquirí-las daria um fôlego para nossa esquadra geriátrica.
Teríamos dois navios na casa dos vinte anos, que se juntariam ao G40 Bahia e ao atlântico, que juntos com os Classe Amazonas seriam os mais novos da MB.
Se o almirantado fizesse uma boa negociação junto aos franceses, que fosse atraente para ambas as partes, talvez uma aquisição semelhante ao do Sirocco, poderia dar certo.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Pessoal, esse apagão na força de superfície da MB é um fato contra o qual não adianta mais choramingar. O que nos resta é acelerar o PRONAPA e começarmos a lançar ao mar navios de patrulha oceânica as dezenas de forma a garantirmos ao menos um policiamento decente em nossas águas senão será a festa da pesca ilegal. Esqueçam a capacidade de combate , pois não a teremos por ao menos uma década.

elcimar marujo
Visitante
elcimar marujo

já é alguma coisa. se deixar sem atualizar ,ai que vai ser difícil de manter pelo menos o minimo operacional.falta as maquinas agora,ai já começa a dor de cabeça. agora esse SICONTA foi a melhor conquista da marinha,bom,barato,fácil de operar,não deve nada a nenhum outro semelhante,e é capaz de se manter atualizado.
IPQM ali esta o coração da tecnologia da marinha,caberia aos editores uma matéria
sobre este centro de referência da marinha.

Kemen
Visitante
Kemen

Meu Deus! estamos falando em modernização de sistemas de combate para que tipo e quantidade de armamento? Vale a pena? Não acho, porque não aguardar um pouco e ter por objetivo comprar algumas fragatas novas e modernas de 6.000 tn. com lançadores verticais, eu acho que seria o mais indicado nem que fossem apenas duas para começar, junto com as corvetas seriam 6 belonaves modernas!

Luiz Floriano Alves
Visitante

Será que as Inhaúma são tão ruins assim? Eu penso que um navio destes, por pior que seja, se presta para colocar uns motores Diesel e transformar em patrulha oceânica. Fazer um reforço na proa, tipo bulbo e reduzir a altura metacêntrica com remoção de sistemas desnecessários nesta função patrulha. São navios relativamente novos e pouco rodados, e temos que recuperar alguma coisa deste projeto malfadado.

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

Somente a remoção do canhão mk8 já alivia a proa de uma Inhaúma em cerca de 28ton

Kemen
Visitante
Kemen

Sim, retirar o Vickers, mas acho que necessitaria outro no lugar, pois os dois Bofors são para defesa aérea, talvez instalar um 30 mm Mark 2, bem mais leve. Retirar os dois Mk-32 e os 6 torpedos MK-46 que deveria ter a bordo, talvez armazenados na proa ou nos lançadores, com isso o peso diminuiria bastante mas, se não me engano pelo menos a V-30 foi desativada ou desarmada, triste fim para um corveta que poderia ser transformada em OPV.

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Carvlaho, não é isso tudo… 28ton … o correto seria umas 2,5 ton… abraço…

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

Mestre Xô, o bicho é pesadão mesmo, considerando-se todo o conjunto inclusive quase três níveis abaixo do convés, da quase 28 ton….ele é antigo e está entre os mais pesados….um SR76 bem mais leve e novo, está na casa das 11ton salvo engano…o conjunto todo é por aí….

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Ah, entendi… desculpe, achei que você fazia referência à torreta apenas… blz… abraço…

Kemen
Visitante
Kemen

Seria uma boa alternativa para as Inhaúma, Transforma-las em Patrulheiras Oceanicas OPV´s, em vez de tentar modernizar o sistema de combate das Niteroi que tem armamento superado, e a transformação das Inhaúma em estaleiros nacionais.

Marcelo R
Visitante

Ninguem vai comprar mais nada, esqueçam o que era uma esquadra nos padrões que todos conhecemos nas decadas de 80, 90 e anos 2000. O futuro será OPV’s (bastante automatizados) com UAV’s e mais alguns patrulhas na concepçao atual, que sobreviverem mais alguns anos. Teremos uma Marinha bem pequena, bem pequena mesmo…. Para serviços costeiros mesmo e alguma ação anfibia, com umas 12.000 pessoas, não sendo mais necessario todo esse povo se acotovelando dentro das bases hoje… A pergunta que fica é: O que fazer com a maior parte desse povo, dos 85.000 pessoas militares que se acotovelam dentro de… Read more »

Heli
Visitante
Heli

Fico imaginando como está a saúde do grupo propulsor dessas embarcações…

Flanker
Visitante
Flanker

A modernização ou revitalização, de apenas 3 das 6 Niterói, se restringirá ao Siconta? E as turbinas, motores, eixos, casco, etc, etc, etc? Essas fragatas já possuem seus cascos e estruturas bastante cansados. Uma atualização de seu sistema tático é importante, mas longe de ser o suficiente.

colombelli
Visitante
colombelli

os ingleses mandam lembranças; Melhor irmos nos agilizando para garantir algo pra nós com eles nos proximos 5 anos