Home Marinha do Brasil Marinha do Brasil pode transferir submarinos classe ‘Tupi’ para o Complexo Naval...

Marinha do Brasil pode transferir submarinos classe ‘Tupi’ para o Complexo Naval de Itaguaí

23691
76
Itaguaí – Estaleiro e Base Naval
Complexo Naval de Itaguaí – Estaleiro e Base Naval

Segundo o Jane’s, o Comando da Força de Submarinos da Marinha do Brasil (ComForS) está estudando a transferência de seus quatro submarinos de ataque diesel-elétricos classe “Tupi” Type 209/1400 e Tikuna Type 209/1400 mod da Base Naval Almirante Castro e Silva (BACS), em Niterói, para o Complexo Naval de Itaguaí no estado do Rio de Janeiro.

Se a transferência for implementada, a BACS será preservada como um recurso de suporte para os submarinos, informou a Marinha.

O Complexo Naval de Itaguaí está programado para ser concluído em 2022 para receber gradualmente quatro submarinos diesel-elétricos da classe Riachuelo (Scorpène modificado) e o submarino nuclear SN Álvaro Alberto.

A base naval e as instalações para construir e manter submarinos estão sendo montadas como parte do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) de R$ 35 bilhões.

Timbira atraca no EBN Itaguaí - foto Marinha do Brasil
Submarino Timbira atracando pela primeira vez no Complexo Naval de Itaguaí, em dezembro de 2014

76
Deixe um comentário

avatar
28 Comment threads
48 Thread replies
3 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
56 Comment authors
Robson santosMATROSErochaAlexandre EstevesMatheus Nascimento Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Jéfferson
Visitante
Jéfferson

Mais isso é claramente o que deveria ser feito. Agrupar todos os submarinos na nova base em Itaguai. E tem que dar um jeito de por esses antigos submarinos em operação, que ao que parece estão todos parados e esperando PMG. Uma modernização seria o ideal também.
No futuro com 9 convencionais e 1 nuclear não será uma força insignificante não.

E outra, essa Base Naval precisa de defesa anti-aérea de média e longa distância, é hora das Forças Armadas começarem a pensar nisso mais seriamente.

bjj
Visitante
bjj

Sobre a defesa AA, parece que MB já pensa nisso. Se a compra dos Pantsir tivesse sido efetuada, segundo foi noticiado aqui, a bateria pertencente à MB teria a função de defender a base de submarinos.

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Se os Pantsir tivessem sido comprados, seria melhor comprar um Iron Dome para proteger os Pantsir…

bjj
Visitante
bjj

Pq?

teropode
Visitante

O Pantsir não protege nem a si mesmo kkklkk, vc quer que ele proteja uma base com aquelas dimensões e importância? vc ta de brincadeira, os sistemas Anti-aeteos de Israel são os mais indicados . E não se esqueça da Guarda costeira e de alguns cruzadores porta mísseis.

bjj
Visitante
bjj

Teropode Se você está baseando suas afirmações no recente caso da Síria, digo que isso não quer dizer absolutamente nada, ainda mais se tratando de um atrito entre forças profissionais como as israelenses contra forças sírias que, diga-se de passagem, nunca tiveram uma doutrina muito eficiente de operação de armas antiaéreas (na invasão do Líbano em 1982 eles foram absolutamente esmagados pelos israelenses porque, entre outras coisas, ignoraram a doutrina soviética de operação destes meios). Se formos pinçar casos específicos, colocaremos em xeque e eficiência de equipamentos como o F-117 Nighthawk, que foi abatido por um antigo míssil SA-3, da… Read more »

teropode
Visitante

Ótimo, seu comentário serve então como desculpa para a derrubada do F16 kkkkkk, ou não? dois pesos duas medidas ?

Marcos Alexandre Queiroz
Visitante
Marcos Alexandre Queiroz

Correto, uma base de submarinos sem uma defesa antiaérea forte complica

Pericles Ferreira Leite
Visitante
Pericles Ferreira Leite

A classe Tamandaré deveria ter sido de navios especializados em guerra antiaérea, algo como as Sa`ar 6 israelenses. Neste caso serviriam para proteger a base de submarinos, as usinas de Angra e as bacias petrolíferas de Santos, Campos e do Espírito Santo, etc. Idealmente com cobertura AWACS.

teropode
Visitante

Se já ta difícil a versão pé -de-boi , quanto dirá versões mais sofisticadas . Na verdade o ideal séria o Brasil ter uma Marinha de “camadas” , operando com 2 frotas , a primeira frota responsável pela região Norte Nordeste, a 1 frota responsável pelas região sudeste Sul e região central , a segunda frota operando vasos novos até 20 anos e a primeira operando vasos com idade entre 19 a 40 anos , assim manteriam um padrão de utilização dos meios , evitando o sucateamento generalizado , após a modernização geral os navios seriam transferidos para a primeira… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Concordo que deveríamos ter meios AA para complementar Santa Cruz, afinal de contas um F-5EM e, posteriormente, um F-39, fica a um minuto de vôo de Itaguaí? Mesmo com a proximidade, isso não significa que não deveriam existir bons meios anti-aéreos para defesa de Itaguaí e também Mocanguê/Áreas próximas. Afinal de contas se chegar ao ponto de se precisar usar esse tipo de armamento, é bom pensar que qualquer interrupção na boca da Baía de Guanabara ou ataque à ponte Rio-Niterói, isola a esquadra e a deixa engarrafada dentro da baía.

elcimar marujo
Visitante
elcimar marujo

só a titulo de conhecimento para vc,o vão central da ponte (aquele pintado de cinza ) se for derrubado ele é flutuante,sendo facilmente retirado por rebocadores,uma exigência da marinha na época, justamente para em caso de guerra esse tipo de obstrução não afete a saída da esquadra.
agora a saída da boca da barra,acredito que para obstrui-la seria mais difícil,simplesmente com um navio afundado,ali é bem profundo.
e se chegar ao ponto de uma força inimiga vir a fazer isso,é porque já estaremos derrotados.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

É preciso evoluirmos com compra de material e doutrinas novas. Aproveitar a oportunidade surgida de ficarmos ao lado da OTAN.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Coitado do Brasil , com a OTAN !

francisco
Visitante
francisco

Mais um lunático. Brasil na OTAN, gastando toda a verba militar para fortificar os USA. Ou seja se entregando de vez aos USA, assim como todos os vassalos que integram aquela organização.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Visitante

Que comentário absurdo, de quem nunca leu uma palavra sobre o assunto.

Marcelo Mariano
Visitante
Marcelo Mariano

Francisco, na verdade o Brasil não seria um membro típico da OTAN, com obrigação de ter gastos militares altos (hoje nem a Alemanha está aguentando isso).
Seríamos uma nação amiga, que poderia operar em conjunto, mas sem a obrigação dos gastos militares dos outros membros.

Humberto
Visitante
Humberto

Defesa anti aérea para que? Quem tem a capacidade de um ataque destes? Argentina, Venezuela? Hoje, somente os americanos e muito marginalmente os Franceses, no mais, quem ataca, não vai fazer algo arriscado se existem outros meios mais fáceis. Na minha opinião de leigo (que le um pouco), a negação ao mar seria via minagem (utilizando submarinos ou barcos “civis”) e se for feito um ataque aéreo (mais para dar um enfase midiático), seria via uma ofensiva massiva de mísseis cruzeiros. Defesa anti-aérea é caríssimo e a quantidade de pontos a serem protegidos no Brasil é enorme, o Brasil não… Read more »

bjj
Visitante
bjj

Humberto

Concordo com você quando diz que um ataque seria provavelmente feito por mísseis de cruzeiro, e é justamente por isso que considero importante a defesa antiaérea da base. Mísseis de cruzeiro estão se popularizando, seja por novos mísseis de cruzeiro orgânicos entrando em operação, seja por mísseis anti-navio com capacidade de atacar alvos terrestres a 200/300 km de distância, podendo, inclusive, serem disparados de submarinos submersos.

Acho que seria uma deficiência grande investir algumas dezenas de bilhões na base e nos submarinos e depois deixá-los vulneráveis.

Jéfferson
Visitante
Jéfferson

Obrigado bjj, era exatamente isso que eu ia responder para o Humberto.

Doug385
Visitante

Decisão racional.

BrComenta
Visitante
BrComenta

Perfeito…

Jorge
Visitante
Jorge

Não entendi o texto. Transferindo pra quê? para atualizar? para fazer a proteção do local?

Jorge
Visitante
Jorge

Não entendi os deslikes apenas disse que não havia entendido. Era só alguém explicar melhor …

Antonio Renato Arantes Cançado
Visitante
Antonio Renato Arantes Cançado

Eu expliquei ontem: trata-se de uma base de submarinos, então faz todo sentido levar os que temos pra lá.

nonato
Visitante
nonato

Não sou do ramo.
Mas o que entendi é que fizeram essa nova base para os novos submarinos e estão estudando levar também esses mais antigos.
O problema que vejo é colocar todos os povos num cesto só…

Antonio Renato Arantes Cançado
Visitante
Antonio Renato Arantes Cançado

E aí, Galante? lembra que discutimos isso, numa edição da LAAD? Pois é…

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Mas isso estava no escopo,a BACS vai fechar é tudo será transferido para Itaguaí, Grumec junto. Nao há sentido nenhum manter duas bases abertas!!

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

De fato, não há sentido em ter duas bases abertas, ainda mais tão próximas. Mas no Brasil não duvido de nada, vide bases da FAB em Canoas e Santa Maria, Galeão e Santa Cruz, etc. Economia e administração não é o forte das Forças Armadas

Dodo
Visitante
Dodo

Rafael Oliveira falando besteira como sempre. Vamos lá amigo deixe lhe explicar, a base aerea do Galeão é uma base administrativa e de operação eventual( base de desdobramento) suas unidades operativos já foram ou estão sendo transferidas para Anápolis e Santa Cruz. A base de Santa Maria é grande e por isso é ideal para o posicionamento de misto de aeronaves, diferentemente de Canoas. Ainda mais pensando que os A1 estao lá pra defender o Brasil da sua maior ameaça blindada imediata( a Argentina). No que tange à administração e economia militar, ou você nunca fez uma prova pra aman… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

A antiga Base Aérea do Galeão, hoje Ala 11, é uma unidade operacional da FAB e é sede do 1o GT, 1o/2o GT, 2o/2o GT e 3o ETA….essas unidades permanecerão lá, pelo menos em um futuro previsto….o 1o GTT era baseado lá também, mas foi transferido para a Ala 2, em Anápolis e será a primeira unidade a ser reequipada com o KC-390.

Braga
Visitante
Braga

A fim de não alimentar a polemica, vou ficar só no geográfico, convém ressaltar que Canoas e Santa maria não são assim tão próximas, distam 3 h 36 min (282,0 km).

Leonardo Costa da Fonte
Visitante
Leonardo Costa da Fonte

Tanto a base Naval de Itaguái, quanto as usinas nucleares de Angra têm a cobertura aérea da Base de Santa Cruz. Estas construções não estão nestes locais por acaso! A própria base de Itaguaí foi feita neste local para ficar próxima à Nuclep e as Usinas. Isto facilita a entrega de peças pesadas pela Nuclep, facilita toda a estratégia para o licenciamento ambiental e planos de emergência no caso de acidentes nucleares, etc.

HAL NOVE MIL
Visitante
HAL NOVE MIL

Transferir é fácil. Quero ver o ComForS pagar o que deve ao AMRJ pelos PMG que estão rolando há anos por lá. Tem submarino até dentro de oficina parado çor falta de pagamento. É só contar. Essa novela ninguém quer terminar.

EricWolff
Visitante
EricWolff

Hummmm, então tipo assim , a marinha está devendo para a marinha?

filipe
Visitante
filipe

A ideia da MB é boa, reunir tudo numa só base, mas em tempo de Guerra é má, convêm ter 2 bases de submarinos, se atacam Itaguai, sobra o AMRJ,ou se atacam o AMRJ sobra Itaguai, não podemos nos esquecer do que aconteceu em Pearl Habor na 2GM, se um inimigo atacar ou pensar em atacar , vai ter muito mais trabalho , vai ter que atacar duas bases, é como por os ovos num só cesto, por todos os Submarinos numa só base, mas sendo um país pacifico, poupa-se muito dinheiro em logística, sem esquecer que Itaguai é o… Read more »

Luiz Floriano Alves
Visitante

filipe
A arte de guerra evoluiu muito desde Pearl Harbour. Manter duas ou mais bases não faz muita diferença para sistemas de ataque com míssil de alta precisão. Vide o que aconteceu com as tropas de Saddan dispersas pelo Iraque. A que se descortina são forças espaciais que a partir de satélites militares escolherão seus alvos de forma cibernética e com potencial de varrer da face da terra qualquer alvo significativo. Abço.

Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

“… duas ou mais bases não faz muita diferença …”. Perfeito.

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

Se um míssil passar sobre o arpoador, vão achar que é um baseado voador.

Eduardo
Visitante
Eduardo

um baseadão, hahahaha

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Olga lá!!! A Flying Dildo!!!
Kkkk

Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Visitante
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro

Capaz de os traficantes o capturarem ainda em vôo, coitado do míssil.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

É tão difícil atacar duas bases com mísseis, e logo uma praticamente ao lado da outra. Tem que ter apenas uma mesmo, se tiver que ter outra, que seja no Maranhão!

Giba
Visitante
Giba

Prezados, pelo que sei a baía de guanabara tem entre 8 e 17m. Não sei se essa profundidade permitiria uma evasão em imersão em caso de ataque. Se assim o for, já passou da hora de transferir nossos subs de lá. Será que os colegas do fórum podem fazer comentários nesse sentido? Itaguaí nos daria uma melhor segurança nesse sentido? Agradeço de antemão os comentários sobre o assunto.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Salvo engano, tem um canal dragado de 20m na Baía de Guanabara. Não sei com qual frequência ele permanece dragado, mas geralmente é para facilitar navios com maior peso entrarem no porto. Já vi submarino da MB entrando na calada da madruga e ** acho ** que estava semi-submerso, mas não posso afirmar com certeza. No caso eu estava voltando de Angra às 3am em um velerei e só consegui ver que aquela luz de top que não fazia barulho era um submarino quando as luzes do aterro do flamengo mostraram a silhueta do bicho entrando.

Giba
Visitante
Giba

Obrigado Leandro.

Battlefield
Visitante
Battlefield

Sinceramente não acredito muito na notícia.
Primeiro pelo fato da base de Itaguaí não ter sido construída e pensada com o suporte necessário para essa classe mais antiga e não possuir a expertise e estrutura específica que o AMRJ tem no reparo desses meios.
É provavel que teriam que gastar com adaptações em Itaguaí para oferecer o suporte adequado a classe antiga.
Haveriam também despesas com as transferências de pessoal e material.
Seriam realmente justificáveis, viáveis e necessários esses gastos, principalmente porque a classe antiga já está próxima do final da sua vida útil?

Marco Aurélio
Visitante
Marco Aurélio

Bom dia quero parabenizar a Marinha do Brasil por essa nova base naval de submarinos.e Poder dizer que faço parte desse projeto porque servi em Aramar e copesp são paulo

Braga
Visitante
Braga

Entendo que mesmo respeitado todo o contexto histórico, administrativo e até operacional, creio que toda a BACS poderia ser transferida para Itaguai, inclusive o navio de socorro submarino Felinto Perry e os processos de manutenção que hora são realizados no AMRJ. As atuais instalações da BACS poderia ficar apenas com o GRUMEC e o CIAMA. Quanto a defesas anti-aereas todas nossa bases deveriam possui-las mas impreterivelmente o complexo em Mocangue, a Base de São Pedro da Aldeia e o complexo de Itaguai.

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

ja tá passando da hora

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Eu Nao sou especialista naval e como sempre corro o risco de estar nadando contra a corrente, mas pergunto ao pessoal da Marinha :

Nao seria melhor fazer uma 2ª base de submarinos eu outro estado, so por exemplo em Aratu com os Tupis e outra em Itaguaí com scorpenes por exemplo?

Esse negocio de agrupar meios parece bom logisticamente, administrativamente e em termos de custos mas não é ‘perigoso’ ?

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Mas o problema é:
E o money pra isso?

nonato
Visitante
nonato

Acredito que uma segunda base poderia ser mais modesta, como um quebra galho.
No caso de necessidade.
E poderia ser usada no dia a dia para não ficar sem uso.
Faria junto a uma base militar já existente, tipo no nordeste, pois aproveitaria parte da estrutura e do pessoal existente.

Marcelo Mariano
Visitante
Marcelo Mariano

Paulo Costa, sou de Salvador e conheço a Base de Aratu desde os anos 70. É uma senhora instalação com um grande potencial de prestar bons serviços à MB, mesmo apesar da pouca profundidade no seu entorno.
Ali também se faz a “desmagnetização” de submarinos. Sugiro aos amigos que ainda não a conhecem, uma olhada nos sites da Marinha sobre ela. Vale à pena.

Amauri Soares
Visitante

Está base e perfeita , no entanto eu vejo uma falha grave . Pq não cobriram a área aonde os subs ficam docados ? Hoje em dia e de extrema importância que ninguém saiba aonde estão os subs , os satélites conseguem localizar eles nas bases e saberem quando estão lá ou não , então e necessário que seja coberto para que ninguém saiba quando eles estão lá , acho que a algumas falhas que precisam ser corrigidas .

Marcos
Visitante
Marcos

E o Mr. Obvius ataca novamente

JOAO
Visitante
JOAO

Como assim pode??!? Não era o planejado? Todos os submarinos devem concentrados em Itaguaí. A marinha tem alguma pretenção ou sonho de manter mais de uma base no RJ? Jesus, e pensar que a MB na década de 90 era a força armada mais organizadozinha.

wwolf22
Membro
Noble Member
wwolf22

Todo o maquinario adquirido para a fabricacao/manutencao da classe Scorpene, tem alguma serventia para a classe TUPI??

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Acho q uma tocha de plasma corta qualquer tipo de chapa de plasma…

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Ops… Corta qualquer tipo de chapa de aço

Humberto
Visitante
Humberto

Uma dúvida,
Já conversaram com a HDW e a Thyssen para verificar se isto pode? Se eu fosse eles, não gostaria que os engenheiros da DCNS ficassem bisbilhotando o submarinos da classe Tupi e vice-versa

teropode
Visitante

Que ótimo, os pensadores marujos facilitando as coisas para o inimigo, puts ….deixando todos os ovos na mesma cesta , isso é reflexo de profissionais mais preocupados com o status que a profissão lhes proporciona , zero tesão, zero nacionalismo , zero paranoia de segurança (um pouco de paranoia e caldo de galinha não faz mal para profissionais da defesa ).

Sandro
Visitante
Sandro

Não entendi porque só fala em 4 subs, ao quanto que a MB tem 5. (Tupi, Tamoio, Timbira, Tapajó e o ultimo e mais moderno o Tikuna).

Dalton
Visitante
Dalton

O texto faz referencia aos 5 submarinos…” quatro submarinos de ataque diesel-elétricos classe “Tupi” Type 209/1400 e Tikuna Type 209/1400 mod…” . Ainda não se sabe se o “Tupi” passará por um último “PMG” quando completar 35 anos em 2024, caso não ocorra, a força de submarinos passará dos atuais 5 para 8 unidades ao invés de 9. . Seja 8 ou 9 é um número pequeno para dividir entre duas bases…como fazem nações que possuem um número maior, como o Japão por exemplo e ter 4 em cada base significará que pelo menos 2 em cada base estarão passando… Read more »

nonato
Visitante
nonato

Não gosto desse ciclo operacional de submarinos. Vivem mais em manutenção… Estranho. Se fosse eu, qualquer um desses meios caríssimos, passaria a maior parte do tempo parada para não precisar dessas eternas manutenções… Navega um, dois anos, passa cinco em manutenção. Se dependesse de mim, navegaria o mínimo possível. Tipo a cada três meses passa quinze dias no mar para poupar o equipamento. Não adianta gastar bilhões e na hora de uma guerra: ah, estão todos em manutenção. Só pode ser brincadeira. Se os submarinos custaram caro, guardem para uma guerra e não para usar no dia a dia e… Read more »

Fawcett
Visitante
Fawcett

Não seria premeditado transferir os 209 para Itaguaí? Se o BACS ainda tem condições de realizar a manutenção desses submarinos que continuem lá. Itaguaí deveria ser exclusiva para construir e realizar a manutenção dos scorpenes e dos futuros subs nucleares. Acredito que os tupis podem sobrecarregar a nova base e atrasar ainda mais a construção das futuras belonaves.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Fawcett, você já viu o tamanho dessa nova base? O cais é enorme. foi dimensionada para apoiar 15 submarinos. Além do calado ela fica bem mais protegida do que dentro da Baía, sem falar que subs nucleares não ficam em bases dentro de cidades grandes como o RJ e Niterói.

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

Uma pergunta infame… E o resto da costa brasileira? Só existe SP e RJ pelo o que dá pra entender.

PR,SC e RS praticamente nem tem embarcações patrulhando.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Faz sentido!

Matheus Nascimento
Visitante

Legal colocar todos os submarinos no mesmo lugar. Facilita bastante o ataque

Alexandre Esteves
Visitante
Alexandre Esteves

Entendo que a Base de submarinos precisa de um defesa Antiaérea de média altura, mas está bem próxima a BASC. Portanto, essa base só estaria ameaçada por uma FT naval poderosa, capitaneada por um navio aeródromo ou não, e dotados de mísseis superfície-superficie de alcance superior a 500 milhas, ou mísseis lançados por submarinos. Contam-se nos dedos países capazes de fazer tal ameaça.
A maior ameaça a nossa Força de submarinos é o estrangulamento de seu orçamento anual.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Não adianta sugestões de basas, a MB não arreda o pé do Rio.

rocha
Visitante
rocha

Boa oportunidade para iniciar o projeto da esquadra do nordeste,esses velho subs.serviram como dissuação para quem está pensendo em atacar.e mais tarde surgiriam novons barcos

MATROSE
Visitante
MATROSE

Lugar de navio, qualquer que seja ele, é no mar. Base é somente para reparos e manutenção. Vide o exemplo de Pearl Harbor!

Dalton
Visitante
Dalton

Navios passam a maior parte do tempo em suas bases, boa parte passando por manutenções de diferentes níveis e durações, mas, independente disso, não há como manter navios e pessoas tanto tempo no mar e mesmo entre um exercício ou outro eles retornam à base. . Pearl Harbor em 1941, Taranto em 1940, Scapa Flow em 1939…etc. . E falando em Pearl Harbor, que era e continua sendo uma base com poucos navios de superfície, ao visita-la no passado e de posse de uma lista dos navios que poderia encontrar lá, fiquei surpreso com a “grande” quantidade deles que lá… Read more »

Robson santos
Visitante
Robson santos

Alguém sabe me informar se procede ?
Fiquei sabendo,que iria abrir processo seletivo para civis para trabalhar nessa base.
Isso procede?