Home Comando da Marinha Política Naval da Marinha do Brasil

Política Naval da Marinha do Brasil

17574
169

O novo documento Política Naval da Marinha do Brasil tem o propósito de orientar o planejamento estratégico da Marinha, a partir do estabelecimento dos Objetivos Navais de mais alto nível, tendo em vista o alcance da Visão de Futuro da Força Naval.

A Política Naval orienta o planejamento estratégico da MB, cujo cumprimento impõe a disponibilidade de forças navais aptas a atuarem em consonância com a magnitude político-estratégica e econômica do Brasil no cenário internacional.

O documento foi dividido em quatro seções principais: Contexto da Política Naval; Concepção da Política Naval; Objetivos Navais e Mapa Estratégico da Marinha.

Para baixar o documento em PDF, clique aqui.

169
Deixe um comentário

avatar
32 Comment threads
137 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
68 Comment authors
OliveiraRenatoCavalliVitor SilvaDan Lomonaco Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Fernando Turatti
Visitante

Continuam a chamar as tamandarés de corvetas no documento. Eu realmente temo que se chamarem de fragata isso indique a aceitação de que não teremos uma fragata de verdade num futuro a médio prazo.

Esteves
Visitante
Esteves

Semântica.

Fernando Turatti
Visitante

No mundo ideal eu concordo que seria, mas aqui é o Brasil. Vamos chamar corvetas de fragatas enquanto nossa marinha sonha com porta-aviões e submarino nuclear

Enes
Visitante
Enes

Conceito de corvetas ou fragatas é relativo, podemos por exemplo chamar as Inhaúmas de corvetas e no entanto os EUA as chamam de fragatas, enquanto denominávamos os classe Gárcia de CT, os EUA os chamavam de fragatas. São apenas conceitos.

Paulo costa
Visitante
Paulo costa

Fernando
Que argumento ridículo e esse seu …pensamento medíocre !!!

A Marinha de um País gigante como o nosso não pode ser medíocre e deve e merece ter porta-aviões, submarinos nucleares e tudo que julgar necessário para garantir a soberania em nossos mares territoriais.

Deixe suas frustações políticas e ideológicas longe das forças armadas e tenha orgulho do País que vive …

Fernando Turatti
Visitante

Você pode voltar e ler novamente. Em que momento eu disse isso que colocou na minha boca? Eu sou TOTAL E COMPLETAMENTE a favor de ter isso tudo que você disse. Que fossem porta aviões pequenos no estilo das marinhas europeias no mediterrâneo, já estaria bacana.
Frustrações políticas? Suponho que imagine a mim como… De esquerda?

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Só lembrando o “substituto” do Cavour terá 33.000t (embora fale que será o substituto do GG) o do CdG teria 70.000t…. O que a MB queria teria 45~55.000t considerando CATOBAR é dúvido que até a 7° geração de caça, se é que ela existirá, não irá ter um caça ocidental SVTOL…. Logo só teria um opção para NAe SVTOL o que torna o assunto muito mais delicado.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Para que para fazer desfiles???toca dinheiro no lixo. Militar como todo funcionario público tá pouco se lixando para quem paga a conta
Meia dúzia de navio já dá para o gasto e alguns sub resolvem o problema.

Beatrice
Visitante
Beatrice

Acredito estar longe no quase impossível esses dois, pois até hoje só houve muito falar dos submarinos nucleares. Mais este projeto já se arrasta há mais de 18 anos e nada ficou pronto. Até inaugurar um submarino em Itaguaí que está longe de ficar pronto tiveram a pasmaceira de fazer.

Cleyton
Visitante
Cleyton

Bom seria corvetas se fossem construir a Meko A100 porém vão construir uma embarcação entra a A100 e a A 200 pela classificação será uma fragata leve , e se comparar com as atuais fragatas que operam na MB mesmo sendo uma fragata leve ainda terá muito mais poder de fogo .

MF1
Visitante
MF1

Pelo deslocamento de 3.500 toneladas é sim uma fragata leve. Inclusive a Meko100 é chamada pelo fabricante de ligth frigate.

Dodo
Visitante
Dodo

Não entendi sua lógica. Quer dizer então que se chamar o Bixo se fragata, não podem haver novas fragatas? Qual a lógica disso kkkkk

pangloss
Visitante
pangloss

Acho que o que ele quis dizer é que chamar as Tamandaré de fragatas é o mesmo que considerar que a classe média é formada por pessoas de renda acima de R$ 1.500 ao mês, como o IBGE fez naquele período lamentável de nossa história recente.
Ou seja, criar uma narrativa fantasiosa para disfarçar a realidade.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Concordo contigo Pangloss, conhecendo esse mundo governamental, dá para ver que isso é para ficar bonito no papel, na prática me parece que serão essas CV e só. Não entendo porque o povo daqui do forum (peço encarecidamente que alguém me ilumine!) comemora essa renomeação como se fosse alguma vantagem, veja: foi feita uma licitação para CV e no final saiu uma CV estendida, que por fim chamaram de Fragata, onde é que isso é bom? Acho que vem por aí um pato, talvez nade, talvez voe, talvez corra, mas é bom mesmo em não ser bom em nada.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Vou te elucidar. A MB poderia ter optado pela Sigma com 2.600 T. O navio escolhido desloca quase 1.000 toneladas a mais. Isso assegura melhores condições de navegabilidade, conforto para a tripulação e melhores capacidades de operar sistemas de armas no Atlântico Sul. Portanto não é Somente o termo utilizado o motivo de comemoração e sim o porte do navio, bem maior do que o esperado para uma Corveta. Aliás conheço 2 corvetas que chega bem perto do deslocamento dessa Tamandaré, mas não conheço nenhuma que desloque 1 kg a mais. É portanto, caso eu não esteja equivocado a MAIOR… Read more »

MF1
Visitante
MF1

Antes era para ser uma corveta de 2.800 toneladas. Agora será um navio de 3.500 toneladas. Nossas Niterói tem 3.800 toneladas de deslocamento, veja que a diferença entre as duas é pequena. A Tamandaré tá mais para uma fragata leve mesmo.

Fernando Turatti
Visitante

Foi exatamente esse o conceito por trás da mensagem, mas por alguma razão outros comentaristas imputaram a mim uma fala absurda de que não precisamos de nada acima, quando o meu medo é JUSTAMENTE não termos nada acima.
A fragatas aquilo que lhes compete, a corvetas idem.

MF1
Visitante
MF1

As fragatas Niterói tem 3.800 toneladas de deslocamento! A Tamandaré 3.455, a diferença é pequena. A Tamandaré está mais para fragata leve que corveta.

Jorge Knoll
Visitante

Para mim há um equivoco ao discutir se corveta ou fragata, levando em conta a tonelagem quanto ao deslocamento. para mim sim a finalidade para a qual a belonave realmente pretende ser usada, levando o variado tipo de armas que leva. Se vai ser usado como escolta, entendo na m,inha santa ignorância seria fragata. Se se destina a combater submarinos será corveta ou destroier. Não impede que tenha uma gama de armas de defesas aéreas.

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Depende de quem tive na cadeira de presidente….

Nelson
Visitante
Nelson

Fernando, as MEKO’S são navios poderosos, e com pelo menos 12 desses + 8/9 submarinos, teremos uma marinha de médio porte. Uma marinha bem treinada e com meios racionais para nossa defesa, o Brasil ficará muito bem protegido e pronto para navegar junto aos nossos aliados ocidentais.

Aldo Ghisolfi
Visitante

Mas que sonho é esse?
12 MEKOs? 8 ou 9 subs?
Quem nos dera Nelson…

Enes
Visitante
Enes

Quatro escorpenes mais cinco IKLs. = 09.

Enes
Visitante
Enes

Scorpenes.

Nelson
Visitante
Nelson

Acho que não serão todos remotorizados.

MF1
Visitante
MF1

Até 2035 deve ser isso mesmo, e tá factível.

Dan Lomonaco
Visitante
Dan Lomonaco

O plano para submarinos e para 19 até 2039.

Fernando Turatti
Visitante

O problema é que sabemos que não serão 12 em hipótese nenhuma. Também sabemos das dificuldades em futuros upgrades num navio já tão expandido em sua tonelagem. Existem desvantagens importantes demais para serem ignoradas, ainda mais num país com uma costa desse tamanho e com tantas águas azuis. Concordo quanto aos submarinos, contudo, não teremos essa quantidade também. Quando os últimos scorpeneBR tiverem entrando em serviço os primeiros tupi já estarão indo para a geladeira. O SN-BR, caso saia, tem toda a cara de que será filho único de mãe solteira. Teremos uma bela arma de negação do uso do… Read more »

Nelson
Visitante
Nelson

Cara, acredite, perceba como o Brasil já está melhorando. Se a nefasta e derrotada ideologia de esquerda não nos comandar novamente, o Brasil e os brasileiros decolam.

Eduardo
Visitante
Eduardo

De boa vontade o inferno tá cheio, não esquece que foram os próprios brasileiros que colocaram o Brasil na m que está. É igual o cara que lê auto-ajuda, ora se pudesse se ajudar não precisaria de auto-ajuda!

Celso
Visitante
Celso

Infelizmente caro Eduardo, nao foram os brasileiros que nos colocaram em toda essqa inercia ideologica e rapinagem. Foram sim as famigeradas urnas eletronicas comprovadamente manipuladas por verdadeiras minorias de quadrilhas instaladas no poder via a pior constituicao que ja houve nesse pais (CF 1988). Outra coisa e nao tao elogiosa, uma grande massa de ignaros ai esta vagando pela nacao e nossas universidades ainda estao formando outra horda de nescios e vagaos. Felizmente um terco de nossa populacao ainda continua ativa e vigilante. Brasil, pais de tolos SDS

marcus
Visitante
marcus

E colocaram de novo.

MF1
Visitante
MF1

Hã?

marcus
Visitante
marcus

E colocaram de novo.

MF1
Visitante
MF1

Você é vidente? O contrato é para 4 Tamandaré e deixa aberto mais 4 já para 2026 ser assinado. O mínimo são 8 , se não houver dinheiro para uma fragata pesada , pega mais 4, 12 unidades é o mínimo para recompor a frota. Esse excesso de pessimismo infundado irrita. Estes projetos geram empregos aqui, tecnologia etc. Não tem porque não seguir em frente.

nonato
Visitante
nonato

Defendo umas 6 a 8 CCT e 5 a 6 fragatas de 7 toneladas. Freem estava bom demais.

Aldo Ghisolfi
Visitante

Somente se o Bolsonaro abrir (e muito bem aberta) as burras do dinnheiro. E muito dinheiro!

MF1
Visitante
MF1

Se a MB chegar a 12 Tamandaré e 8 submarinos Escorpene-BR ( 3 nucleares e 5 convencionais), está de bom tamanho e é factível. Povo viaja que temos dinheiro para ser uma Índia da vida, e não temos. Ainda se vai gastar para ter 84 Gripen NG pelo menos para poder substituir todos F-5 até 2030. Dentre várias outras coisas . Não haverá dinheiro para muita coisa não ! Ainda assinamos um contrato para 1580 blindados da família Guarani e nem começamos ainda o lote piloto da versão de reconhecimento deles. Tudo isso custa, e não é pouco. 28 KC390,… Read more »

Beatrice
Visitante
Beatrice

Estou plenamente de acordo, sabe aquela frase ” esta se modernizando” pra gente já sabe como funciona.

Esteves
Visitante
Esteves

“Apoiar iniciativas para eliminação total de armas químicas, biológicas, radiológicas e nucleares, nos termos do Tratado sobre a não proliferação de armas nucleares, ressaltando o direito ao desenvolvimento e ao uso dessas tecnologias para fins pacíficos.”

Não conheço armas para fins pacíficos.

Jorge Augusto
Visitante
Jorge Augusto

a frase é “…ressaltando o direito ao desenvolvimento e ao uso dessas TECNOLOGIAS para fins pacíficos”

e não “… uso dessas ARMAS para fins pacíficos”

Tecnologia química, nuclear e biológica possuem caminhos pacíficos.

Esteves
Visitante
Esteves

Marinha de Guerra faz guerra. Fins pacíficos é com a outra turma.

Sérgio Melo
Visitante

Então o reator nuclear em desenvolvimento não poderá ser instalado, por exemplo, em Roraima? Ou o sistema de propulsão desenvolvida para misseis não poderão ser utilizados para transporte de satélites? Soluções encontradas na construção de vasos de guerra não poderão ser aplicadas na marinha mercante? A história do mundo está repleta de exemplos de como tecnologias militares contribuíram, e muito, no desenvolvimento das sociedades. Sds

sergio ribamar ferreira
Visitante

De acordo também como Sr. Sérgio. Todo empreendimento militar contribuiu e contribui para o desenvolvimento civil. por que não instalar uma usina nuclear em Roraima? Melhor do que viver na penúria de não ter luz e manter uma região ainda na idade da pedra. A França possui mais de 30 usinas nucleares e alguém critica sobre? e possui uma indústria militar respeitável .Sr. Esteves mostrou uma questão óbvia não declinando de vossas colocações 1que são válidas. Grande abraço. posições válidas e interessantes de ambos comentaristas. Abraços. isto é assunto de Defesa.

sergio ribamar ferreira
Visitante

De acordo com sr. Esteves. MB, Marinha de Guerra. se está construindo submarino para que então? Para fazer turismo? e as corvetas/ fragatas para que? existe sim tecnologia que pode ser empregada para uso civil, porém a ideia central é preparar como armas de dissuasão. Grande abraço e desculpe a intromissão.

João Souza
Visitante
João Souza

Estão falando das tecnologias em si. Seu uso para a medicina por exemplo.

Fazendo ainda um adição no comentário…

Acho esse discurso anti armas nucleares de uma hipocrisia que olha…se o Brasil quiser um dia sentar com os grandes vai ter que partir pras suas (estudando bem a reação Internacional é claro, com muita calma) . Não tem tabu nenhum nisso. Tudo isso é a minha humilde opinião.

Esteves
Visitante
Esteves

Pois é. Tecnologias nucleares nas Armas tem uso ou finalidade pacíficos? Em qual país? Só pra inglês ver. Claro que o país quer e terá acesso à armas nucleares.

sergio ribamar ferreira
Visitante

Sr. esteves, sua opinião está correta, porém a outra “turma” para pesquisa e desenvolvimento para fins civis. Uma rede de informações que pode ser compartilhadas. os avanços militares tecnológicos em defesa podem ser aproveitados para outros fins nomeio civil. Exemplo : a Alemanha na 2ªguerra produzia gasolina sintética e que mais tarde foi empregada no meio civil , porém a guerra acabou e… grande abraço.

Nelson
Visitante
Nelson

João, todos caíram na realidade, temos somente um planeta Terra.

Enes
Visitante
Enes

Todos ??????????????

Nelson
Visitante
Nelson

Já fui defensor dos armamentos nucleares para o nosso Brasil, mas cheguei na conclusão que saber fazê-los é melhor que tê-los e ao que tudo indica, temos esse conhecimento vide (Engenheiro, Dalton Girão Barroso), que desvendou os cálculos da bomba termonuclear americana w48. Precisamos aperfeiçoar os lançadores, isso até mesmo economicamente é muito importante. Conhecimento é dissuasão, e isso nos basta, pois vivemos bem com nossos vizinhos a quase 200 anos.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Este episódio ficou famoso…..

João Souza
Visitante
João Souza

Não…os detentores dessas armas é que nos fazem crer nisso. Armas nucleares são a dissuasão definitiva!

José.Orlando bento
Visitante
José.Orlando bento

Quem fala que não devemos desenvolver armas nucleares é de uma infatilidade, que podemos afirmar: sem cérebro.um país com as dimensões continentais do Brasil JÁ era para possuir um arsenal nuclear como a Rússia.China.EUA Reino Unido.Índia.Paquistão França.Israel. etc. A Correia do Norte ainda não foi atacada devido a sua capacidade nuclear. Esses primatas, apátridas da esquerda sempre argumentaram contra o Brasil nuclear, porque são ligados a INTERNACOONAL SOCIALISTA, que não aceita soberanias nacionais. Ela é contra a manutenção do estado Nacional burguês capitalista. Os generais brasileiros,com raríssimas excessões são boquirrotos. Não podemos dispensar nem mesmo muitas bombas de hidrogênio como… Read more »

Nelson
Visitante
Nelson

Professor José, sou brasileiro também e não sou contra ter essas armas, somente acho que o conhecimento é enormemente persuasivo. O “homem foguete norte-coreano”, já desanimou das ameaças, pois sabe que as coisas podem piorar. O mundo desenvolvido agora, já nos respeita mais que em 2018, e apenas desativamos as “Hiroshimas esquerdistas”por essas bandas. Se Israel, Paquistão, Índia, Rússia, CN, EUA, resolverem utilizar essa besta exterminadora, só Deus sabe quem ganhará a pior dor de cabeça 🤕.

Enes
Visitante
Enes

Não são as armas, são as tecnologias, para fins pacíficos.

Bardini
Visitante
Bardini

Mais de 10 anos lendo as mesmas porcarias e patinando, indo de lugar nenhum pra lugar algum… . O entorno estratégico brasileiro inclui a América do Sul, o Atlântico Sul, os países da costa ocidental africana e a Antártica. . Concordo 100%. Mas poderiam ter feito um bom número de Navios de Patrulha Oceânica nessa década passada, para mostrar bandeira por toda essa região. . O Brasil atribui prioridade ao relacionamento com os países detentores de maiores capacidades tecnológicas. . Traduzindo… Sei que você pode me destruir com um embargo, então vou fazer tudo que você quiser e não vou… Read more »

Fernando Turatti
Visitante

A marinha, exército e força aérea só tem um interesse: aposentarem-se mais cedo e com salário integral do que os países de verdade que tem forças armadas de verdade. Todo o resto é a desculpa da qual usam para conseguir o objetivo real.

Elton
Visitante
Elton

E realmente lastimável ver como a área operacional das forças armadas e tratada com descaso pelo comando ,em outros lugares do mundo se diminui efetivo para manter o máximo de meios operacionais possíveis aqui e o contrário, cortasse os meios operacionais e até expediente mas não mexem nos números de oficiais e praças.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Outros lugares do mundo não tem um continente inteiro pra manter sozinho, sem apoio externo.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Quem se aposenta mais cedo?
Quer somar as suas horas trabalhadas e comparar com a de um militar, para medir?

Já pensou em ler um pouco mais, para conhecer um pouco mais, para poder fazer um comentário com mais conhecimento e menos “achismo”.

Quem são os países “de verdade”? cite por favor quais são as FA de verdade!

O brasileiro médio estuda pouco, conhece pouco, mas adora achar que sabe de tudo um pouco e dar “palpite” no que não entende.

Fernando Turatti
Visitante

Opa meu consagrado, podemos com toda a certeza discutir isso!
https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,aposentadoria-integral-para-militar-nos-eua-e-no-reino-unido-so-em-caso-de-invalidez,70002674402
sinta-se a vontade para ler e constatar como funciona.
Aliás, talvez os militares deles trabalhem MENOS que os nossos né? Afinal, o Brasil está sempre envolvido em invasões militares ou apoio a países do oriente médio enquanto RU e EUA não entram em guerras desde a WWII…

Gabriel
Visitante
Gabriel

Fernando, você deve continuar realmente baseando tuas opiniões no Uol, Folha, Estadão, etc
Eu, particularmente, nem me dou o trabalho de ler.
Felizmente, devido a muito estudo, trabalho e um pouco de sorte, tive oportunidade de conhecer e trabalhar com militares da America do Sul, EUA e Europa.
Mas quem realmente conhece a realidade é “você” e sua fonte de consulta idônea.
Apenas para contribuir com teu “rico conhecimento”, tem militar americano que vai para reserva e recebe “mais” que na ativa.
Quer saber mais? vai estudar o assunto!

Fernando Turatti
Visitante

É igual discutir com PTista mesmo, não adianta.
Jogar xadrez com um pombo seria mais fácil e prazeroso. Passe bem.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Fernando, você esta sendo o “pombo” então. Por favor, pode até me ofender, mas chamar de PTista é um pouco demais. Percebi que teu desconhecimento é grande, por isso vou te explicar alguns detalhes. No Brasil existem várias categorias de Agentes Públicos, os militares são apenas uma categoria. Cada categoria tem suas normas e regras. A missão dos militares, segundo a CF/88 é defender a Pátria e garantir os poderes constitucionais (missão principal) e garantir a lei e a ordem (missão secundária). Por isso são uma categoria diferenciada, com muito mais deveres e restrições do que as outras categorias. Assim,… Read more »

Oliveira
Visitante
Oliveira

Boa kkkkk

Elton
Visitante
Elton

Gabriel,da uma pesquisada sobre a evolução de meios e pessoal no pos-guerra fria nas forças armadas dos membros da OTAN e compare que para manter a maior quantidade de meios operacionais com menos orçamento eles priorizaram os cortes na area de pessoal e só da uma pesquisada.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Elton, faz todo o sentido sua comentário.
As FA estão se adaptando a essa linha de pensamento. Os efetivos estão diminuindo, da mesma forma que a quantidade de militares temporários vai aumentar e diminuir a quantidade de militares do efetivo permanente.
Porém as questões no Brasil são mais complexas de serem resolvidas, até porque os militares são usados para uma ampla variedade de tarefas, o que exige uma grande quantidade de efetivos envolvidos.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Na maioria dos países, os militares vão pra reserva até antes do Brasil…

Gabriel
Visitante
Gabriel

Angelo, já desisti de tentar explicar. Inicialmente as pessoas não compreendem que no Brasil existem várias categorias de Agentes Públicos, acham que é tudo a mesma coisa. Depois não compreendem que os militares são apenas uma das categorias. A grande maioria também desconhece completamente que uma parte apenas dos militares são os de “carreira”, que a maioria é “temporário”. Outro detalhe é que muitos preferem ignorar que o Agente Público “militar” tem uma variada gama de restrições se comparado com os outros Agentes Públicos. Outro detalhe é que no “imaginário” dessas pessoas o militar é aquele que “vai para a… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado
Nos outros países, os militares também estão sendo empregados em outras missões.
Quanto o mais, concordo.
A situação é bem clara.
Igualar diferenças é complicadíssimo.
Não há exército no mundo q o militar ganhe como os civis na ativa, pois é impagável.
A compensação vem na reserva de alguma forma.
Se for pra igualar na reserva, simples, é só igualar na ativa, mas não há $$ q pague.

Na minha opiniao, não temos militares a mais, temos sim é q reorganizar frente às novas necessidades e desenvolvimento da doutrina.
Sds

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Só para entender… Sua crítica refere-se exatamente aonde?
Não concordar com o conteúdo Politica Naval; Concordar com conteúdo, mas ver omissão na sua execução; Concordar com o conteúdo, mas não ver a execução da Marinha em sintonia com sua Política? Ou os três ao mesmo tempo? rs.

Vovozao
Visitante
Vovozao

13/04/19 – sábado, btarde, GFC/RJ, conteúdo muito bonito, belas palavras, no sentido geral nada se cumpre, veja daqui a dois anos, execução, vivemos de sonhos mirabolantes, numa nação, que cada governo faz o que bem quer, não dando continuidade aos projetos dos outros governos, com isto perdemos dinheiro e muito. Temos uma MB, de muitos projetos e nenhuma execução, vejamos como exemplos: últimos 40 anos não construimos/adquirimos, hoje temos uma frota envelhecida (sucatas) mesmo caso dos nossos cacas-minas (varedores), nossa frota de submarinos todos focados, aguardando algumas peças, e, para ser curto nosso almirantado sonhando com fragatas com mais de… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Isso aí é o horóscopo da MB… Um monte de ilusões pra enrolar trouxa.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Então a culpa é da Marinha se o Estado Brasileiro não tem uma Política de Estado acima de ideologias idiotas?

Bardini
Visitante
Bardini

Cúmplice.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Meu amigo, se usar esse raciocínio, todos nós somos cúmplices.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

E somos mesmo, quer a gente queira, ou não. O Brasil está nesse buraco não por causa apenas de Brasília, mas por causa do povo mesmo.

Juarez
Visitante
Juarez

Bardini, essa foi a melhor.

Gilbert
Visitante
Gilbert

Ainda acho que deveríamos ter uma guarda costeira para atuar dentro das 12 milhas náuticas do nosso litoral e para além disso ficaria a cargo da MB, acredito que a partir daí só teríamos navios com mais de 50 ton. de deslocamento. A guarda costeira ficaria ligada o ministério da justiça e não da defesa, sobrando + um pouco de recursos para MB

Bardini
Visitante
Bardini

Guarda Costeira não… Pra mim, teria de ser uma quarta Força, uma Guarna Nacional, absorvendo boa parte da estrutura física, pessoal e logística do EB, FAB e MB. Isso integrando com outras polícias como PF, IBAMA (que é uma mentira), SUS, Universidades Federais (ex: Rondon, atendimento médico, pesquisa, etc), Defesa Civil e etc. Seria algo grande… Bem grande e caro, mas visando colocar ordem nessa joça. . E é isso. Colocar essa força para receber garoto de 18 anos, fazer “mão amiga”, perder tempo fazendo estrada, abrindo poço, subindo rio para tratar pessoal com Navio Hospital, fiscalizar pesca ilegal, fronteira,… Read more »

Salim
Visitante
Salim

Concordo quase na totalidade de sua visão, pena Brasil náo ter coragem para resolver nossos desafios crônicos. Infelizmente FAs só pensam em beneficio próprio.

Agnelo
Visitante
Agnelo

E faríamos o caminho contrário de todas as nações….
Se até quem vive em guerra está buscando o emprego dual de suas forças pra mantê-las, ou seja, buscando fazer o q fazemos, nós faremos diferente…
Pesquise o Exército Inglês, Alemão, Francês, Espanhol e Chileno.
A Military Review tem matérias sobre isso.
Com as forças do mundo se integrando cada vez mais, vamos criar outra estrutura em outro ministério pra a Defesa depender desta?

Matheus Santiago
Visitante
Matheus Santiago

Também concordo com sua visão Bardini. O único problema é que isso demandaria muitas verbas além da capacidade do governo arcar no momento atual e também na redução de custos desnecessários no MD. Apenas para implementar esta Guarda Nacional seria necessário no mínimo um investimento de 2,5% do PIB, o que significaria praticamente duplicar o orçamento atual da Defesa, e lembrando que, isso significaria a mesma coisa que criar uma nova Força Armada conjunta, porém uma voltada especificamente para a Guerra, já que a Guarda Nacional iria herdar praticamente toda a estrutura da MB, EB e FAB. A GN seria… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Nunca vai acontecer… Não é de interesse de quem manda mudar o status quo. . Pra mim, teria de ser uma quarta força dentro do próprio MD. Seria um grande integrador, incluindo responsabilidade pela logística de apoio e aquisições para base industrial de defesa. Teria de ser um braço responsável por liberar as 3 Forças para serem 100% especializadas em combater e só. . EB, FAB e MB seriam 100% profissional e 100% dedicados a Guerra. Essas 3 Forças seriam menores e mais especializados. Principalmente o EB que é o grande rombo do MD. A GN seria grande e englobaria… Read more »

Señor batata
Visitante
Señor batata

Bardini vc quer algo próximo da gendarmerie francesa?

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

Agnelo, lá fora existe reclamação quanto a isso também. Acompanho o Exército Britânico e até mesmo lá existe reclamação quanto a degradação da sua força de combate e direcionamento para outras obrigações.

Enes
Visitante
Enes

Acorda.

Leonardo
Visitante

A arma que um país do tamanho do Brasil e com a ganância sobre o Brasil necessita passa por uma profunda percepção e aceitação de quem somos e em que lugar do mundo podemos dizer que é nosso.
No máximo possível podemos ser blá blá blá.
O fracassado é aquele que desiste.
Não desista!

Vitor Silva
Visitante
Vitor Silva

No geral concordo consigo, as forças armadas deviam ser reestruturadas no sentido de serem mais flexiveis e polivalêntes, sempre que possível com duplo uso, com menos encargos com o pessoal, principalmente no Exercito, mas também na Marinha. Também devia-se dar prioridade aos navios patrulha costeiros e oceãnicos e combate á poluição . Também devia ter algumas Fragatas multipropositos bem equipadas no sentido de poder escoltar o navio Atlântico e o Bahia e também devia ter dois navios tanque novos com alguma capacidade expedicionária ( entre 100 a 120 fuzileiros). O caso do navio são Paulo é de evitar a todo… Read more »

Leonardo
Visitante
Leonardo

Projeto precisa de ambições grande é realização !

Esteves
Visitante
Esteves

É um belo documento. Todo político faz o apanhado dos primeiros 3 meses. Ou 100 dias. É natural contar o que veio fazer. O Almirante foi na frente. Levou o documento pronto evitando contar depois.

Não precisava ensinar geografia. Oceano Atlântico, Africa…e claro a gelada Antártida estão no mapa. Ok. Essa história da África precisa combinar com os russos. Penso que os chineses não concordam. Nem os europeus.

É um belo documento.

Dodo
Visitante
Dodo

Tem que ver o que os africanos acham disso

BMIKE
Visitante
BMIKE

Os africanos estão preferindo os chine$$$es nesse momento da história.

Esteves
Visitante
Esteves

Não dá pra passar a régua nos estatutários e exonerar. Da pra fazer diferente daqui pra frente. O que existe hoje é consequência de atos dos anos 1990. Os programas e projetos apresentados naqueles anos exigiam recursos humanos compatíveis com aquela visão. Ou não? Os aficcionados querem Mekos. Submarinos. Asas fixas. Dezenas de patrulhas. E as tripulações? E os adestramentos? E os inventários? E as despesas? Quem construiu a carreira dos estatutários? Os marinheiros? Quem liberou geral para pagar salário de ativo ao inativo? O Fabiano? A grana das Tamandaré veio de papelzinho do Tesouro que foi parar na Engeprom.… Read more »

Elton
Visitante
Elton

Está certo,quanto aos estatutários não há o que fazer,mas a MB tem que da um tempo nos concursos e diminuir os efetivos temporários mas isso deveria ter sido feito nos anos 90 para ter tido uma folga agora.

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Mas é exatamente o contrário que estamos fazendo… aumentando os temporários, diminuindo o pessoal de carreira e priorizando estes na atividade-fim… fora que o contingente total já está sendo reduzido… menos pressão no percentual destinado a pagamento de pessoal como consequência…

Juarez
Visitante
Juarez

Imediato, está lento demais o processo de vocês. Com o estrago feito pelo imperador, vocês deveriam estar cortando o número OMs para ontem, se não o suplicio alem de continuar, vai aumentar.

Enes
Visitante
Enes

Se não contratar temporários a partir de hoje, não os teremos mais daqui a oito anos.

Camilo
Visitante
Camilo

Pode ser uma pregunta tonta,mais o A29 não poderia decolagar no A140?,assim podia ter 2 unidades para apoyo terrestre.

Camilo
Visitante
Camilo

decolar ,perdão.

Nelson
Visitante
Nelson

O A29 não tem valor como CDF (caça defesa de frota).

João Souza
Visitante
João Souza

Mas pra apoio terrestre tem. O A 140 é para desembarque anfíbio primordialmente.

Mas de qualquer forma acho que não dá pra decolar com ele do Atlântico

Paulo costa
Visitante
Paulo costa

Camilo,
O A29 ST não é feito pra isso é o PHM também não é feito para operar aviões, mas helicópteros sim podem operar a bordo e serem serão usados nessas missoes

Vovozao
Visitante
Vovozao

Leia se. Docados

india-mike
Visitante
india-mike

E o diabo do documento fala umas 10 vezes do submarino nuclear. Ainda vai sangrar muito dinheiro nisso.

Pelo menos não fala em NAe como objetivo estratégico…

Renan
Visitante
Renan

Dados de 2018
Ministério de defesa valor executado 67,4 bilhões de reais.

Valores com o pessoal da ativa 23,4 bilhões
Valores com pessoas aposentados 22 bilhões
Valores com pessoal civil 1,8 bilhões

Verba exercíto 27,6 bilhões
Verba da aeronáutica 17,3 bilhões

Verba da marinha 20,1 bilhões
Gatos da marinha em material 0,8 bilhões submarinos, 2,3 bilhões Tamandaré.

http://www.portaltransparencia.gov.br/funcoes/05-defesa-nacional?ano=2018

Esteves
Visitante
Esteves

A MB ficou com 5. 15 pagou despesa. Não precisa explicar mais. Nesses 5 ainda tem manutenções, conservações, saudações e bolinho de bacalhau.

Kommander
Visitante
Kommander

Quando você vê que o pessoal da reserva custa quase o mesmo que o pessoal da ativa, é porque tem algo errado.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Realmente. A tabela está errada ou devo dizer pouco transparente. As forças armadas gastam cerca de R$ 50 bi com os inativos.
Tem um item que diz Outras Despesas, você clica e aparece vários itens relativos a aposentadorias e esse item outras despesas está no valor de 23,5 bi.

Parabellum
Visitante
Parabellum

Nada errado. Isto significa que o tamanho da tropa está encolhendo.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

uma vergonha esses dados

Renan
Visitante
Renan

Veja os dados de 2019
14 bilhões para mamarem na teta do governo e menos de 300 milhões gastos com materiais
Um assalto aos cofres públicos

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Ok. Baixei e lí o documento. Confesso que o lí “por alto”, já que tenho trabalhos de faculdade pra fazer. Mas eu o lí, e enquanto lia, a única coisa que me passava pela cabeça era a quantidade de projetos que foram sendo adiados ou cancelados por falta de verba, pois o governo ( seja ele qual for ) não o tratava como assunto estratégico, ou como importante. Usemos o exemplo do SNBR ( tem centenas de exemplos que eu poderia usar, mas acho esse o melhor ). Imagine o que esse projeto, quando ficar pronto, poderia acrescentar não só… Read more »

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Alguém viu os documentos vazados pelo Wikileaks? Em um documento afirmam que África do sul tem bomba nuclear sim, fora outros documentos que revelaram coisas obscuras do nosso mundo

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Rodrigo me passa o link, outro país que acredito que tenha mas fica de bico calado é o Japão, pq ninguém na Ásia esqueceu por completo a humilhação sob o império, até Hj tem disputas territoriais com CS, Rússia e China, ou seja 2 possíveis inimigos com armas nucleares, sendo que o Japão a anos tem torrado dinheiro com energia nuclear, sendo que eles são um dos países que tem acesso a enriquecimento a laser, que supostamente ainda não é viável, supostamente pq o US classificou a tecnologia como uma ameaça a segurança mundial, ela não é fácil de detectar… Read more »

pangloss
Visitante
pangloss

A prisão do Julian Assange merece uma matéria no ForTe, tais as implicações geopolíticas que podem estar a caminho.

Enes
Visitante
Enes

Essa coisa de wikileaks que a Africa do Sul teria a bomba atômica, eu também li a uns vinte e cinco anos atras em uma revista inglesa especializada em matérias militares que o Brasil também constava como pais que tem a bomba atômica. Afinal, para que foi feito o buraco do caximbo???????

Paulo costa
Visitante
Paulo costa

Willber, Eu até entendo sua frustação com o andamentos tardio de quase todos os projetos estratégicos que as nossas FFAA precisam implementar,. Mas em um pais com tantas dificuldades financeiras como o nosso, temos que ficar felizes quando vemos que apesar de tudo as coisas estão acontecendo mesmo que na quantidade ou no tempo que desejamos. Atual governo tem intenções de investir nas forcas armadas, mas em 100 dias e muito difícil conseguir organizar a casa pra isso E além disso, pode reparar as lutas e perseguições que a mídia brasileira faz contra o governo, distorcendo fatos, criando fakenews e… Read more »

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Wilber, Você tocou no ponto mais importante da questão. Muitas destas “politicas da marinha” não são de sua competência decidir. Ela simplesmente usurpou o que seria da competência do Estado Brasileiro. Não é a Marinha que decide com quem o Brasil vai se relacionar ou se o Brasil busca ou não a inserção e de que forma ela se dará. Teria que existir uma “Política de Estado”, muito maior do que uma mera política de governo pois os governos mudam periodicamente. E caberia a Marinha, assim como as demais forças, definir não suas políticas mas sim um planejamento estratégico de… Read more »

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Muito boa blá blá.
Ou seja, nada mais que política mesmo!

Mahan
Visitante
Mahan

Um grandíssimo monumento ao nada.

Munhoz
Visitante
Munhoz

O principal problema de defesa do Brasil (não só da Marinha) é o fato de a FAB não ter uma maior integração na defesa do nosso mar territorial ! A exemplo os AMX que poderiam estar equipados com misseis anti navio e aparelhados para guerra aeronaval (alem de sua missão de ataque terrestre é claro) dando a eles uma capacidade mais multifuncional ! Eu sei que tem gente que vai discordar dessa posição, pois pensam que a Marinha é igual a US Navy, que tem doutrina, que somos os mais bem armados, que não tem necessidade, que a Amazônia que… Read more »

Elton
Visitante
Elton

A aviação naval dos estados unidos e metade do tamanho da força aérea e termos de forças combatentes somente por isso eles podem se dar ao luxo de deixar a arena aeronaval totalmente a cargo da marinha.

Luis
Visitante
Luis

Prezado Munhoz, e os HARPOON adquiridos pela FAB para utilização nos P-3? Acredito que os F-39 poderão suprir essa necessidade também. Acredito que pela primeira vez a FAB terá uma aeronave genuinamente multifunção.

Munhoz
Visitante
Munhoz

São apenas 17 misseis

colombelli
Visitante
colombelli

12 e 04 de treinamento

Munhoz
Visitante
Munhoz

E é ai que entra o dedo na ferida, por menos de 100 milhões nós temos 100 misseis anti navio modernos, “é a munição ” compramos estruturas de bilhões mas não temos a munição !

Fábio santos
Visitante

Eu só acho que o Brasil tem que investir sim na soberania dos nossos mares, nosso país continental precisa de mais defesas, o mundo está mudando, todos estão se equipando, precisamos abrir nossos olhos e investir cada vez mais. Esse porta helicóptero foi muito importante a compra, precisamos investir ainda mais. Não me venham dizer que o Brasil não tem dinheiro pq tem sim, é só diminuiŕ a corrupção. Penso assim…

Dilson
Visitante
Dilson

O que a MB quer com aviões,se já conseguiu levar os últimos portavioes para o museu e não se cogita a aquisição de outros, ridícula a atitude.

Enes
Visitante
Enes

Podem operar a partir de terra.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Senhores Vou repetir o q sempre digo. O Brasil é um continente!!! Esse continente tem rios e mares navegáveis todo ano. Não tem integração entre os modais de forma eficiente. Comparar nossas Forças as da Europa é simplório. Na europa há facilidades logisiticas pelo terreno e infraestruturas q aqui não há, pelo contrário, mais da metade de nosso território é Amazônia Legal, com a maioria do espaço extremamente inóspito. Não há instituição nenhuma q compra o q as FFAA cumprem em nosso território. A maioria as instituições de governo dependem de alguma forma de nossas Forças para cumprirem com suas… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Missão. Tá lá no documento a missão da MB. Na verdade, há missão no documento do início ao fim. Eu diria que a missão do documento é contar a missão da MB. Não escapou nadinha. Missão da Marinha de Portugal. Permitir que Portugal use o mar. Está no documento português. Somente. Não tem África, Atlântico, Mediterrânico, Polos ou outra coisa que não o mar de Portugal. Uma frase. Palavras que a Marinha de Portugal usa nos documentos similares. > Eficácia > Otimização Não precisa comparar. Mas pode. Pode comparar a visão das marinhas, o resultado das marinhas e o que… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Rondon.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Bem que a Marinha poderia montar ao menos um esquadrão de Gripens E/F em São Pedro da Aldeia, com foco em ataque naval e apoio à Força de Fuzileiros Navais…

Luiz Floriano Alves
Visitante

Esses trabalhos pomposos e altissonantes servem mesmo para o quê? Se não tivermos verbas decentes para dotar a MB de meios de ação proporcionais as nossas águas, nada disso conta. Não vamos arremessar livros com a Politica Naval nos nossos oponentes.

Esteves
Visitante
Esteves

Ops. Tem um episódio da Família Dinossauro. O dia do arremesso da sogra no poço de piche. Todos comemoram. Dino recebe a missão com constrangimento. A sogra vive com ele em uma cadeira de rodas. É uma chata. Pressão dos amigos e lá vai Dino levando a resignada sogra para arremessar no poço de piche. Dino não consegue. Leva a sogra de volta pra casa. Para os amigos e vizinhos, Dino conta que seguiu a tradição arremessando a sogra no poço de piche. Mas ela quicou. Quicou e voltou. O problema de arremessar centenas de planos, documentos, projetos, programas no… Read more »

Humberto
Visitante
Humberto

Adriano, A MB mal tem dinheiro para modernizar os A4, imagine comprar vetores novos. No mais, melhor esperar a FAB utilizar o Gripen para conhecer as reais qualidades e os seus defeitos e somente depois disto, pensar em algo como a compra dos mesmos. Hoje, apesar de olhar com lupa, as ofertas franceses, o Rafale seria a melhor opção, já vai com a versão M, numa eventual (imagino impossível no momento) compra de um PA, já estaria compatível. E de quebra, já daria para a MB ir treinando no PA Frances. Outra opção seria os F-18 (este a minha preferencia),… Read more »

india-mike
Visitante
india-mike

Minha curiosidade é a seguinte: contando a esquadra e os distritos oceânicos a MB tem 76 navios, e entre esses, 44 terão passado da marca de 40 anos de serviço na próxima década. O que significa que, idealmente, a MB vai ter que adquirir 44 navios em 10 anos para poder manter a operacionalidade. (A título de comparação e se minhas contas estiverem corretas, a MB adquiriu 15 naves nos últimos 10 anos) Evidente que muitos meios podem ser mantidos além dos 40 anos e essa é uma marca simbólica apenas (retirei dessa matematica o 6° e o 9° DN… Read more »

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Nesse sentido, sou admirador da Marinha Australiana.

Esteves
Visitante
Esteves

Ora pois, Os Almirantes que tiveram seus pensamentos publicados no PN afirmaram que pretendem e vão estender a vida dos meios. Os marinheiros aqui compararam esse pensamento com o que fazem os americanos. 45 de vida útil para os navios de combate oceânico. Marinheiros querem quantidade. Essa quantidade vem da incorporação. Compra e não dá baixa. Aumenta a despesa com manutenções. A prioridade é submarino. “Em amplo espectro de circunstâncias de combate, sobretudo quando a força inimiga for muito mais poderosa, a força de superfície será concebida e operada como reserva tática ou estratégica. Preferencialmente, e sempre que a situação… Read more »

india-mike
Visitante
india-mike

Pois é. Falam num número mínimo de 12 escoltas, idealmente 18. Desculpem, mas isso é uma ilusão. A MB não tem condições de manter e operar 12 escoltas. Se tivesse, as nossas 11 não estariam na situação que estão hoje. Faltou recursos para mantê-las, atualizá-las e até mesmo operá-las. As CCI foram sucateadas (a Frontin, a mais nova delas foi desativada após apenas 21 anos de operação tamanho foi o seu abandono). As FCG estão paradas nos anos 1980, pois nunca sofreram atualizações sérias. Seus sensores e armamentos estão fora de linha. Sua propulsão exclusivamente a gás é cara de… Read more »

Samuka
Visitante
Samuka

“Se tivesse, as nossas 11 não estariam na situação que estão hoje”…duro de ouvir, mas vdd…

Esteves
Visitante
Esteves

Sim.

O documento Política Naval foi elaborado à partir de uma realidade que não existe. E que será agravada.
Ou não foi feito à partir de nada. É uma carta de intenções.

O nome disso é esquizofrenia.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Substituir o Serviço Militar Obrigatorio por Serviço de Cidadania Obrigatorio a Homens e mulheres que completem 18 anos. Caberá ao Cidadão em primeira instancia, optar pela natureza do serviço, ficando o excedente disponivel a cobrir as naturezas de serviço ainda disponivel. . Serviço Cidadania Militar ( EB, FAB, MB ) . Serviço Cidadania Civil ( educação, saúde, Zeladoria/Infra-estrutura, etc), em ambito nacional, estadual ou municipal São aproximadamente 3 milhões de homens e mulheres ao ano, completando sua maioridade. Mais do que o suficiente para preencher o lastro das carreiras iniciais de serviço publico no executivo, legislativo e judiciario, bem como… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Tem confusão. Não existem varias categorias de funcionários ou agentes públicos. Existem 3 modelos de Previdência no Brasil que sustenta as 3 modalidades de ativos e inativos. Dentro dos regimes estatutários existem algumas diferenças. Pequenas. FGTS por exemplo. Convênios médicos. Homecare. Sutis. 30 milhões de aposentados pela CLT. 1 milhão de aposentados funcionários públicos estatutários ou do regime misto. A base da pirâmide da CLT é 30 vezes maior. A outra está invertida. 150 ou 200 bilhões de déficit (duvido que alguém saiba exatamente) na CLT e 100 bilhões de déficit no setor público. Se aposenta com 60 ou 70… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

A recuperação da Marinha deve enfatizar a soluções de rápida implementação e emprego: a) Enfase ao meio aéreo Como forma de menor depender de seus recursos de bases de operação, quer sejam fixas ou móveis (Terrestres Navios). Empregando intensivamente, e na medida do possível, airships, aeronaves de asa fixa ou Rotativa, UAV´s/UCAVs, viabilizando que os investimentos não fiquem imobilizados em ativos fixos e moveis de dificil atualização de doutrina ou tecnologia. b) Acelerar a reposição e implementação de meios de superfície dando enfase em Cascos Mercantes de dupla funcionalidade Viabilizar projetos de dupla funcionalidade mercante e militar, que possam adotar… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Não sei como a MB existe até hoje…todo dia tem sugestão pra melhorar a coisa. Arrumar a casa. Quantos anos de PN? Mais de 10? Mais de 5 mil recomendações. E o povo não mexe. Não sai da toca. Influenciar positivamente. Nunca vi tanta influência positiva. Não dá pra concentrar, sintetizar, resumir, concentrar as opiniões? Produzir um documento (a MB adora documentos) com as recomendações mais votadas? As 100 mais. Chamar esse Comando, os Almirantes, gente que pensa e entregar o material. Com data para retorno. Entrega 100 e recebe 30 com ok positivo. Talvez 20. Menos não dá. E… Read more »

carvalho2008
Membro
Noble Member
carvalho2008

Airships A MB deveria investir em capacidade situacional de patrulha territorial e ZEE A implementação de um radar mediano como o Seasprey 5000 dos Bandeirulhas, permite identificar navios a 370km. Enquanto um avião viabiliza em média 6 horas de patrulha, um dirigível possibilita o mesmo enfurnáveis de um navio, com a capacidade de visão de um avião. Isto representa uma capacidade 24/7 de vigilância sobre uma área 21 vezes maior que um navio. Sua velocidade e 4 vezes superior e poderia operar por ao menos uma semana ininterruptamente Um dirigível de design híbrido (híbrido airship), pode voar mesmo sem gás… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

epa…video errado….

o correto é este

carvalho2008
Membro
Noble Member
carvalho2008

O corretor errou….

“Com o mesmo endurance de um navio”…

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Outro exemplo de equipamento barato de excelente custo benefício
O levíssimo Tecnan 2006T MRI, possui radar ventral num avião bimotor de apenas 200 hps peso vazio de 750 kg e Mtow de 1400 kg….alcance de 1500 km e tempo de voo entre 4 a 5 horas…e consumo surpreendente de apenas 34 litros de combustivel por hora….quer mais???

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Outro de baixissimo custo, existindo inclusive a versão UAV.

O Ellipse LH-10, com incriveis 100 hps de potencia apenas….6 horas de voo, versão patrulha, CAS e UAV, com cargas externas variando de 200kg a 300 kg…

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

lembram das postagens que fazia sobre a conversão americana do ex mercante Cragside??? pois bem eles ja terminaram e agra os ingleses tambem irão fazer suas derivações convertidas dos mercantes classe point…comment image

carvalho2008
Visitante
carvalho2008
Esteves
Visitante
Esteves

Quanto custa fazer? Quanto custa operar comparando com os meios tradicionais que usam canhão de popa, mísseis, torpedos e 1 helicóptero e são navios para combate…mesmo que quando chega um míssil inimigo tanto faz o tipo do navio? Quanto custa manter? Não sei se existe. Há Excel comparando essas construções? Esses navios podem levar container com mísseis? Importante é antecipar ao inimigo. Impedir que o inimigo aperte os botões. Para isso precisa de sistemas. Peso? Custo? Esse tipo de navio é mais lento. Quanto mais lento que uma fragata? Quanto mais rápido que o Atlântico A140? Docas? As mesmas? Tripulação?… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Não existem milagres…mas existem atalhos e remediações. Nunca um navio destes teria a mesma eficiencia de um navio de linha…. mas dependendo da missão e principalmente “da complementaridade”, existem missões em que poderia até atuar isolado, principalmente os momentos de paz…Na guerra, pode atuar de forma conjunta. o importante é que numa escala crescente de complexidade, de baixo para cima, não temos os meios….Napa, NapaOc, Corvetas, Auxiliares Anfibios, Fragatas hibridas, Fagratas especializadas…. Existe muito chão ate as especializadas que podem receber alguma cobertura de lacunas com meios mercantes ou mistos ou genericos…. A automatização de equipamentos reduz a dependencia dos… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Vou dar minha opinião mesmo sem entender dessas coisas. Como é um comentário tranquilo espero que o pessoal faça a publicação. Isso não é navio de guerra. Poderíamos comparar em um Excel colocando xizinho nas células. Comparar com navios de guerra. Deslocamento, velocidade, armas, tripulação, máquinas, consumo. E custo de aquisição. E manutenções. E vida útil. Nos sites das montadoras de autos na Europa há eficiência energética. É uma conta que inclui peso, ocupantes, autonomia, quantidade de combustível. A outra informação é o torque do motor. Aqui as montadoras informam tamanho do motor (1.0, 1.6, 1.8) e potência em CV.… Read more »

Cavalli
Visitante
Cavalli

Bom dia.

Será que o PN poderia fazer uma matéria detalhando as classes das MEKO A-100? As MK I, MK II e MK III? E também algumas Fragatas Leves como por exemplo as MEKO A-200 SAN?

Acredito ser importante para nos referenciarmos (termos bases) do quê a Marinha do Brasil e a TKMS estão propondo neste contrato; pois para mim está “nebuloso” e não identificado qual foi a MEKO vencedora da concorrência.

Tem também a possibilidade de o PN fazer uma reportagem mais específica com a direção da TKMS esclarecendo qual o “vaso” que servirá de base para as CORVETAS Tamandaré.

Apenas sugestão.

Renato
Visitante
Renato

Cada Marinha adota um critério próprio ou nomenclatura para seus navios.
O critério da marinha americana é diferente das marinhas da França, Inglaterra e Russia.

carvalho2008
Membro
Noble Member
carvalho2008

Seguem exemplos do que estão fazendo pelo mundo com mercantes, bem como o que poderíamos estar fazendo por aqui para complementar e fechar as lacunas de nossa MB

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Acredito que uma planta bem desenhada desde sua concepção, poderia ter 4 niveis de emprego: Nivel I : Basic Mercante ( Navio Mercante ) Nível II : Basic Mercante + Armamento Modular + Instalações Modulares ( Navios desta planta requisitados do meio civil para Desembarque, NapaOc, Fragata Auxiliar, Cruzador Auxiliar) Nível III : Basic Mercante + Armamento Modular + Instalações Organicas ( Navios efetivos de 2a. Linha da MB, já construídos desde o inicio para NapaOc, NapaOCEscola, Fragata Auxiliar, Cruzador Auxiliar ) Nível IV : Basic Mercante + Armamento Organico + Instalações Organicas ( Navios efetivos da MB de 1a.… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Não é custo. O problema é mudar. Mudar do jeito que fazemos ou que vem sendo feito para outro que nunca foi.
Mudar apavora. Mudança amedronta.

Dizem que a resiliência chega com a idade. Mentira. Quanto mais idoso ou velho mais resistente ficamos. Velho não aprova. Velho reprova.

Missão da Marinha de Portugal. Cuidar do mar de Portugal. Somente.
Missão da Marinha do Brasil. Pode escolher. São dezenas de planos, projetos, livros, documentos, PDFs, Zips.

Tudo que é evidente e simples gera medo.

– Como não pensamos nisso antes?

carvalho2008
Membro
Noble Member
carvalho2008

Nivel I : Basic Mercante ( Navio Mercante ) Porque possuir um programa Nível I Basic Mercante? Porque o orçamento militar é insuficiente para criar e manter de forma permanente um lastro base industrial Militar. Desta forma, é necessário patrocinar produtos civis que tenham potencial genético de aplicação ao meio militar, criando uma cadeia industrial naval sustentável, capaz de atender e manter-se no mercado civil. Somente a sinergia dos orçamentos da MB adicionados aos da iniciativa privada e Armadores Nacionais e Marinha Mercante conseguiriam manter pedidos contínuos de cascos para diversas categorias. Os EUA por exemplo, possuem legislação que protege… Read more »

carvalho2008
Membro
Noble Member
carvalho2008

Nível II : Basic Mercante + Armamento Modular + Instalações Modulares

(Navios desta planta requisitados do meio civil para Desembarque, NapaOc, Fragata Auxiliar, Cruzador Auxiliar)

Na esteira dos cascos de diversos tipos em uso pelo setor civil nacional e dentre aqueles de melhor características, é consequente a seleção e requisição daqueles que demonstram capacidade de contribuição adicional bélica em se implementando armamento modular e/ou instalações modulares de aplicação militar.

Equipamentos como:

. Mísseis Conteiráveis Superfície-Superfície (Club K, LORA, etc.)

. Misseis Antiaéreos Portáteis/Conteiráveis ( RBS-70, Mistral, Stinger, Igla, MML/Sentinel, Vl-Mica, Hawk Nasam…)

. Artilharia de Tubo Modular ( Bofors L-70 BOFI)

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Nível III : Basic Mercante + Armamento Modular + Instalações Orgânicas (Navios efetivos de 2a. Linha da MB, já construídos desde o inicio para NapaOc, NapaOCEscola, Fragata Auxiliar, Cruzador Auxiliar) A exemplos dos Navios da categoria anterior “Basic II”, também empregam armamentos modulares, conteiráveis e portáteis. Cabe destacar que além dos equipamentos acima, os navios de maior porte, tanto Basic I e Basic II tal como nos exemplos sugeridos, de convés desimpedido e elevador próprio, poderão acomodar auto propulsados e/ou veículos de artilharia de tubo ou misseis, diretamente de seu convés e em prontidão de tiro, diverso do senso comum… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Nível IV : Basic Mercante + Armamento Organico + Instalações Organicas

(Navios efetivos da MB de 1a. linha, para Desembarque anfibio, Fragatas e Cruzadores de Uso Geral)

A exemplo dos Basic III, os Basic IV tratam-se de unidades navios destes cascos encomendados pela MB, para complementaridade de suas forças e formação de doutrina, em auxilio aos navios de 1a. linha

carvalho2008
Membro
Noble Member
carvalho2008

Nivel I : Basic Mercante ( Navio Mercante ) Porque possuir um programa Nível I Basic Mercante? Porque o orçamento militar é insuficiente para criar e manter de forma permanente um lastro base industrial Militar. Desta forma, é necessário patrocinar produtos civis que tenham potencial genético de aplicação ao meio militar, criando uma cadeia industrial naval sustentável, capaz de atender e manter-se no mercado civil. Somente a sinergia dos orçamentos da MB adicionados aos da iniciativa privada e Armadores Nacionais e Marinha Mercante conseguiriam manter pedidos contínuos de cascos para diversas categorias. Os EUA por exemplo, possuem legislação que protege… Read more »