Home Indústria de Defesa Indonésia lança ao mar seu primeiro submarino construído localmente

Indonésia lança ao mar seu primeiro submarino construído localmente

6599
18

O construtor naval estatal PT PAL lançou o primeiro submarino diesel-elétrico construído na Indonésia em 11 de abril de 2019 em Surabaya. O Alugoro (405) é o terceiro submarino da classe “Nagapasa” (também conhecido como design DSME 1400 ou classe “Chang Bogo” melhorada) para a Marinha da Indonésia (TNI AL).

O ministro indonésio da Defesa, Ramisard Ryakuda, e o chefe do Estado-Maior da Marinha indonésia, Almirante Civi Sukma Aji, participaram da cerimônia de lançamento.

Para registro, após uma concorrência internacional, a DSME assinou em 20 de dezembro de 2011 um contrato no valor de US$ 1,1 bilhão para construir três submarinos submarinos DSME 1400 para a frota indonésia. Eles são uma evolução do alemão Type 209/1200 que foi construído para a Marinha da República da Coreia nos anos 1980-1990 (classe Chang Bogo).

O projeto DSME 1400 é uma atualização do Type 209/1200 sob licença, com maior comprimento (até 61,2 m) e deslocamento (cerca de 1.400 toneladas abaixo da água). Sob os termos do contrato, os dois primeiros navios para a Indonésia seriam construídos pela DSME na Coreia do Sul com entrega em 2016-2017, e o terceiro submarino deveria ser construído localmente (na verdade montado a partir de seções) pelo PT PAL com assistência técnica da Coreia do Sul com conclusão prevista para 2018.

O contrato indonésio foi o primeiro avanço da indústria de construção naval sul-coreana no cenário mundial em termos de construção naval submarina. Vale ressaltar que, neste caso, os sul-coreanos venceram não apenas a proposta russa de construir dois submarinos do Projeto 636/Kilo, mas também a proposta do construtor original de submarinos Type 209/1200, a empresa alemã Howaldtswerke-Deutsche Werft (TKMS) que participou na concorrência indonésia em parceria com os estaleiros navais turcos.

O primeiro submarino da Indonésia, Nagapasa (403), foi iniciado pelo estaleiro DSME em Okpo em 3 de dezembro de 2013. A cerimônia de lançamento do Nagapasa ocorreu em 24 de março de 2016. Os testes de mar de fábrica foram iniciados em julho de 2016, mas demoraram mais que o planejado para resolver algumas questões (em particular, foi detectada uma velocidade submersa abaixo do esperado), como resultado, a transferência do Nagapasa para a Marinha Indonésia ocorreu em 2 de agosto de 2017, nove meses depois do definido no contrato.

O submarino chegou à Indonésia em 28 de agosto de 2017. O segundo navio Ardadedali (404) foi iniciado nas instalações da DSME em Okpo em 2014, lançado em 24 de outubro de 2016 e transferido para a Marinha da Indonésia em 25 de abril de 2018, chegando na Indonésia em junho de 2018.

Quanto à construção do terceiro submarino Alugoro (405), sua construção só começou em 2016 no PT PAL na Indonésia e foi realizada a uma cadência relativamente baixa, embora 80% do conteúdo seja importado. O lançamento do navio foi originalmente programado para outubro de 2018, mas foi repetidamente adiado. A cerimônia de lançamento, marcada para 28 de fevereiro de 2019, também foi remarcada. O comissionamento de Alugoro está agora definido para 2021.

Ao mesmo tempo, a Marinha indonésia deve continuar a construção de submarinos em Surabaya. No início de abril, o presidente do PT PAL Budiman Saleh anunciou que sua empresa planeja construir mais nove embarcações do projeto DSME 1400. A DSME assinou em 12 de abril um contrato no valor de US$ 1,02 bilhão para vender três submarinos de 1.400 toneladas para a Indonésia como parte do “Projeto Submarino Batch II”.

Submarino Type 209/1400 em corte

FONTE: Naval News

Subscribe
Notify of
guest
18 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 ano atrás

Parabéns Indonésia, bem vinda ao seleto Clube!!!

Favaratti
Favaratti
1 ano atrás

Até a Indonésia é mais rápida que o Brasil. Brincadeira dos brasileiros, né?

Marcos Andrey
Marcos Andrey
Reply to  Favaratti
1 ano atrás

Não tem brincadeira nenhuma!!! Em nosso projeto além da construção dos 4 S-Br também temos a construção do Sn-Br de um estaleiro e uma base naval! Pesquise antes de publicar m..das!!!

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Favaratti
1 ano atrás

amigo, sério? Você tem acompanhado o programa de Subs da Indonésia? Desde quando? Passa pra gente! Cara, lá em cima dei os parabéns para a Indonésia que entrou no seleto clube, Brasil incluído, de países que constroem submarinos. Uma embarcação super complexa, seja de que tamanho for. A MB constrói submarinos desde o final dos anos 80. Fizemos 4 IKL e 1 Scorpene. E continua o projeto…

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Favaratti
1 ano atrás

Na boa você não deve ter lido com atenção este período:
“Quanto à construção do terceiro submarino Alugoro (405), sua construção só começou em 2016 no PT PAL na Indonésia e foi realizada a uma cadência relativamente baixa, embora 80% do conteúdo seja importado.”
Oitenta por cento importado significa dizer que praticamente vinte por cento se refere aos serviços de união, integração e comissionamento das seções e módulos importados da Coréia.
Ou seja, muito, mais muito diferente do Prosub em Itaguaí.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Pela geografia da Indonésia, é o lugar perfeito pra 2 dúzias de subs diesel-elétricos fazerem emboscadas em navios inimigos. Acho que eles podem até dispensar os subs nucleares.

carvalho2008
carvalho2008
1 ano atrás

A série IKL 209 ainda tem muita lenha para queimar

John Paul Jones
John Paul Jones
1 ano atrás

A Coréia do Sul começou a construir 209 junto com o Brasil na década de 80 e depois o 214 na década de 2000, hj eles exportam submarinos e nós nas mãos dos franceses, Santa Incompetência ….

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  John Paul Jones
1 ano atrás

JPJ, não fala asneira, você que tem nome de Destróier, por favor!!! A Coréia do Sul está em guerra a mais de 50 anos com o Norte. Existe apenas um cessar-fogo. Ninguém está nas mãos de ninguém. Temos que ter uma planta para nosso sub nuclear e a França era a única que poderia passar a tecnologia do casco e das partes não nucleares. Vai se informar melhor Arlegh Burke!

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  John Paul Jones
1 ano atrás

Considerando o seu comentário chego a conclusão que os indonésios então estão nas mãos dos coreanos do sul.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
1 ano atrás

Boa noite Senhores! Eu lamento muito o fato de não termos aproveitado a janela que se abriu para nossa indústria naval, por ocasião da construção dos Tupi’s. Ainda que evoluímos o projeto IKL1400 com o Tikuna, paramos aí! Outros estaleiros não foram escolhidos e capacitados para absorver a tecnologia. Penso que estamos no momento, comentando o mesmo erro! A construção de submarinos é coisa pra gente especializada, para uma indústria altamente qualificada e não pode ficar na mão de apenas uma empresa (estatal ou não). Do contrário a evolução e absorção da tecnologia fica limitada a está única galinha dos… Read more »

John Paul Jones
John Paul Jones
Reply to  Claudio Moreno
1 ano atrás

Concordo, na década de 90 ficamos remoendo os SNAC 1 e 2, que se limitaram a posters de parede dos navios e OM da MB, enquanto isso a Coréia do Sul investiu na DSME e o resultado hoje é visível.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

sabe o ódio de ver isso? o brasil comprou a tecnologia desse sub, podíamos ter feito essa venda, mas foi para a Coreia do Sul.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Pior que é o que ode acontecer novamente com os scorpenes

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Jadson Cabral
1 ano atrás

Não Jadson, apesar da torcida , não vai ocorrer, os tempos são outros!!! Essa Administração Naval, que começou com o Alm. Leal tem os pés no chão, comem pelas beiradas, me lembro aqui que muita gente falou que o Riachuelo nunca iria ser lançado, que era só o casco oco, bla´, blá, blá, aí lançaram e começaram os testes. Tem atrasos, têm, ora, contingênciamentos, riscos com a corrupção de um sócio da ICN, etc. mas o bicho está ai. Agora os augorentos estão buscando o SN como alvo, vão ter que engolir tb.

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Perfeito Marcelo. Gente demais, torcendo sempre contra o seu próprio país.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

E o brasileiro insiste em achar que a grama do vizinho é sempre mais verde!!

Luiz Floriano Alves
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

É um bom projeto esse do TKS 209. Fabricar componentes na Coréia do Sul e integrar os armamentos nos estaleiros e bases da Indonésia é um plano excelente. Acelera o cronograma para quem não deseja ou não pode esperar por cronogramas modorrentos.