Home Aviação Naval Terceiro porta-aviões chinês poderá ser equivalente ao ‘Kitty Hawk’ americano

Terceiro porta-aviões chinês poderá ser equivalente ao ‘Kitty Hawk’ americano

10458
53
Terceiro porta-aviões chinês poderá ser equivalente ao ‘Kitty Hawk’ americano

O porta-aviões Type 002 tem muitas semelhanças com o navio descomissionado dos EUA, em design e estrutura

Por Frank Chen

O tamanho do terceiro porta-aviões da China, que está tomando forma em Xangai, será praticamente igual ao do USS Kitty Hawk desativado da Marinha dos EUA. E também pode ostentar um convés de voo similar, inclusive o layout.

Oporta-aviões, conhecido apenas como Type 002, ainda está em fase inicial de construção no estaleiro de Jiangnan, perto do estuário do Rio Yangtze, em Xangai.

Imagens de satélite tiradas no mês passado mostram que o trabalho na embarcação teve um início rápido – nada menos que três seções de seu casco são claramente visíveis em rampas recém-construídas com guindastes gigantescos, que eram inexistentes em 2017.

Mais componentes pré-fabricados aparecerão nas docas secas e nas bacias inundáveis dos navios ​​antes de serem soldadas ou aparafusados, à medida que os trabalhadores da estatal China Shipbuilding Industry Corp (CSIC) avançam ainda mais.

O “salto de nível” do Exército de Libertação Popular na construção de porta-aviões – ao dispensar embarcações menores de 30.000 toneladas – é evidente em meio ao desejo de Pequim de aumentar seu poder naval para projetar força nos mares próximos.

USS Kitty Hawk
USS Kitty Hawk (CV-63), desativado em 2009

A embarcação em Xangai navegará para a mesma liga que o supercarrier americano Kitty Hawk, superando seus dois porta-aviões irmãos – o Liaoning, de fabricação soviética, e o Type 001A, que pode entrar em serviço ainda este ano.

O veterano observador militar Andrei Chang observou na edição de maio da Kanwa Defense Review que o porta-aviões Type 002 poderia aproximar-se do Kitty Hawk de 83.000 toneladas – muito maior que o Liaoning, cujo deslocamento total é de 58.600 toneladas.

Depois de estudar uma renderização gerada por computador de grupos de porta-aviões da Marinha Chinesa (PLA Navy) postada pela China Shipbuilding Industry Corp em sua conta Weibo, Chang observou que o futura porta-aviões poderá ser equipado com até três catapultas para lançar mais aviões em combate: duss em sua proa para o caça J-15 e uma em seu convés de voo em ângulo para aviões de alerta aéreo antecipado como o KJ-600. O Kitty Hawk, em comparação, tinha quatro catapultas.

No entanto, o imenso caça J-15 – que será a maior parte da frota de aviões de combate da PLA Navy durante a maior parte da próxima década – significa que o Type 002 levará menos aviões do que o Kitty Hawk, disse Chang, com cerca de 48 J-15 em dois esquadrões, mais uma dúzia de helicópteros e aviões AEW.

O grupo aérea norte-americano podia transportar mais de 80 aeronaves, em sua maioria, os caças supersônicos F/A-18 Hornet, menores e mais ágeis, e o F-14 Tomcat.

Caça J-15 operando no porta-aviões Liaoning
Uma redenderização feita por entusiastas da possível configuração do Type 002

Outra questão sobre o Type 002 é o tipo de catapulta que será instalada, se serão as convencionais movidas a vapor ou com as catapultas eletromagnéticas de ponta que a Marinha dos EUA está tesando em seu mais novo porta-aviões, o Gerald R. Ford.

Relatos de jornais chineses indicam que ambos os sistemas estão sendo testados em plataformas de simulação em uma base de treinamento de pilotos da PLA Navy na província de Liaoning.

Mas Chang disse que o sistema de propulsão do futuro porta-aviões pode se tornar um obstáculo, e que a PLA Navy pode optar por catapultas a vapor como uma medida provisória, pois as obsoletas turbinas a vapor e caldeiras, provavelmente construídas com transferência de tecnologia da Ucrânia, poderiam mal impulsionar o casco colossal em velocidades máximas, quanto mais alimentando eletrodos eletromagnéticos que consomem eletricidade.

Além disso, devido a restrições de energia, o Type 002 pode precisar diminuir seu armamento e grupo de aeronaves para reduzir o peso e navegar mais rápido para os desdobramentos em alto mar. Mas em tal cenário, sua prontidão de combate, em particular as capacidades antinavio e de defesa aérea, poderia ser questionável.

O Type 002 poderá entrar formalmente em serviço com a PLA Navy até 2028.

FONTE: Asia Times

53
Deixe um comentário

avatar
15 Comment threads
38 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
34 Comment authors
Douglas FalcãoChenAgneloAlfredo AraujoEdison Castro Durval Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Gabriel
Visitante
Gabriel

Não será nuclear?

BMIKE
Visitante
BMIKE

Penso que não. Más como seria interessante se Brasil e EUA entrasse em acordo de retrofit e venda via FMS do Kitty Hawk, daria sentido para ala aérea da marinha e impulso para gripen Naval, fica a dica pro GF….

Rogério Loureiro
Visitante
Rogério Loureiro

Se não custa nada sonhar, eu embarco na sua ideia.

Dalton
Visitante
Dalton

BMIKE… . o “Kitty Hawk” não está mais sendo mantido na categoria de um navio que possa ser trazido à ativa caso haja necessidade e já faz um bom tempo e já foi inclusive anunciado que seu destino final será o desmantelamento, provavelmente será rebocado para a costa leste como ocorreu com os outros 3 NAes estocados junto com ele em Bremerton, entre 2015 e 2017. . No mais, mesmo para os EUA teria sido caro revitalizar o “Kitty Hawk” que foi inclusive “canibalizado” nos últimos anos e a marinha brasileira realisticamente falando não teria condições de operar um navio… Read more »

Henrique
Visitante
Henrique

A MB não conseguiu re-operacionalizar o São Paulo, imagina um monstro como o Kitty Hawk? Penso que, com a política de estado que mantemos (que nunca tivemos) ao longo de nossa história e com a configuração orçamentária e estratégica de nossas FAs (uma B.. diga-se de passagem), talvez NUNCA MAIS tenhamos um NAe em nosso inventário.

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

A MB não conseguiu re-operacionalizar o São Paulo por falta de dinheiro ! Caso houvesse, o trabalho no São Paulo poderia ter sido nos moldes do que os chineses fizeram no Liaoning… zerar o casco e renovar a eletrônica e o acabamento (algo que sempre foi um problema no São Paulo, já que o mesmo continha grandes quantidades de amianto)

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado
Não foi o q ouvi e li.
1 bilhão de gasto não era o limite do problema, mas a incerteza se daria certo.
Sds

MCX
Visitante
MCX

Negativo. Acredita-se q o 4 porta-avioes chinês (ainda em planejamento) sera de propulsão nuclear. Forte abraço

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

“Além disso, devido a restrições de energia, o Type 002 pode precisar diminuir seu armamento e grupo de aeronaves para reduzir o peso e navegar mais rápido para os desdobramentos em alto mar. Mas em tal cenário, sua prontidão de combate, em particular as capacidades antinavio e de defesa aérea, poderia ser questionável.” Ah… esse calcanhar de aquiles… é mais significativo do que aparenta. e fica bem escondido. é como aquela sujeira embaixo do tapete, você não vê, mas tá la. Geração de energia é o principal motivo pelo qual os americanos usam um reator nuclear para mover uma belonave… Read more »

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Chineses e a sua falta de habilidade com turbinas, dizendo eles que até 2020 estariam tão bons na área quanto EUA.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Eu fico surpreso que eles tenham dificuldades em produzir algo que os Ingresses produziam com excelência (turbinas para grandes engenhos navais) desde o HMS Dreadnought… sendo que Americanos e Japoneses logo pegaram o jeito.

Nunca pensei que essa tecnologia fosse algo tão complicado para quem estivesse realmente interessado em fazer.

Carta Branca
Visitante
Carta Branca

Não há surpresa nenhuma, metalurgia é 70% empírica, conhecimento construído quase todo com base em experiência e evolução de conhecimento de pessoa pra pessoa, muito pouco com base em definições cientificas, quase toda fórmula é uma “aproximação”. Não atoa os países que dominam a metalurgia no mundo são países que tem histórico com trabalho em metais há muitos séculos, Itália, Reino Unido, França, Estados Unidos e Rússia, onde guardam sob 7 chaves aqueles livrinhos antigos de velhos mestres metalúrgicos que descobriam sem querem diversas particularidades. A China teve um grande lapso no tempo além de evasão e extermínio de conhecimento… Read more »

sub urbano
Visitante
sub urbano

2020, 2050, pouco importa… a China existe como civilização a 5 milênios!

wainer
Visitante
wainer

Mas este Type 002 não seria propulsão nuclear ? Não e este o objetivo dos Chineses ?

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Aparentemente eles não conseguiram desenvolver o reator nuclear já que estão precisando de motores ucranianos.

Dalton
Visitante
Dalton

Chineses estão desenvolvendo sofisticados submarinos de propulsão nuclear…quando lembramos que o “Charles De Gaulle” utiliza dois reatores utilizados também pelos submarinos estratégicos franceses se tem uma ideia do que pode estar por vir.
.
NAes de propulsão nuclear são muito complexos e caros até mesmo para os chineses, então, provavelmente ainda está se estudando se
valerá de fato a pena investir em um…mas…a partir do momento que isso seja decidido, se os franceses conseguiram ,com grande sacrifício, não vejo porque os chineses não consigam também

jodreski
Visitante
jodreski

Mas dizem que os EUA deram uma mãozinha para os Franceses… procede?

Dalton
Visitante
Dalton

Catapultas, maquinário e cabos de retenção para o “Charles De Gaulle” são americanas, porque não compensava investir em tudo isso para um NAe, mesmo que fossem dois, cada um com apenas duas catapultas.
.
Já no campo da propulsão é tudo francês, e o “Charles De Gaulle” diferente dos NAes da US Navy necessita reabastecer os reatores a cada 7 anos, denotando a diferença dos sistemas, e isso na verdade não é tão desvantajoso já que aproveita-se o período de uma grande manutenção para se também fazer o reabastecimento dos reatores.

Doug385
Visitante

Uma coisa é um reator para impulsionar um submarino de 2 a 5 mil toneladas. Outra coisa totalmente diferente é um reator para impulsionar de 80 a 10 mil toneladas.

Dalton
Visitante
Dalton

Submarinos franceses utilizam um reator “K 15” enquanto o “Charles De Gaulle” utiliza dois de mesma capacidade.
.
O então USS Enterprise também utilizou tecnologia oriunda de submarinos de propulsão nuclear, um total de 8 “pequenos” reatores foram instalados.
.
Os chineses se quiserem poderão faze-lo também, é questão de tempo.

jodreski
Visitante
jodreski

A solução que vou dar cai em dois problemas… os chineses podiam pedir ajuda aos Russos no quesito reator nuclear, agora primeiro é se os Chineses querem a ajuda Russa, segundo é se os Russos iriam ajudar os Chineses, eu acho que sim, mas tudo depende de muitos bilhões de dólares, que eu acho que os Russos achariam muito bem vindos!

Matheus Santiago
Visitante
Matheus Santiago

Foi revelado que o terceiro NAe chinês será de propulsão convencional.
https://www.naval.com.br/blog/2018/06/22/revelado-o-projeto-do-terceiro-porta-avioes-chines/

Pegando o gancho do teor da conversa para postar o comentário do Samuca nesta matéria:
“Tem uma matéria muito interessante num site chinês dedicado a assuntos militares (China Military) onde diz que o primeiro navio nuclear da China será um navio quebra-gelo para expedições ao Ártico. Só depois viria o tão esperado porta-aviões de propulsão nuclear. A matéria diz que os EUA e a finada URSS usaram esta estratégia de construir primeiramente um navio quebra-gelo nuclear para depois irem construírem seus porta-aviões nucleares.”

http://portuguese.people.com.cn/n3/2018/0628/c309812-9475800.html

Juarez
Visitante
Juarez

Exatamente, por esta razão os Britânicos voltaram.ayrad com a configuração dos QE.

Roosevelt
Visitante
Roosevelt

Eu também não entendi. Imagina só quanto combustível esse colosso vai consumir. Na época do Kitty Hawk era aceitável mas agora é um tanto defasado em se tratando de porta aviões não?

MCX
Visitante
MCX

Esta questão vai do planejamento da marinha cujo navio pertencera. Um exemplo seria o PA Queen Elizabeth, cuja Royal Navy achou melhor ser de propulsão convencional. Forte abraço

Delfim
Visitante
Delfim

Considerando que só vai projetar poder sobre o Mar da China e adjacências, não é uma limitação.

Rafael Coimbra
Visitante
Rafael Coimbra

O problema de basear sua industria em cópias é que quando o seu ficar pronto, o que você copiou até já se aposentou…. E tem gente que sonha com a china sendo a num. 1 no mar… triste!

Thiago
Visitante
Thiago

É verdade o Japão , Taiwan e as demais Tigres Asiáticas mostram claramente que esse caminho não dá certo, todos Estados falidos ….

jodreski
Visitante
jodreski

Amigo não culpe os chineses, foi copiando que eles estão construindo o seu terceiro porta aviões, na minha opinião os chineses são bem práticos, eles não ficam querendo reinventar a roda, então eles estão pegando o caminho mais curto para quem sabe um dia estarem desenvolvendo os seus próprios produtos, primeiro eles copiam um já conhecido e convenhamos eles são muito bons nisso, depois eles aprimoram o que conseguiram copiar. É questão de tempo para que a indústria chinesa desenvolva algo próprio, aliás isso já começou a ocorrer em vários setores. Tudo é um processo e eu analiso que eles… Read more »

Tupinamba
Visitante
Tupinamba

Pois é, mas eles aprendem rápido e a capacidade de produção industrial deles é colossal. Daqui a menos de 10 anos estarão fazendo já um novo porta-aviões com o aprendizado adquirido com esse aí.

Sagaz
Visitante
Sagaz

Eles tem umas seis vezes a nossa população. Imagine um Brasil seis vezes maior, mas não apenas na parte da cabeça vira lata, mas também na parte da cabeça das nossas qualidades.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

eles estão construindo agora algo lançado em 1960. Os Estados Unidos já estão basicamente na sua segunda grande classe APÓS aquele. Tem muito chão ainda pra percorrer.

Alison Lene
Visitante
Alison Lene

o modelo “aparenta” ser baseado no Kitty, mas seus eletronicos são atuais e é ai que esta a diferença meu caro…

Dalton
Visitante
Dalton

Ninguém sabe exatamente como o próximo NAe chinês será, lembra o encouraçado “Yamato” construído sob grande segredo e publicações navais da época cometeram vários erros quanto à aparência e mesmo quanto ao armamento principal que supunha-se seria canhões de 16 polegadas.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Foi uma jogada de mestre dos japoneses a capacidade de mascarar o calibre das armas, elas nunca foram vistas (antes da conclusão da embarcação) perto de algo que poderia dar uma referencia ao tamanho e quando foram nomear elas eles deram o nome de “40 cm/45 Type 94 naval gun” 40 cm = 16″ a grande maioria da documentação do Yamato foram destruídas até hoje as características dele que se tem são aproximações (precisas mas ainda assim aproximações) Oque não se pode discutir é que ele era um monstro dos Mares naquela época algo com mais de 70 mil tons… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

O ” Yamato” era impressionantes de fato…e os americanos quase iniciaram a classe “Montana” que usaria o mesmo modelo de canhão de 16 polegadas da classe “Iowa”, com maior alcance que os canhões de 16 polegadas anteriores, porém seriam 12 ao invés de 9 e os “Montanas” não seriam capazes de utilizar o Canal do Panamá por conta de uma maior boca.
.
No fim, o almirante Yamamoto estava certo…o valor do “Yamato” em uma guerra moderna era a mesma de uma espada samurai e melhor investimento teria sido feito em NAes e aeronaves.

Delfim
Visitante
Delfim

Devido aos couraçados classe Yamato serem mais lentos que os porta-aviões, não podiam proteger uns aos outros, o que se revelou falho.

Dalton
Visitante
Dalton

Alguns NAes da marinha imperial como o “Kaga” e o “Junyo” tinham velocidade compatível com o “Yamato” e apenas os 4 encouraçados leves da classe “Kongo” que na verdade eram cruzadores de batalha, alcançavam cerca de 30 nós, porém alguns NAes japoneses faziam bem mais que isso. . No caso da US Navy os primeiros encouraçados modernos alcançavam entre 27 e 28 nós mas isso não impediu de fazerem parte da escolta de Naes que superavam os 30 nós em velocidade máxima. . Apenas os encouraçados da classe “Iowa” podiam acompanhar os NAes de igual para igual e o primeiro… Read more »

Giovani
Visitante
Giovani

Resumindo.. ….trambolho, cópia, mal feito, pesado.

Chen
Visitante
Chen

Soa como inveja. Se fosse brasileiro vc estaria contando maravilhas da indústria nacional .

Delfim
Visitante
Delfim

Não vejo surpresa na China copiar o Kitty Hawk. De acordo com o Wiki, o KH sempre atuou no Pacífico e Índico, inclusive ancorando várias vezes em Hong Kong, obviamente recebendo visitas de oficiais da Marinha chinesa.

Dalton
Visitante
Dalton

Não será uma cópia do “Kitty Hawk” e sim que poderá estar na mesma liga, como mencionado no texto, ou seja, múltiplas catapultas, 3 ou 4, um deslocamento quando totalmente carregado de umas 80.000toneladas e grande capacidade de embarcar e operar aeronaves.
.
O “Kitty Hawk” evoluiu da classe anterior “Forrestal” e serviu de modelo
para todos os NAes subsequentes, incluindo o último convencional construído o “John F Kennedy” quanto ao posicionamento da superestrutura e dos elevadores de aeronaves.

Maus
Visitante
Maus

E se o NAe brasileiro passar pelo mesmo problema de propulsão?

MCX
Visitante
MCX

Maus o NAe São Paulo foi descomicionado a um certo tempo. E caso esteja se referindo a um futuro NAe brasileiro provavelmente ele nao sera construído no Brasil, provavelmente nao utilizará turbinas macionais, e provavelmente se for construído o NAe brasileiro nao sera deste tamanho todo. Forte abraçp

Rogério Loureiro
Visitante
Rogério Loureiro

O fato de já terem construído uma nave equivalente ao modelo Russo Ucraniano já é um avanço inegável.

Construir um ao nível do Kitty Hawk americano será mais um impressionante avanço.

Naturalmente, o que virá depois será a prova da competência dos caras.

Não duvido e não me surpreenderá que cheguem ao nível do USS Ronald Reagan.

A dúvida é em quanto tempo.

Demétrio De Conti
Visitante
Demétrio De Conti

Corra atrás China, corra atrás China !!! Até podem chegar meio perto, mas demorará anos anos anos e.nunca ultrapassarão os americanos. Além do mais a tecnologia chinesa por.mais que ultimamente tenha avançado , ainda está longe dos americanos no quesito porta-avioes e aeronaves de.combate. Chegarão meio perto mas só. E olhem que eu não sou americanista. O grande poder americano é monetário, tecnológico e secular. Não há potência isolada Quênia ultrapasse.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

São dois anos para se construir um navio e 200 para construir uma tradição.

Edison Castro Durval
Visitante

No caso da China são 5.000 anos

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Cheios de vitórias navais né?

Alessandro
Visitante

Acho que houve confusão, em 2028 será o quarto ou quinto que será comissionado, e vejam la atrás na primeira imagem o que parece ser a nova versão da fragata Type-054, a 054B

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

E pensar que a MB já cooperou com a China na área de porta aviões em.
Sorte dos chineses que nossa politica, sociedade e militares são marxistas fóbicos e não levaram a cooperação em diante.
Hoje nem usado operamos kkkkkkk!
Parabéns aos chineses !
Que inveja viu.

Bavarian Lion
Visitante

Interessante. Porém coisas menos críticas que a propulsão e o tamanho do NAe que me deixam perplexo nesse caso. E o assunto foi tratado na matéria: catapultas. O processo de adaptação de caças para operar com esse dispositivo não é simples nem barato. O J-15, irmão ucraniano do Su-33, não foi projetado para isso e será um adendo ao projeto, podendo comprometer seu desempenho. É esperar pra ver. Outra coisa é que o desenvolvimento de catapultas não é também uma coisa muito simples. O nosso antigo Foch, por exemplo, a despeito de ser um barco inteiramente francês, usava catapulta e… Read more »

Douglas Falcão
Visitante
Douglas Falcão

Se o Brasil não tem condição de operar navios grandes como o SP e o Kitty Hawk “degradado” de sistemas e capacidades, como ponderou o Senhor Dalton, imagina operar sub nuc…