Home Academia UFRJ Nautilus representa o país pela terceira vez na Robosub

UFRJ Nautilus representa o país pela terceira vez na Robosub

2316
61

A equipe de automação naval e submarina da UFRJ, Nautilus, embarca no dia 23 para representar o Brasil na Robosub 2019, campeonato internacional de Veículos Submarinos Autônomos (AUVs), que ocorre entre os dias 29 de julho e 4 de agosto, em San Diego, nos Estados Unidos. Esta é a terceira vez que o evento receberá a equipe da UFRJ, sendo o único grupo da América Latina e única representante brasileira.

O concurso, organizado pela Robonation, destina-se a incentivar o interesse no campo dos AUVs, desafiando uma nova geração de engenheiros a realizar missões complexas em ambiente subaquático. A Robosub também serve para desenvolver relacionamentos entre jovens engenheiros e as organizações que desenvolvem e usam tecnologia AUV.

“Para a competição deste ano, nós revimos alguns conceitos do nosso projeto. Tornamos o nosso software mais aprimorado e o nosso robô mais robusto. A RoboSub, competição que participamos, também evoluiu, as provas estão mais difíceis e mais 21 equipes participam este ano. Em 2018 conseguimos chegar até às semifinais, e desde então, não descansamos, trabalhamos para ter um desempenho ainda melhor”, avalia Henrique Ferreira Júnior, aluno do 7º período de Engenharia de Controle e Automação, e capitão da UFRJ Nautilus.

DIVULGAÇÃO: Pacto Comunicação

61
Deixe um comentário

avatar
9 Comment threads
52 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
28 Comment authors
ColombelliGuinarommelqeLuciano P.Luciano Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
ALEXANDRE
Visitante

Parabéns!

luiz antonio
Visitante

A farra com o dinheiro alheio continua. Recebem recursos a fundo perdido, sem nenhum compromisso com o retorno do que foi gasto e ainda com passagens, estadia, etc., etc.
Se pedirem para qualquer um deles comentar sobre o projeto, será um festival de “nóis”, de “..perca”, de “mim fale…”, sem contar a gagueira.
Vão e depois ninguem cobrará resultados. Bom assim né?

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Pelo amor de Deus!
Crus Credo !
Cada coisa viu .

α Tau
Visitante
α Tau

Foxtrot

Pelo amor de Deus!
Crus Credo !
Cada coisa viu

….

“Educação e pesquisa são coisas não valorizadas e sem importância, o brasileiro quer é dinheiro, de preferência fácil e sem trabalho, por isso tanta gente joga em loterias”

Carlos Crispim

Alexandre Pessoa
Visitante

Aparentemente nunca passou na porta de uma IFES, vem repetir a idiotice reinante no ZAPZAP. Não apresenta um argumento, uma ideia, somente o “ouviu falar”. Para que comentar então?

luiz antonio
Visitante

Voce não possui estatura para debater comigo.
Abraços

Melo
Visitante
Melo

Infelizmente isso acontece mesmo. Não há uma preocupação em dar continuidade ao projeto no mercado. Esse AUV será objeto de projetos finais, dissertações de mestrado e teses de doutorado, mas provavelmente nunca sairá da UFRJ, assim como o barco solar, o carro da engenharia mecânica, etc. As faculdades públicas são, muito infelizmente, completamente desconectadas do mercado. Os professores, via de regra, são ex-alunos que cursaram graduação, mestrado, doutorado e, na sequência, ou foram para algum laboratório ou foram dar aula direto. Experiência zero no mercado. Em um futuro não tão distante, alguns alunos desses vão trabalhar em empresas, com esse… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

kkkkkkkkkkk

luiz antonio
Visitante

É meu caro, esses caras que ficam com mimimi temem perder suas “boquinhas”. E para os desavisados sei muito bem como é o ambiente de “pesquisas” nas universidades federais principalmente. Para os “inocentes” que ficaram nervosinhos, apenas um fato: Já paguei do proprio bolso, materiais para construção de protótipos “que não interessavam à reitoria e lógicamente ao “mestre coordenador”, enquanto que outros “projetos” de interesses pessoais, onde muito dinheiro estava apropriado tinham prioridade “zero”. Detalhe, Gastavam no máximo 60% em um projeto “fake” e os outros 40%, bem…Outro detalhe: esses e outros episódios vivi em pelo menos duas universidades federais,… Read more »

Augusto Mota
Visitante
Augusto Mota

luiz antonio, eu tb já passei por isso, vc está certo, mas gostaria que vc falasse da pesquisa nas universidades particulares, vc sabe como é? Eu respondo: ZERO, meu amigo! Universidades particulares são cursinhos de 3º grau, e bem vagabundos, até as universidades católicas, que só tem fama, pois estão sempre nos primeiros lugares em rankings de educação (e desconfio muito desses resultados), a norma é: Pagou, passou!

luiz antonio
Visitante

Concordo com você Augusto. O ensino superior e pesquisas decorrentes são simplesmente catastróficas também nas universidades privadas, isso para ser educado. Seu comentário complementou corretamente o meu e isso, infelizmente, demonstra que o Brasil Involuiu nos últimos 30 anos, não que os erros não existissem antes, mas chegamos ao nível medíocre que estamos hoje em curto espaço de tempo. O nível tecnológico atingido por uma nação, decorrente das pesquisas de suas universidades públicas e ou privadas determinam a posição da nação no cenário global e a qualidade de vida dos seus cidadãos. Tenho curso superior em universidade privada, talvez das… Read more »

Felipe Alberto
Visitante
Felipe Alberto

É a iniciativa privada que não esta preparada para receber os pesquisadores. Se você der sorte, algum ex-aluno da sua faculdade aposta no seu talento e nas suas ideias. De resto, concordo com você.

luiz antonio
Visitante

A iniciativa privada no Brasil é sofrivel, mal conseguem pagar suas folhas de pagamentos. Abra um empresa e verá como não é assim tão simples mante-la aberta (não estou dizendo para dar lucro e sim apenas para mante-la e seus funcionários). Dinheiro para pesquisas? Isso é sonho.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Infelizmente no Brasil indústria não quer desenvolver nada, seja com investimento próprio ou pegando pronto das umiversidades. Querem só fabricar o básico de preferência com tudo pronto em kits e de facil venda.
Para ser assim, não precisamos de universidades, pesquisa cientifica de qualquer especie.

Augusto Mota
Visitante
Augusto Mota

A indústria tem um pouco de pesquisa, mas é somente para adaptar as tecnologias de vindas de fora para a nossa realidade, apenas isso, o resto é zero.

luiz antonio
Visitante

Caro Cristiano. A industria no Brasil esta sucateada, com rarissimas excessões. Para aquelas que alferem algum lucro, sai muito mais barato adaptar projetos de fornecedores no exterior do que financiar pesquisas com resultados duvidosos e demorados.
Empresa privada tem que dar lucro. Não é casa de caridade.

luiz antonio
Visitante

corrigindo: exceções

Augusto Mota
Visitante
Augusto Mota

Melo, vc tem conhecimento do que acontece, é exatamente isso q vc escreveu, só chamo a sua atenção para um detalhe: A produção científica das universidades particulares é próxima de ZERO! No Brasil, só a universidades públicas fazem pesquisa, e falo de pesquisa ampla, da mais básica até a pesquisa de ponta, que nas particulares simplesmente não existe. Então, parabéns universidades públicas por fazerem alguma coisa, mesmo que não sirva pra nada, mas pelo menos tentaram!

luiz antonio
Visitante

nesse ultimo paragrafo não concordo com voce e justifico: tentaram com o dinheiro público. Se quiserem tentar com seus proprios recursos aí sim, meus parabéns.

2Hard4U
Visitante
2Hard4U

Comentário de alguém que não tem a menor noção sobre o que está falando.

ghd
Visitante
ghd

Vocês já foram em uma universidade pública? Lá é desenvolvida tecnologia de ponta para empresas que desejam esses projetos. Inclusive investem muito dinheiro neles. São centros de excelência que desenvolvem grandes tecnologias para o Brasil é para empresas estrangeiras. O problema são pessoas que falam sem conhecimento. Equipes universitárias são oportunidades excelentes para desenvolver e aprender novas tecnologias. Os melhores profissionais em geral passam por elas. A engenharia naval da UFRJ desenvolveu boa parte da sua infraestrutura devido a parceiras com empresas privadas. Há MUITO projetos com empresas Offshore nacionais e internacionais. Inclusive lá há o maior tanque para testes… Read more »

João Augusto
Visitante
João Augusto

O melhor é ver o sujeito vir aqui para criticar os universitários os atacar pelo seu português falado que supostamente não é perfeito usando um português escrito cheio de erros.
Deve ser um outro Olavo com sua quarta série criticando as universidades.

Oiseau de Proie
Visitante
Oiseau de Proie

“Nós nos destruímos para subir ao invés de nos unirmos. O cara não quer se elevar, ele quer destruir o outro para se sentir superior.”

Victor Moraes

Overandout
Visitante
Overandout

Acho que uma das únicas partes ruins da democracia é alguém poder despejar este tipo de coisa num espaço como esse

Washington Menezes
Visitante

Nossa cada dia tem mais gente invejosa e recalcada que além de não fazer nada critica quem faz.

Oiseau de Proie
Visitante
Oiseau de Proie

“Arautos do atraso, críticos dos que ousam sonhar. Fiquem aí sentados, remoendo suas amarguras, enquanto os que tem sangue nas veias vão à luta. Ainda bem que um único Casimiro Montenegro Filho vale por mil desses inúteis”

JT8D

Gil Roberto Alves de Carvalho
Visitante

Meu Deus do Céu, chega a a ser imoral o comentário. Eventos como esse, são um incentivo ao aprimoramento do conhecimento técnico adquirido no ambito universitário, e mais importante, ver de perto a evolução de outras equipes competidoras.

Luciano P.
Visitante
Luciano P.

Mais um grupo de estudantes que após terminar o curso de engenharia, partem para trabalhar em nações estrangeiras que fomentam suas pesquisas. Enquanto isso no Brasil, só a escória digital fica para a festa.

Mazzeo
Visitante
Mazzeo

Bravo Zulu a equipe

Esse conhecimento tem varios campos de utilização, não apenas no campo militar.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

A mesma UFRJ que teve verbas cortadas e está sucateada? A mesma UFRJ parceira antiga da Petrobrás e MB ? A mesma UFRJ que auxilia a MB em pesquisas de acústica submarina, UAS,s, submarinos, escoltas etc? A mesma UFRJ que desenvolveu o Maglev Cobra com tecnologia 100% nacional? A Mesma UFRJ que agora está sem verbas, instalações sucateadas, projetos abandonados pelo atual governo e MB ? Pois é, ainda teve gente que apoiou o bobo da corte, capacho de louco rei do norte e do rei Davi quando o mesmo autorizou e até ordenou o corte de verbas para as… Read more »

Oiseau de Proie
Visitante
Oiseau de Proie

“Quando o Brasil ira entender que Educação, Pesquisa e Desenvolvimento são investimentos e não despesas?”

Jose Norberto

Guina
Visitante
Guina

A mesma UFRJ que deixou o Museu Nacional queimar…

Colombelli
Visitante
Colombelli

Va ler a lei de responsabiludade fiscal e estude como os que tua apoia deixaram o pais.

Alexandre Pessoa
Visitante

Esse é o papel da Universidade Pública brasileira, investir em pesquisa básica, de ponta, com alta qualidade.
BZ UFRJ! Que venha mais!

João Augusto
Visitante
João Augusto

Parabéns pela “balbúrdia”.

Cavalo-do-Cão
Visitante
Cavalo-do-Cão

“No Brasil o descaso com a educação não é uma consequência mas um projeto.”

Hipolito Brandao Nina

João Moro
Visitante
João Moro

Esse caso não pode ser generalizado. Eu estudei em Universidade Federal e vi as balbúrdias e desperdícios de dinheiro público. Essa caso é uma ilha de bons resultados diante do mar de “balbúrdia”.

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Discordo. Eu também estudei. Há desperdícios de todos os tipos, problemas administrativos gravíssimos e um corporativismo patológico. Típicos de diversas instituições públicas no país. Mas temos que reconhecer que quem produz a maior parte da ciência e pesquisa deste país são as universidades públicas. E se passamos vergonha para o mundo em diversas questões, com rankings lá no Z4, em publicações acadêmicas estamos ao menos na zona da Sulamericana. Tem muita coisa a melhorar. Tem muita coisa que necessita ser debatida e que as resistências corporativista conflitivas fazem de tudo possível para impedir. Mas disrupções sem propostas alternativas e baseadas… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

GFC_RJ a título de esclarecimento, quando eu escrevi “vi as balbúrdias e desperdícios de dinheiro público” refiro-me a desperdícios de recursos públicos com festas intermináveis de DCEs (regadas a bebidas e drogas) e cabide de trabalho nos DCEs e universidades (A exemplo da UFPR que descobriram que taxista estava recebendo bolsas de estudo para Mestrado sendo que nem estava inscrito e nem tinha graduação), varias bolsas e recursos financeiros para teses sobre ideologias, enfim, tudo quanto é tipo de “investimento” que não traz retorno (financeiro, tecnológico, empreendedorismo, etc.). Uma coisa acertava neste momento é a mudança de investimento para outras… Read more »

Alexandre Pessoa
Visitante

Tem balbúrdia e descaso com dinheiro públicos nas OM, no Judiciário, no Legislativo…

α Tau
Visitante
α Tau

“João Augusto

Parabéns pela “balbúrdia”.”

Quanto menos educado o cidadão mais fácil é manipula-lo…Por isso que no braziu sempre deixam a educação em último lugar…A polarização ideológica favorece apenas uma classe, a política…Existe direita e esquerda mas nem uma das duas levam pra frente…

Nem esquerda nem direita…quero um Brasil para frente..!!!..

Aladaf
Visitante
Aladaf

Me formei na UFRJ. Ciencia da Computacao. Nao eh so balburdia e tb nao eh so sucesso. Sao as duas coisas, como, alias, em qualquer lugar. Fiz Mestrado em Oxford. Nao eh so sucesso e tb nao eh so balburdia.
Falando sobre a UFRJ, eh preciso melhorar em varios aspectos mas nao se justifica criticar um projeto da categoria “sucesso” falando de balburdia. Vamos guardar as agressoes para quando sair uma materia sobre a balburdia, que existe tb, e muita.

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Isso aí, amigo. Concordo contigo. Apoio!

MMerlin
Visitante
MMerlin

Pessoal.
Este tipo gasto (como falado por alguns) eu considero investimento. E ótimo por sinal.
Vejam que estamos falando de “…automação naval e submarina da UFRJ…”.
O mercado para a área, tanto o setor militar quanto comercial industrial, é imenso.
Mas tem pessoas que preferem pagar salários de doutorandos e doutores referentes a testes de filosofia. Deem uma olhada nas propostas pela USP:
http://www.filosofia.fflch.usp.br/node/1735
A USP é estadual, mas a prática é exercida por todos os âmbitos.
O foco de estudos deveria ser priorizado de acordo com as necessidades de um país.

João Moro
Visitante
João Moro

Concordo plenamente. Já investimos muito em ciências sociais. Vamos investir mais nas engenharias.

Alexandre Pessoa
Visitante

O cara tem “Moro” no nome e quer mais investimentos nas “engenharias”. Direito é ciência social, assim como Economia, Arquitetura, Letras…
Não se traduz um manual técnico sem o aporte de um tradutor formado em Letras. Não se ensina ética a um Militar ou a um Juiz sem a compreensão básica de questões filosóficas. Não se aprende sobre estratégia sem o conhecimento de história.
Não existe resposta simples para um problema complexo, privilegiar as ciências ” duras” em detrimento das “humanas” é um erro crasso. E pra saber quem foi Crasso tem que saber história e filosofia.

Bardini
Visitante
Bardini

kkkkkkkkkkkk

MMerlin
Visitante
MMerlin

Bardini. Concordo plenamente com o seu comentário.

MMerlin
Visitante
MMerlin

Alexandre. Você se ateve apenas a uma parte do problema. O seu segundo parágrafo faz sentido. Mas aí existem dois problemas: 1. Uma grande (para não dizer toda) tese de mestrado e doutorado na área social não traz retorno nenhum para a sociedade, uma vez que os candidatos normalmente querem o título mais pela oportunidade de orientação do que pela propagação o aplicação do conhecimento. Isso é um fato e a tempos tem se tentado combater esta prática sem sucesso. 2. Como comentei, devem ser priorizadas teses de acordo com o contexto e necessidade atual de uma sociedade. No nosso… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Alexandre. Não é porque eu tenho sobrenome Moro que eu não posso defender as engenharias. Segundo, Claro será necessário outras profissões relacionados a ciências sociais (como por exemplo letras) mas certamente precisaremos menos profissionais de letras para um projeto de engenharia que engenheiros. Terceiro, pela política atual, os cursos de ciências não vão ser abolidos, não deixarão de existir mas não terão mais recursos investidos. Se tiver mais dinheiro para investir, serão feitos investimento em projetos e cursos que tragam retorno financeiro. Ademais, sou historiador, professor de história e administrador. Sei de ambas as ciências e tenho a convicção que… Read more »

Luciano
Visitante
Luciano

João Moro, boa noite. Só por curiosidade, vc produz pesquisa em história? Qual sua área de estudo neste campo?

João Moro
Visitante
João Moro

Sou graduado e licenciado em História e Administração. Trabalhei um tempo como professor e, depois de um longo caminho na área de administração, atualmente sou pregoeiro e coordenador de licitações.

Luciano
Visitante
Luciano

Obrigado. Achei q tinha pesquisas produzidas em história.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Ate e verdade isso Alexandre mas as nossas humanas nas federais são antros de enganação. A pesquisa das humanas não redem.nada de util e muitos passam o curso todo sem ler um livro enfiados em aparelhos de partidos. Eu vi pelos meus colegas da ufsm.

Alexandre Pessoa
Visitante

São mesmo Colombelli? Qual a sua base para afirmar isso? Só o que “viu” na UFSM?
Eu servi numa OM do Rio que era (e aí da é) um antro de enganacao, onde os militares não produzem nada de util, um antro de degradação, onde o Major vendia muamba de Miami, o sargenteante da Cia. seviciava os conscritos “gostosinhos” e um capitão chegava todo dia cheirado de manhã e doutrinação ideologicamente os conscritos. Ninguém nunca lia um livro sequer, só revistinha de sacanagem e muita punheta nos postos de guarda.

Assim é melhor acabar com as OMs, não?

Luciano
Visitante
Luciano

Pois é…quando olho meus anos e anos de pesquisa, centenas de livros, artigos, dissertações, etc lidos, além de artigos, congressos, dissertação produzidos (além de que tudo isso era o padrão entre meus colegas) e agora alguém de fora, que nunca procurou saber, que nunca leu nada que produzi, vira e diz q eu e meus colegas somos inúteis e massa de manobra de partidos …putz….é realmente muito frustrante! Ai vemos a Alemanha investindo 160 BILHÕES em universidades e institutos de pesquisa…é, eles devem ser os comunistas…

Colombelli
Visitante
Colombelli

Azar o seu se tu serviu nesta OM. No Rio né? Aqui nao é assim. Não tome a tua realidade pela brasileira. Eu cursei federal e falo do que vi. Tu fez faculdade? Foi em federal? Esta falando sem conhecimento de causa. Mas se tu quer dados objetivos eu tenho.pra ti. Olha a produção quantitativa e depois e depois a qualitativa do Brasil em prsquisa que tu vai ver dados pra confirmar o que eu digo. Quer uma dica.mais especifica. Os dados foram revelados esta semana pelo ministro da educação no programa os pingos nos is da jovem pam. Tem… Read more »

Colombelli
Visitante
Colombelli

Alias voce vem num site que trata de defesa pra alvitrar o fim das OM baseado no que tu viu em.uma do Rio? Repense. Voce parece estar no.lugar errado.

Alexandre Pessoa
Visitante

Ao que me consta posso entrar no site que quiser, assim como você, da mesma forma que você pode dar “opinião” baseado em uma única experiência em IFES, aliás claramente no fórum errado, deveria estar num site de educação, não? Você defende o fim das IFES e da pesquisa em Humanas baseado em achismo e em dados pouco confiáveis desse ministério inepto (e da “Jovem Pan”!…). A OM que citei se parece com muitas outras no Rio de Janeiro, e tenho certeza que o mesmo acontece estaticamente em qualquer OM Brasil afora, o que não quer dizer que tenham que… Read more »

rommelqe
Visitante
rommelqe

Ô meu amigo, da uma olhada em:
http://www.teses.usp.br/index.php?option=com_jumi&fileid=9&Itemid=159&lang=pt-br&id=3135&prog=3010&exp=0&pagina=3

Depois veja em Centro de Tecnologia da Marinha em LAB Gene…onde fica…Abraços.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Dica ao gf: pega 1,5 ou 2% do valor do ecedente do pré-sal e bota nas esctas ou subnarinos e em.pesquisa oceanogŕafica. O clatrato esta chamando.