Home Inteligência Royal Navy envia submarino nuclear para o Golfo depois do Irã apreender...

Royal Navy envia submarino nuclear para o Golfo depois do Irã apreender petroleiro britânico

15149
141
Submarino nuclear classe Astute

A Grã-Bretanha deve enviar um submarino de ataque movido a propulsão nuclear para o Golfo depois que o Irã apreendeu um petroleiro de bandeira britânica.

Com o aumento das tensões na região, fontes destacaram que o submarino da classe “Astute” desempenharia um papel puramente defensivo, usando seu sofisticado equipamento secreto de coleta de informações eletrônicas para salvaguardar navios britânicos e internacionais.

O Irã aumentou sua provocação publicando imagens da Força Quds da elite do Corpo de Guarda Nacional iraniano fazendo rapel de um helicópteros para embarcar no petroleiro. É um espelho de imagens divulgadas há duas semanas pela Grã-Bretanha, mostrando os fuzileiros navais reais descendo sobre o Grace 1, um petroleiro iraniano suspeito de transportar petróleo para a Síria.

O ministro das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, disse que as embarcações britânicas “devem e serão protegidas”. Durante uma ligação de emergência com seu colega iraniano, Mohammad Javad Zarif, Hunt disse que “expressou extrema decepção por ter me assegurado no último sábado que o Irã queria reduzir a tensão, mas eles se comportaram de maneira oposta”.

Ele acrescentou: “Isso tem a ver com ações, não palavras, se quisermos encontrar um caminho. Os navios britânicos devem e serão protegidos”.

O submarino de 7.400 toneladas, um dos mais novos da Grã-Bretanha, poderá rastrear movimentos e transmissões de voz a 200 milhas de distância.

Sua suíte de guerra eletrônica pode interceptar e baixar todas as conversas com linguistas especialistas a bordo. Eles podem avaliar a transmissão e relatar de volta à sede naval, fontes dizem que ele vai concentrar sua atenção no porto iraniano de Bandar Abbas, e a flotilha dos chamados submarinos anões que representam uma ameaça crescente para o transporte marítimo internacional ao longo do Estreito de Hormuz.

“Estamos enviando um submarino – pode muito bem já estar se dirigindo para a região”, disse uma fonte sênior da Marinha Real.

“Seu papel é uma postura secreta de inteligência, simplesmente reunindo informações para apoiar os comboios de escolta planejados para os petroleiros.

HMS Astute em corte
Submarino nuclear HMS Astute em corte seccional (clique na imagem para ampliar)

FONTE: Daily Express

141
Deixe um comentário

avatar
26 Comment threads
115 Thread replies
4 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
67 Comment authors
MgtowfilipeMercenárioLuiz TrindadeDalton Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Doug385
Visitante

A importância de se ter esse tipo de arma. Com certeza os iranianos vão ser mais cautelosos.

Vovozao
Visitante
Vovozao

21/07/19 – domingo, btarde, muita cautela, o último confronto do Irã começou com o sequestro de um petroleiro, o Iraque envolveu-se num confronto que custou muito caro financeiramente e em homens, e o Irã não aprende para esconder seus problemas internos parte para agressão/sequestro a outras nações
A união USA/RN pode custar muito caro a eles.

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Não tô vendo união USA/UK nenhuma. O lipservice da USNavy em fornecer vigilância e inteligência pra quem quisesse escoltar seus botes é apenas declaração vazia, como se vê pelo envio do sub britânico com capacidade de espionar – union Jack se virando nos trinta.

Alison Lene
Visitante
Alison Lene

Nada que cargas de profundidade ou minas navais não resolvam…. Caso necessário… e claro. rsrsrs

João Moro
Visitante
João Moro

Só não concordo com a sua segunda afirmação: Os Iranianos são belicosos e estão acuados pelas sanções. Acredito que os ataques dele continuarão.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Eu me pergunto: se por acaso, tivesse uma fragata nossa naquela região apenas por passagem e a 1 km desse navio, sem nada a ver com esse petroleiro, será que mesmo assim eles fariam o que fez?

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Qualquer navio militar de qualquer país que tenha o mínimo de vergonha na cara responde a um pedido de socorro de um navio mercante… as opções são fugir o uso entrar em combate, acho que a segunda opção não faz muito sentido!

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Ou entrar*

Arsénio Sapatinha
Visitante

Obviamente não meu caro! A provocação veio do Reino Unido e não do Irão, que não se confunda a verdade!

Diogo
Visitante
Diogo

Qual provocação o Reino Unido fez?

Alison Lene
Visitante
Alison Lene

Pergunta interessante. acho que nao fariam para nao ter testemunhas.

Leandro. O
Visitante
Leandro. O

Espero q essa novela se desenrole de forma pacífica. Acho acertada a posição dos EUA em manter a pressão por meio de sanções em cima do Irã para que este encerre seu programa nuclear Militar. É muito perigoso ter mais um país atômico, ainda mais naquela região. Por outro lado os EUA não tem moral para exigir tal coisa. Faça o que eu falo mas não faça o q eu falo. Essa novela assim como a da Coreia do Norte vai ser longa…

sidney
Visitante

Leandro talvez o que esta segurando EUA manter só sanções é o ano eleitoral, se Trump ganhar tenho certeza que ele vai descarregar uma chuva de misseis la no Irã.

Gilson
Visitante
Gilson

Eua só está esperando o momento oportuno,
Talvez Israel tenha alertado

Gilson
Visitante
Gilson

Até porque Israel na verdade é o alvo principal dos persas, mas acredito q Israel esteja preparado pra esse confronto

FICO SÓ OBSERVANDO
Visitante
FICO SÓ OBSERVANDO

e o programa nuclear de israel como fica? não pediram licença para ninguem e hoje teem 250 bombas nucleares

Jadson Cabral
Visitante
Jadson Cabral

Ajudados pelos Estados e pela França. Aí pode.

nonato
Visitante
nonato

Então está certo.
Que todos os 200 países do mundo tenham direito a ter sua própria bomba atômica e possa usar quando quiserem…
Já que todos têm direito…

Bosco
Visitante
Bosco

Sem reclamação da Rússia e da China também pode.

Minuteman
Visitante
Minuteman

Pois deveria enviar um da classe Vanguard de mísseis balísticos. Os Irans iriam baixar a bola rapidinho.

Blind Mans Bluff
Visitante
Blind Mans Bluff

Foi uma piada?

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

Um boa “recíproca” iraniana, seria um lançamento de uns quatro SLBMS para realmente causar “receio” no Reino Unido. Agora se os aiatolás possuem esses meios, aí já é outra história.

Bosco
Visitante
Bosco

Minuteman,
Os SSBNs britânicos podem atingir o Irã atracados em sua base.

Mário SAE
Visitante
Mário SAE

Gosto do Bosco, seus comentários são cirúrgicos.

nonato
Visitante
nonato

Achei estranho mandar e avisar.
O estreito de Ormuz é tão estreito que fica fácil para o Irã z Rússia e China monitorarem a passagem do submarino…

Marcelo Monteiro
Visitante
Marcelo Monteiro

Por favor, gostaria que alguém aqui respondesse a curiosidade de um leigo no assunto. O futuro submarino nuclear brasileiro, se fosse preciso, conseguiria fazer um deslocamento como esse da Royal Navy? Com essa distância? Ou ele será um submarino capaz de apenas patrullar o litoral brasileiro? É só uma curiosidade.

Alexandre Esteves
Visitante
Alexandre Esteves

Conseguiria, sem dúvida, mas não teria a capacidade de projetar poder que esse submarino nuclear britânico possui.
Mas para o TOM (Teatro de Operações Marítima) do Atlântico Sul será um fator de dissuasão tremendo para a Marinha.

Marcelo Monteiro
Visitante
Marcelo Monteiro

Obrigado! 👍👍

Aldo Ghisolfi
Visitante

Tenho dito sempre que apenas um sub incomoda, mas não projeta poder algum; precisaríamos (sonho meu!) de, no mínimo 3 unidades!

Carlos
Visitante
Carlos

Não Entendi o porquê , já que os dois são Nucleares ?

Bosco
Visitante
Bosco

Carlos,
Provavelmente o Alexandre fez alusão a que o subnuc brasileiro não deve contar com mísseis cruise enquanto os britânicos lançam o Tomahawk. Daí a capacidade de projetar poder deles ser superior.

Arariboia
Visitante
Arariboia

Os Tomahawks deles são lançados pelos tubos de torpedo. Estranho essa limitação de um projeto bem recente.

Dalton
Visitante
Dalton

Não há limitação…a sala de torpedos de um “Astute” é maior que a de um submarino classe “Virgínia” que tem silos verticais e apenas 4 tubos lança torpedos. . Um “Astute” pode levar a bordo tantos mísseis e torpedos quanto um “Virgínia” e tem 6 tubos lança torpedos para lança-los. . O maior problema da classe “Astute” é que apenas 3 estão em serviço, juntamente com 3 mais antigos da classe “Trafalgar” o que a grosso modo significa que apenas um de classe estará disponível para missão e apenas outros 4 “Astutes” estão em construção o que totalizará 7 unidades,… Read more »

filipe
Visitante
filipe

O Astute é equivalente ao SSN Suffren da França?

Dalton
Visitante
Dalton

Sim, embora o mais correto seja o “Suffren” ser o equivalente do “Astute” já que o último já encontra-se em serviço com a Royal Navy e ambas as classes representam uma nova geração de submarinos , mesmo os “Astutes” sendo maiores que os “Suffrens”.

filipe
Visitante
filipe

O Astute tem 97 metros e o Suffren 99.5 metros, o Astute pesa mais , são 7400 Toneladas contra 5300 Toneladas do Suffrem, são 11.3 metros de diametro do Astute contra 8.8 metros de diametro do Suffren,o Astute têm 6 tubos de Torpedos e o Suffren tem 4, são projectos avançados , mas bem diferentes, posso admitir que os Suffrens são mais compactos, ambos usam Pump-Jet e são super silenciosos, não usam VLS para misseis de cruzeiro, o Reactor do Astute dura 25 anos com o mesmo combustivel enquanto que o Suffren tem 10 anos, O UK faz sempre primeiro… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Ambas as classes farão exatamente a mesma coisa já que são da mesma categoria, submarinos de ataque de propulsão nuclear. . Os “Astutes” não precisarão “reabastecer” o reator durante uma vida útil estimada em pouco mais de 30 anos enquanto os “Suffren” para alcançar o mesmo tempo de vida deverão ser reabastecidos duas vezes com um espaço entre os reabastecimentos de cerca de 10 anos já que utilizam urânio de baixo enriquecimento, mas, isso será feito aproveitando-se períodos de manutenção/modernização, coisa que um “Astute” também precisará passar. . Espera-se que os “Suffren” não sejam atormentados por tantos problemas técnicos sofridos… Read more »

Mercenário
Visitante
Mercenário

Dalton,

Outras diferenças importantes residem na velocidade (Astute 30 nós e Suffren +25 nós) e na capacidade de carregar armamentos (38 do Astute e 20 do Suffren).

O primeiro Astute levou 9 anos para entrar em serviço e o líder da classe Suffren levará entre 12 e 13 anos.

Apesar de terem a mesma função, as classes possuem um porte distinto.

Dalton
Visitante
Dalton

Tanto comentário, o que é bom, que as vezes passa um “batido”, mas, veja Mercenário, o “Astute” levou mais tempo para ser lançado ao mar após a assinatura do contrato do que o “Suffren”, sendo assim a diferença cai, mas, mais importante é que ambos os submarinos foram no caso do “Astute” e serão no caso do “Suffren” entregues com muito atraso. . O “Astute” contou até com uma importante ajuda da “Eletric Boat” dos EUA para solucionar alguns problemas e mesmo refazer parte do trabalho já feito como foi amplamente divulgado na época e isso aconteceu graças a uma… Read more »

Mercenário
Visitante
Mercenário

Dalton,

Como você bem sabe, o quesito disponibilidade não envolve tão somente os submarinistas, mas principalmente os períodos de manutenção dos meios.

Saudações

filipe
Visitante
filipe

O Astute é superior ao Suffren em termos de desempenho (max speed – 30 a 35 nós ,max deep – 500 a 600 metros, combustível do reactor substituído a cada 30 anos), mas são mais equivalentes em outros requisitos , como a disponibilidade e a operacionalidade, sendo o Suffren Superior por ter duas tripulações… Mas são bem mais relaxados , enquanto uma tripulação patrulha , a outra faz o quê ? Treina nos Simuladores ? Se familiariza virtualmente com o Submarino? Será que é viável ? Imagine uma Guerra, os tripulantes que ficaram 6 meses sem ir ao mar, de… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Dalton, os Virginia 5 tem o Virginia Payload Module (VPM), que recarregam os misseis nos tubos verticais, podendo transportar e lançar 28 Tomahawk.
Virginia: 65 torpedos e misseis.
Astute: 38 torpedos e misseis.
A facilidade de rearme é muito importante, inclusive para os tubos lança torpedos. Enquanto os Virginia podem lançar por VLS os Tomahawk e os 4 tubos só para torpedos, os Astute precisam decidir se lançam os Tomahawk por dois tubos e deixam os outros 4 para torpedos.

Dalton
Visitante
Dalton

Kemen…ainda nem mesmo se começou a construir um Virginia “block 5” com o “VPM”, mas, se você considerar que dentro de meros 7 anos a US Navy irá retirar de serviço os 4 “SSGNs” que em teoria podem embarcar 154 “Tomahawks”, mas, na prática é um pouco menos, haverá uma perda sensível na capacidade submarina da US Navy que espera-se voltará a crescer na segunda metade da década de 2030. . A Royal Navy não tem o mesmo requerimento nem meios evidentemente para ter tantos mísseis de cruzeiro baseados em submarinos, como tem a US Navy, então, nem mesmo faria… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Os dois primeiros Virginia 5 já estão sendo construidos, repito que a facilidade de recarga dos Tomahawk VPM que é nova, aumenta a capacidade de lançamento desses misseis que nenhum outro no ocidente possui.

Dalton
Visitante
Dalton

Kemen…sei que corro o risco de ficar ainda mais “queimado” do que já estou aqui no blog com essa minha mania de retrucar , mas, o que existe para o “block V” atualmente é um contrato e compras adiantadas de equipamento, mas, a construção não começou para valer. . O último submarino Block III , o futuro USS Delaware deverá iniciar os testes de mar dentro de uns três meses e ainda terão que ser entregues todos os 10 submarinos Block IV, que encontram-se em várias etapas de construção, mas, apenas 5 deles já tiveram a construção iniciada para valer.… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Dalton colega, estamos apenas trocando informações sobre os subs, não acredito que vc seja queimado.Os materiais para o Virginia 5 começaram a ser disponibilizados a partir de 2017 e a entrega de 2 para provas esta prevista em 2020.
Olhe o que diz ai embaixo.
https://defensemaven.io/warriormaven/sea/navy-starts-to-build-new-missile-tubes-for-virginia-class-attack-subs-tADs4_GjH0OOF6H7KhTSJQ/
Eu encerro aqui este tópico.
Bom dia, e um abraço.

Dalton
Visitante
Dalton

Kemen…
.
o link é sobre a construção do “VPM” não do primeiro “Block V” que nem tem nome ainda, ao contrário dos 10 “Block IV” em construção que já receberam nomes.
.
Para 2020 estão previstas as entregas dos dois primeiros
“Block IV “.
.
Estima-se que o primeiro “Block V” será entregue por volta de 2025 e se nada ocorrer de errado, afinal, envolverá algumas mudanças, estará pronto para sua primeira missão
em 2027 compensando em parte o descomissionamento
dos SSGNs.
.
Desculpe alguma coisa…
abraços !

Kemen
Visitante
Kemen

Dalton, leia … However, the biggest improvement to the Virginia-class will come with the Block V vessels—the first of which will start construction in 2019 as the second submarine (SSN-803) built that year. The Block V submarines will add a Virginia Payload Module (VPM) that will add four additional payload tubes amidship, each of which can accommodate seven Tomahawk cruise missiles for a total of 28 weapons. Overall, the Block V Virginia-class will be capable of launching 40 Tomahawk cruise missiles from its payload tubes. https://nationalinterest.org/blog/the-buzz/the-simple-reason-why-americas-virginia-class-submarines-are-17835 Você esta certo, se refere ao VPM disponivel em 2020 não o Virginia 5,… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

A construção “para valer” deverá iniciar no final do ano conforme o link abaixo: . https://navaltoday.com/2019/04/15/gd-awards-hii-usd-727m-for-block-v-virginia-class-materials/ . Em 2017 se começou à adquirir o “long lead time material” que é uma forma muito incipiente de se iniciar a construção, pois a construção “para valer” se dá com o “Laid down” e até o momento isso não foi anunciado. . Veja por exemplo o mais novo submarino, o USS South Dakota: . – Long Lead Material: início em março de 2013; – Laid Down: abril de 2016; – Christened: outubro de 2017; – Delivery: setembro de 2018; – Commissioned: fevereiro de… Read more »

filipe
Visitante
filipe

Dalton , a US Navy não vai fazer o Block V, vai produzir o SSNX, um SeaWolf Avançado, assim que finalizar o SSBN Columbia, em 2031, a ideia é ser um Submarino com o que de melhor tem no Virginia e no SeaWolf, vai submergir a profundidades gigantescas tal qual o Yassen Russo, pode chegar a 800 metros de profundidade, será Turbo-Electrico tal como o Columbia, vai ter velocidades avassaladora na ordem dos 45 nós, estamos falando do Submergível mais avançado da face da Terra.

Dalton
Visitante
Dalton

Receio que não filipe…o “Block V” já foi contratado, a construção ainda muito incipiente do primeiro já começou, e se você acompanhou minha conversa com o Kemen, verá que
também já se iniciou a construção do módulo com mísseis adicionais o “VPM” que deixará o “Block V” mais comprido.
.
Para além “Block V” que especula-se terá ao menos 10 unidades poderá realmente ser criado um novo tipo de submarino ou mesmo um “Block VI”, ainda não está decidido.
.
abraços

Negrão
Visitante
Negrão

Por que não lançará o futuro “matador” naval?

João Moro
Visitante
João Moro

Acrescento ao comentário do Alexandre Esteves que o nosso SBN precisaria de navios de logística para manter-se o Estreito.

Bosco
Visitante
Bosco

João,
Para quê?

João Moro
Visitante
João Moro

Para manter um sub lá no estreito, os tripulantes precisariam de água e mantimentos (alimentos), tanto no trajeto de ida e volta quanto manter-se no patrulhamento ou outra missão específica. Se tivessem como conseguir esses itens em algum país amigo, não haveria necessidade.

João Moro
Visitante
João Moro

Acrescento que a minha resposta leva em conta a munuteção do SBN-BR por meses, senão 1 ano.

Kemen
Visitante
Kemen

João Moro, acredito que o Álvaro Alberto tera muitas missões mas a sua prioridade de vigilancia poderia ser o Atlantico Sul, por onde escoam nossas exportações, o que não impede de navegar pelos mares do mundo se necessário, bem como nossos IKL e futuros Scòrpene BR que podem navegar também pelo mundo afora.

João Moro
Visitante
João Moro

Kemem, a principal missão dele será essa mas, no caso hipotético levantado e pelo comentário do Alexandre Esteves, eu teci o comentário acima.

Madmax
Visitante
Madmax

Será que im dia ele vai existir?

Bosco
Visitante
Bosco

Marcelo,
Um hipotético submarino nuclear brasileiro chegaria no Golfo em mais ou menos 13 dias. Eles podem levar víveres para até 90 dias. Ou seja, poderiam ficar em patrulha por cerca de 2 meses.
O problema, ao meu ver, é a reduzida profundidade do Golfo de cerca de 90 metros. Isso prejudica a operação de submarinos , principalmente de grandes submarinos nucleares.
Os britânicos confiam muito na furtividade de seus submarinos.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Não sabia dessa informação da profundidade mas realmente um sub nuclear impõe respeito…tô acho que mesmo com a limitação de despesa na marinha ficar em 1 não dá.

Bosco
Visitante
Bosco

Rodrigo,
Mas a intenção da MB é construir 4 submarinos nucleares. Claro, de bem intencionado o inferno tá cheio.
Vale salientar que eu fiz uma aposta com o Nunão que o subnuc brasileiro (que iria estar navegando em 2021) não iria estar na água até 2030 (e só faltam 11 anos).
Salvo engano eu disse que mudaria meu nome para Nabuco e ele me daria um milhão de dólares. rsssss

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Bosco,
Você já é Nabuco por direito desde alguns anos, quando apostou, e perdeu, sobre o peso dos canhões de caças a jato.

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Quanto ao milhão de dólares que certamente eu não apostei, o dia em que eu conseguir acumular essa quantia vc pode ficar tranquilo: eu mesmo mudo meu nome pra Nabuco e você pode voltar a ser Bosco, sem qualquer constrangimento. Mas fico com o dinheiro, evidentemente!

Bosco
Visitante
Bosco

Eu jurava que tinha grana envolvido na aposta. rssss

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Kkkkk boa tentativa Bosco! Quer dizer, Nabuco!

Jack
Visitante
Jack

Pensou rápido Nunão, rssss!

Bosco
Visitante
Bosco

A “vantagem” do Golfo é que se um submarino for atingido e ir ao fundo tem como os sobreviventes se safarem usando trajes de salvamento submarino.

Marcelo Monteiro
Visitante
Marcelo Monteiro

Obrigado pela explicação, Bosco! 👍

Mazzeo
Visitante
Mazzeo

Caro Bosco e Marcelo,
Acho que os nossos Tupi / Tikuna se dariam melhor como plataformas de guerra, dada a pouca profundidade, capacidade de deriva silenciosa, etc … porem a suite eletrônica de um Astute pesa muito nessa equação, devem ter uma capacidade de SIGINT/COMINT bem grande, até pq foram plataformas pensadas para esse papel desde o projeto.

Bosco
Visitante
Bosco

Mazzeo,
Hoje os submarinos nucleares são tão silenciosos quanto os convencionais. O Astute é um dos mais furtivos do mundo, rivalizando com a classe Sea Wolf e Virgínia. E a classe Astute ainda incorpora as tais “placas anecóicas” que os tornam invisíveis ao sonar ativo.
E salvo engano, apesar de ter os lemes em cruz , pode pousar no fundo arenoso, que é o caso do Golfo.

Mazzeo
Visitante
Mazzeo

Caro Bosco, Agradeço pelo comentário ! Realmente o índice de indiscrição de um Astute (até pelo preço pago neles) deverá ser bem alto, mas é um grande submarino para uma área bem rasa, mas a entrada do Fiorde de Kola e uma boa parte do mar de Barents também é e acredito que ele já tenha passeado por lá alguma vez. Será que as placas anecoicas evoluíram desde as instaladas nos 688 ? imagino que sejam mais flexíveis a fim de absorver a energia sonora de um sonar, mas não acredito que seja em todo o espectro de frequências. Agora… Read more »

Alex
Visitante
Alex

Bosco, o comunicado informa que o sibmarino ficará monitorando à distância de 200 milhas. Pode estar fora da área de profundidade reduzida.

Bosco
Visitante
Bosco

Alex,
O Golfo não tem 200 milhas de largura. Essa informação meio que estranha diz respeito à distância que ele poderia “escutar” as radiofrequências do “alvo”, o que pode ser entendido dentro do território seco. Ou seja, se ele estiver a 50 milhas ele “ouve” até 150 milhas terra adentro.

tulio762
Visitante
tulio762

“Estamos enviando um submarino – pode muito bem já estar se dirigindo para a região”
Estão enviando não, provavelmente já está lá e há tempos recolhendo informação.

Caio
Visitante
Caio

Não sou belicista, nem quero derramamento de sangue, mas se houver um conflito só Iran e Reino Unido, a coisa já seria complicada ja qie os persas ainda tem folego militar e o Reino Unido cortou demais, de sua defesa nestes anos. Lógico que o final seria a entrada dos EUA; porém só o embate Iran e Reino Unido, seria bem ácido.

JPC3
Visitante
JPC3

Não daria certo.

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

Se penaram para derrotar os argentinos nas Malvinas, penariam muito mais contra os aiatolás.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Pra achar que o Irã tem fôlego e o Reino Unido não eu nem sei qual a substância necessária… Não existe absolutamente nenhuma área na qual o Irã esteja sequer igual ao RU, quiçá melhor!
Contudo, o RU hoje, sem seu porta aviões com ala aérea decente, não tem capacidade real de uma guerra naquele canto sem ser total.

Caio
Visitante
Caio

Não disse que o Reino Unido não tem fôlego pra combater o Iran mas, não é o mesmo fôlego de décadas passadas, se acompanha as informações do próprio blog sabe o que ele diminuíram suas forças, e os iranianos só tem suas forças militares como pilar do país e isso é toena o combate complicado.

Allan Lemos
Visitante
Allan Lemos

O UK não tem condições de fazer nada lá no Golfo sem a ajuda dos EUA,então a hipótese de um conflito envolvendo apenas o UK e o Irã não existe.Isso pra não falar que a situação política interna dos ingleses não é das melhores.

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Para quê um submarino para combater lanchas de 50 mil dólares? Estão mandando um elefante para matar uma formiga.

Bosco
Visitante
Bosco

Defensor,
Como dito no texto o submarino estará lá pra coletar informações. Sem falar que leva equipes de comandos que podem infiltrar em território iraniano. E pode atacar com mísseis Tomahawks alvos vitais.

Bosco
Visitante
Bosco

E vale salientar que a Marinha Iraniana não é feita só por lanchas leves mas tem várias fragatas, passíveis de serem torpedeadas.

Bosco
Visitante
Bosco

E tem submarinos também.

Mário SAE
Visitante
Mário SAE

Um monte deles. São cerca de uns vinte mini-submarinos, a maioria com deslocamento de 300 tons, alguns com 600 tons de deslocamento. Dizem que o mais moderno deles seria capaz de disparar mísseis de cruzeiro com o espantoso alcance de 2.000kms.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Um monte deles. São cerca de uns vinte mini-submarinos, a maioria com deslocamento de 300 tons, alguns com 600 tons de deslocamento. Dizem que o mais moderno deles seria capaz de disparar mísseis de cruzeiro com o espantoso alcance de 2.000kms. —— No Irã, em serviço: 3 submarinos do projeto 877EKM, entregues a partir da Rússia nos anos noventa. Quão bem eles estão em boas condições é desconhecido. O submarino “Fateh”, com 600 toneladas de deslocamento, existe em uma única cópia. Na verdade, este é um projeto da Coréia do Norte. Em termos de qualidades de combate, é mais provável… Read more »

Humberto
Visitante
Humberto

Defensor, complementando a resposta do Bosco, um submarino pode também minar os portos Iranianos de forma bastante furtiva, fazendo com isto, que o Irã, não consiga mais atracar os navios (impactando negativamente a importação de alimentos).
Um grande abraço.

XFF
Visitante
XFF

Isso é para Reino Unido mostrar os músculos. Envio de submarino não vai mudar nada naquele cenário. Ormuz é muito estreito, é um local fácil de detectar submarino e emboscar.

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

O Reino Unido poderia mandar um bombardeio de longo alcance escoltado por Typhons e F-35, tendo como local de pouso o “Queen Elizabeth”.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Iam pousar tão bem nos QE quanto os zero japoneses nos porta aviões americanos da segunda guerra

Mgtow
Visitante
Mgtow

kkkkkkkkkk…boa

Mário SAE
Visitante
Mário SAE

Vinicius, salvo engano o Reino Unido deixou de dispor de bombardeiros de longo alcance após a aposentadoria dos Vulcans. Mas de uma forma ou de outra, os britânicos dispões em sua marinha navios armados com mísseis dês cruzeiro, o que em caso de conflito, já fariam um estrago tremendo. Com relação aos Typhons e os F35 que você citou, são muito superiores a qualquer coisa que os iranianos tenham em seus inventários, ou seja, os pilotos persas seriam alvos fáceis para os caçadores ingleses. Sinceramente, me parece uma baita falta de juízo dos iranianos provocarem um conflito com os súditos… Read more »

marcus
Visitante
marcus

Será que farão igual no Japão? Mandam os mísseis balísticos Trident nas 4 cidades mais populosas do Irã, Teerã,Mashhad,Isfahan e Karaj e os barbudinhos vão enfiar o rabo entre as pernas e a Coréia do Norte vai arregalar os 3 olhos.

Thiago
Visitante
Thiago

Fazer uso do arsenal nuclear seria algo injustificável e inaceitável para a comunidade internacional com consequências
imprevisíveis. Não apenas seria uma resposta desproporcional mas criaria um precedente perigoso demais, significaria abrir o jarro de pandora. Todas as nações que possuem um mínimo de capacidade técnica para tal empreitada iriam querer o próprio arsenal como garantia. Iria pôr em xeque todos os tratados atuais e o tema voltaria a ser uma pauta política importante em muitas nações. Não é brincadeira.

PauloOsk
Visitante
PauloOsk

Isso tudo nao vai terminar bem, infelizmente.

Leandro. O
Visitante
Leandro. O

As tais lanchas rapidas se não me engano eles tem 200 delas com 2 mísseis anti navios cada. Então é bem perigoso. Vai q dá uma loucura nos caras. Segurar uma saraivada de 400 ou que seja 200 mísseis Fica no mínimo complicado para qualquer defesa. Acho q faz mais sentido mandar o Submarino. Até para evitar ao máximo a provocação/confronto. Apesar que diz a lenda q eles também tem vários mini submarinos… (Não sei as capacidades dos mesmos mísseis e mini subs)

Bosco
Visitante
Bosco

Pegando gancho no seu comentário , o desenvolvimento do míssil Longbow lançado pelos LCSs terminou e eles estão prontos a serem instalados nos navios. Cada LCS poderá contar com até 3 módulos com 24 mísseis cada (total de 72 mísseis) . Ou no caso de manter os canhões Mk-46 de 30 mm, poderão ser dois canhões e 24 mísseis. Combinando os helicópteros armados com o Hellfire e metralhadora, o canhão Mk-110 de 57 mm, dois de 30 mm, um SSMM com 24 Longbows e o lançador RAM (11 e 21 unidades) e tem-se um grande poder de fogo contra ataques… Read more »

cerberosph
Visitante

Profundidade media de 50m, Não é lugar para um submarino deste porte.

Bosco
Visitante
Bosco

Cerberosph,
Eu li recentemente que a alta salinidade do Golfo complica a detecção via sonar passivo.
O complicador é que a profundidade reduzida facilita a detecção via MAD. Se o sub não estiver com sua desmagnetização em dia ele será detectado com relativa facilidade.

cerberosph
Visitante

Não só detectar mas mesmo manobrar, apesar de o ponto mas estreito ter 54 km a profundidade media é só 50m, está lotado de superpetroleiros, com calados de 17 a 24 metros, o calado do submarino é 10 metros, vai ter um monte de navios, submarinos e aviões de vários países brincando de perseguir e gravar suas assinaturas. Acho ariscado

João Moro
Visitante
João Moro

Cerberosph, Acredito que a melhor opção neste momento e neste local (estreito de Ormuz) seja o submarino nuclear. Na situação atual, Navios de superfície seriam facilmente detectados e não poderiam proteger todas os navios comerciais que passam pelo estreito (enquanto protege um, o Irã sabe que outros estão desprotegidos e atacarão) porém o submarino pode mover-se a qualquer local, é de difícil detecção e cria um clima de medo aos grupos iranianos de ataque porque pode ser que o sub esteja próximo e eles não detectaram. Numa situação de início de guerra, navios de superfície e porta aviões seriam facilmente… Read more »

Vladimir
Visitante
Vladimir

Invadir o Irã e aniquilar com força total. Fuzileiros navais matando todos e tudo . Civil dano colateral. Comecem afundando essas lanchas com malucos a bordo depois invade e derruba tudo igual no Iraque e se quiserem mais , tomar todo Oriente médio com a ajuda de Israel e Arábia Saudita sem chances para China e Rússia.

Quatzy
Visitante
Quatzy

Vá lá valentão. Tudo simples assim….

Mário SAE
Visitante
Mário SAE

Vladimir o genocida. Amigo não esquece de tomar o Rivotril antes de dormir.

sbrisse
Visitante

Tem louco pra tudo mesmo.

Arariboia
Visitante
Arariboia

Alguém acabou de fugir de um local pra mentes inquietas?! Hahaha!

MGNVS
Visitante
MGNVS

Senhor Vladimir…
Melhor o senhor mudar seu nick name para: RAMBO

So lembrando que num dos filmes esse “super-heroi” americano venceu sozinho a URSS e o melhor, montado a cavalo e usando apenas flechas.

Depois os bolsominions e olavetes aqui do blog dizem que sao os esquerdinhas pro- Russia é que usam erva estragada…
… baita delirio insano desse senhor.

nonato
Visitante
nonato

De qual parte do comentário do rapaz você não gostou?
Enfrentar o Irã? Afinal de contas um certo coronel idolatrado por muito é amigo do Irã…

Mgtow
Visitante
Mgtow

temos aqui um kid, sujeito que que muito provavelmente faz parte da plateia de Nando Moura, Terça Fake e o marginal-mor refugiado na Virginia.infelizmente a trilogia ta infestada desses sujeitos. Cara recolha-se a sua insignificância.

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Um submarino nuclear no Estreito de Ormuz que não tem águas profundas pode não ser uma boa ideia, só lembrando o Irã tem uma frota de submarinos e minisubmarinos diesel-elétricos que são mais apropriados ao Estreito de Ormuz!

Dalton
Visitante
Dalton

Fabio…
.
os SSNs e SSGNs da US Navy , por exemplo, quando naquela região, passam a maior parte do tempo no Mar Arábico e o SSGN que as vezes está de plantão na V Frota, costuma passar por pequenas manutenções e troca de tripulações na ilha de Diego Garcia muito mais ao sul então, submarinos de propulsão nuclear não estão lá para “combater” dentro do Golfo.

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Uma coisa e passar por lá num deslocamento normal, outra coisa é ser deslocado para lá no meio de uma crise como demonstração de força. Lá não é as Malvinas onde um subnuc podia opernar num mar profundo, se a crise piorar, espero que não, ele pode estar num cenário de guerra num teatro de operações que não é o ideal para ele!

Bosco
Visitante
Bosco

Fabio,
Para atingi-lo terão que passar pelos navios de superfície. Ele pode entrar em águas iranianas e se a coisa esquentar ele se abriga junto aos navios de superfície e aí ficaria inatingível.

Mauro
Visitante
Mauro

Mudando de assunto e permanecendo no mesmo assunto, e pensar que os argentinos querem fazer frente a esses caras. Sem noção total.
Outra coisa, essa missão mostra com todas as letras a importância de um submarino nuclear para qualquer país, demoramos muito, mas com todos os atrasos, estamos a caminho de termos o nosso, e quem tem um desses cabe nos dedos das mãos contar.
Esqueçam os Scorpenes convencionais, depois do Álvaro Alberto, que se fabrique somente nucleares iguais a ele ou mais modernos de acordo com a tecnologia vigente.

alexandre
Visitante
alexandre

Do jeito que s britanicos dormiram, é capaz dos iranianos tomarem o submarino também… o que o sub pode fazer contra lanchas rápidas ? o navio não tem helicoptero embarcado para defesa ? alguem dormiu no ponto, nesta abordagem…não deu tempo do navio chegar ?

nonato
Visitante
nonato

Foi um petroleiro e não um navio de guerra.

Fábio CDC
Visitante
Fábio CDC

Bom dia Cavalheiros.
.
Por favor, uma curiosidade de um leigo: Eventualmente nossos novos SSK poderiam, de forma limitada, cumprir uma missão como essa do SSN britânico naquelas águas? Digo, será que nossos Scorpenes poderiam chegar lá, passar uns dias coletando informações e depois regressar?
.
Desde já agradeço a atenção!

Bosco
Visitante
Bosco

Fábio, O Golfo está no limite do alcance de nossos submarinos (quase 10.000 milhas) . Chegariam lá em uns 20 dias e teriam que reabastecer num porto amigo. A vulnerabilidade deles está em terem que esnorquear a cada 4 dias pelo menos. se mantendo vulnerável por um período de umas 5 horas. Isso, operando em velocidade mínima. Se operarem mais rapidamente a bateria consome mais rápido e tem que esnorquear numa taxa maior. A autonomia é de cerca de 50 dias (víveres). Ou seja, fazer isso que você citou (ir lá, ficar um dia e voltar) é impossível. Só se… Read more »

Fábio CDC
Visitante
Fábio CDC

Perfeitamente Senhor Bosco, muito obrigado por responder. Foi muito esclarecedor!
.
Tenha uma ótima semana.

Dalton
Visitante
Dalton

Com os “poucos” submarinos disponíveis da US Navy prioritariamente utilizados em patrulhas no Atlântico Norte e Pacífico Ocidental o envio de um moderno submarino da classe “Astute” será uma excelente adição às forças navais empregadas na região.

Kemen
Visitante
Kemen

A U.S. Navy tem 68 submarinos, não acho poucos. No entanto a Grã Bretanha der ter apenas uns 10.

pedroptdc
Visitante
pedroptdc

Por isso as “aspas” no “poucos”.

Dalton
Visitante
Dalton

Além das “aspas” como apontado pelo Pedro é preciso entender que a disponibilidade de submarinos é relativamente baixa e se é baixa para a US Navy é ainda pior para outras marinhas. . No inventário consta hoje 69 submarinos, sendo 14 “SSBNs” que não servem para missões corriqueiras , apenas para dissuasão nuclear, raramente se afastando muito de suas bases, uma vez ou outra “aparecem” em Guam ou Reino Unido, 4 “SSGNs” e 51 “SSNs”. . Então se pode contar apenas com os 55 SSNs/SSGNs…só que muitos deles encontram-se em manutenção, um já teve o processo de inativação iniciado ,… Read more »

Marcelo Danton
Visitante
Marcelo Danton

Simples! Todos os navios mercantes vão começar a ter lança misseis e armamento pesado escondido a bordo. kkkk Uma .50 dentro de um conteiner.

Rudi -* PY3TO
Visitante
Rudi -* PY3TO

Isso me lembra aquele navios de guerra Alemães disfarçado de mercantes, com canhões e tubos lança torpedo, Corsario Atlantis se não me engano! 73

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Eu fico imaginando na possibilidade da Royal Navy resolver colocar Royal Marines nos petroleiros deles quando forem passar por essa região… Seria interessante.

filipe
Visitante
filipe

A ultima nação que enfrentou dessa forma o UK e capturou Britânicos dessa forma foram os Argentinos nas Malvinas, mas o preço pago foi bem alto, acredito que o Irão cometeu um enorme erro de calculo ao capturar um navio do UK, nessa hora o SAS ou SBS da RN já devem estar a bordo do Astute para fazer a captura do navio, uma vez que os UK alegam pirataria da parte do Irã, os SBS são os Navy Seals do UK, eles estão a bordo do Astute, vão chegar lá e capturar novamente o navio, mas vão ser desembarcados… Read more »

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Não é uma boa idade enfrentar membros do SAS. Tenho um amigo que serviu no 7° BIB que conta a historia de um grupo de soldados argentinos que tentaram emboscar uma patrulha do SAS (os argentinos não sabiam que era o SAS) e apesar de ter o dobro do numero e emboscarem os Britânicos os SAS responderam com tanto fogo que fizeram os argentinos recuarem. (bem resumido, ele conta com muito mais detalhes)

Dalton
Visitante
Dalton

Em 2007, 15 militares britânicos, 8 marinheiros e 7 fuzileiros em dois botes baseados na fragata HMS Cornwall ,foram capturados pela guarda revolucionária iraniana e mantidos cativos durante duas semanas então, as “Malvinas” não foi a “última vez”. . De fato um “Astute” tem a capacidade de desembarcar forças especiais, mas,falta combinar com a guarda revolucionária, caso contrário não será assim tão fácil, de qualquer forma um “Astute” operando no Mar Arábico, do lado de fora do Golfo, já será bastante valioso, mas, não necessariamente para desembarcar forças especiais, há outros meios de se fazer isso. . Quanto ao futuro… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Acho que se desejam proteger seus navios, deveriam enviar mais meios navais à região. O submarino com propulsão nuclear é uma boa opção, pode vigiar sem ser detectado, mas como poderia atuar contra lanchas extremamente rápidas ou navios de patrulha do Irã, não seria lançando os torpedos pesados em lanchas e em navios patrulha, talvez misseis, alguns navios patrulha do Irã tembém levam misseis. Se o submarino subir a tona pode sr perigoso. Eu acho que teriam que enviar mais fragatas se quiserem evitar mais capturas, mas não acredito que o Irã se atreva a abordar mais navios.

Dalton
Visitante
Dalton

Kemen…não se espera que submarinos de propulsão nuclear sejam enviados para dentro do Golfo e sim que permaneçam do lado de fora no Mar Arábico
prontos para lançar mísseis de cruzeiro contra alvos em terra, torpedear
navios, coletar informações e reforçar os demais navios que estejam na região
a começar pelo NAe USS Abraham Lincoln.
.
Mesmo os NAes da US Navy eventualmente entram no golfo para que as
tripulações tenham alguns dias de folga como em Dubai por exemplo, e há
também navios britânicos e americanos baseados dentro do próprio golfo
no Bahrain onde situa-se o QG da V Frota dos EUA.

Kemen
Visitante
Kemen

Dalton, é corriqueiro submarinos nucleares e balisticos entrarem no Golfo Pérsico. Realmente isso poderia se tornar uma armadilha, mas com o que o Irã dispõe para defesa submarina, não acredito.

https://www.rt.com/news/us-submarine-passes-suez-115/

https://nosint.blogspot.com/2013/03/us-operating-five-submarines-in-persian.html

etc, etc…

Dalton
Visitante
Dalton

kemen… . o primeiro “link” é sobre trânsito no Mar Vermelho e é por ele que submarinos chegam ao Mar Arábico e Golfo Pérsico, já o segundo “link” cita o Golfo Pérsico, mas também o Mar de Oman e mesmo cita um submarino operando a oeste do Estreito de Ormuz. . Submarinos da US Navy entram de fato no Golfo assim como os NAes e demais navios para dar às tripulações alguns dias de folga e não há nada de incomum nisso. . Mas, o meu ponto é que o Golfo não é lugar para submarinos e NAes combaterem ou… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Sem querer jogar agua na fogueira, o que não sabemos é o que as vias diplomaticas estão acertando. Por exemplo, se a Grã Bretanha propor liberar o navio iraniano com o compromiso de não aportar na Siria e, em troca o Irã libera o navio ingles, simultaneamente. Ou a proposta também poderia partir da diplomacia iraniana. Também não acredito numa tentativa de resgate perigosa do navio ingles a partir de tropas especializadas embarcadas no submarino, no qual a Royal Navy tem exelente preparo. Mas…tudo é possivel, vou aguardar.

Marcos R.
Visitante
Marcos R.

Resgatar o navio é a parte relativamente simples, os SAS e SBS são especializados nesse tipo de ação, o complicado é tira-lo das águas territoriais iranianas só o tempo de ligar os motores somado a baixa velocidade da embarcação já inviabilizam a ação, a não ser que o objetivo fosse afunda-lo bloqueando o canal de navegação do Porto.

filipe
Visitante
filipe

Os Snipers dos SEAL TEAM 6 vão abater os comandos da guarda iraniana que estão fazendo os reféns, depois entram os Sayet 13 de Israel e os SBS são bons em Hand-To-Hand Combat, sem esquecer os israelenses peritos em Krav-Maga, o Irão esta num beco sem saída, é melhor abandonarem o navio ainda hoje… Resgate de reféns é coisa de gente grande (Seal Team 6 ou DEVGRU, Sayet 13 , SBS ou SAS, GRUMEC , Delta Force, GIGN da França, GRUM da Polonia), o Irão vai juntar a elite da elite das Forças Especiais, de lembrar que grande parte dessas… Read more »

Ricardo Neto
Visitante
Ricardo Neto

Acho que não vai dar em nada. Os ingleses vão liberar o navio iraniano em Gibraltar e depois os Aiatolás vão fazer o mesmo.

Heli
Visitante
Heli

Dois pontos a serem considerados: 1- Querem o seu petroleiro de volta? Então devolvam o deles que foi arrestado no Mediterrâneo perto de Gibraltar. 2- Que falta faz a RN (e a qualquer marinha) ter meios de superfície adequados e em quantidade. Mandar um submarino nuclear para enfrentar uma marinha de barcos menores (no máximo corvetas de 1200 toneladas) e lanchas, ainda que esta marinha tenha uns submarinos classe Kilo, não faz menor sentido. Sei que tem um Type 23 por lá, o HMS Montrose, e um Type 45 a caminho, se o motor não der problemas devido a água… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Heli…ou mais alguém interessado…a Royal Navy não está enviando um sofisticado submarino para resgatar o navio e/ou enfrentar barcos menores ainda mais dentro do Golfo. . O envio do submarino pode ser visto como uma resposta ao apresamento do navio até mesmo para consumo interno e/ ou tentativa de intimidação, mas, realisticamente será um reforço aos demais navios britânicos e americanos que já se encontram na região, atualmente de uma forma um pouco mais massiva já que há até um NAe o USS Abraham Lincoln, e essa força naval conjunta, espera-se, terá um poder dissuasório considerável, evitando o escalamento do… Read more »

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Como forma de antecipar as ações iranianas eu acho legal, mas tem ir além e explodir se for o caso um dos barcos da guarda revolucionária do Irã se ameaçarem de novo outro petroleiro do Reino Unido. Ações falam mais do que ameaças. Os iranianos não conhecem outra linguagem.