Home Asa fixa VÍDEO: A criação dos porta-aviões classe ‘Almirante Kuznetsov’ e suas aeronaves

VÍDEO: A criação dos porta-aviões classe ‘Almirante Kuznetsov’ e suas aeronaves

8124
36

Raro documentário divulgado pelo estúdio de cinema do Ministério da Defesa da URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas), em 1990.

Ele conta a história do desenvolvimento dos navios-aeródromo “Almirante da Frota da União Soviética Kuznetsov” (então “Tbilisi”) e do caça naval Sukhoi Su-33, baseado no Su-27.

O vídeo de 26 minutos detalha o projeto e os testes do Sukhoi Su-33 modificado para pouso enganchado usando o sistema de cabos de retenção do porta-aviões.

As decolagens também foram testadas com uma rampa ski-jump em terra firme, simulando a rampa do navio.

O documentário dá uma ideia do trabalho, tempo e dinheiro investidos pela URSS na aviação de asa-fixa embarcada, nos anos 1970/80.

COLABOROU: Felipe Salles

36
Deixe um comentário

avatar
13 Comment threads
23 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
22 Comment authors
SouzaAlex Barreto CyprianoDefensor da liberdadenonatoItalo Souza Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Renan
Visitante
Renan

Impressionante a competência necessário para realizar tal façanha
Imagina a engenharia para fazer um caça
Depois para fazer um caça naval.
Depois imagina para fazer um porta aviões.
Tem nações que não querem se dobrar de joelhos a nenhuma outra nação, então investem pesado em tecnologia e pesquisa para avançar e se tornar independente.
O sonho que o Brasil um dia se levante e comece a desenvolver suas tecnologias militares de grande relevância.
Parabéns pelo vídeo muito bem produzido, parabéns a reportagem do PN, que avião impressionante, em poucos metros já decola.
Muito lindo.
Abraço

Kommander
Visitante

Meu sonho é o mesmo que o seu, mas parece que nunca vai se realizar, pois temos um povo pobre (não de dinheiro) e vira-lata. Já faz 50 anos que eu ouço que o Brasil é o país do futuro, ou que o gigante acordou, mas é pura balela!

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

concordo plenamente!

Jmneto
Visitante
Jmneto

Concordo plenamente.

Souza
Visitante
Souza

infelizmente o Brasil será sempre isso: um país do futuro.

Esteves
Visitante
Esteves

O modelo de desenvolvimento industrial que adotamos não permite. As indústrias que se estabeleceram aqui trouxeram emprego e pagam impostos. A maioria nem impostos paga. Vide indústria automotiva. Somente o Corolla tem mais de 3 mil patentes. Quantas patentes tem o Gripen? Se, tivéssemos como pagar o ToT total do Gripen (se, a Saab o vendesse) teríamos que desenvolver uma BID para o avião. Se. O cluster que sustenta o A29, o KC390…deve ter mais de 1 mil empresas. Empacaríamos em propulsão, sistemas e armas. Por que o WalMart faliu? Por muitos motivos. Um deles. Você chama a empresa e… Read more »

Matheus Santiago
Visitante
Matheus Santiago

O modelo industrial brasileiro não falhou, o que falhou foi falta de coordenação política, monetária e econômica do governo brasileiro e isso vêm desde os tempos do Império. Pegue os fabricantes dos principais componentes do Gripen e você constatará que a construção do caça depende de importações da Inglaterra, EUA, África do Sul e Alemanha. Pois bem, por essa ideia você deve ter noção de que um caça ou qualquer outra tecnologia não existe a total independência tecnológica, o que pode ocorrer é que os principais componentes sejam fabricados na indústria nacional como acontece com EUA e Rússia e quase… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Sim. O modelo industrial brasileiro falhou. Porque existe Renault do Brasil e não existe uma renault brasileira. Após 70 anos de instalação do setor automotivo todas as indústrias e negócios brasileiros faliram. Pode usar o mesmo exemplo para a indústria eletrônica vencida no seu obsoletismo pelas entrantes multinacionais. Essa história de pegar peça daqui e dali e montar carro lá atende os interesses das montadoras. Carro montado no Mexico com peças da Tailândia, nota fiscal carimbada na Argentina e vendas no Brasil. Qual a lógica disso? Que redução de custos justifica receber componentes produzidos em 5 países para montar um… Read more »

Matheus Santiago
Visitante
Matheus Santiago

Você usa o efeito temporal, mas não estuda a política exercida nesse período. Sim, 70 anos de indústria automobilística no país, mas será que nesses 70 anos houve um planejamento de longo prazo? Por acaso não houve sucessivos golpes? Distorções econômicas? Políticas equivocadas?… e assim sucessivamente. Vale lembrar que no Regime Militar o mercado de automóveis praticamente paralisou, não houve progresso nesse período por conta das políticas de Estado dos sucessivos governos militares, o único que realmente tentou foi Castello Branco. A mudança só ocorreu no Collor, o mesmo até se referia aos carros fabricados aqui de verdadeiras “carroças”. Diante… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

70 anos de indústria automobilística nos EUA aconteceram com a mesma política? De Reagan até Obama…os americanos atravessaram 40 anos de desregulamentação, cortes de impostos e de gastos públicos? Bush aumentou impostos e gastos públicos. Japoneses, coreanos e chineses nos EUA. A diferença é que escaldados pelo passado estão fazendo carros com os chineses na China. Não querem reduzir custos nos EUA porque emprego é o primeiro custo da redução. O exemplo de empreendedorismo nos EUA vale para os EUA. No Brasil o desempregado compra uma franquia. Após 2, 3 anos o negócio morre. Nos EUA após 5 anos o… Read more »

nonato
Visitante
nonato

Falou muita coisa interessante.
Não li tudo nem vou comentar muito.
Mas me parece haver um equivoco de sua parte e de muitos de fazer afirmações generalistas.
A indústria brasileira não deu certo.
O Walmart não deu certo por isso e por aquilo.
Bom é Alibaba.
Outro ponto com uma contradição: nossos custos são altos e nossa moeda é desvalorizada. A China está desvalorizando ainda mais sua moeda, nível recorde acima de 7 yuan por dólar, e os Estados Unidos sempre criticaram isso.
Então não é porque o Alibaba é bom.
Parte disso é o baixo custo local.

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Só se estão desvalorizando agora, pq meses atrás era o contrário, os chinas valorizavam e muito o Yuan.

Italo Souza
Visitante
Italo Souza

Os russos resolveram os problemas herdados da união soviética como habitação e empregos desenvolvendo projetos de aceleração econômica, o governo aluga casas e apartamentos por preços extremamente baixos e criam empregos em grande escala na área naval incluindo em exploração naval.

Atirador 33
Visitante
Atirador 33

Só não temos recursos para desenvolver nossos meios militares, porque gastamos muito mau nossos fartos recursos financeiros que banca a farra do poder público, colo exemplo cito os benefícios inesgotáveis do judiciário e do legislativo, além dos gastos com caviar embarcados no transporte vip da FAB. Todos os brasileiros deveriam discutir os problemas, sem viés ideológico. Em um país minimamente sério a tal nova lei do fundo eleitoral, o país já teria ido a estado de sítio, mas aqui não. Somos 200 milhões de acéfalos explorados por 10 milhões de parasitas.

Abs

Renan
Visitante
Renan

Verdade pura

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Impressionante. Uma pena que dificilmente o Kusnetsov volte a operar um dia.
Aos 21:30 no vídeo, é normal a lataria´´ e a pintura do caça estar acabada e descascando daquele jeito?

BrunoW
Visitante

Pode até não voltar a operar, mas surgiram fotos em algumas redes sociais russas aonde o estrago causado no convés pelo guindaste teria sido consertado, indicando a continuidade nos trabalhos…
Mas com a colocação de dois PH em Kerch nos próximos meses, pode dificultar sua volta..

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Muito interessante. Alguns criticam esse tipo de porta-aviões pois só o veem pelo lado ideológico ou com os Super PA americanos, sendo que são tipos diferentes para missões diferentes.
Tipo, os PA americanos se destinam a defesa da frota e ataque em larga escala já os PA similares ao Russo e nisso incluo ate os PA ingleses se destinam a defesa da frota e ataque tático. Por isso não precisam lançar 72 caças cheios de bombas em 12 minutos, para eles está bom lançar 24 caças em configuração ar -ar e só com combustivel interno que esta bom.

Pedro
Visitante
Pedro

Exato. Esse PA servia unicamente para defender a frota alocada no mar do norte, ou outros mares que futuramente outros PAs ficassem acabados. Nao a toa que para ataque naval, ele usava o SS-N-19 que estava (na epoca) instalado em sua proa. Alem disso, o Su-33 seria o jato de defesa da frota, enquanto que o Mig-29K tinha, ao contrario de sua contraparte terrestre, capacidade de ataque. O principal de tudo que essa classe, assim como o seu antecessor (Kiev) o enfoque era ações defensivas e não ofensivas como os da USN e da RN.

Marcelo
Visitante
Marcelo

era isso mesmo. Inclusive a funcao de ataque estrategico era realizada pelo mesmo navio, pois possuia 12 grandes tubos lancadores de misseis de cruzeiro antinavios ou de ataque ao solo, que foram removidos pelos chineses no Varyag/Liaoning e na sua copia Type 001A para dar mais espaco as aeronaves, ja que os chineses buscam um emprego dos seus porta avioes mais semelhante ao dos EUA e Franca e veem esse tipo de porta avioes com rampa mais como uma etapa intermediaria de aprendizado.

Dalton
Visitante
Dalton

Nem nos “bons tempos” da guerra fria Cristiano quando os NAes da US Navy embarcavam normalmente mais de 80 aeronaves se teve como lançar”72 caças cheios de bombas”. . O que se tinha eram 2 esquadrões de caças F-14 entre 20 e 24 unidades e 3 esquadrões de ataque, 34 a 36 aeronaves dos tipos A-7 e A-6 e nem todos estavam disponíveis para um ataque,seja por conta de manutenção e outras missões como patrulha de combate aéreo e essa taxa de disponibilidade nunca será 100% para qualquer marinha. . O restante das mais de 80 aeronaves a bordo compreendiam… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Amigo, você não entendeu obque quiz dizer usando um exemplo sem precisão. Eu quiz dizer que são porta-aviões diferentes por filosofias de emprego diferentes.

Dalton
Visitante
Dalton

Entendo que são NAes concebidos para fins diferentes , mas, muita gente ainda acredita que os NAes da US Navy podem e embarcam uma centena de aeronaves ou que em momentos de crise poderiam, daí faria mais sentido ter 72 aeronaves combatentes e 20 ou mais para outras funções, incluindo helicópteros, então, minha intenção foi tentar clarificar essa situação para outro leitor.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Obs. Na pior das hipoteses, o SU-33 só decolaria com 8 misseis ar-ar e teria um alcance reduzido em 20% e estou exagerando na decolagem. Seriam então, 192 misseis no ar e com um alcance de 3000km – 20%/2(Iida e volta sem o pós combustor)= 1200km. Que fosse metade disso, é 4x mais longe que um missil ante-navio pode ser lançado e 4x mais longe que um missil ante-aereo da epoca chegava.

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

A base aérea de Nitka é a Paxtunt River dos americanos

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

Já vi vídeo até de Su-23 usando esta ski jump , muito legal

Carvalho2008
Visitante
Carvalho2008

O caminho para quem não tem força de porta aviões consolidada tem de ser sempre o mesmo. Investir em Nae simples, econômico e com poucas peças a quebrar….ou seja, um Stobar. Quando vc já dispor de um, dois ouvires destes, é que vale a pena complementar com CTOLs…. É o que Rússia (se atrasou nisto), China e Índia fizeram. Hoje em dia eu iria até mais além, onde deveríamos ter algo mais simples ainda em que de especializado mesmo fossem apenas os espelhos e cabos de parada. Controle aéreo pelas escoltas e mais espartano que o Ocean e o BPE,… Read more »

TeoB
Visitante
TeoB

Com certeza estão de parabéns pelo desenvolvimento, é inegável a capacidade desses caras! tolo é aquele que subestima um povo determinado e com um proposito definido.
pena que a situação socioeconômica tenha se deteriorado no união soviética devido aos erros ideológicos e de gestão.
hoje msm tbm estava lendo sobre o desenvolvimento caça embarcado indiano pra conter o crescimento chines, as vezes penso que só quando tivermos um adversário bufando em nossa nuca é que vamos começar e desenvolver nossa industria de defesa adequadamente.
por que capacidade ao nosso não falta, o que parece faltar é um motivo msm

Battlefield
Visitante
Battlefield

Falando em nae’s….
Emgepron anuncia licitação da venda do casco do nae São Paulo para essa sexta dia 27 por pouco mais de 5 milhões :
https://www1.emgepron.mar.mil.br/licitacao/licitacoes_editais.php

Battlefield
Visitante
Battlefield

Se alguém puder explicar se qualquer pessoa (física ou juridica) ou governo, que tenham recursos para compra-lo e mante-lo, estariam aptos para participar da licitação?
E se o comprador poderia utilizar para qualquer fim (ex. pessoas fisicas/juridicas para uso recreativo ou comercial ou governos para fins militares).

leonidas
Visitante
leonidas

Essa nação é uma comédia, nosso satélite desenvolvido pelo Inpe segundo noticia dada ontem em um telejornal será lançado pela Índia…
Inacreditável e extremamente humilhante, começamos juntos e eles tem lançador, satélites, já mandam até sonda.
E a gente ainda esta no jardim de infância, uma nação dessa esta fadada a ser vilipendiada por todo mundo…

Pedro
Visitante
Pedro

O programa espacial indiano começou depois do nosso! E se duvidar, gastou bem menos.

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

aos 1:00 yak 38 o avião mais feio de todos os tempos !

Marcelo
Visitante
Marcelo

o biposto é feio mesmo, mas o monoposto é até simpático, não é muito diferente do Harrier.

Marcelo
Visitante
Marcelo

é uma pena que não tenha legendas em inglês. Quando será que o Google vai colocar tradução instantânea nas legendas? Já não deve ser tão complicado assim, já que conseguem captar o texto na língua original automaticamente.

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Que tal olhar ‘case’ de sucesso indiscutível russo/soviético em vez de um fracasso saudoso? O infortúnio gosta de companhia, não é bom satisfazê-lo. Um bom exemplo são os kilo. Tem vídeo, também.